«

»

fev 06 2014

[Os Doze Trabalhos] Compreendendo o Quarto Trabalho

javalipor DiomedesRJ

Mais uma vez, Hércules não caça um monstro, nos indicando que não se está trabalhando um defeito inerente a espécie humana, mas sim um característica humana, em natureza nem boa, nem má.

Este Trabalho inicia com uma tragédia, e uma semelhante a que conduziu Hércules ao início dos Doze Trabalhos. Este trabalho assim está para servir de plena advertência ao Guerreiro em relação ao fundamento que está sendo trabalhado neste ponto de sua evolução. Por mais que Hércules tenha dominado o Ego, vencido o Apego e compreendido o valor do Desenvolvimento Pessoal, ainda tinha negligenciado um fator que era inerente ao fato de ser um homem, e algo que sua parte divina podia tornar ainda mais terrível: o Aspirante a Guerreiro ainda não sabia controlar seus instintos masculinos inatos – aquilo que o Javali do Erimanto realmente representa.

1) O Genocídio dos Centauros:

Conforme os Guerreiros avançam em seu progresso, as alianças com outros homens diminuem em quantidade, mas ampliam em qualidade. O Centauro Folo, que representa este círculo social, ao perceber a nobreza de um Aspirante, prontamente tenderão a lhe oferecer vantagens, algumas delas inclusive injustas e até imorais, como o vinho que estava na guarda de Folo. Hércules, neste caso, desconhecia a natureza do vinho (ou então, o teria recusado), mas foi descuidado – porque ele se entregou cegamente a satisfação de seus instintos ignorando sua razão – quando, ao perceber que o vinho era de qualidade quase divina, não questionar se era lícito a ele bebê-lo. Tivesse isto sido feito e toda a tragédia teria sido evitada.

A presença de Quiron não pode ser desprezada no evento. Ele é a Autoridade apoiada no Exemplo, a única autoridade não-legal e não-consanguínea que um homem deve respeitar. Ele foi chamado ao local, nota a transgressão e procura mediar a situação, pois sabe o quanto os Centauros, metade homem, metade cavalo, seres capazes de pensar, mas que não resistem a seus instintos animais – eles, Confrades, são aquilo que muitos de nós éramos na Matrix – eram capazes de fazer. Quiron tinha os mesmos arrastamentos, mas era capaz de resistir a ele pois, mesmo não sendo um Homem pleno, tinha a mesma Centelha que Hércules, burilada por eras e eras de vida.

Se um Aspirante, com um Ego vencido, um Apego vencido e desenvolvido fisica, mental e emocionalmente assume uma tarefa, ele é brutalmente eficiente nela, seja no que for. Neste estágio, se seus instintos não estiverem domados, se ele ceder a qualquer excesso irracional, como a cólera, a luxúria ou a melancolia, o resultado é a desgraça.

2) A Caçada ao Javali:

Todo o processo da caçada ao Javali do Erimanto representa o processo de condicionamento e submissão de nossos instintos a nossa vontade esclarecida. Por natureza, somos impressos com a necessidade de fugir ou destruir uma ameaça quando colocados sob confronto. A privação de necessidades (repouso, alimentação, reprodução) tende a colocar nossa mente num estado mais primitivo, onde a satisfação de tais necessidades passa a estar acima de outras necessidades de ordem menos física. De certa forma, a busca por atender a estes imperativos de forma a viabilizar nossa convivência em sociedade, e nos conceder liberdade para exercer as faculdades mais superiores da mente (estando as de ordem filosófica ou religiosa no seu auge) é o que torna a espécie humana única na Terra.

Sendo o instinto parte das faculdades físicas que compõem um Aspirante a Guerreiro, ele deve aprender a ser senhor dele, não seu escravo.

Hércules inicia seus esforços por onde a maioria de nós começa, tentando restringir ou suprimir seus instintos com mera resistência mental – um esforço que será inútil, pois todas as consequências disto serão desgraça: o instinto represado um dia tomará conta do consciente do Aspirante, levando-o a um excesso do qual fatalmente se arrependerá; a restrição exageradamente severa levará ao mau funcionamento de seu próprio corpo, tornando-o doente; a privação feita sem a devida serenidade interna conduzirá a um processo de depressão e enfraquecimento da vontade. Assim faz a pessoa que se irrita fácil, e passa apenas a se “segurar” mais; o homem de libido acima da média que se torna celibatário por culpas e não por convicções; o obeso que decide emagrecer sem compreender sua fome… os exemplos são muitos. Mas todos irão fracassar.

O processo descrito pelo Trabalho é inequívoco:

1) Compreenda os “gatilhos”: Instinto é basicamente reação e resposta; cabe então que você entenda o que te conduz para aquela situação em particular. Se o investigado é a fome, saber os momentos e os alimentos que atraem mais sua gula; se é a libido, os tipos de mulher e as posturas que a evocam mais intensamente; se é a raiva; analise as situações que mais lhe indignam.

2) Escolha a satisfação mais saudável possível: Com o “gatilho” aprendido, tudo o que você precisa é, assim como Hércules, construir uma armadilha onde possa aprisionar seu instinto, ou seja, criar um ambiente ou uma situação onde possa atender a sua necessidade de forma a não lhe prejudicar mais. Um alimento mais nutritivo em substituição ao normalmente consumido, uma atividade física ou arte marcial que lhe ative o instinto combativo são alguns exemplos.

3) Condicione: Direcione suas forças de forma que seu instinto só seja ativado nas condições que você estabeleceu para o “gatilho”, se permitindo comer com mais prazer aquilo que é realmente melhor para o seu corpo, ou só se permitindo ser agressivo na academia ou local de treino (exceção óbvia em caso de ameaça para sua integridade física). Condicione, treine, reforçe. Não é rápido, não é fácil, é sujeito a erros e falhas. Mas com o tempo, seu instinto estará sob seu controle e só será evocado se você “abrir a gaiola” e deixar ele sair.

3) A Reação das Pessoas:

Quando temos nossos instintos naturais domados, conseguimos fazer proezas que normalmente não somos capazes de fazer. Fisicamente falando, um atleta que treine seu corpo para ser o mais forte possível será mais eficiente que o cara mais forte geneticamente falando, mas destreinado. Tais proezas, para quem não as conhece, beiram o divino ou o absurdo, mas são a prova de que a conquista está feita e que a Inteligência superou a Brutalidade – por isto, Hércules brinca com o Javali para que o povo do Erimanto tenha a certeza que ele não irá mais machucar ninguém.

Realistas que se tornem mestres de seus instintos só podem ser vencidos pelo total esgotamento de suas forças. Suas emoções já eram blindadas contra o orgulho, sua mente já tinha provado suprema determinação, e agora, nem a fome, nem a provocação, nem a insinuação da fêmea podem desviar um Aspirante a Guerreiro de seu objetivo. Ele conquistou enfim a HUMANIDADE VERDADEIRA.

Homens de Verdade tem um magnetismo que é de fato assustador para homens comuns (que se acovardam diante da Fera que é visível nele) e animalmente atraente para mulheres. Agora, o Aspirante a Zeta era ainda mais perigoso para a Matrix do que antes. E o Agente Euristeu, fraco e acovardado diante de um homem assim, só restou se esconder na proteção “invencível” da Lei e da Ordem (o Jarro) diante do poder do Filho de Júpiter. Para reduzir sua vergonha, ele ordena ao Aspirante que oculte seu poder. Ele pode mantê-lo distante da vista do Sistema, mas agora é tarde. Sua Fera Interior e ele são UM SÓ. E esta força ninguém mais poderá tirar do Guerreiro.

A busca é ainda maior do que suspeitam, Confrades. Não sejam marionetes na Natureza. Fomos criados para a responsabilidade, e só somos totalmente responsáveis por nós mesmos quando temos a rédea daquilo que os instintos nos determinam. Tomem estas rédeas e então, poderão correr mais rápido que o vento.

FORÇA E HONRA!

7 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Anjo_Censurado

    off topic: a midia da internet tem divulgado o video obsceno que as mulheres incitam crimes contra os homens(castração), porém até agora não vi uma linha sobre punição sobre isso. Em contraponto, como mostrado: http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2014/02/07/mp-da-bahia-investiga-banda-por-clipe-com-suposta-apologia-a-estupro.htm – quando se trata de mulher, ja começaram a se mexer. Não concordo com a forma de nenhum dos dois, porém percebesse claramente a diferença de tratamento entre homens e mulheres.

  2. Luis Carlos

    Muito bom…

  3. Hérculete

    Até agora:
    Ego, apego, conquistas materiais e instinto!

    No aguardo pelas próximas batalhas!

  4. Anjo_Censurado

    Isso foi um tapa na minha cara!
    Clap Clap

  5. MENTAT

    Vamos continuar nesta jornada … Sem sombra de dúvida, “Os Doze Trabalhos” estão marcando história no Canal do Búfalo, precisamos muito destas informações. Força e honra.

  6. Ismael

    Acompanhando… é bom saber que ainda tem mais 8 trabalhos de Hercules!

  7. Lúcio

    Valeu cara, boa série, to entrando periodicamente pra acompanhar

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: