«

»

fev 01 2016

O preço da virtude

por Diomedes

12096162_416516538541075_4750090417182272101_n

Espero que já tenham percebido, se vocês fazem algo mais do que contabilizar sua satisfação em orgasmos e prazeres, que aqueles que são os mais beneficiados por uma sociedade comunista, são os mais doentes, aqueles que precisam das máscaras mais pesadas para ocultar seu sofrimento.

Aquilo que tal sociedade faz com mais eficiência, é dar liberdade, mas transferir a responsabilidade aos outros; conceder espaço para o prazer, mas desviar suas consequências para fora de quem se permite.

Assim são os machos e fêmeas “alfa”, as feministas militantes, os gayzistas convictos, os comunistas ferrenhos, num processo que lhes destrói a sanidade (e todos sabemos o quanto suas mentes são frágeis) por um motivo puro e simples.

Eles sabem o quanto suas ações estão erradas, por mais que neguem a si mesmos. A anulação de suas 01000consciências só os enlouquece cada vez mais.

Todo ser humano são, ao longo de nossa História, teve seus direitos sempre equalizados a seus deveres, o quanto se possui, atrelado ao quando se deve “pagar” por isso. Mesmo quando ele aparentava ter mais do que os seus demais, isso lhe tinha um custo – invisível para alguns, mas sempre pesado.

Desta forma, a consciência, o norte moral invisível que todos possuímos, estava sempre satisfeita, e todos, alinhados num processo que “premiava” os bons, e “punia” os transgressores, mesmo que sua punição fosse percebida apenas por si mesmo.

Os Realistas mais jovens, não conseguem entender porque nos conformamos em ter menos. Menos que os cafajestes, menos que os destacados sociais, menos que os corruptos, menos do que os desonrados.

Sim. Você, buscando o caminho para a masculinidade, terá menos sexo que um cafajeste, menos admiração que destacados, menos dinheiro que os corruptos, menos privilégios que os desonrados.

Fazemos isso, porque desejamos ter MELHOR, não MAIS.

Fazemos isso, porque devemos isso ao mundo. Aos nossos ancestrais. A todos que sofreram e suaram para que tenhamos o que temos hoje. E principalmente… porque devemos a nós mesmos.

Queremos um sono tranquilo que não seja induzido por medicamentos. Queremos ver alegrias na vida que não sejam induzidas por drogas. Queremos uma saúde física e mental que seja sustentável por si só, sem máscaras ou muletas.

Queremos saber que nossas conquistas dependeram apenas do nosso esforço e do nosso sofrimento.

Queremos a satisfação que só a convicção de quem faz o que é certo, pode possuir.

Este é o maior prêmio que um Homem pode ter na vida. Ainda que seu custo, numa sociedade doente, seja o desprezo e o abandono.

Não estamos aqui para lhe dar mais. Estamos aqui para lhe mostrar a maneira de que, tudo o que você tenha, seja SEU, sólido e permanente, de forma que só possa ser tomado por você mesmo.

Procure outros caminhos, se você deseja mais. Mas esteja atento ao que terá que sacrificar para ser apenas mais um “vencedor”.

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: