Tabu social

(Postado por Autor Desconhecido na EPOC)

Existe um valor muito ridículo em nossa sociedade, qual seja, o homem DEVE ser o “pegador” e a mulher DEVE ser a “santinha”. Em toda minha vida, sempre observei homens dizendo que faziam e aconteciam, de modo que acredito que coisas acontecem, mas a maioria dos homens conta histórias como se acontecessem coisas frequentes: “Peguei 12 mulheres em tal boate no sábado!”, “Fiz sexo com 3 mulheres maravilhosas ontem!”, “Que merda, essas mulheres não param de me ligar!”.

O mais interessante é que essas histórias nunca aconteceram comigo, é claro que eu sempre fiquei com as minas e tal, mas nada tão exacerbado como nestas frases que citei acima e muito menos com tanta frequência. Mas eu nunca via de fato esses mesmos homens com 1/3 das mulheres que eles “diziam” pegar, inclusive eu estranhava o fato deles em muitas vezes possuírem menos atributos do que eu, mas pegavam muuuuuito mais mulheres.

Daí eu fazia o teste e saía com os caras e sempre ouvia a mesma frase: “Hoje tá fraco, mas semana passada é que tava bom!” Eu ficava chateado sobre como eu era pé frio. Não entendia, ou eu sou um merda irremediável ou os caras são muito mentirosos. Em contrapartida, sempre observei mulheres tão santinhas, nunca saíam, estavam sempre em casa e só queriam saber de namorar sério.

Não iam a festas e não gostavam de lugares cheios. Mas sempre quando eu saía, lá estavam elas, com o menor vestido possível. Não estou dizendo que são vadias e nem fazendo nenhum julgamento de valor quanto a elas saírem, só estou dizendo que não são santas. Mas, se a maioria dos homens diz serem “pegadores” e a maioria das mulheres dizem serem “santinhas”, onde afinal está esta abundância de mulheres que os pegadores acham? Entendem que essa conta não fecha?!

O mais interessante se dava quando se formava um casal. Era engraçado ver a mulher reclamando sobre como seu namorado pegava mulher nos tempos de solteiro dele e de como ela se esforçou para mudá-lo. A meu ver, isto não passa de uma tentativa esdrúxula pela qual a maioria dos casais tenta se engajar dentro do tabu citado acima. Homens não tão pegadores mentindo tentando provar que eram pegadores. E mulheres mentindo tentando provar que eram santinhas.

Só que o que mais me incomodava nisso tudo era a tentativa das mulheres em tentar fazer as pessoas acreditarem que os namorados delas eram muito pegadores e que elas eram as santinhas especiais que conseguiram mudá-los, como se estivessem tentando passar a seguinte mensagem: ”Ele podia ter qualquer uma, mas escolheu a mim.” Um espetáculo muito triste de se ver, pessoas tentando provar ser o que não são, querendo se engajar em valores tão ridículos. Parem o mundo porque quero descer. 

OBS: descrevi apenas tabus que observo em nossa sociedade, não significa que eu concorde com eles. Já que em outra comunidade, vieram algumas néscias dizer que eu era machista por achar que mulheres devem ser santinhas. Penso que isso deve ser preguiça de ler o post com atenção, já que me nego a achar que algumas pessoas possam ser tão burras.

Este texto faz parte do projeto: Segunda das Relíquias Perdidas.

===

Querendo boas recomendações de livros? Não deixem de acessar nossa área Livros Recomendados, com dicas e recomendações quentes de títulos e autores.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: