Quando o Lobo veste a pele de um Cordeiro

por Doutrinador

Muitas igrejas hoje ensinam que para se aproximar de Deus você precisa apenas ir até lá, ouvir a palestra motivacional, pegar um boleto e ir pagar no banco. Ou talvez ligar a TV de manhã e assistir um programa religioso qualquer enquanto confortavelmente esquenta seu traseiro gordo no sofá. 

Não se exige muito comprometimento, já que o objetivo de muitas igrejas é apenas angariar mais fiéis via televisão e sentimentalismo. Dificilmente se exigem tarefas pesadas e de responsabilidade, como pregação aos moldes dos primeiros cristãos ou um estudo mais profundo.

Ainda existem religiões sérias que se preocupam em ensinar princípios, em estudar a bíblia e internalizar suas lições de conduta, mas precisamos enxergar a realidade e ver que atualmente isto não é a preocupação da maioria. Antes que se comece o debate religioso, o texto a seguir (assim como o parágrafo anterior) não tem teor religioso ou ateu, é apenas uma observação da realidade.

Falando em realidade, cafajestes sabem que a maioria de mulheres na igreja (nem todas) estão lá por imposição dos pais ou porque estão apenas inseridas a um círculo social que frequenta igrejas. Também existem homens completamente à deriva e desinteressados que estão ali sem saber o motivo, estando confusos sobre se, quando e como devem ser religiosos. É aqui que queremos chegar.

Por incrível que pareça, frequentar uma igreja por si só não é sinônimo de internalizar princípios bíblicos de moral, bons costumes, respeito, tradição e família. Muitos hoje enxergam igreja apenas como um ponto em comum para “fazer um social”, e não como um lugar para se estudar e adquirir valores. Trocando em miúdos, não é simplesmente obrigando suas filhas irem à igreja que você estará fazendo com que elas tenham bons princípios e sejam castas. Princípios precisam ser ensinados, e mostrado que são válidos e importantes através de sua própria conduta e exemplo, com paciência e dedicação.

Em tom de alerta, vou mostrar aqui as táticas que cafajestes usam para sair com mulheres de tais igrejas. Antes que você pense, meu objetivo não é ensinar paspalhos a se tornarem cafajestes, até porque cafajestes já sabem de tudo o que escreverei aqui e não sou o criador de nada, é apenas uma constatação do que acontece diariamente, e provavelmente está acontecendo em algum lugar enquanto você está com a mão no mouse lendo este texto. E se você aprender como as coisas acontecem, sem máscaras de pseudo-perfeição, terá sempre a opção de se proteger ou orientar a quem está sob sua responsabilidade.

Modus operandi de cafajestes em igrejas mais modernas

  1. Chegam sempre de carro (ou moto), pois um veículo é extrato bancário ambulante e num meio onde é instruído que se despreze o materialismo, chegar de carro gera um choque de princípios que chama atenção e lhes é interessante;
  2. Quando alguém chega tentando enturmar, sempre aproveitam a chance pois sabem que ele deve ser amigo das mulheres vai apresentá-lo a elas;
  3. Escolhem o alvo seguindo essa ordem:

    3.1 – As que estão na igreja há um médio período de tempo, porém, não se envolvem a ponto de ajudar (cuidar de crianças, desempenhar funções importantes, e etc). Essas frequentam mas não levam tudo a sério. Consideram estas como as mais fáceis de conseguir algo, porque não já possuem muitos contatos de homens fora da igreja, mas estão doidas para escapar.

    3.2 – Mulheres que estão há pouco tempo na igreja. Essas normalmente ainda possuem contatos de cafajestes. Logo, não é tão fácil como na primeira situação. Nestas, eles tentam mostrar através de postura e linguagem corporal que estão indo para a igreja mas que não são fanáticos/bitolados, que constituem um meio termo entre o certo e o errado.Depois de escolher o alvo e se enturmar, pegam o contato delas e tentam um próximo contato o mais longe possível da igreja. Eles sabem que elas não irão dar mole em eventos da igreja, muito menos na própria igreja. Normalmente vão até onde elas estudam ou passam onde ela trabalha, e então combinam de sair. Quanto mais contato fora da igreja eles conseguem, melhor.

Observação: Quando a mulher em questão é religiosa e é colega de trabalho, faculdade, etc, eles normalmente acham “legal” a postura religiosa dela, mas notem que sempre tentam arrastá-la para algum contato fora da igreja. Nunca vão com ela à igreja como faria um paspalho qualquer para tentar agradar, pois sabem que isso seria reforçar a postura de castidade dela, além de denunciá-lo como assediador perante familiares, namorado/marido e amigos (talvez façam isso apenas quando já tiverem conseguido sair com ela, até para prepará-la para um futuro despiste). Até então, no máximo aparecem na porta da igreja para conversar com ela na rua, ou dizem que irão fazê-lo sem nunca cumprir.

Modus operandi de cafajestes em igrejas mais tradicionais

  1. Vão de carro, bem vestidos como homem de verdade (vide ponto 1 anterior). O que conta aqui é a aparência, procuram parecer homens de respeito embora nem de longe o sejam.
  2. Aqui, possuem um novo alvo disponível: mulheres mais velhas, que frequentam essas igrejas sem nem saber o motivo. Por estarem bastante deslocadas da sociedade, com pouca insistência elas sairiam com um garotão de 20-25 anos e eles se aproveitam disto (diferente das mulheres mais velhas do outro tipo de igreja, que normalmente estão mais empenhadas e dedicadas a funções importantes na mesma).
  3. Quanto as mais novas, normalmente escolhem as mais tapadas. Não precisam falar muita coisa, já que elas estão bastante deslocadas por estarem numa igreja tradicional sem terem internalizado os princípios de moral. Um homem bem arrumado e novo no recinto as chamam atenção. Depois do contato inicial, normalmente pegam o contato externo delas (telefone e whatsapp, e não possuem medo de se passarem por betas ao falar com elas pelo whats, já que segundo seus critérios elas não são top de linha e se consideram em posição superior a elas em interesse). Nesse caso, desde cedo já mostram a intenção de cometer fornicação e não demora para a conversa cair para este tema.

Modus operandi no contato com outros da igreja

No geral, percebam que cafajestes evitam contato demasiado com o pastor/pastores e outros membros mais envolvidos na igreja. Sabem que a igreja normalmente é divida entre os que puxam o saco do pastor e que ficam em torno dele, participando dos eventos e colaborando junto com pessoas realmente fiéis e dedicadas, e de outro lado as pessoas mais deslocadas e menos interessadas (aquelas que não têm certeza se deveriam realmente estar ali e claramente vão à igreja por pressão de familiares ou por dúvida). É no meio deste último grupo de pessoas que eles procuram ficar e se enturmar. 

Motivo: porque quando alcançam seus objetivos e desejam parar de frequentar a igreja, é só sumir e já era.

Cafajestes também sabem que não adianta aparecer na igreja tentando impressionar e aparecer bancando o Maquiavel e tendo contato muito próximo com o pastor achando que vão impressionar alguém. Por isso não o fazem e apenas vestem a pele de cordeiro.

Conclusão

Preste atenção em como as pessoas agem. Não adianta nada você frequentar igrejas ou mandar seus filhos esquentar cadeira lá sem que realmente aprendam o que está envolvido. Se forem se dedicar a algo, dediquem-se no pleno sentido da palavra. Internalizem o que está envolvido, confrontem ideias e opiniões, assimilem os princípios, dispensem o puxa-saquismo e o “fazer social”. Ou serão presas fáceis nas mãos de manipuladores.

920x280 BF

1 comentário

  1. Para mim esse é o ‘ modus operandi ‘ da maioria das pessoas, e nem precisam estar frequentando sequer alguma instituição religiosa.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: