O Homem Justo

por Nessahan Alita

O homem ideal, segundo os nossos objetivos, fala pouco e de forma acertada. Usa um tom de voz grave e imperativo. Fala em tom de comando. Não pede permissão para sua fêmea: ordena. Não fala sobre si mesmo. Não se lamenta. Não confessa suas fraquezas. Não chora em presença da companheira. Não é tagarela. Olha nos olhos repentinamente, de forma fixa e firme. Não a observa todo o tempo, apenas de vez em quando. Quase ignora a existência dela.

Não discute. Não polemiza: simplesmente informa. É um rei em seu domínio e não um súdito. Não sente falta, não sente saudade. Não assedia. Não fica olhando para os corpos das mulheres, porque não é luxurioso e nem fornicário. Apesar disso, quando finalmente a fêmea o procura para o sexo, mostra sua força em um sexo selvagem avassalador e destrutivo como um furacão. É um terremoto na cama e arrebenta tudo. Não lança cantadas: agrada sem esforço.

Não grita. Não deixa que os jogos sujos passem em branco: pune sem piedade.

Não é um palhaço. Não é engraçado. Não ri com frequência: apenas sorri levemente de vez em quando. Quando finalmente ri, sua gargalhada parece ter algo de diabólico. Toma a dianteira nas situações. Domina sua fêmea para o bem e não para o mal, tratando-a como se fosse sua filha. Não pede a opinião de sua companheira. Não se irrita com as provocações: sabe devolver as consequências de forma implacável a quem as lançou. É impenetrável, distante e misterioso.

Não proíbe: devolve as consequências, levando aquela que tentou enganá-lo a fulminar a si mesma. Não corre atrás das mentiras pois não lhe importa se está sendo enganado ou não. Não se compromete de graça: cobra um alto preço. É um prêmio. Se valoriza. Não é sensível. Não é delicado. Pode ter muito dinheiro mas o despreza. Está acima dos preconceitos sociais. Não é moralista e nem um sujeito “certinho” amigo dos bons costumes.

Quando entra em um ambiente, atrai a atenção das mulheres porque as ignora. Não implora para ser amado. Não necessita de carinho para ser feliz: despreza-o por saber que sempre é falso e hipócrita. Ajuda. Orienta. Cuida. Protege. Guia. Não comete injustiças com a companheira. Mantém a razão ao seu lado sempre. Usa a dureza, a firmeza e a crueldade para o bem e não para o mal.

É desconcertante. Surpreende. Não é previsível. Não se comove com lágrimas de cebola, ignora as lágrimas de crocodilo. Não corre atrás das reclamações femininas. Fusiona características opostas. É simultaneamente bom e mal, indiferente e protetor.

Pune o adultério com ruptura definitiva, inapelável ou com desprezo. Se for atraiçoado ou enganado, sua simples ausência e desprezo serão suficientes para destruir a traidora que enlouquecerá por não encontrar outros machos iguais para substituí-lo.

É o melhor de todos porque faz o que nenhum faz: trata sua fêmea como uma menina, fazendo-a se sentir criança, pequena, ao invés de endeusá-la entregando-lhe oferendas no altar. Seu coração vale ouro, cobra um alto preço para se comprometer: a fidelidade total, plena e transparente de sua companheira. É um mistério incompreensível.

Em suma: é um Homem de verdade.

*extraído do livro A Guerra Da Paixão

Banner 250x250 .

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: