«

»

dez 02 2013

Doze passos para a cura do feminismo

rehab

* Faça parte você também da Equipe Búfalo de Tradução! Nos ajude a traduzir textos e espalhar o conhecimento a todos aqueles dispostos a adquirí-lo! Mais informações neste link: I need you!

* traduzido por Durga, revisado por Chimera – Equipe Búfalo de Tradução

By Carey Roberts

Trata-se de uma condição conhecida por ser crônica, progressiva e altamente contagiosa. Com meus próprios olhos eu vi mulheres brilhantes caírem sob o domínio de sua enganosa sedução. Elas logo começam a falar e agir como alguém possuído.

As iniciadas são ensinadas que as mulheres são “fortes e invencíveis”, ao mesmo tempo em que  são vítimas de uma conspiração patriarcal implacável. Estas crenças auto-contraditórias induzem a uma condição estressante conhecida como dissonância cognitiva. As mulheres são instruídas a mergulhar na ideologia radical para aliviar tal desconforto.

O próximo estágio da doença é marcado pela perda do sentido de humor, egocentrismo, e diminuição da capacidade de perceber a realidade com precisão. Algumas adeptas se recusam a usar batom ou escovar os cabelos, acreditando que tais ações contribuem para a sua “coisificação”.

Conforme a doença progride, sintomas psiquiátricos graves começam a aparecer, incluindo paranóia, histeria e intensa raiva. Algumas dessas pessoas se tornam diagnosticadas com condições como o transtorno de personalidade borderline.

Na sua forma mais extrema, a doença torna-se ameaçadora à vida. Basta olhar para a imagem de alta sacerdotisa Andrea Dworkin, que foi tirada pouco antes de sua morte prematura.

A Sra. Dworkin não parece particularmente liberada ou iluminada de forma alguma. Na verdade, ela parece miserável .

É difícil contestar o fato de que milhões de mulheres foram enganados pela quimera do feminismo radical. Como vamos ajudar essas pobres mulheres?

Um programa chamado Rachel’s Vineyard, oferece retiros de fim de semana para ajudar as mulheres (e homens) a lamentar a perda de seus filhos abortados, o que é um bom começo.

Mas muitas feministas tornaram-se céticas em relação ao valor da terapia. É claro que as abordagens cognitivas tradicionais não funcionam já que essas mulheres foram ensinadas que a razão e raciocínio lógico são a causa de sua aflição.

Outras mulheres se envolveram em uma forma enganosa de aconselhamento, chamada “psicoterapia feminista”, que ensina aos pacientes que o patriarcado é a causa de todos os males.  Imagine-se indo a um conselheiro para obter ajuda sobre as suas tendências abusivas, e ele te diz que deve se juntar aos drogados para conseguir se curar! E imagine o valor que ele vai te cobrar por esse conselho?

Obviamente, a psicoterapia vai apenas causar uma leve diminuição na epidemia. O que nós precisamos é de um esforço de programação de massa para ajudar as milhões de graduadas em “Estudos de Gênero” que agora suportam uma vida de ressentimento e estéril solidão. Elas precisam urgentemente de uma mão amiga – o que vamos fazer?

A solução é um programa de auto -ajuda de 12 passos – Isso mesmo, você adivinhou: Feministas Anônimos. Sem desculpas aos amigos do Dr. Bill (o criador dos Alcóolicos anônimos), aqui vão os 12 Passos para recuperação de gênero:

1. Admitir que éramos impotentes perante o feminismo – que nossas vidas tornaram-se amargas, solitárias e sem sentido.

2. Acreditar que um Poder Superior a nós pode nos devolver a sanidade.

3. Tomar a decisão de entregar nossa vontade e nossas vidas aos cuidados de Deus, não importando como ELE seria. (Isso mesmo, ELE. Pode ir se livrando livrar daquele cabo de vassoura “Wicca” escondido no seu armário. )

4. Fazer um minucioso e destemido inventário moral de nós mesmos. (Dica:. A humildade é o primeiro passo no caminho para a auto -consciência )

5. Admitirmos perante a Deus, perante a nós mesmos e perante a outro ser humano a exata natureza das nossas falhas.

6. Estarmos inteiramente dispostos a deixar que Deus remova todos esses defeitos de caráter – apesar das auto-professas boas intenções das ativistas Betty Friedan e Gloria Steinem.

7. Humildemente pedirmos a Ele que remova nossos defeitos.

8. Fazer uma lista de todos os homens e mulheres que podemos ter prejudicado, vivos e por nascer, e nos tornarmos dispostos a fazer as pazes com eles. (Pratique dizendo: “me desculpe” na frente do espelho, todas as manhãs. )

9. Fazer reparações diretas a tais pessoas, sempre que possível, salvo quando fazê-lo for impossível, ou signifique prejudicá-las ou a outrem.

10. Continuarmos fazendo o inventário pessoal e, admitir prontamente quando estiver errado. (Se você ainda não tinha o seu nome da lista da Feminist Majority Foundation, a ong Estadunidense que se diz dedicada aos direitos das mulheres, faça isso agora. )

11. Procurarmos, através de prece e meditação, melhorar nosso contato consciente com Deus, não importando como ELE seja, rogando apenas o conhecimento de Sua vontade em relação a nós, e forças para realizar tal vontade.

12. Tendo experimentado um despertar espiritual, como resultado destes passos, procuramos levar esta mensagem para as feministas, e praticar estes princípios em todas as nossas atividades.

Ao longo dos anos tenho visto demasiadas famílias destruídas, muitos homens destruídos, muitas crianças prejudicadas, além de muitas mulheres forçadas a “escolhas” das quais mais tarde viriam  a se arrepender.

Essas mulheres merecem nossa compaixão e compreensão. Vamos colocar um fim nessa insanidade.

fonte: http://www.renewamerica.com/columns/roberts/060627

2 comentários

  1. Don Corleone

    Eu esses dias tive o lampejo de comentar numa página feminista só pra eu ver o que iria surgir daquilo. Nossa, elas são doentes, totalmente doentes e insanas. Eu reitero aqui o que há muito tempo falo: o feminismo é a pior ideologia já surgida em todos os tempos. Eu me recuso a escutar alguém defender o feminismo. Eu me recuso a debater o feminismo. Eu me recuso a ter qualquer tipo de contato com feministas. Se alguém duvida da insanidade das feministas, leiam seus blogs e tirem a dúvida. Elas não tem mais nem o disfarce de esconder sua misandria. Elas escancararam de vez seu ódio e rancor aos homens. O jogo delas é limpo, é misandria pura e simples. Eu faço um apelo aos homens por poucos que sejam: combatam as feministas e o feminismo, façam de tudo pra barrar essas tresloucadas. Lembrem-se que não há diálogo com elas, visto que são mulheres que odeiam homens. Não debate, apenas combate.

  2. andre

    e o homem comum, aquele cara trabalhador, o mediano, meus caros quem realmente s e fode é o homem, alem de levar a sociedade hipocrita nas costas, e viver em um deserto sexual, esse homem comum não é valorizado, mulher não sofre, elas apenas s e afundam no mar de emoções criadas por elas mesmo, reflita sobre a sua vida veja que vc tem que matar um leão todo dia.

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: