6 passos para criar um filho honrado

por Doutrinador

Grande parte da depressão masculina moderna ocorre por falta de educação emocional durante a infância. Os pais de hoje geralmente são bundões sem virilidade, homens completamente domados pela esposa (quando não sustentados por ela), ou cafajestes reprimidos que ensinam aos filhos que sucesso é “pegar mais mulher” enquanto as mães, superprotetoras, dizem aos filhos para serem gentis e tratarem as mulheres como damas e semi-deusas (mesmo que essas mulheres não se importem em agir assim).

O filho cresce vendo o pai colocando chifres na mãe e ainda se orgulhando disso como se fosse algo honroso. Vê a mãe desrespeitando o pai e desprezando a família ao ter vergonha de cuidar do lar, pois “cuidar da casa e da família é coisa de mulher antiga, Amélia escrava e babaca“.

Esse é o tipo de educação de vida que os filhos recebem. Não é a toa que tantos crescem sendo paspalhos, indisciplinados, desonrados, vítimas de mulheres aproveitadoras, alvos fáceis para valentões e totalmente inexperientes para encarar a realidade do mundo.

Com a ausência dos pais, não há ninguém para ensinar aos meninos desde cedo o que é a honra, a virilidade e o respeito; e muitos menos a ensiná-los como descobrir os valores masculinos. A masculinidade para os pais modernos gira em torno de quantas mulheres o filho conseguirá pegar e de quantas flores ele mandará para tentar conseguir tirar um pentelho da vagina delas.

Antigamente os pais ensinavam os moleques a dirigir, a pescar, a sobreviver no meio do mato, a lutar e preparar-se fisicamente, a ter boas amizades e repelir os amigos sanguessugas, a beber no boteco com o companheirismo de homens honrados, a valorizar o próprio nome, a perder a virgindade e como lidar com mulheres sem precisar jogar sua honra na lata do lixo.

Hoje só ensinam que o filho deve “pegar mulher” para ser homem e acabam financiando chopadas com direito a bater o carro depois da festa, noitadas em baladas, festinhas na própria casa com amigos vagabundos e vadias e demais putarias e fanfarronices que eles fazem para “aparecer para as gatinhas” e serem populares.

O moleque cresce sem referência de honra, sem saber se defender física e emocionalmente, e entra pra escola como que jogado aos leões. Uma vez na escola, a mesma coisa acontece: vê nerds e estudiosos sendo taxados como fracassados, enquanto os valentões do fundão tiram a virgindade das coleguinhas vadias que só terão olhos para os estudiosos quando estiverem caídas e depreciadas. Mais uma vez, não há ninguém para guiá-los e mostrar a esses jovens que há mais na vida de um homem do que trepar com mulheres, e que não há mal nenhum em focar nos estudos e esquecer as mulheres por um tempo.

Aí vão seis passos para fugir disso tudo e criar um filho honrado.

Primeiro passo: DÊ O EXEMPLO

O primeiro passo para criar filhos honrados é dar o exemplo. Se o pai é um canalha desonrado, não pode exigir que o filho seja alguém honrado. Se ele é desonesto, não pode exigir que o filho seja honesto. Se ele trai a esposa e sai com vagabundas por fora, ao invés de procurar o divórcio e agir às claras encararando o ônus de sua decisão, não pode esperar que seu filho cresça aprendendo a honrar compromissos.

Dê o exemplo sempre e seja o chefe da família mesmo em época desfavorável. Não fique em casa com a cerveja na mão igual um paspalho preguiçoso que aceita ser sustentado pela mulher. Trabalhe, não só pelo dinheiro, mas pelo exemplo a dar a seu filho.

SEGUNDO PASSO: ENSINE A VERDADE SOBRE AS MULHERES

Ao contrário do que muitos pensam, as mulheres não são perfeitas e não evacuam chocolate suíço. São apenas seres humanos com falhas e méritos, erros e acertos como nós. Logo, não fique ensinando seu filho a ser um romântico bundão, a tratá-las como deusas, a inferiorizar-se na presença delas, a presenteá-las o tempo todo em troca de migalhas de atenção, etc, nem permita que a mãe faça lavagem cerebral nele dizendo que todas as mulheres são santas e ele deve ser um príncipe bundão.

Se você fizer ou permitir isso, seu filho se decepcionará mais tarde quando perceber que os critérios de avaliação delas não são tão puros assim, e não estará preparado para encarar decepções amorosas. Esqueça o politicamente correto e mostre para ele que quando valoriza a si mesmo, destacando seus pontos fortes e priorizando seu próprio sucesso, mulher vem por tabela. Ensine-o a valorizar mulheres decentes, mas sem endeusá-las, e a não elogiar piriguetes igual um imbecil só porque andam com um shortinho enfiado no rabo.

Por outro lado, não polarize ensinando seu filho a ser um cafajeste ou que “homem de verdade é aquele que pega mais mulher, custe o que custar”. Se fizer isso, estará ensinando por exemplo que não é errado ser bandido, afinal sendo um fora da lei ele terá mais dinheiro e destaque para pegar mais mulher. Cuidado, paspalho!

Faça também com que ele descubra que há outras formas de se sentir gratificado na vida, e não apenas quando você goza. Ensine que sexo é bom, mas que quando o homem se vicia, mulher vira traficante.

TERCEIRO PASSO: LEVE SEU FILHO PARA ATIVIDADES HONRADAS

Não fique levando seu filho pequeno pra olhar bunda de funkeira vadia achando que ele vai ser homem só porque vê bundas e pornografia desde cedo.

Leve ele para conversar com o avô, incentivando sempre o respeito ao patriarca da família e dando lições de como funciona a hierarquia numa família tradicional.

Faça-o conhecer histórias honradas de seus antepassados. Leve-o para comprar um presente modesto à mãe, em agradecimento pelo esforço dela em ser mantenedora familiar. Ensine a ele técnicas de pesca e noções básicas de bricolagem (hidráulica, elétrica, pintura, como trocar o gás, como trocar o registro do chuveiro, etc). Ensine-o a fazer a barba.

Embora a amizade masculina e companheirismo devam ser valorizados, não exponha seu filho a seus colegas e amigos falastrões e desonrados, que só falam de bundas e vadias. Procure atividades e conversas honradas, que destaquem o valor masculino e familiar.

QUARTO PASSO: SEJA VIGILANTE, NÃO SUPERPROTETOR

Não seja aquele tipo de pai imbecil que fica trancando o filho em casa ou brigando com ele sempre que se mete em encrenca. Resolver problemas é parte importante no processo de construção de um homem, e nada melhor que um pai honrado como conselheiro nessas horas. Se você simplesmente brigar com ele ou trancá-lo em casa sempre que fizer merda, a tendência será de que ele esconda tudo de você e vá se aconselhar com o colega drogado.

Dê liberdade, mas fique perto com olhos de águia e seja observador. Fale pouco e tente fazer com que ele perceba sua aprovação ou desaprovação apenas pelo olhar. Se ver que ele está se metendo com amigos desonrados, endireite o caminho dele com fortes lições de moral. Ao invés de querer blindá-lo e criar um frutinha, ensine-o a enfrentar os valentões da escola com força e inteligência. Faça-o descobrir suas próprias forças e a ter uma boa confiança.

QUINTO PASSO: ENSINE-O A TRABALHAR DURO

Não seja um pai imbecil que fica bancando todos os mimos dos filhos até a fase adulta, ou se tornará um desses pais idiotas que dão carro, dinheiro e bebidas para o filho se ferrar por aí. Ensine-o desde cedo a prestar serviços domésticos em troca de dinheiro e aumento na mesada. Ensine também que nem tudo é dinheiro, e que ajudar o próximo as vezes é válido por ser a coisa honrada a se fazer.

Diversão e lazer são importantes, mas ficar em casa coçando o saco enquanto é sustentado pelos pais é coisa de vagabundo. Além do retorno financeiro, o trabalho dignifica o homem.

SEXTO PASSO: ENSINE-O A HONRAR O NOME DA FAMÍLIA

Os homens antigos tinham um lema de que não há nada mais valioso do que o seu próprio nome, e faziam compromissos baseados apenas no “fio do bigode”, ou seja, que a palavra dada seria sempre honrada.

Ensine seu filho que é um privilégio carregar o nome da família, e que ele está sendo preparado para alcançar o posto de líder dela no futuro. Para isso, ele precisará ter um bom nome, ser honesto e sempre arcar com as consequências de seus atos, nunca fugindo de suas responsabilidades.

Honrar o próprio nome também significa deixar que ele sofra as consequências de seus problemas. Não fique passando a mão na cabeça dele sempre que fizer algo errado, ou no futuro você terminará bancando advogados para seu filho playboy que não sai da delegacia. Ajude ele a resolver os problemas, mas certifique-se de que ele arque com as consequências de seus erros.

Ensine os 10 Mandamentos do Homem Honrado.

Conclusão

Os homens jovens hoje em dia são impiedosamente acuados pelo romantismo e politicamente correto. Eles acham que não possuem outra escolha a não ser tentar ser popular para comer mais mulher, pois assim serão mais homens.

Se algo não lhes proporciona sexo ou mais contato com mulheres, então isto não é algo honroso por qual se lutar, já que na mente do homem comum a vagina é força motriz das ações do homem. Falta referência masculina, alguém que quando necessário lhes dê um tapa na cara e diga:

SEJA HOMEM, SEU IMBECIL!

É de um pai assim que eles precisam.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: