«

»

dez 20 2013

Aí vem os herbívoros

mishima01

por Jack Donovan, do The-Spearhead.com

traduzido por Durga e revisado por Ex-Bonzinho,  da Equipe Búfalo de Tradução

Em 25 de Novembro de1970, o autor Yukio Mishima e um punhado de compatriotas manteram um comandante de uma base militar como refém e chamaram a atenção da nação. Seus homens estavam armados apenas com espadas de samurai. Com helicópteros zumbindo acima de suas cabeças, ele chamou os soldados reunidos na base para orgulhosamente sair e recuperar sua herança nacional viril.

Rejeitaram seu pedido, como ele esperava que seria. Mishima deixou a varanda de onde ele estava falando e voltou para o escritório, onde o comandante horrorizado e seus homens fiéis observavam. Então, de acordo com o plano, ele cometeu harakiri .

Mishima não se matou porque ele estava deprimido, sem esperança ou insano . Ele se matou para mandar uma mensagem.

Mishima é um herói pessoal meu, e desde que eu descobri a data de sua partida fiz uma pausa para refletir sobre o significado do seu ardiloso sacrifício humano.

Mishima chamou o Hagakure – um conjunto de reflexões sobre o caminho do Samurai do século 18 – de “ventre de sua obra”. Ele acreditava que o Japão pós- Segunda Guerra Mundial havia abandonado sua tradição guerreira viril em favor de se tornar uma nação comercializada, sem alma, mais preocupada em “arranjos florais”. Dado o status do Japão atual como o centro global da das coisas fofinhas como Hello Kitty, ele provavelmente se sentiria mais feliz morto.

Os samurais, os homens que Mishima respeitava e provavelmente romantizava, eram conhecidos por serem exigentes com sua aparência, e às vezes usavam maquiagem em preparação para a morte. Um samurai queria deixar um cadáver de boa aparência que seus inimigos respeitariam como um adversário digno.

Isso parece relacionado com interesse contemporâneo na vaidade masculina, mas não é. A vaidade masculina de hoje não é a vaidade da força e virilidade, mas a vaidade sem alma da decadência social. É uma vaidade passivo-agressiva, uma vaidade que busca status e influência por ser desejado ou bonito ou ter uma boa aparência. Não se trata de estar preparado para receber a sua desgraça com dignidade e honra, mas sim uma obsessão com a aparência trivial para o bem da aparência. É uma vaidade decorativa, não uma confluência harmoniosa de forma e função.

Em 1994, o jornalista britânico Mark Simpson cunhou o termo “metrosexual” em um artigo infame intitulado “Here Come the Men

Mirror”. Ele escreveu:

“O Homem metrossexual é o jovem solteiro com um rendimento elevado, que vive ou trabalha na cidade ( porque é onde as melhores lojas estão), é talvez o mercado consumidor mais promissor da década. Nos anos oitenta ele só podia ser encontrado dentro de revistas de moda, como a GQ, em propagandas de televisão para jeans Levis ou em bares gays. Nos anos noventa , ele está em toda parte e ele vai fazer compras.”

Não foi culpa de Simpson. Ele estava descrevendo a mudança que já estava acontecendo. Os homens estavam sendo dispensados ​​de suas responsabilidades , aliviados de propósito. Não era mais esperado trazer o pão para casa , os homens eram livres para ocupar-se em caçar uma aparência mais “elegante” ou o melhor hidratante.

Em retrospectiva , sabemos que os homens eram em última análise incapazes de competir com as mulheres como consumidores ávidos. Uma nova geração de homens pode ter abraçado AXE e podiam até se depilar, mas na maioria dos casos eles faziam isso pela mesma velha razão: impressionar garotas e levá-las pra cama. (Podemos chamar isso de “sedução” se você quiser. )

As mulheres geralmente ainda se vestem , como John Cougar Mellencamp observou, “umas para as outras”. E isso faz com que a sua vaidade se torne uma obsessão em tempo integral.

No entanto, mesmo isso está prestes a mudar. Seguindo os passos do metrosexual de Simpson , os japoneses parecem ter criado mais uma sub cultura masculina com seus homens “herbívoros”. A tendência foi descoberta e nomeada pela colunista de cultura pop Maki Fukasawa, em 2006 , e refere-se a homens que não estão interessados ​​em “carne e osso”, como homens mais “carnívoros” seriam. Eles estão interessados ​​em moda, cosméticos e aparências, mas eles não são particularmente interessados em sexo ou encontrar namoradas , embora eles não sejam necessariamente homossexuais, também. Os herbívoros são homens de poucos recursos, que são, no entanto, obcecados com o consumismo frívolo e modismos passageiros. Eles parecem ser adolescentes perpétuos , como muitos gays que seguem fofocas de celebridades, moda e modismos da cultura pop bem na meia- idade.

mishima02

Alguns culpam uma desaceleração econômica e uma escassez de opções de carreira viável para os homens jovens. Outros vêem uma excitante mudança dos papéis tradicionais de gênero . As feministas adoram , é claro.

Em “Manliness”, Harvey C. Mansfield escreveu que :

“…Não há nenhuma reação , só há resistência desarticulada na forma de relutância, uma residual, corporal, falta de vontade de  omportamento por parte dos homens de fazer a sua parte na manutenção da neutralidade de gênero.”

Se você está lendo isso, você é parte da resistência articulada. Os herbívoros do Japão nos dão uma janela para o futuro, e uma chave para compreender a relutância dos homens em abraçar completamente ideal de gênero neutro do feminismo . Quando as feministas incentivam os homens a rejeitar as noções tradicionais de masculinidade , elas falam saudosamente da liberdade recém-descoberta , que está um pouco além dos limites estritos do ideal viril . O problema é que ali, além do arco-íris, é isso. ISTO é o que o feminismo tem a oferecer aos homens. Um mundo de gênero neutro, que oferece aos homens a liberdade de serem “herbívoros”. O Feminismo oferece aos homens a liberdade de ser fraco, ser passivo e ser obcecado com a moda e cosméticos – a salvo da desaprovação cruel dos homens viris . O objetivo do feminismo é parricídio espiritual, purgar a sociedade de todos os ideais masculinos e acabar com homens viris completamente. O Feminismo oferece aos homens um conjunto de liberdades que eles nunca pediram, nunca quiseram . A sociedade de gênero neutro oferece aos homens a liberdade de ser efeminado e impotente.

O que ganhamos com isto?

Epílogo

Em algum lugar em Tóquio, há um alto-falante berrando algum slogan militante. À medida que se aproxima, vemos uma van preta, e ouvimos …

「諸君 の 中 に 一 人 でも 俺 と 一緒 に 立つ 奴 は い ない の か. 」

“Entre os senhores não há uma única pessoa que vai ficar do meu lado?”

As palavras são de Mishima .

Elas são de seu último discurso, que completou 43 anos em novembro passado.

fonte: http://www.the-spearhead.com/2009/11/22/here-come-the-herbivores/

mishima03

7 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Debora da Silva Ferreira

    Muito obrigada pelo texto. Tenho que entender melhor o universo masculino para criar um menino para ser viril, porém não cafajeste e seu blog traz textos muito interessantes.

  2. Luiz Alberto da Silva Lima

    Os homens atuais foram gayzificados pela mídia gayzista e por isso temos hoje esse ser chamado de “Metrossexual” que nada mais é do que uma bicha enrustida manipulada pelo Sistema. Me lembro que os galãs de cinema e TV de antigamente eram homens que impunham respeito. Eram peludos, viris e tinham cara de machos de verdade. Hoje em dia pra ser galã de TV é preciso ter um corpo tão másculo quanto o da Sandy. Ter um peito peludo virou sinônimo de “homem ultrapassado” que não se cuida e chega a provocar nojo nas mulheres atuais que foram criadas sob essa Ditadura gayzista. Ser Homem de verdade definitivamente está fora de moda. O que está mesmo na moda é ser “Metrossexual”!!!

  3. O-Katana Mangá

    Eu li o Hagakure pela primeira vez aos 16 anos, comprei por uma bagatela de R$24,00 reais e li 4 vezes naquela época. Uma vez emprestei pra uma colega de emprego e ela acabou se apossando dele já que perdi o contato com ela. Em 2011 consegui comprar outro Hagukure pagando o triplo do preço. e vale cada centavo pois não existe mais coisas iguais as que está escritas neste livro.
    Eu conheci Mishima Yukio por um documentário chamado Os Grandes Pensadores e achei ele muito interessante principalmente pelo fato de ter se inspirado no Hagakure para mudar o Japão.

  4. Brasileiro

    Barão, vou te passar mais um facepalm daqueles. Originalmente esta história circulava em memes de internet (cheguei até a ver um JPG dessa bobagem em algum lugar), mas agora ganhou um texto que tenta explicar que se você por um acaso chegou a ficar olhando para uma figura de aparência feminina com certa atenção para depois descobrir que era travesti ou transexual, você é um medroso por ter tido repulsa, mesmo que continue agindo na maior paz e conversando normalmente com a tal pessoa. Sim, exatamente isso que você leu: na cabeça do esquerdista mais extremista, até mesmo um esquerdista torna-se um covarde e maria-vai-com-as-outras se não aceitar ter um relacionamento amoroso-sexual com alguém que tem cromossomo Y mas preferiu assemelhar-se a quem tem dois cromossomos X e induziu outro a erro em um primeiro momento. Será que uma mulher que recusasse um transexual nascido mulher ou uma lésbica masculinizada que porventura (bem porventura) se confundisse com um homem também é tudo isso que foi dito na tal postagem? Afinal, na cabeça desse pessoal, se mulher não é definida por aquilo que está entre as pernas, o mesmo podemos dizer de quem quis parecer homem e condenar as mulheres que porventura tivessem repulsa. E observe que para a doideira que se está tentando passar adiante, sequer aceitam que você aja educadamente para com a tal pessoa após o engano. Você só seria alguém totalmente desprovido de preconceitos se fosse para a cama com o travesti ou o transexual e, mais ainda, se mantivesse um relacionamento sério para toda a vida. Não existe na cabeça dessas pessoas a possibilidade de uma convivência pacífica e respeitosa com alguém que você pensou que fosse mulher se isso não envolver prática sexual.
    Aqui novamente a biologia supera a ideologia, pois de fato o que define uma mulher não é só aquilo que está entre as pernas, pois podem haver algumas que nasceram com a genitália deformada e que parece um pênis, mas passível de ser operado e ficar com uma aparência mais normal e toda a funcionalidade de uma vagina normal. Ainda no campo das raridades das raridades, pode haver casos de fetos masculinos que por algum motivo não tiveram o gene SRY acionado e acabaram nascendo mulheres, mas estéreis e, como dito anteriormente, tão exceções que são curiosidade médica. Se eles quiserem ir mais a fundo e pensando na maioria absoluta das mulheres, observamos que elas têm aparelho reprodutor feminino completo e, portanto, capaz de gerar filhos que carreguem tanto o DNA dela quanto o do pai da criança, cérebro com formatação específica a ponto de se poder ver isso em tomógrafos e, no campo celular, o corpúsculo de Barr, exclusivo de fêmeas e que inibe a ação de um dos dois cromossomos X. Porém, como pode observar, querem que neguemos aquilo que nossas vistas veem e a atração normal que um homem heterossexual sente por uma mulher de fato.

  5. Vic_sage

    Essa moda já é muito presente no Brasil, talvez mais ainda no RJ e em SP.

    O que mais vejo quando vou à academia são aqueles leitinho com pera se namorando na frente do espelho, fazendo muques, vendo se a camiseta está bem no corpo, tirando fotinha de língua pra fora, etc., pra colocar no facebook.

    Também conversando sobre anabolizantes, pra ficar mais fortinho e “tirar onda” no carnaval com as “minas”.
    Ficar rasgado, forte, usar roupas de marca, fazer sucesso com as mulheres; esse é o objetivo dos homens de hoje.

    E que se dane todo o resto, pq não ouse perguntar se ele está estudando para um cargo mais alto, pq ele provavelmente só estará fazendo faculdade (e ele vai encher a boca pra dizer isso) pra pegar “as mina” ou pq alguém disse que dava dinheiro.

  6. Don Corleone

    Visto que o feminismo atual é dominado completamente pelas lésbicas (e não há no mundo alguém que odeie mais homens héteros do que lésbicas) essa afetação masculina é motivo de regozijo, porque esse tipo de homem não oferece perigo algum ao seu objetivo de poder e subjugação dos homens. Tenho exemplos em família mesmo, minha irmã se separou cedo (0 marido arrumou uma amante) e ela criou uma menina e 2 meninos que agora já tem mais de 20 anos todos. Pois bem, a moça já cursou faculdade, vai fazer doutorado, sai pra balada e os rapazes? não fazem faculdade, não saem de casa, passam a noite jogando on line, são verdadeiras nulidades. Meu ex cunhado mereceu a separação, mas o que eu quero dizer que filhos criados apenas por mulheres estão destinados ao fracasso.

  7. Leandro

    Mas tbm as mulheres de lá não ajudam muito! Tenho um amigo que morou no Japão e ele é do tipo “alfa”, alto, forte, extrovertido mas ficou vários anos na seca lá por que segundo ele as mulheres japonesas simplesmente não gostam de sexo, só de compras, ir ao shopping,cabelereiros, fofocas… essas coisas que mulheres fazem.

    Ele disse que as mulheres de lá são muito mais frigidas que a mulher mais fria sexualmente aqui no Brasil.

    Os Japas estão seguindo esse caminho, acredito eu, por força das próprias mulheres também que preferem fazer futilidades ou “comer chocolate” do que tocar em seus homens. Elas tem Nojo de homens. Daí muitos japas surtam de vez e, ou cometem suicídio ou então se tornam Herbs.

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: