Desmascarando Conjecturas Matrixianas

por Doutrinador

O termo matrix foi utilizado fazendo uma analogia do filme Matrix. Como todos sabem, a matrix é uma falsa realidade onde as pessoas são mantidas e convencidas de que aquele é o mundo real. Nos relacionamentos ocorre algo parecido, nós homens crescemos ouvindo que mulher é um ser quase supremo, perfeito, linda, maravilhosa, que não tem defeito, inquestionável etc. Crescemos ouvindo que mulher gosta de caras românticos, sinceros, honestos, carinhosos, bonzinhos etc, e quando damos de cara com a vida real percebemos que não é bem assim.

Isso é a matrix dos relacionamentos, fomos vítima de uma lavagem cerebral e nos levaram a acreditar que essa é a realidade, mas não é. Se o discurso feminino fosse verdadeiro, veríamos os bonzinhos sendo disputados a tapa pelas mulheres, enquanto os cafajestes e canalhas ficariam jogados pelos cantos, sendo humilhados e ridicularizados. É o que acontece? Não! Por que não acontece? Porque há uma discrepância entre o que dizem e a realidade, e isso é a matrix. Não nos cabe revoltar-se contra isso, apenas acordar.

Quando a pessoa acorda e entende que o que ela acredita sobre relacionamentos não é verdade, dizemos que ela passou a enxergar a matrix, e quando rompe com seu padrão de comportamento antigo e passa a agir com base no mundo real, dizemos que esta saiu da matrix. Entendemos então que, quando nos referimos à matrix, estamos nos referindo a uma realidade inverídica, uma realidade pseudo e politicamente correta que as pessoas querem, a todo custo, que você acredite.

Mas matrix não se resume apenas a relacionamentos. Existe a matrix do mercado trabalho, matrix dos relacionamentos interpessoais, toda e qualquer situação que envolve conceitos enganosos. Irei listar neste artigo algumas conjecturas matrixianas. Uma conjectura é uma ideia, fórmula ou frase, a qual não foi provada ser verdadeira, baseada em suposições ou ideias com fundamento não verificado. Ou seja, ideias que as pessoas acreditam serem verdadeiras, mas não são. Ideias que pertencem a uma realidade paralela, a qual chamamos de matrix.

Conjecturas Matrixianas

Conjectura matrixiana: “Se eu for um cara bom, íntegro e bom provedor nunca serei traído num relacionamento”
Realidade: Você pode ser um príncipe inglês mas ainda assim ser traído com um marginal, ou ser um bilionário e ainda assim ser traído com um limpador de piscina. O que vai determinar isso é o caráter da pessoa que você está se envolvendo, e não a sua conduta.Buscar garantias esperando que nunca será traído é viver na matrix. É claro que não se deve vestir o chapéu de corno por antecipação, mas se sua parceira for uma mulher sem caráter então ela irá traí-lo quer você seja um príncipe ou não. O homem não deve ser honrado e justo esperando fidelidade, mas deve sê-lo porque é o correto a se fazer.

Conjectura matrixiana: “Quem não dá assistência abre concorrência”
Realidade: 
Embora sua conduta possa dificultar ou facilitar uma possível traição, a causa é um desvio de caráter do próprio traidor e não da vítima. Crápulas, vadias e cafajestes gostam de espalhar por aí essa conjectura de que “alguém só é traído se der uma razão para isso”, o que é uma grande mentira e uma tentativa de inversão de valores. A vítima passa a ser culpada e o traidor passa a ser visto como uma espécie de justiceiro. Não aceite isso jamais. Uma pessoa honesta termina o relacionamento quando ele não vai bem, sem canalhices. Uma pessoa sem caráter e covarde, trai e depois tenta imputar a culpa disso na vítima, para disfarçar sua própria falta de honra e caráter.

Conjectura matrixiana: “Existe um grande segredo e um modus operandi ideal para atrair mulheres”
Realidade: Não existe segredo nenhum, muito menos um modus operandi. Pare de acreditar em charlatões que vendem livros para idiotas ensinando “segredos” que são apenas clichês e conjecturas matrixianas. O que vai determinar se você vai ser atrativo ou não para uma mulher são os sinais de poder que você emana e a afinidade que existir entre vocês. Se você evoluir e emanar sinais de poder, pode chegar numa mulher e falar de Chaves e fazer piada dos grãos de milho que saem nas fezes que é bem provável que ela vai achar você muito atraente. O que determina seu sucesso na sedução é a forma com que você encara a si mesmo e não somente a forma como que você encara o sexo oposto.

Conjectura matrixiana: “Existe uma mulher ideal para mim”
Realidade: Não existe mulher ideal coisa nenhuma. O que existem são mulheres (várias) com qual você provavelmente possuirá maiores afinidades e diminuirá as chances de atritos, desde que ambos façam a sua parte. Ponto. Esperar que vá encontrar alguém perfeito na sua vida é uma conjectura matrixiana de gente preguiçosa que quer alguém que aceite todas as merdas que você faz sem que você precise se esforçar. O insucesso nos relacionamentos está arraigado ao conceito de que existe alguém perfeito que vai aceitar todos os seus erros sem que você precise repará-los. Não, isso simplesmente não existe fora da matrix. Corrija seus próprios erros e seja alguém melhor ao invés de usar a conjectura de “me aceitar do jeito que eu sou” como muleta. Ninguém é obrigado a aceitar as merdas que você faz, tome vergonha na cara, evolua e seja um homem.

Conjectura matrixiana: “Mulheres adoram homens românticos”
Realidade: Embora as mulheres gostem de algumas doses de romantismo no relacionamento, homens românticos invariavelmente se tornam pegajosos, carentes e comunicam inferioridade, perdendo o respeito como líderes e chefes. É por isso que o romantismo é muito apreciado por elas no começo do namoro mas repudiado com o passar do tempo, pois não é da natureza do homem agir como um escravo emocional. Dele são esperadas características como liderança, força, segurança, honra. Além disso, o romantismo privilegia as mulheres, pois prega que o homem tem a obrigação de ser romântico enquanto fora da matrix as mulheres são muito pouco românticas. Homens devem dar flores, homens devem dar chocolates, homens devem dar presentes e parabéns a todas as mulheres que conhecem no Dia da Mulher, devem abrir portas e serem pessoas educadas, quando a recíproca não é verdadeira. O romantismo prega a conjectura de que os homens devem sempre se portar como cavalheiros, mas nada fala sobre as mulheres agirem como damas.

Conjectura matrixiana: “Devo sempre buscar uma formação acadêmica de que eu goste e não aquela que trará muito dinheiro”
Realidade: Você precisa de dinheiro para sobreviver, ainda mais no começo da sua carreira profissional. Quando as contas chegarem você não vai pagá-las usando seu diploma de oceanografia e artes cênicas, terá que pagá-las com suado dinheiro. Portanto, ou você escolhe uma formação que lhe trará dinheiro ou seu curso não terá valor prático na sua vida, apenas valor decorativo. É claro que se você puder conciliar uma profissão com a qual você tenha afinidade e que tenha bom mercado, seria perfeito. Mas deixe para realizar os seus sonhos pessoais e fazer os cursos decorativos para quando você já tiver alcançado sua independência financeira.

Conjectura matrixiana: “Se eu for um bom e fiel empregado terei estabilidade no emprego”
Realidade: Mesmo que você seja um empregado ideal, você pode ser demitido com a desculpa de reformulação do quadro ou contenção de despesas quando o sobrinho de algum executivo estiver precisando de uma forcinha. Melhor é fazer uma reserva suficiente para cobrir suas despesas por 6 meses em caso de demissão do que se apoiar em ilusões matrixianas.

Conjectura matrixiana: “Para ter sucesso, devo sempre procurar saber do que as mulheres gostam”
Realidade: Sua conduta nunca deve ser baseada no que as mulheres gostam e sim naquilo que você acredita, pois as preferências femininas são muito obscuras e variáveis enquanto seus ideais são sólidos e permanentes. Hoje as mulheres gostam de homens frios, amanhã querem homens românticos, hoje elas preferem os canalhas, amanhã “dizem” que gostam dos bonzinhos, hoje querem os sem pelos, amanhã querem os barbados, hoje querem os carecas, amanhã querem os moicanos de balada, hoje querem os tradicionais, amanhã querem os que fazem fio-terra. Molde sua vida com base na preferência delas e amanhã correrá o risco de acabar dando a própria bunda se elas assim o pedirem.

Conjectura matrixiana: “Ela tem defeitos, mas vai melhorar quando a gente se casar”
Realidade: Se ela não se esforça para corrigir seus defeitos e suprimir as próprias falhas agora, quando o relacionamento está na melhor fase e onde ela precisa te agradar para não terminarem, o que te leva a crer que ela fará isso quando o relacionamento já estiver consumado pelo casamento? A tendência é piorar, e a realidade é que se ela não se preocupa em respeitá-lo e ser uma pessoa de caráter agora, muito menos o fará no futuro. Desrespeito no namoro significa desrespeito durante a vida inteira, brigas e atritos no namoro significam brigas e atritos no casamento, depois não venha chorar e dizer que não foi avisado.

Conjectura matrixiana: “Meus amigos são melhores conselheiros pois me entendem mais do que os meus pais”
Realidade: Na primeira merda que acontecer seus amigos irão desaparecer e seus pais é quem surgirão para lhe tirar do buraco. Embora seus amigos possam compreender melhor alguns de seus problemas por viverem a mesma realidade que a sua, não são os melhores conselheiros pois não se preocupam com você da mesma forma com que seus pais se preocupam. Além disso, seus pais já foram jovens e já sofreram com erros que não querem que você sofra. Ouvir os pais é uma forma de evitar sofrimento desnecessário. Deixar de ouvir o conselho dos pais para ouvir o conselho de amigos fanfarrões não é ser independente, é outorgar o controle de sua vida para pessoas tão inexperientes e paspalhas quanto você.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: