«

»

maio 23 2014

[DCS 4] Duas grandes distrações

puaNúmeros de telefone e beijos

A indústria da sedução complica tanto a sedução que chega a ser ridículo. A razão é óbvia: eles precisam criar uma necessidade, que eles então satisfazem para poder vender mais produtos. Vamos dar uma olhada na estrutura mais comum de acordo com a qual um certo número de “closes” deve ser alcançados para poder conquistar uma garota. Obviamente, todos eles necessitam de técnicas específicas. Você tem no mínimo:

– number-close
– kiss-close
– full-close (relação sexual)

Nesta estrutura, você tem que conversar com a mulher e por fim ganhar o número de telefone dela. Aí então você marca um encontro para depois, aonde você irá tentar ganhar os outros 2 closes. Entretanto, como qualquer sedutor experiente sabe, você pode ter sexo com uma mulher sem pegar o telefone dela, sem nem saber o nome dela e até mesmo sem nem mesmo tendo beijado ela antes. (em casos mais extremos, você pode ter sexo com uma mulher em minutos e até mesmo pular todos os aspectos verbais). Na verdade, há alguns casos que a garota fará sexo com você mas não aceitará que você a beije, porque, por exemplo, fazendo isto seria o mesmo que trair seu namorado ou marido. Não me pergunte o porque desta lógica.

Pessoas que se concentram em pegar números de telefone ou ter paquerinhas acabam confundindo seus objetivos. O objetivo deveria ser o sexo. Pegar um número usando uma técnica elaborada que é igual a tirar com a cara de uma mulher até ela te entregar o número não serve para nada – e assim os caras ainda se perguntam porque o número é falso, porque a garota não pegou o telefone dela ou porque ela saiu fora!

Porque números de telefone são inúteis

Pegar um número de telefone não é lá grande coisa. João Semi Virgem, um cara com pouca experiência, apenas pensa assim dada sua experiência muito limitada. As poucas vezes que ele conseguiu um número foi porque ele conheceu alguma garota de seu círculo social que estava tentando se jogar em cima dele por semanas ou meses. Eventualmente ele se tocou que Joana Mediana podia estar interessada nele e ele juntou a coragem o suficiente para pedir seu número de telefone. Isto eventualmente levou a um encontro e possivelmente mais se a garota estava disposta a seguir todos os passos que o cara supostamente faria. Então, João acredita piamente que qualquer número de telefone o levará a um encontro e possivelmente a sexo. Infelizmente as coisas não funcionam bem assim.

Na vida real, um número de telefone tem pouco valor. Muitas mulheres darão seu número apenas para se livrar do cara que está incomodando ela. Ou como explicar para tantos caras, incluindo aí muitos “profissionais”, do porque eles terem problemas com números falsos ou suas chamadas não serem atendidas? Não, não é porque seu “attraction game” ou seu “phone game” é ruim, mas porque a mulher nunca esteve interessada em você para começar.

Se você quer mesmo o número de uma mulher, simplesmente saque seu celular e mande ela digitar ali. Não há porque usar rotinas malucas. Assim você irá ganhar alguns números caso deseje tanto. Na verdade, Paul Janka, um playboy novaiorquino que se especializou neste tipo de “game” e é uma das poucas pessoas desta indústria que eu respeito, afirma que, estatisticamente falando, ele consegue sexo com mais ou menos 11% de todas as mulheres que dão seu número para ele. Ele é alto e tem uma boa aparência. (Ele recentemente afirmou também que dado a sua exposição na mídia, que inclui aparições em grandes emissoras de TV, sua taxa de sucesso caiu 1%)

Uma palavra sobre beijos

Beijar mulheres é semelhante a pegar números de telefone (mas muito mais legal, obviamente). Infelizmente, isto não significa muito por si só. Muitas garotas aceitariam beijar qualquer cara decentemente bem aparentado que aparecesse. Isto não significa que ela vai dar pra ele. A razão disto é simples: beijar é uma fonte de validação para as mulheres, então elas fazem isto sem problemas. Não, isto não significa que tais garotas sejam umas vadias.

Para muitas mulheres, ao menos no Ocidente, um beijo significa preciosamente pouco. Portanto, se você entender que ela quer ser beijada baseada em seu comportamento, você simplesmente vai lá e beija ela. Esqueça absurdos como a “rotina da mordida evolutiva no pescoço” de Neil Straus, ou seja lá como ela é chamada. Entretanto, em muitas situações beijar garotas irá sabotar você, se seu objetivo é apenas transar. Se estiver em dúvida, apenas a beije quando estiver sozinha com ela, ou pelo menos longe dos amigos dela no clube ou num bar. Isto é outra razão para que a mística em torno de beijar mulheres que permeia a “comunidade” é essencialmente uma distração.

Mais alguns comentários sobre o “phone game”

Um exemplo de “phone game” pego de Ross Jeffries, e provavelmente copiado por caras como David DeAngelo, Mystery e cada cara que veio depois deles, é ligar para a garota, conversar um pouco com ela e eventualmente chamá-la pra sair. Entretanto, algumas mulheres não querem se encontrar com um cara porque elas não estão interessadas nele, mas não ligam com a validação que elas ganham por ter caras randômicos ligando para ela.

Não se preocupe, João Virgem! Agora vamos te ensinar como fazer caso ela realmente responda a sua ligação: pergunte a ela sobre como foi sua semana e veja se ela está ocupada. Depois, isto irá revelar em quais dias ela está livre. Tudo o que você terá que fazer agora é propor um “encontro” nos dias que elas estará livre e ela não terá desculpa para não ir. Uma pena que temos um problema aqui. Você irá encurralar a garota assim e fará ela muito desconfortável ao fazer isto. Você pode até fazê-la concordar com o encontro – mas apenas para fazer ela pular fora no último minuto. Repetindo mais uma vez, irmãozinho: isto não é um jogo entre você e ela. Se ela não te quer, ela não te quer. Você só fará com que ela fique ressentida contigo.

CONTINUA NO PRÓXIMO ARTIGO

fonte: http://www.aaronsleazy.com/files/Aaron.Sleazy.Debunking.The.Seduction.Community.pdf

1 comentário

  1. Anon

    isso mesmo, desmascara essas bibas de pelúcia

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: