«

»

maio 15 2015

Elas não podem levar vantagem em tudo

escravidãopor Antifeministtech

No passado eu já escrevi sobre as formas não feministas (ou seja, não esquerdistas de supremacismo feminino. Algo que todas as formas de supremacismo feminino ou a misandria tem em comum é sempre tentar fazer com que a mulher leve vantagem em tudo. A mulher é ao mesmo tempo “independente” e dependente do homem, seja via coerção estatal (feminismo) ou casamento (o supremacismo feminino conservador).

Eu achei um exemplo interessante deste supremacismo feminino conservador no blog chamado “The Thinking Housewife”:

Eu devo dizer que eu considero a ideia de um “movimento em prol do direito dos homens como algo não apenas quixotesco, mas errado.

O que é preciso é de um movimento que coloque a família no centro da questão.

O ataque feminista à autoridade masculina não é, no fundo, uma forma de misandria. É na verdade misantropia, expressa através de um ataque demoníaco à família. Sua fonte não é o desejo de ver o homem na sarjeta, porém isto é necessário para se destruir a civilização cristã. É muito fácil acreditar no contrário, mas peço para que todos os homens de mente conservadora a resistirem a esta grande mentira! A fonte disto é ódio ao feminino, nascido do medo de Satanás à Virgem Maria.

Uma das maiores balelas ditas por essas supremacistas conservadoras é impor a ideia que o feminismo é um ataque contra as famílias, não contra o homem. As hordas de caras que se ferram por causa de uma falsa acusação feita por uma mulher, a multidão de caras que perdem oportunidades de emprego por causa da indústria das “ações afirmativas” e todos os garotos que podem vir a sofrer nas mãos de uma professora supremacista pode nos mostrar muito bem como isto é errado. Você pode até se perguntar como essas supremacistas querem realmente se opor ao feminismo se elas escondem os fatos acima. Elas só não entregam o ouro de vez porque elas não querem se mostrar parecidas com as feministas. E para evitar isso e ao mesmo tempo “puxar a sardinha” para o lado delas, elas dizem coisas como “os homens estão se dando mal mas nem tanto assim, já que eles também se beneficiam do feminismo. O real problema é o ataque contra as famílias.”

O que elas querem dizer quando elas citam esse “ataque às famílias”? Elas tentam se colocar como as verdadeiras vítimas. Isto vem do fato que essas supremacistas estão muito preocupadas com o fim de suas mamatas. Elas estão notando que a rapaziada está ficando esperta e rejeitando voltar pra senzala. Visto desta perspectiva totalmente mesquinha, as mulheres viram as vítimas, ignorando o fato de que é o homem que perde empregos, vai pra cadeia, etc.

Outro comentário pertinente:

Ao meu ver, o Movimento pelo direito dos homens (MRM, em inglês) é ainda pior que o movimento feminista. Eu digo isso porque a cultura feminista mais aceita apoia até certo ponto uma proteção à mulher, enquanto o MRM se opõe a qualquer apoio e proteção à mulher. Na verdade eles promovem uma igualdade entre homens e mulheres de uma forma radical, muito mais do que a feminista típica defende. O MRM é totalmente anti familiar e anti casamento, constantemente promovendo o conceito do “marriage strike” e fazendo sites como “Dump Your Wife Now.” Eles escrevem sobre como o casamento é um péssimo negócio para o homem e como ele deve evitá-lo a qualquer custo. Eles são contra as leis de pensão alimentícia também; parecem ser contra qualquer imposição de responsabilidade para o homem.

Se tem alguma coisa que o MRM detesta mais que tudo é o cavalheirismo. O cavalheirismo é o grande inimigo deles, já que ele impõe responsabilidades e deveres do homem para com as mulheres.

Eu sou contra o feminismo porque ele não protege a mulher como o patriarcado faz. O MRM também se opõe ao feminismo porém eles só se opõem porque o feminismo oferece proteção demais à mulher.

Eu falo faz tempo que o argumento central que opõe feministas e a maioria desses conservadores “anti feminismo” se baseia simplesmente na discussão da melhor maneira de tirar dinheiro do homem (ou seja, ficam discutindo a melhor forma de chicotear o nosso lombo). Fora alguns pontos sem muita importância, as supremacistas femininas conservadoras como a que eu acabei de citar basicamente estão de total acordo com o feminismo. Isso nos prova o que eu vivo repetindo de forma tão clara que eu nunca pensei que leria isso em algum lugar.

Sim, o pessoal do MRM (e outros tantos) são contra a imposição de “responsabilidades” sobre o homem. Isto porque isso tem um nome: escravidão. Esta supremacista afirma que cada homem deve ter “responsabilidades” para com as mulheres, não para uma mulher em específico mas para todas elas (isto não difere em nada das feministas, que criaram um sistema massivo de transferência de renda do homem para a mulher através do estado). Isto é escravidão, porque tais homens não fizeram nada para serem “responsabilizados”. Eles não se casaram com todas as mulheres do país. Se um homem não se casa e nem tem filhos, ele não tem que ser “responsabilizado” da forma que a pessoa acima descreve. Esta pessoa que citei deveria ficar muito feliz com quem é favorável ao marriage strike, porque essas pessoas são muito responsáveis em não se envolver ou criar problemas. Só que o problema aqui não é realmente a responsabilidade. Essa pessoa que citei está mais preocupada com o fato que cada vez mais caras estão notando a roubada em que podem se meter e resolvendo não se casar.

Se essas supremacistas realmente querem que esses caras se casem, então elas deviam se preocupar com temas como o divórcio por motivos frívolos e o nosso sistema judiciário corrupto. Isto possivelmente resolveria o problema e todos esses sites que ela acha ruins basicamente sumiriam. Para qualquer pessoa sensata essa parece ser a solução lógica. Porém, ninguém tá afim de resolver problema nenhum, mas simplesmente fazer com que a rapaziada volte pra senzala, então temos que aturar essa baboseira sobre “responsabilidade” dessas conservadoras supremacistas. E mais, a solução lógica que proponho iria expor que são as mulheres – incluindo as conservadoras e religiosas – as causadoras da maior parte dos problemas. Agora mesmo pessoas como essa que citei acima tentam levar vantagem pelos dois lados, dizendo que o divórcio é pecado enquanto jogam a culpa dele no homem, por não ter sido capaz de mostrar “liderança” ou “responsabilidade”. E isto nada mais é do que simplesmente jogar a bomba no colo de outra pessoa que não seja a mulher, afinal, grande parte dos divórcios são iniciados por elas.

E a pessoa que cito aí também defende que a mulher precisa ser “protegida”. Isto nos leva a seguinte questão: mulheres são pessoas adultas ou crianças? Se elas precisam de proteção, então elas são crianças, logo devem ser tratadas como tal. Se são pessoas adultas, elas não precisam de “proteção” e devem arcar com o peso de suas ações. Eu nem vou entrar no mérito da questão, apenas quero demonstrar aqui como essas supremacistas femininas querem levar vantagem em tudo. Querem tanto tirar proveito das vantagens de ser adulto quanto de ser criança, sem nenhum dos problemas inerentes a essas duas situações. O que ela promove nada mais é do que uma forma híbrida de escravizar o homem. Tentam levar vantagem em tudo.

FONTE

6 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Punisher

    Seria o caso de perguntar à feminazi híbrida em questão: e a responsabilidade das mulheres, qual seria? Tirar proveito de seu poder sexual já na adolescência, trepar à vontade desde o ensino médio até depois de terminar a faculdade? Viajar pelo mundo (dando mais ainda para estrangeiros por onde passar)? Se dedicar à carreira, mandando à merda qualquer incauto que aparecer lhe pedindo em casamento “antes da hora”? Quando (e se) conseguir se casar, jogar todas as responsabilidades nas costas do marido, dizendo que ele tem que “cuidar das crianças, ajudar na limpeza da casa, lavar as próprias roupas, cozinhar a própria comida e ainda sustentar o casal, pagando as contas”? Desafio qualquer um a encontrar uma só linha ou palavra, em algum lugar da grande mídia ou na internet, que fale algo ou cobre um mínimo de responsabilidade das mulheres ao invés de repetir a mesma ladainha sobre “direitos femininos”.

  2. NEANDERTHAL

    O autor do texto só podia mesmo ser uma religiosa. A religião, particularmente a religião evangélica é um lugar que vamos para nos idiotizarmos e neuratizarmos uns aos outros: Não pode beijar, não pode bitoca, namoro só pegando na mão, sexo só depois do casamento e com a supervisão do pastor e não pode outra posição que não seja papai e mamãe, de preferência com um lençol tampando a genitália.

    Aí não dá! Não é a toa que os maiores índices de divórcios no ocidente seja entre os cristãos protestantes e perpetrados POR ELAS. É um ambiente tarado que as pessoa surta de vez mesmo!

    E não é a toa que a nova onda do feminismo agora, que também surgiu com força no ambiente evangélico,- 70% de todas as mulheres desse movimento são evangélicos e a maioria dessas mulheres casaram virgens, – visam transformar os homens em cornos mansos de suas esposas. Ou seja a mulher lança a idéia que o pintainho do maridão é pequenininho e que a esposa não alcança mais o orgasmo e que ela precisa experimentar o caralho de um homem mais dotado. Pronto taí lançado a idéia. E se o marido não aceita essa idéia ela o põe para assistir filmes pornôs de homens sendo corneados pelas suas esposas enquanto o masturba, para ir aos poucos “quebrando as resistências” do coitado. depois ela continua fazendo insinuações que o pau do marido é pequeno, que ela precisa do consolo maior. Ameaça de divorciar-se e tomar metade de todos os bens do coitado nos tribunais e deixá-lo na miséria e por fim faz greve de sexo para obrigar o coitado a aceitar.

    No fim meu irmão, lá se foi a “dignidade” do coitado que acreditou no mito de: “E foram felizes para sempre!”

  3. Um realista!

    Pra que tanta pressão em que nos casemos? A família já está destruída a muitos anos! É um cadáver insepulto. Só um Louco seria tresloucado o bastante para se casar e ter filhos nesta sociedade de merda! Engraçado que na minha vida são as mulheres fudidas que me chamam para relacionamento sério, casar, passar o resto da vida juntinhos, … isto depois delas terem mais de 3 filhos, solteira, rejeitadas pelos cafagestes.

    Vejo o quanto a vida dá voltas meu Deus, antes eu, rejeitado pelas mulheres que não tem escrúpulos de falar que me desprezam e logo eu, um solteiro convícto, fudido de merda, vem receber propostas de casamento e fidelidade eterna de mães solteiras velhas, fudidas. Sou educado e cortes com todos, inclusive mulheres mas penso para comigo: fiquem com os cafagestes que vcs amam tanto. Eu estou fora!

  4. Contrapondo Idéias

    É o que eu sempre digo:

    É preciso que, em se tentando de todas as questões relacionadas aos sexos, primeiro escolhamos que tipo de postura, derivada de uma determinada visão, deveríamos ter com relação às mulheres.

    Ou admitimos de uma vez que elas são tão capazes quanto nós, tão iguais, tão competentes quantos nós homens em tudo, ou adotaremos uma postura diferente e reconheçamos que elas são totalmente distintas de nós, mais frágeis e vulneráveis que nós em boa parte das relações e atividades humanas.

    Se escolhermos a segunda premissa, logo acharemos a solução para diversos problemas que afligem os humanos. A mulher terá de ser tutelada por alguém…

    Entretanto, a segunda opção, a de que a mulher é um ser tão igual ao homem, é que está tentando se estabelecer entre nós…

    Ou seja, querem ser independentes, iguais, livres, porém exigem proteção unilateral e direitos individuais inquestionáveis. Uma postura hipócrita e inconciliável. Se a mulher é tão igual ao homem não precisa tanto de proteção e cuidados, pois isso cheira a privilégios.

    1. Rocky

      Creio por mim que as mulheres são sim muito mais frágeis que o homem e em todas as áreas, inclusive a área sentimental. Elas não são essa fortaleza toda que a sociedade gosta de vomitar. Veja que quando um homem entra em depressão ele se reergue sozinho. Isso nunca acontece com a mulher que precisa logo da ajuda de um Amiguxo para se reerguer da sua rejeição por um cafageste manipulativo. Lógico que depois que ela recebe a maior força do amigay, logo logo ele é descartado com desprezo, como se fosse um papel higiênico usado, sem a menor cerimônia. A mulher não é igual ao homem e a experiência prova que ela é muiiiiiiito mais frágil e querendo ou não o homem a carrega nos ombros. Mas Nos carregamos nos braços um ser que nos despreza e nos odeia. Homem é visto apenas como burro de carga!

      1. caio22

        Exato, corretíssimo! Mulheres não tem brilho próprio como o homem, elas precisam de um poste e de muletas. A sociedade gosta de chamá-las de espertas mas não são, as coisas delas são todas fajutas, na verdade são covardes, dissimuladas e fingidas, parecem ratos, aprontam e se escondem. O povão burro e manicaca confunde e chama isso de esperteza. Elas não tem personalidade e nem caráter, por isso mesmo detestam com toda força a verdade e odeiam admitir as diferenças notórias entre homens e mulheres. O homem de bem que pretende casar tem que fazer da pretendente um objeto de estudo antes, ela e a mãe com o pai, pois por mais que a ame, a mulher não deixará de ser um fardo que o homem sustentará para o resto da sua vida.

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: