«

»

set 18 2013

Seja extremo e irracional

dont treadobs: como eu sei que sempre tem idiotas que ADORAM distorcer as coisas, fica o aviso: não, “ser extremo e irracional” como dito aí, não significa sair por aí praticando atentados ou matando gente, como a turminha que tá no governo hoje fez em sua juventude. Significa defender de forma firme seus pontos de vista, não recuando jamais!

* traduzido por Durga, Fórum do Búfalo

por Antifeministtech.info

Gostaria de lembrá-los que o extremismo na defesa da liberdade não é vício!  E deixe-me lembrá-los também que a moderação na busca da justiça não é uma virtude!

-Barry Goldwater na Convenção Republicana de 1964

O homem razoável adapta-se ao mundo, o irracional persiste em tentar adaptar o mundo a si mesmo. Portanto, todo o progresso depende do homem irracional.

– George Bernard Shaw

Estes dois homens têm muito a nos dizer. Muitas vezes quando se fala de várias questões que nos afetam intencionalmente ou não, nós nos seguramos ou tentamos ser pelo menos um pouco politicamente corretos. Isso não impediu os avanços da misandria e nem impedirá. Em vez disso, devemos ser “extremos e irracionais” pelas razões que Goldwater e Shaw nos apontam.

Você não será capaz de conquistar mais mulheres para o nosso lado por “pegando mais leve”, “sendo mais politicamente correto”, etc. A maioria das mulheres não vai querer abrir mão dos benefícios que recebem da misandria. Este é o problema fundamental, e não o nível de sua retórica ou de seus argumentos. Nós todos temos visto mulheres aparecendo em sites como o nosso e dando conselhos dizendo-nos que devemos “baixar o tom”, já que as outras mulheres não vão ouvir. Essas mulheres pretendem apoiar-nos, mas nunca fazem nada, mas nos criticam em vez de fazer algo produtivo para resolver estas questões. Isso é porque elas são na verdade trolls e ouvir as reclamações dos trolls não produziu nenhum resultado para nós.

Você vai ser acusado de ser um misógino, machista, de ter um pênis pequeno, de ser secretamente gay, etc, independentemente do que você diga. Você vai ser chamado de nomes horríveis e dirão que você tem um pênis pequeno. Acostume-se com isso. Não importa o quão “politicamente correto” você é. A menos que você seja um escravo desses misandricos, eles vão tentar te calar, te xingando, te chamando de gay e fazendo piadinhas sobre o tamanho de sua genitália. Usar esta técnica para calar as pessoas não se limita a nós. Como um membro do Tea Party satirizou numa manifestação, não importa o que você diga você sempre será considerado racista. Independentemente do que as misândricas dizem sobre nós, você precisa continuar. Além dessas acusações infundadas, elas não têm muitas armas que não sejam o totalitarismo óbvio que iria provar tudo o que dizemos sobre elas é correto.

Estamos lutando pela liberdade. Como Goldwater destacou, o extremismo na defesa da liberdade não é vício. Muitos de nós têm encontrado maneiras de limitar a misandria em nossas próprias vidas. No entanto, muitos outros homens não têm tanta sorte, e se os ignorarmos, eventualmente, os misândricos virão até nós. Há homens sentados na prisão por causa de falsas acusações de estupro. Há homens que perderam seus empregos devido à indústria de assédio sexual, ação afirmativa e outras políticas do governo para desempregados. Há homens que são vítimas de fraude de paternidade. Há homens que tiveram seus filhos tirados deles. Há meninos que sofrem sob a bota de professores misândricos. Há meninos sendo forçados a tomar Ritalina mesmo aos 5 anos, porque eles não agem suficientemente como garotas. Nossas faculdades se transformaram em enclaves do totalitarismo anti-masculino. Como Welmer apontou, a partir da perspectiva de homens mais jovens, isso está começando a se aproximar de uma guerra total. Para aqueles de nós que são mais velhos e não têm crianças, eles não tem ideia o quanto de totalitarismo os homens mais jovens estão experimentando, e eles não têm as mesmas opções para escapar disto ainda.

O Extremismo puxa o centro na direção que queremos. Por ser extremos, podemos produzir um novo centro que é mais do que queremos. Este novo centro vai, assim, parecer mais razoável do que ele era antes. Essa tática tem sido usado muitas vezes na história, com sucesso. Isso inclui as feministas. Após as idéias de Andrea Dworkin não foram aprovadas e eram consideradas extremas, elas mesmo assim permitiram que outras idéias feministas “razoáveis” fossem discutidas, o que permitiu o estado atual das leis misândricas que agora experimentamos.

Sendo extremos e irracionais daremos voz a esses homens que estão pensando as mesmas coisas, mas que tem medo de falar. Muitos homens estão lá fora, pensando as mesmas coisas que nós. No entanto, mantêm-se a si mesmos, porque eles estão com medo de que eles sejam os únicos que notaram o que eles sabem. O sucesso da misandria é dependente de muitos homens que acreditam que eles estão sozinhos em suas observações do mundo. Precisamos mostrar a eles que existem muitos outros que têm as mesmas ideias que eles tem.

Então, saia e seja extremo e irracional. É assim que vamos fazer progressos contra misandria.

fonte: http://www.the-spearhead.com/2010/04/18/be-extreme-and-unreasonable/

5 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Victor Soares

    Semana passada uma vagabunda em uma comunidade me disse que defender seus pontos de vista não recuando é vicio de ódio e extremismo, bati na tecla que não tem nada a ver sim se trada da defesa da liberdade de expressão frente aos desafios da vida, até que ela colocasse o rabinho dela entre as pernas e se calasse, pegasse o banquinho dela e sentasse para escutar, enquanto metia uma boa real sem vaselina nela, como ela fez por merecer.

  2. Charlton H. Hauer

    Muito bom.

    E vejam mais um pensamento sensacional do Barry Goldwater:

    “Igualdade, corretamente entendida como nossos pais fundadores a entenderam, leva à liberdade e à emancipação de diferenças criativas; mal compreendida, como tem sido tão tragicamente em nosso tempo, leva primeiro à conformidade e, em seguida, ao despotismo.”

    O despotismo contra os homens já está acontecendo. Só não vê quem não quer. E se não for freado, transformar-se-á em perseguição explícita, em genocídio. E o pior: vai ter muita gente apoiando isso, inclusive, creio que grande parte da blogosfera masculina também, lamentavelmente.

  3. Humberto

    Perfeito comentário do fulano de tal,e arthur,isso acontece comigo,na minha familia também,aquela guerra fria,mas também ,não estou nem ai,e não tenho papas na lingua,e pior,sempre pego pesado nas palavras,mas por outro lado,tem algumas amigas que me admiram,”vc não tem medo de falar o que pensa e suas posições” ,mas claro que tudo por off,e se vc se foder por falar “demais” aposto que : “tá vendo? ele falava muito mesmo,devia ser mais “tolerante”,ou merdas assim.
    Te admiro pelo que vc fala,mas já que não vou ser eu que vou me foder,mesmo….vai lá”

  4. Fulano de Tal

    Se falar educadamente adiantasse algo, nossos argumentos seriam aceitos e o mundo seria uma paz. Mas as coisas, infelizmente, NÃO são assim!

    Como eles (os argumentos) não são, por que assim querem que não sejam, independente da forma de falar sempre vão achar algo pra criticar (maldito Hamster!). Já aconteceu muito aqui em casa mesmo, com minha irmã: falar baixo, educadamente, ela ignora. Falar alto, ela reclama da forma que eu falo, ou seja nunca chega ao conteúdo, ao núcleo da crítica ou informação. É completamente inútil tentar argumentar com esse tipo de gente. Tem que mandar apontando o dedo na cara e ai das que não obedecerem.

    E sabe por quê? Por quê as mulheres não ligam pra porra nenhuma do que você acha estar certo, elas só ligam pro que sentem. Vale a pena dar mole pra esse tipo de criatura mesquinha e egoísta que apenas tenta te humilhar e desmoralizar? NÃO! Tem que ser extremo mesmo, e que pela lei da ação-reação, elas que sejam atropeladas ou voem pra lá pelo impacto, pois a razão e o correto estarão do nosso lado e temos a obrigação de sobressairmos, independente dos métodos.

    Já passou da hora de mandar o esquadrão do politicamente correto pras cucuias, que isso não serve de nada. Não dá pra ser racional e educado com quem não é assim. Ponto.

  5. Arthur Souza

    Isso é bastante óbvio quando fazemos alguma crítica ao comportamento feminino. Além de elas sempre arranjarem desculpas para suas falhas, a tropa de manginas também chega para defendê-las, e chamam todos aqueles que não concordam com suas atitudes de pega ninguém, de viado etc. Daí que fica difícil muitas vezes o cara lutar sozinho, pois não encontra apoio algum contra as artimanhas do sistema misândrico.

    Por certo, já teve pessoas que me excluiram do face por meter algumas reais, e conheço pessoas da família que não me vêem com bons olhos por falar abertamente sobre os males do feminismo e de como isso afeta um casamento, mas sou indiferente a tudo isso. Só espero que pessoas como meu irmão acordem a tempo, antes que infartem quando forem colocados contra a parede pelo sistema judiciário.

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: