Um caso curioso no programa “Largados e Pelados”

por barbarossaa

Estou assistindo um interessante programa chamado “Largados e Pelados“. Basicamente, o programa pega duas pessoas, um homem e uma mulher, e os larga em algum lugar remoto do nosso planeta com apenas um item que eles escolheram previamente. Os dois então tem suas roupas retiradas e são deixados para se virarem, no melhor estilo neolítico, por 21 dias nos quais no fim do desafio eles tem que encontrar um caminho até um ponto de extração. Eu já começo avisando que tais shows são, obviamente, feitos visando audiência e não se preocupam muito em mostrar os verdadeiros aspectos da sobrevivência em ambientes hostis, sem falar que os dois indivíduos contam com uma equipe de apoio que os monitora o tempo inteiro. De forma alguma ambos estão realmente por conta própria e este “reality” show se compromete a mostrar qualquer senso de realidade para seus espectadores. É uma bizarria que gosto de assistir, nada mais.

Mas pelo menos, os dois participantes devem procurar comida, construir um abrigo e se proteger dos elementos. Mesmo estando sob constante supervisão, a equipe só está ali para agir caso alguma coisa saia errado. Os participantes são mostrados tremendo de frio, desidratando sob o sol escaldante, fazendo fogueiras, caçando e coletando alimentos da flora e fauna nativa… o que quero dizer é que eles realmente tem que fazer algum esforço para sobreviver.

Dado que os participantes são sempre um homem e uma mulher, é previsível esperar que todo aquele papo sobre “as mulheres serem fortes e independentes” acabar sendo desmontado com uma saudável dose de realismo nas mãos frias e implacáveis da natureza. Longe estão as facilidades da civilização onde a mulher é paparicada, protegidas pela armadura do politicamente correto e dos confortos materiais de uma sociedade ginocêntrica tecnologicamente avançada. As vezes uma mulher verdadeiramente competente, treinada nas artes da sobrevivência, se mostra valiosa para seu parceiro e até mesmo se destaca sendo a parte mais forte da dupla em termos estratégicos, mas no geral o que vemos é algo semelhante a isto.

O homem está tentando chegar ao seu destino, sua parceira o acompanhando, ambos cobertos de lama para tentar refrescar o calor infernal e então a mulher começa a desabar, no caso logo no primeiro dia do desafio. Ela, como seu parceiro, estava sentindo os efeitos nefastos da desidratação. O homem simplesmente aceita o fato de que não há outra saída a não ser aguentar isso e continuar seu caminho, já a mulher decide que ela precisa de um descanso e fica plantada em pleno sol infernal, forçando o seu companheiro a suportar os efeitos do calor infernal no processo.

Ele fica parado perto dela apenas esperando, tentando esconder sua impaciência, e então ela apenas constata o óbvio:

Me desculpe, não quero atrapalhar

O cara imediatamente tenta consolá-la,

Não você não está, não temos pressa, temos o dia todo… eu acho.

A maneira em que ele fala “eu acho“, combinado com sua linguagem corporal o entrega. Fica claro que ele a vê como um fardo e está visivelmente aborrecido de ter que lidar com ela, mesmo com ele tentando de forma envergonhada confortá-la, dizendo a ela que está tudo ok, ele sabe que não está. Temos aqui um microcosmo de duas pessoas que é um retrato de nossa sociedade moderna, onde o homem tem que fazer o serviço enquanto a mulher fica atrasando tudo, nesse meio tempoo homem tem que arrumar desculpas por ela o tempo todo. Quando ele foi entrevistado pelo câmera sobre sua parceira a verdade vem a tona, ele expressa sua frustração ao ver que sua parceira já está abrindo o bico após poucas horas. Vemos algumas variações deste cenário expostas na grande maioria dos episódios que foram exibidos durante as 4 temporadas do programa que foram ao ar.

lençóis

Lençóis Maranhenses, Brasil

Nenhum episódio foi mais ridículo quanto o que os participantes foram um cara chamado Matt Strutzel e uma mulher chamada Honora Bowen. Os dois foram designados a sobreviver os 21 dias no Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, no Brasil, um lugar desolado de infinitas dunas de areia que tem como característica única possuir uma camada de rocha subterrânea que represa a água da chuva, que forma lagoas nos vales entre as dunas.

Os dois se encontraram pela primeira vez e mostraram imediatamente o que cada um trouxe para ajudá-los a sobreviver. Matt trouxe um facão que ele mesmo forjou (ele é um cuteleiro amador) e que se mostrou bem útil no decorrer do desafio. Já Honora trouxe uma lente de aumento, que segundo ela ajudaria a “purificar a água”.

Então ela ficou um bom tempo tentando usar a tal lupa para purificar uma quantidade irrisória de água, enquanto o sol fazia seu trabalho desidratando ela. Todo o episódio pode ser assistido aqui:

Matt por sua vez decidiu construir um abrigo, se esconder na sombra e apenas procurar comida quando o sol dava uma trégua, para evitar seus efeitos danosos o máximo possível. Sendo vegetariano, Matt se alimentou de cactus e de frutas, se movia pouco durante o dia e fez o melhor possível para conservar energia. Depois de alguns dias, Honora começou a ter desidratação severa por causa do seu método de purificação de água e inúteis tentativas de encontrar comida.

Ficando cada vez mais impaciente, ela jogou suas frustrações em cima de Matt, exigindo que ele a ajudasse em seu custoso método de purificação de água. Matt se recusou e ela começou a xingá-lo, dizendo o quanto ele era gordo, fedia e como ele era um inútil. Ela então numa mesquinha demonstração de vingança insistiu que deveriam desmontar o abrigo e se separarem, exigindo que ele dividisse metade dos materiais do abrigo que ela pouco ajudou a construir, bem parecido com as demandas de inúmeras mulheres hoje em dia durante um divórcio. O próprio Matt não poderia deixar de mencionar o quanto tudo aquilo era semelhante a um divórcio.

Honora então resolveu seguir seu caminho, e já que ela é uma mulher forte e independente, depois de muito procurar ela consegue encontrar um simples coco. Precisando usar o facão de Matt para abri-lo, ela oferece um relutante e hipócrita pedido de desculpas a todos os insultos que ela largou anteriormente. Matt, aparentemente não guardando nenhum rancor contra ela, a perdoou e deixou que ela usasse o facão.

Pouco após isto Honora desmaia por insolação e desidratação e teve que ser hospitalizada, desistindo do desafio no processo. Matt vai até o fim, provando a si mesmo e a todos que estavam assistindo que sua estratégia era superior a de Honora em todos os aspectos. Depois que ambos retornaram para casa, de volta ao conforto da civilização, Matt concorda em reencontrá-la, dando a ela palavras de encorajamento e até mesmo devolvendo sua lente de aumento a ela. Este artigo não tem outro objetivo a não ser mostrar o fato que o homem por padrão são os líderes generosos e as mulheres demonstram por padrão um comportamento incompetente, aproveitador e egoísta. É muito divertido assistir, mesmo que esteriotipada e artificial as vezes, pelo menos um ou dois episódios deste programa. Eu recomendo.

FONTE

Obs: Um pequeno adendo meu a este artigo, onde comento sobre outro episódio interessante.

largados e pelados

===

Querendo boas recomendações de livros? Não deixem de acessar nossa área Livros Recomendados, com dicas e recomendações quentes de títulos e autores.

Não deixem de acompanhar nosso mais novo projeto: Podcast A Voz da Real

afiliados_500x500_reload-2

Deixe uma resposta para Alex Cancelar resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: