«

»

dez 30 2013

Mães solteiras são culpadas – por outras mães! – pelo declínio moral

M$

traduzido por Groo, da Equipe Búfalo de Tradução

Último texto do ano de 2013 do Canal, senhores! Espero que curtam bastante aí nessa virada de ano, seja com a família, amigos e todos os seus entes queridos! Que um bom 2014 venha para nós!

do site Eternal Bachelor

“A família tradicional é afetada pelos declínios morais”, dizem as mães inglesas.

A unidade familiar tradicional está se dissolvendo. A razão é a submersão dos valores morais e do crescimento de pais solteiros (leia-se homem ou mulher), de acordo com uma pesquisa feita com mães inglesas.

Muitas delas culpam o governo por ‘abastecer’ essa quebra, com quase dois terços das que ‘sentem as dores do parto’ afirmando que “eles (o governo) não gostam do formato da família tradicional e parecem ser favoráveis aos pais solteiros e mães trabalhadoras.”

É meio típico ‘mulheres primeiro’ de apenas entrevistarem mães para essa pesquisa. No entanto é revelador que muitas vejam através da distorção governamental e percebam que eles não são ‘pró-família’, mas sim ‘pró-pai/mãe solteiro(a)’.

Enquanto isso, as mães solteiras aproveitam os incentivos fiscais, sufocando mais da metade das famílias tradicionais que tentar manter as despesas normais da casa, sendo que um terço delas está no vermelho, de acordo com uma pesquisa sobre a vida das famílias no século 21.

Eu vi outras estatísticas que mostram que um casal que trabalha full-time (ou seja, 8 horas por dia no Brasil, por exemplo) e tem dois filhos é, na média, apenas £1 (uma libra – algo em torno de R$ 3,50) melhor remunerado do que uma mãe solteira desempregada com dois filhos.

Onde trabalho, uma garota de 19 anos ficou grávida de um homem casado com a única intenção de conseguir uma casa para ‘seu bem-estar’, e em menos de um mês, estava se mudando para uma casa de dois quartos, com todos os alugueis pagos pelo contribuinte. Os preços das casas na Inglaterra estão escandalosos altos e só aumentam porque eles são baseados em duas fontes de rendas, desde que as mulheres ‘lutaram’ para entrar no mercado de trabalho. Eu tenho um salário mediano, mas estou tentando descobrir se posso pagar a hipoteca de um simples flat de um quatro.

Além disso, os subsídios governamentais de moradias, que costumavam ajudar aos casais de baixa renda a dar o primeiro passo para adquirir sua casa própria, agora são praticamente direcionados para mães solteiras.

Aparentemente muitas mães gostariam de trabalhar menos. Infelizmente, não é possível. Como mencionei, a larga escala de mulheres que entraram no mercado de trabalho nas últimas quatro décadas diluíram os salários fazendo a economia se adaptar de tal forma que não somente as moradias, mais muitos outros “produtos básicos” requerem duas fontes de renda. Eu não tenho pena dessas mulheres velhas que não gostam de trabalhar porque, geralmente, foram essas mesmas que passaram a sua juventude triunfantemente agitando o mercado de trabalho e tirando muitos homens desse mesmo mercado, criando assim as exatas condições que as impedem de sair do mercado de trabalho anos mais tarde.

O mais importante é que essa pesquisa mostra como políticos, feministas e a mídia feminina estão vivendo em um mundo de faz de conta, quando retratam mães solteiras como maravilhosas, fortes e independentes ou puras e afáveis vítimas inocentes. Eles esperam – e provavelmente acreditam – que toda população se conforme com essa visão do ‘politicamente correto’.

Na realidade, a maioria das pessoas sabem que mães solteiras são, de uma forma geral, parasitas desagradáveis e egoístas e sua prole, geralmente, delinquentes sugadores da sociedade.

Por exemplo, uma mulher no trabalho estava dizendo outro dia que seu irmão, um dos poucos professores homens que restaram nas escolas primárias da Inglaterra, ficou satisfeito depois de ser transferido para uma pequena escola rural. Antes, ele estava numa escola no interior da cidade, perto de um bairro cheio de casas populares e flats que claramente eram ocupados por mães solteiras. Essa mulher falou que “meu irmão odiava aquele lugar. As crianças eram horríveis, sujas, rudes e geralmente incontroláveis. Uma vez ele apanhou duas garotas de 10 anos fumando e elas juraram que não, quando ele ordenou que elas jogassem os cigarros fora. Todas essas crianças eram criadas por mães solteiras e eu não acho que tinham um pai”. Ela explicou como, de acordo com o irmão dela, a nova escola onde ele estava ficava numa vila onde “todas as crianças vinham de uma família apropriada” e eram legais e bem comportadas.

Interessante foi como ela automaticamente percebeu a correlação entre mães-solteiras chefe de famílias e crianças rudes, indisciplinadas e problemáticas. A maioria da sociedade também sabe disso, mas ninguém ousa dizer isso ao público, com medo de represálias e, no caso dos políticos, da perca ‘seus’ mandatos. Ano passado um juiz relatou publicamente que, na experiência dele, a maioria dos jovens infratores que ele viu na corte foram criados por mães-solteiras. O que ele disse foi apenas uma observação com base em seus anos de experiência como juiz e ainda assim teve que retirar seus comentários e se desculpar depois que cartas de feministas e algumas instituições de caridade para mães-solteiras se levantaram em fúria contra ‘esse ataque nojento às mães-solteiras.’

Isso destaca outra grande perversão da realidade na mente das feministas e dos políticos. Eles parecem acreditar que mães-solteiras pobres são constantemente caluniadas e atacadas, quando na verdade elas são as mais protegidas demograficamente, ao contrário do que diz a crítica pública; até mais do que as mulheres no geral. E isso quer dizer alguma coisa.

fonte: http://eternalbachelor.wordpress.com/2007/07/08/single-mothers-blamed-by-mothers-for-decline-in-morals/

2 comentários

  1. Anjo_Censurado

    Off topic,
    Lendo uns posts, conversando e vendo hoje algumas coisas, como ja se costuma criar nome pra tudo, se poderia cria o chamado:
    HOMEM PERFEITO DEMAIS, sua descrição seria:
    Altura: de 1,70 a 1,80
    Pele/Cor: A sua escolha, com feição variada ou com protuberância de orelha, nariz, sobrancelha, nada avantajado.
    Roupas: A sua escolha, nada excessivo ( vai do esportivo, social, descolado)
    Peso: Normal, sem barriga saliente ou músculos a mostra.
    Idade: de 20 a 35 anos
    Formação: Ens. Médio Completo, Estudante ou graduado.
    Emprego: Qualquer área, mas sem grande destaque de mídia ou parecido.
    Renda: de 2 a 5 salários mínimos.
    Moradia/Bens: Mora com pais ou sozinho (não no centro, mas a casa é bem organizada); possui carro usado, mas semi novo, nada de rebaixado, tunado ou afins; investe dinheiro em alguma aplicação ou ajuda em casa nas despesas, paga consorcio ou um lote/data.
    Hobby: prática (caminhada, bike, futebol, nada,etc) esporadicamente ou semanalmente.
    Atrativos: Não fuma ou pouco, bebe pouco (para relaxar e não agradar), não frequenta bares todos os dias com chegadas em horários na madrugada, não usa drogas ilícitas, ajuda nas tarefas de casa (sabe cozinhar, lavar), gosta de sair, mas é discreto, não é mal educado, respeita o outro sexo, não é pegajoso, não avança sem sentir que tem liberdade, tem nome limpo no SPC/SERASA, companheiro, não é ciumento, possessivo, agressivo, gosta de ver a felicidade do outro dando apoio.
    TA E DAI? Alguém acha que este homem dito normal tem alguma atratividade para o sexo oposto ou até mesmo para a sociedade de forma em geral?
    O Demais da nomenclatura vem que ele é o que todos dizem querer na teoria, mas na prática ojerizam.
    Fica a reflexão!! Que valores hoje são pregados para ser valorizado em sociedade? (Além é claro da honra e consciência de você mesmo saber quem é e o que faz)
    Feliz 2014!

  2. Luiz Alberto da Silva Lima

    A mídia tenta nos convencer de que se casar com mães solteiras é coisa de homem “maduro” e desprovido de preconceitos, mas não mostra os prejuízos sofridos por homens que cometeram esse erro. Já vi homens que se casaram com mães solteiras entrarem em depressão porque assumiram filhos que não eram seus, deram tudo do bom e do melhor, se dedicaram bastante a esses filhos e depois foram trocados por cafajestes imprestáveis e tiveram o convívio com esses filhos rompidos depois de estabelecerem laços afetivos com filhos que não eram seus!!!

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: