«

»

fev 08 2016

O temor, o domínio e a admiração

por Diomedes

Que não haja confusão sobre isso: aquela que te acompanha, deve ter temores sobre ti, deve ser dominada, e deve te admirar.

O Homem que é reconhecido como tal, é reconhecido como estando acima da nuvem que iguala e apaga os comuns; logo, se perdido, não pode ser facilmente substituído. Se perdido, não poderá ser recuperado. Se for deixado, ele não irá olhar para trás.

O Homem que é aquilo que parece, ouve aquilo que é necessário ser dito, mas uma determinação dada, deve ser obedecida, e sempre, inevitavelmente, haverão consequências para o descumprimento de suas ordens. Elas poderão ser simples como um silêncio e uma frieza momentânea, criativos como se dar o direito espúrio que ela tentou conseguir sem teu consentimento, ou impiedosos como o término da relação – mas a consequência sempre virá. Justa e bem medida em sua elaboração, mas definitiva, quando proferida.

O temor a que me refiro, não é algo que é propositalmente instilado no coração da mulher – isso seria uma manipulação incompatível com a liderança que almejamos. É meramente, uma decorrência de você ser o que é.

O domínio de um Homem, sobre uma mulher, é sólido e inquestionável, mas há uma coisa que lhe dá sua legitimidade, e o brilho de sua nobreza: ele é consentido, jamais imposto.

As mulheres que acreditam que sua independência está acima de qualquer coisa, ou que fingem se sujeitar e confiar na direção de um Homem, não devem receber o acolhimento dele, pois nunca darão autoridade, de fato. Não se altere ou tente convencer as orgulhosas e cheias de si, não importa suas demais qualidades – simplesmente não as cubra com seu manto, e siga a sua vida.

O domínio de um Homem é consentido, aceito, recebido, quando é firme, mas está de acordo com o desejo e a necessidade real, interior, da mulher que está sendo acolhida. O que ele decide, determina e ordena, tem resultados palpáveis e positivos para ela, ainda que não sejam espalhafatosos, ainda que inicialmente modestos… mas isso só é acessível, a aquele que tem interesse em conhece-la, e não se escandaliza com os meandros mais escuros do seu íntimo. Um Homem que deseja acolher uma mulher ao seu lado, deve estar disposto a conhecer mais do que suas curvas e carícias – deve estar disposto a lhe desnudar a alma.

O domínio de um Homem, não é algo por ser temido. O ser do sexo masculino que teme assumir riscos e possíveis más consequências de suas decisões, que desiste de iniciativas nos primeiros revezes, que volta atrás naquilo que ordena, que se importa com a rejeição que eventualmente possa sofrer por seu comando… jamais terá a paixão e a submissão de uma mulher.

Assim como nas formas mais superioras de governo coletivo, entenda que seu poder sobre ela, Homem, é, nada mais e nada menos, aquilo que ela te conceder. Não aceite uma oferta que esteja abaixo de tuas expectativas, e rejeite receber mais do que pode lidar. Colha os frutos que te couberem, mas reparta as conquistas com aquela que se colocou aos teus pés e suou junto com você para plantá-los, de forma sábia e generosa.

O homem admirável, é como disse antes, aquele que está acima da névoa da mediocridade. Tens que estar disposto a se elevar acima dela. Não é tão difícil quanto parece – nossa Modernidade é uma fábrica de sombras, daquilo que um Homem deve ser.

Cultive a Força, se opondo a energias opostas, seja o peso de um halter, o argumento que te parece irrefutável, a rejeição expressa num olhar fuzilante, a dificuldade que soa impossível aos Comuns.

Semeie a Coragem, enfrentando o risco que não puder eliminar, buscando um minuto a menos no teu tempo de uma corrida de explosão, debatendo com um argumentador experimentado que está sustentando uma falácia, assumindo publicamente um engano, e sua responsabilidade por ele.

Busque a Excelência, melhorando a cada dia, tudo o que for possível, treinando mais teus Pontos Fracos que os teus melhores músculos, estudando Lógica para melhorar teus diálogos, procurando entender as motivações de tuas inseguranças, para eliminá-las.

Cultive a Honra, sendo aquilo que você pensa, fala, e faz, sempre no mesmo sentido, e não importando as circunstâncias, não deixando de reconhecer aquele que ajudou a otimizar um treino, não negando tua ignorância sobre um tema, quando isso acontecer, sendo fiel aos teus princípios, ainda que o mundo te execre.

Aquele que cultiva esses Pilares, recusou sua mediocridade e a deixou para trás. Digo sem sombra de dúvida que, um Homem assim, estará sempre acima de seus pares, que cobertos de ouro e louvação pública, são escravos daquilo que tem, logo, possuem uma alma servil e pequena.

Estes, e apenas estes, são vistos como gigantes perante as mulheres, ainda que em estatura, sejam quase anões.

Esta, e apenas essa, é a grandeza perante a qual, elas confiam suas vidas, seu caminho, seu ardor, e seu desejo.

Você pode jamais considerar que conseguiu internalizar completamente, todos esses princípios. Mas persiga-os sem cessar, até o fim de sua vida. E estará no caminho de consolidar um futuro para si, onde qualquer mulher de bom senso, vai querer fazer parte, e repousar sob sua sombra, por longos dias.

Força e Honra.

dominador

1 comentário

  1. Vanio Ferreira Jr

    Ótima reflexão. Precisava ler algo assim

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: