«

»

set 11 2015

Ansiedade Antecipatória

por Herculles, do Fórum do Búfalo

Os trechos abaixo foram retirados do livro “Em busca de um Sentido” de Viktor Frankl. Venho compartilhar essa ideia porque acho que tem tudo haver com a Real, principalmente na dificuldade em aplica-lá, e na ânsia que alguns demostram em relação ao desenvolvimento pessoal, que acaba gerando algumas atitudes que são forçadas, e isso, obviamente, é totalmente prejudicial para o homem, causando muitas vezes a tão falada “polarização”, e também a total falta de humildade e estagnação.

Já não é de hoje, que podemos notar que muitos Juvenas (e veteranos também) fazem alguns tópicos querendo pagar de malandrão e fodão, metedor da real, GdR ativo. Mas um olhar mais cuidadoso percebe que essa atitude perante a vida não passa de ansiedade e emulação de um comportamento incompatível com o individuo. Isso gera uma enorme gama de erros e confusões que acaba denegrindo a ideia do que seria a Real. Esse tópico foi criado para jogar novas perspectivas em relação ao desenvolvimento pessoal, e tentar concretizar a ideia de que humildade e paciência, principalmente para homens, tem um importância primordial.

Característico deste temor (ansiedade antecipatória) é que ele produz exatamente aquilo que o paciente teme. Assim, por exemplo, um indivíduo que está com medo de enrubescer ao entrar num salão e enfrentar muitas pessoas, de fato está mais propenso a enrubescer sob tais circunstâncias. Neste contexto poder-se-ia transpor o ditado “o desejo é o pai do pensamento” para “a angústia é a mãe do evento”.

Por esse temor, com certeza todos já passaram, e passamos ainda em determinadas situações. Não é difícil de notar, que é uma coisa que atrapalha em qualquer ramo da vida. Como efeito colateral dessa ansiedade, acabamos paralisados, e perdemos a principal virtude masculina que é a coragem. Seja a coragem para pedir uma aumento merecido para aquela seu chefe pau no cu, seja coragem para terminar um relacionamento com um terrorista emocional, seja coragem para meter a real em algum amigo vagabundo, seja para chegar naquela baladeira submediana que vc está secando a noite inteira, seja a coragem para virar um cristão convicto, enfim, viramos uns covardes. E covardes não podem ser chamados de homem.

Se os senhores repararem, esta é uma situação que NÓS MESMOS CRIAMOS. Ou seja, devido as expectativas antecipadas, e a covardia impregnada por anos de emasculação convicções erradas, criamos uma série de conjecturas pessimistas, temores, antes mesmo de estes se concretizarem. Tu nem fez o que pretende, mas já idealizou mil coisas que acha que vai acontecer. Isso é não viver o presente momento. Isso é ser um maldito COVARDÃO BUNDA MOLE! Isso me lembrou uma passagem do filme “Depois da Terra” do Will Smith, onde o personagem que ele interpreta, Cypher Raige é o cara mais fodão do universo. E ele só é tão fodão assim, porque vive o presente e não tem medos. Veja a fala dele sobre o medo:

O medo não é real. É um produto de ideias que você cria. Entenda bem… Perigo, é real. Mas o medo, é uma escolha.

Quando você fica com medo que alguma coisa POSSA VIR A ACONTECER, você deixa de viver a presente, a realidade, e passa a viver em um mundo imaginário onde tudo já deu errado. Você acaba se concentrando tento em SI MESMO, que não consegue agir satisfatoriamente para ou perante as outras pessoas.

Eu por exemplo, todas as vezes que me concentrei em demasia em querer parecer o fodão, sempre fui onde fracassei mais miseravelmente. Já nas vezes que me concentrei em fazer o trabalho bem feito, com cuidado e empenho, mas sem almejar nada em troca, foi onde tive os melhores resultados. Acredito que isso seja uma fato que todos aqui passam e já passaram.

Não me entendam mal, uma certa de ansiedade, e frio na barriga é normal, sempre sentiremos em experiências novas e grandiosas que tivermos. O que eu falo aqui é do medo que te atrapalha de tentar coisas que fariam de vc um cara melhor. Muita gente, por exemplo, tem dificuldade de falar em público, eu também tinha, e mudei isso enfrentando o medo, e dando a cara a tapa. Bem, esse é um caminho conhecido por todos. Mas o que poucos falam é que a primeira coisa que vc deve fazer para melhorar em alguma coisa é admitir que vc é um fracassado naquilo hoje,e a partir disso, rir de si mesmo. Sim. Mas isso em hipótese alguma vai ser um motivo para vc não melhorar. Muito pelo contrário.

Partindo da própria logoterapia de Viktor Frankl, o que ele fazia para tratar dos pacientes que tinham essa ansiedade antecipatória era algo que:

“consiste numa inversão da atitude do paciente, uma vez que seu temor é substituído por um desejo paradoxal. Através deste tratamento tira-se o vento das velas da ansiedade. Semelhante procedimento, entretanto, precisa fazer uso da capacidade especificamente humana do auto-distanciamento, inerente a um certo senso de humor. Esta capacidade básica da pessoa distanciar-se de si mesma entra em ação sempre que se aplica a técnica logoterápica chamada “intenção paradoxal”. Ao mesmo tempo, o paciente é capacitado a se colocar numa posição distanciada de sua própria neurose.”

Colocando em miúdos, a recomendação é, por exemplo, se vc transpira muito na hora que fala em público, tu se concentra muito (hiperintenção) em não transpirar, e acaba fracassando. Porque o medo de alguma coisa gera justamente aquilo que temos medo. Em vez de se concentrar em não transpirar, vc deveria se concentrar em tentar transpirar ainda mais, e tirar um sarro de si mesmo perante o seu público (intenção paradoxal). Isso pode ser aplicado em qualquer área de ação.

Eu mesmo tentei isso para dormir melhor e tive um bom resultado. Toda a noite eu tinha aquela preocupação em dormir rápido, por causa de recuperação da academia. Nisso acabava em horas e mais horas me revirando na cama. Fiz o proposto. Tentei ficar acordado em vez de tentar dormir. Bem, aí eu dormi muito mais rápido. No livro tem vários exemplos de como isso pode ser aplicado, vou citar um caso que achei interessante:

“Caso semelhante, relacionado entretanto com a fala, não com a escrita, foi-me contado por um colega do setor de laringologia do Hospital Policlínico de Viena. Fora o mais grave caso de gagueira que ele vira em muitos anos de profissão. De acordo com a sua memória, nunca em sua vida o gago estivera livre de seu problema de fala, nem sequer por um momento, com uma única exceção. Esta ocorreu quando ele tinha doze anos, ao andar de bonde sem pagar passagem. Ao ser pego pelo cobrador, pensou que a única maneira de se safar seria a de conquistar a simpatia dele, e tratou de demonstrar que era um pobre menino gago. Mas no momento em que tentou gaguejar, foi incapaz de fazê-lo. Sem querer, ele pusera em prática a intenção paradoxal, embora não para fins terapêuticos.”

A ansiedade antecipatória é causada principalmente pela nossa vontade de preservar o nosso ego e nossa imagem perante os outros. Temos medo do que os outros vão pensar sobre nós, e forçamos algumas atitudes para tentar passar aquilo que achamos que devemos ser. No momento em que vc simplesmente admite que é ruim em algumas coisas, que é meio nerdão, que tem vergonha, que transpira de mais, etc, e consegue rir de si mesmo, ai esse seu problema pode ser superado, pois vc se desfaz das amarras mentais que impedem que vc veja seu problema objetivamente, e assim, evolui. Claro que o estudo, prática e empenho são indispensáveis, mas isso é assunto para outro texto.

Ironicamente, da mesma forma como o medo faz acontecer aquilo de que se tem medo, uma intenção forçada torna impossível aquilo que se deseja muito. Esta intenção excessiva, ou “hiperintenção”, como eu a chamaria, pode ser observada particularmente em casos de neurose sexual. Quanto mais um homem procura demonstrar sua potência sexual, ou quanto mais a mulher tenta mostrar a sua capacidade de experimentar o orgasmo, menos chances de sucesso terão. O prazer é e deve permanecer efeito colateral ou produto secundário; ele será anulado e comprometido na medida em que dele se fizer um objetivo em si mesmo.

Esse é um fato que passa muitas vezes despercebido por nós. Sempre que temos a hiperintenção que sermos o melhor em alguma coisa, seja no sexo, em intelectualidade, desenvoltura, como participante aqui do Fórum, etc., é justamente quando passamos os maiores vexames. Maioria das brochadas tem como causa justamente esse comportamento. Você acaba se concentrando tento em ser o búfalo reprodutor, que acaba falhando. Ou seja, você acaba se concentrando tanto em si mesmo, que esquece de viver a realidade. Outro exemplo é o caso de um ex colega aqui do fórum, que sempre quis pagar de mais malandrão e fodedor, mas não passava de um dos maiores manginas que já se teve notícia.

Você não vai ser o fodão do dia para a noite. Isso leva tempo. Não adianta vc querer forçar isso. E mesmo se vc for o pica, mas querer passar a todo custo essa imagem, você vai ser visto como um pau no cu. Ninguém gosta de gente assim, que vive para si mesmo, se endeusando.

Ninguém quer saber (a não ser quando é diretamente perguntado) quantos livros vc já leu, em que emprego de status foda vc trabalha, com quantos kg vc agacha, qual carro vc dirige, quais países vc já visitou. As pessoas querem saber e te estimam pelas coisas boas que vc transmite. O quão pró-ativo vc é. O que vc tem de bom para oferecer, para melhorar a vida dos outros. Isso que importa. E as experiências que vc teve, como essas que eu listei acima, servem para vc ter mais discernimento na hr de passar uma mensagem construtiva para todos, e não pra vc ficar se gavando se achando o máximo, feito uma putinha louca por atenção e inflação de ego. Entendam isso. Somos homens caralho!

“assim que o paciente para de combater suas obsessões, procurando ridicularizá-las, tratando-as com atitude irônica, aplicando a intenção paradoxal, interrompe-se o circulo vicioso, o sintoma diminui e acaba atrofiando. Nos felizes casos em que não houver um vazio existencial propiciando o sintoma e convidando-o a se instalar, o paciente não só conseguirá ridicularizar o seu medo neurótico, mas, por fim, conseguirá ignorá-lo completamente.

Estamos vendo que a ansiedade antecipatória precisa ser combatida através da intenção paradoxal; à hiperintenção bem como à hiper-reflexão é preciso opor a desreflexão; desreflexão, em última análise, não é possível a não ser através de uma orientação do paciente para a sua vocação e missão específica na vida.

(Esta convicção tem o apoio de ALLPORT, que escreveu: “Na medida em que o empenho é transferido do conflito para alvos fora da própria pessoa (selfless), a vida como um todo se torna mais sadia, mesmo que a neurose possivelmente jamais desapareça por completo.” (Op. cit., p. 95))

Não é a preocupação do neurótico consigo mesmo, seja ela de comiseração ou de desprezo, que vai romper o círculo vicioso; a chave para a cura é a autotranscendência!

Viktor Frankl foi um CIENTISTA que tirou toda a sua teoria da vida real, na prática, em um campo de concentração. E ele chegou na conclusão que a cura para nossos problemas de neurose, vem daquilo que já é ensinado a mais de dois mil anos pelo cristianismo. Reparem que tudo que é sublime sempre é uma atitude voltada para fora de nós mesmos. Tudo que é sublime sempre converge para o que Jesus nos ensinou.

E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me. Porque, qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas qualquer que, por amor de mim, perder a sua vida, a salvará. (Lucas 9:23,24)

FONTE

viktor

5 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. azothefesus

    Herculles evoluiu muito. Que orgulho.

    Que baita texto, quem diria que este cara iria fazer uma bala de prata dessas. Minhas sinceras congratulações para o autor!

  2. DEATH ADDER

    excelente, eu precisava realmente ler isso pois esse é o assunto que mais li esse ano, olhar para dentro em vez de olhar pra fora. a covardia esta em olhar para fora e querer se mostrar isso leva a sobressocialização. após ler isso posso fazer uma síntese de tudo onde li assuntos desse tipo, no ocultismo, em unabomber, em mark Twain, eu realmente precisava muito ler esse tópico pra redescobrir qualidades que eu não estava tendo de maneira 100% perfeita de agosto pra cá, pois em agosto quase 100 favelados tentaram me espancar aqui perto de onde eu moro e a policia teve ate que se meter e eu fiquei meio perturbado depois disso, desnorteado e louco.

  3. Feza

    Excelente post!

  4. André

    Já usei essa técnica mas sem saber que era uma técnica repetivel.
    Eu tinha sido contratado para fazer um programa de computador, daí nos primeiros dias eu fiquei achando que não ia conseguir fazer no prazo pois seria muito difícil… Mas então eu decidi não me importar com o prazo e que iria apenas fazer o máximo que eu pudesse até o prazo acabar e então iria pedir pra prorrogar e se o contratante não aceitasse eu já estava disposto a não me importar com o tempo perdido. Acabou que fiz antes do prazo e ficou ótimo.

    Ótimo post, vou até usar isso para um programa que estou fazendo pra mim mesmo mas há alguns meses não acabo pois fico sempre penando que não irei conseguir, é uma idéia que pode funcionar ou não… Hora de avançar, e se não der, não deu.

    Ótimo post!

    1. Barãozin

      Obrigado pelo feedback, meu chapa!

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: