«

»

jul 02 2014

O caso Thiago Silva, a liderança e uma reflexão

por sarajevolive

Eu poderia começar o post com inúmeros insights a respeito desse caso, mas vou deixar o conjunto de imagens abaixo introduzir melhor sobre o tema em questão.

thiagosilva03

thiagosilva02

thiagosilva01

thiagosilva04

“Thiago Silva pediu para não bater pênalti contra o Chile”

Esse é o cidadão que está incumbido de levantar a taça no dia 13 de julho caso o Brasil seja campeão da Copa do Mundo de Futebol que está sendo realizada no Brasil.

Reparem bem o isolamento, o medo, o choro, o suporte do companheiro, o amparo, a cabeça baixa.

Repararam?

Pois é, se estivéssemos vendo uma cena de um jardim de infância com crianças poderíamos achar até normal; mas trata-se da pessoa que ‘a priori’ é (ou deveria ser) o capitão e líder da seleção Brasileira que estava jogando em casa uma copa do mundo depois de mais de meio século.

Essa cena retrata bem o homem moderno em toda sua amplitude de gestos, caras e bocas, trejeitos, e cacoetes que o definem como um homem sensível e emotivo e que é ‘sujeito à emoções’.

Isso é apenas o reflexo de uma geração de homens criada para sentir emoções como diz a cartilha do feminismo, revista capricho, e demais gurus da psicologia como Contardo Calligaris e o Flavio Gikovate et al.

Trazendo isso para algumas observações no campo corporativo (que é a arena na qual Realistas travam batalhas diárias em atividades laborais em prol do desenvolvimento pessoal e econômico) vejo que muitos dos chamados ‘líderes’ são exatamente como o Thiago Silva. Junta-se esse fenômeno aos ambientes corporativos que estão cada vez mais emasculados e temos o momento atual.

Chefes que abrem mão de decidir deixando a cargo da maioria para não parecerem autoritários, líderes que possuem débito (diria abismo) técnico em relação aos subordinados mostrando que o fato de estar ali não foi por competência e sim por fruto do acaso ou o famoso QI (Quem Indica), ou até mesmo pessoas que estão como chefes apenas de forma nominal (isto é em remuneração e status) que na prática pouco decidem, ou mesmo deixam as respectivas equipes decidam tudo sem ao menos o seu conhecimento.

Um acontecimento que eu vi foi de um senhor responsável por um cargo de liderança que insistentemente ligava para a esposa (durante o horário de trabalho) para que ela decidisse o que eles iriam fazer a noite, o que ela ia fazer para a janta, se o filho deles já tinha comido os cereais, ou mesmo dizer que estava com saudades.

Neste cenário e refletindo sobre o que a filosofia realista nos ensina tive o seguinte pensamento:

“Como que uma pessoa que não é líder nem da própria casa, pode ser líder ou mesmo chefe de outras pessoas em um ambiente corporativo?”

Como eu digo em alguns fóruns da real, ninguém precisa acreditar nestas palavras mal escritas; apenas observem a realidade e pensem nas seguintes perguntas:

1) Qual foi a última vez que você se viu em uma equipe com uma liderança masculina presente que transpirasse segurança e respeito?

2) Qual foi os últimos cinco líderes corporativos que você viu que sabiam conduzir equipes, seja no trato dos elementos de forma individualizada orientando, recompensando e punindo; e com o coletivo para mostrar a direção correta?

3) Ou mesmo quando que você viu uma liderança tipicamente masculina que tenha preferência por uma comunicação precisa, direta e respeitosa sem medo de ‘pisar em ovos’ em relação aos ‘sentimentos’ dos subordinados, como se estes últimos não estivessem sendo remunerados para estarem ali?

Se a resposta foi afirmativa para ao menos uma dessas perguntas com exemplos claros, parabéns você está em um ambiente com mais testosterona do que 98% do mundo corporativo.

No entanto, com todo esse texto o que a real tem a ver com isso?

A Real como o ponto do desenvolvimento do homem

Sem sombra de dúvidas hoje somos a geração mais ‘soft’ até o momento em relação aos nossos antepassados: não temos grandes guerras, não sofremos com a fome nem a seca, temos na ponta do mouse o acesso a todo conhecimento do mundo, temos a informação que precisamos a um ‘google de distância’, e acima de tudo herdamos uma estrutura de vantagens sem precedentes na história do mundo.

Com menos de 1% do que temos hoje tivemos a Renascença, o Barroco, o Iluminismo e o Platonismo para ficar em exemplos simples. Dessa forma é natural que os nossos interesses sejam outros.

No entanto no sentido do desenvolvimento pessoal o realista, sempre que possível, deve exercer o papel de líder dentro de seus círculos sociais no sentido etimológico da palavra.

Apesar do fato de estarmos ‘a paisana’ na matrix, somos libertos; e o que eu vejo nos homens modernos de hoje em dia é apenas um rebanho que quer ‘carinho’, que demanda atenção, que chora que exibe fraqueza para ter misericórdia, que teme o erro, que não assume riscos, que não evoluí como ser humano, que é pedante, que tem desiquilíbrio emocional, e que principalmente que emulam o comportamento feminino no que há de pior.

E esse rebanho quer ser conduzido; mas para isso fica a reflexão: será que eu sou o líder da minha vida? Será que sou o chefe e principal responsável, adulto e maduro o suficiente para ser instrumento da ação e conduzir esses pobres ‘eunucos sociais’ aos meus interesses?

Sempre que esse assunto de liderança é colocado, eu me lembro de uma frase que está na bandeira da maior e economicamente mais importante cidade do Brasil que é a cidade de São Paulo que diz:

“NON DVCOR DVCO”

Não sou conduzido, conduzo.

Dessa forma qual a sua escolha? Quer ser conduzido pela emasculação e os frutos do feminismo ou vai exercer a sua característica genética mais dominante e vai conduzir?

17 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Dalvinha

    Não vem com essa que mulher gosta de homem sensível é caô, mulher gosta de homem que exala masculinidade, braços fortes, pelos nos braços, mãos grandes. Homem decidido, corajoso, homem com atitude, que se arrisca, que pula um muro em um instante, que sobe em cima da casa em uma escada caindo, sem frescura. A atração por um homem másculo é momentânea. A feminilidade latente atrai a masculinidade latente, é quase uma energia incontrolável. O contrário é só conversa para boi dormir.

    1. Barãozin

      Pular muros? Subir em casas com escada caindo?

      Vc tem desejo sexual por saguis? Por macacos?

      Vcs tem cada ideia de girico, meu deus…

      1. Dalvinha

        Cada uma sente atração por um tipo de homem, esses exemplos mostram homens destemidos, impetuosos, esse é o meu caso, a maioria das mulheres, embora não admitam, gostam de homens assim, a frescura deixa para nós.

        1. Barãozin

          Interessante ver que se atrai por saguis.

          1. Dalvinha

            Você está se fazendo de lesado sem ser, estou falando que mulheres gostam de homens que se arriscam, que não são tímidos em suas ações, que se lançam, que possuem força e iniciativa. Longe de ser um sagui, pois que eu saiba um sagui não é um animal forte, potente. Agora se quer fingir que não entende, fique na apatia, e chupe o dedo.

          2. Barãozin

            Um chimpanzé serve, então?

  2. Juca

    Me lembro da copa de 1998, em que Bebeto chorao estava fazendo corpo mole em campo e o capitao Dunga deu-lhe uma cabeçada para enquadrar ele.

  3. Wesleysv

    Parabéns ótimo texto.

  4. denis

    Vendo esse molóide chorando como uma menininha…não tem como não sentir saudade do Dunga…vendo Felipão dando entrevistinha pra Globo…não tem como não ter saudade do Dunga…a propósito..nunca vi Dunga, Cafu e o capita Carlos Alberto chorando em campo..nunca vi o velho Lobo chorando em campo….

  5. Pompeu Teles

    Perfeito, um artigo sem medo de ferir machos betas e feministas. Com os cunhões do Macho Alpha clássico, conciso, direto e franco. Na jugular.

    Lamentávelmente assistimos a cenas como esta, percebe-se que estes movimentos que visam subjulgar o homem naquilo que ele trás de melhor do seus antepassados: a força, a determinação, a coragem e a justiça, vem sendo pouco a pouco contaminado por estas porcarias de movimentos anti-familia e anti-homem.

    No passado, a atitude deste atleta seria questionada nos meios tradicionais de comunicação hoje ninguém diz nada; como pode um sujeito que no momento em que a figura do lider seria de suma importância motivando a equipe e dando exemplo de força, coragem e determinação, ele simplesmente cai aos prontos antes mesmo da derrota ser consumada, fica inerte e pede para não assumir responsabilidade (no caso bater o penalti).

    Como ele conseguiu a faixa de capitão, seria o QI (quem indica)?

  6. Contrapondo Idéias

    “Essa cena retrata bem o homem moderno em toda sua amplitude de gestos, caras e bocas, trejeitos, e cacoetes que o definem como um homem sensível e emotivo e que é ‘sujeito à emoções’.”

    Ao término do jogo fiquei dialogando com meus pensamentos e eis que minha conclusão era a mesma do trecho acima. Fiz uma breve reflexão com familiares que assistiram o jogo comigo onde houve um consenso por parte de homens e parcial das mulheres. Na segunda-feia, no trabalho, fiz a mesma reflexão e nem preciso informar que a reação contra mim foi imediata de alguns colegas de trabalho, especialmente das moças. Ora bolas, afinal de contas homem também chora ão é mesmo?. “Ai com eu acho lindo homens gente, sensíveis, humanos e blá blá blá. Você é um bicho-do-mato.” e ASSIM CONTINUARAM…

    Eis depois li a seguinte matéria abaixo na Gazeta Esportiva:

    http://www.gazetaesportiva.net/noticia/2014/06/futebol/preocupado-com-choradeira-psicologo-ve-felipao-e-capitao-sem-preparo.html

    Essa é ageração de homens educados sob a ótica feminina. A falta da presença masculina, algo batido e discutido aqui, em todos as fases da vida, ambiente e setores da sociedade tem como conseqüência o caos, a falta de racionalidade e objetividade. Por coincidência assisti um filme na madrugada de hoje, “Entre o Céu e o Inferno” com Samuel L. Jackson e Justin Timberlake, que revela como a força, a amizade e a presença masculina são necessárias para superar a perda, controlar desejos e emoções, a revolta, busca pela fé, a resiliência, a resignação e encontrar redenção e apoio que um jovem precisa.

    Está tudo dominado como se um vírus tivesse infectado a todos. O consenso é a lei da maioria. Não estou afirmando que homem não chora, mas as motivações e situações são outras. O choro de um homem é valioso demais para ser desperdiçado. A referência está sendo destruída.

    1. Punisher

      Queria ver uma dessas idiotas politicamente corretas sendo tomada como refém em um assalto, e quando ela perguntasse “cadê os policiais pra me ajudarem?!”, alguém respondesse “estão lá no quartel, chorando, com medo dos assaltantes”. “Eles são sensíveis, têm sentimento, são humanos”.

      Ou então, uma delas presa em um incêndio, e quando clamasse pelos bombeiros, alguém respondesse “eles não vêm. Estão no lá no quartel, chorando, com medo do fogo. Você tem que entender que eles têm sentimentos, são sensíveis, são seres humanos”.

      É por essas e outras que gente metida a politicamente correta me dá nojo, asco.

  7. Andirá.

    Tá precisando de uns conselhos viris do Dunga esse daí.

  8. Poiwe STR

    Ótimo texto. Esses jovens foram colocados num lugar onde tem que ter colhões para ficar.

    Falando do lado corpotativo, concordo também. Hoje varias empresas são coordenadas por pessoas que não sabem nem administrar sua própria vida.

  9. MisterKratos

    Excelente texto é assim mesmo, na última empresa que que eu trabalhei os líderes até sabiam lidar com os subordinados de uma maneira respeitosa, mas deixavam as dondocas na moleza, existiam muitos absurdos, e o resultado é que a empresa foi vendida duas vezes, desde que saí.

  10. Cristiano Ferrari

    Foi a partir do renascimento que a coisa começou a avacalhar culminando na desgraça do iluminismo, que na verdade, é as trevas da confusão e do relativismo.

  11. ALEMÃO

    PQP QUE TEXTO DO C@#$%
    -Aumentou minha testosterona a cada palavra do texto.
    sensacional!

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: