Como ser respeitado na ESCOLA

Entrarei agora com os dois pés no peito na desonra dentro da escola ou da faculdade. De forma resumida, segue abaixo o melhor de meu repertório sobre como lidar com professores desonrados, como vencer zuações, como lidar com vadias aproveitadoras, como lidar com o bullying e como falar em público.

Professores desonrados

Professores desonrados existem porque alunos desonrados existem ainda mais. Além disso, não é obrigação do professor ficar de camaradagem com aluno imbecil que não se aplica. Eles não ganham o bastante para aturarem chopeiros imbecis, maconhados, marginais, esquerdistas, cantores e dançarinos de funk, arruaceiros, etc.

Sobre os professores que generalizam, é como acontece em toda a sociedade moderna: os bons e aplicados pagam pelos arruaceiros e vagabundos. Não há outra saída no colégio ou faculdade a não ser ganhar a confiança dos professores por trabalhar muito e se dedicar nos estudos, sem bajulações. Fracassados bajulam, honrados estudam.

Zuações

Para evitar zuações, perca a virgindade e saia de casa. Comece a responder as zuações e não tenha medo de se impor na faculdade. Adquira honra e aprenda a defendê-la. As relações sociais são egoístas, mesquinhas e gananciosas: se resumem a demonstrar seu valor a outros para obter os valores deles em troca. Portanto, se você não descobre seus valores e se você mesmo se acha um merda, não terá nada a oferecer e será invisível socialmente.

Lembre-se: você não tem um contador de beijos, ficadas ou transas na testa. Ninguém saberá que você é BV a não ser que você conte ou que a pessoa passe 24hs por dia ao seu lado. Responda as zuações e não tenha medo, e não faça de sua vida um livro aberto, pois tudo será usado contra você. Seja reservado.

Se a zuação partir para tapas e agressões físicas leves, defenda-se. Não fique intimidado. Mesmo que você apanhe, quem te zoa vai saber que mexer contigo sempre acabará em briga e confusão, portanto é muito provável que parem de mexer contigo. Lembre-se: zuadores são covardes. Eles querem vítimas indefesas, pessoas que não conseguem se defender e que os tratam como ameaças e autoridades. Pise no calo deles e os enfrente, você é mais corajoso(a) do que esses paspalhos.

Bullying

O problema do bullying é quando você é afetado pelas lembranças, sofrendo com sentimentos de depressão, raiva e baixa estima. Uma hora as pessoas crescem, saem da escola e canalizam suas frustrações pra uma atividade produtiva, superando o problema do bullying na infância e seguindo em frente.

Na fase adulta o bullying não é mais um problema, embora de vez em quando possa surgir como uma lembrança ruim – e elas não podem ser apagadas, afinal você viveu essas lembranças. A mídia faz muito sensacionalismo em torno desse tema. Segundo a mídia, TODOS que sofreram bullying na infância se tornam adultos retraídos, depressivos e frustrados.

Na realidade, muitos que sofreram bullying seriam pessoas normais se não existisse esse termo, mas por causa do alarde da mídia são induzidos a remexer o passado e criar problema onde não tem. A mídia trata vítimas de bullying como exceções, quando na verdade são a regra. A maioria das pessoas já sofreu algum tipo de bullying na vida, mas nem por isso fica chorando num canto e soltando bolas de meleca pelo nariz.

Sofrer bullying pode ser duro, mas em geral as agressões feitas por seus praticantes se resumem a brincadeiras ofensivas, apelidos e no máximo agressão física leve. Seus danos são apenas psicológicos. O que fizeram contigo durante a escola ou faculdade não é culpa tua, mas a maneira como você lida com isso sim.

Você pode optar por superar essa fase ruim e seguir em frente. Ou talvez escolha ser um frouxo chorão que fica se martirizando por traumas passados e não faz nada pra mudar. Saber se desligar dos fatos ruins do passado e tocar a vida faz parte do processo de amadurecimento. Enquanto você não conseguir fazer isso, continuará sendo um frangote que mija nas calças e não um homem. 33 mineiros honrados ficaram mais dois meses presos numa mina, tostando a 40 graus celsius e se alimentando com mantimentos mínimos. Uma experiência infinitamente mais traumatizante que a tua, mas eles seguiram em frente. Por que você não pode fazer o mesmo?

Falar em público

O segredo para falar em público é entender que todos ali são pessoas inseguras e normais como você. São pessoas que vão pra casa, comem e cagam, e que só estão ali pra se sentirem aliviadas de não serem você.

As pessoas geralmente não possuem o esboço de seu discurso, portanto, mesmo que você pule palavras, frases ou fale coisas que não estão no esboço você pode disfarçar isso bastando estar calmo. Evite ficar treinando todo dia porque isso te deixará mais nervoso, já que tentará decorar tudo e na hora não terá espontaneidade se esquecer alguma palavra. Ao invés de se preocupar em fazer um roteiro e seguir fielmente, entenda e domine o assunto. Na hora fale o que der na telha.

E lembre-se de que todos ali são normais que também se cagariam nas calças por falar em público, portanto você está na posição de coragem. Vá usando fraldas nos primeiros discursos para qualquer emergência.

Colegas aproveitadoras

Um homem digno de respeito não se deixa atrapalhar pelas mulheres do ambiente de estudo. Se isso atrapalha o homem, é porque ele não consegue controlar o próprio pau e é controlado por ele. São caras assim que agem como desonrados comendo mulheres comprometidas ou se dedicando exclusivamente ao sexo ao invés de trabalhar e estudar, no final colocando a culpa na libido como se isso justificasse tudo.

Um homem que não controla o próprio pau não pode ser chamado de homem. Ao invés de ficar esperando seu pau cair e definhar para ter controle sobre ele, discipline-o desde já por mais difícil que seja. Se você está na faculdade ou na escola para estudar, tocando a real firmemente em paspalhos que mexerem contigo e tentarem atrapalhar seus objetivos, você será respeitado. Se você está na faculdade ou na escola para ficar olhando bunda de mulher e sentado no fundão puxando o saco dos seus amigos bullyers, vai continuar sendo um fracassado.

Alguns chegam ao cúmulo da desonra de aceitar apelidos no diminutivo das colegas de faculdade, numa tentativa de agradá-las e se inserirem socialmente. Elas adoram atribuir apelidinhos em otários, para afrouxá-los e poder ser escrota exigindo serviços e favores sem temer uma reação. Não aceite o diminutivo, e responda emails ou contatos em redes sociais sempre com seu nome completo e de forma profissional.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: