«

»

set 09 2013

Paralelos com a sociedade soviética

sovarmy* traduzido por Durga, Fórum do Búfalo

do The-Spearhead.com

Recentemente, me deparei com um artigo acadêmico intitulado  “As mulheres e o Exército Soviético”, que foi escrito em 1982, e isso nos dá uma imagem dos resultados de uma sociedade que força a igualdade sexual. Embora existam algumas diferenças importantes, especialmente no que diz respeito ao corpo de oficiais, a participação das mulheres no serviço militar soviético foi bastante significativa, começando na Segunda Guerra Mundial, quando compunha cerca de 8% das forças mobilizadas.

A percepção histórica comum da mulher no exército soviético é a de uma heroína altamente motivada e disciplinada que lutava em defesa da Pátria. A expansão da experiência soviética da II Guerra Mundial, em que mais de 8 por cento das tropas mobilizadas da União Soviética eram mulheres, talvez reflita mais os esforços de propaganda dos soviéticos do que a realidade. No entanto, a União Soviética é uma das primeiras sociedades contemporâneas que empregava mulheres extensivamente em suas forças armadas. As mulheres serviram como soldados na 1ª Guerra Mundial, quatro lutaram na Revolução, e mesmo entre as unidades de combate durante a Segunda Guerra Mundial, três mulheres voaram em aviões de combate nos regimentos aéreos e 23 dessas pilotos foram nomeados Heróis da União Soviética.

As mulheres também serviram em unidades de combate terrestre como atiradoras de elite, operadoras de metralhadoras, e como membros na tripulação de carros de combate. Enquanto 40 por cento dos oficiais médicos na linha de frente eram mulheres, o maior percentual de mulheres servira em áreas de retaguarda para livrar os homens para o serviço de combate.

Conforme o tempo passava, no entanto, a participação feminina caiu significativamente.

O maior valor das mulheres para as forças armadas soviéticas, no entanto, parece ser o seu potencial de mobilização de guerra em grande escala. De fato, a Lei Universal do Dever Militar de 1967 especifica a utilização de mulheres em tempo de guerra, e os soviéticos criaram vários programas e procedimentos para preparar as mulheres para a mobilização. Estes incluem a participação obrigatória em programas de treinamento militar para jovens, o registro de projetos de mulheres com habilidades especiais, a participação de mulheres no serviço militar dispensadas no estado de reserva até 40 anos de idade e status de reservista para todas as mulheres que completarem o treinamento oficial obrigatório  de nível universitário. Em resumo, a presente utilização de mulheres nas forças armadas ativas Soviéticas, além de seu potencial como um grande reservatório de mão de obra em tempos de guerra, é restrita a posições cuidadosamente e deliberadamente controladas.

Os resultados das políticas igualitárias em na Rússia Soviética – particularmente da sociedade, eventualmente, começaram a cobrar seu preço sobre a família:

No entanto, o conceito ideologicamente inspirado e pragmaticamente aplicado da igualdade das mulheres na força de trabalho não veio sem custos. Como resultado de uma contradição na política soviética que exorta as mulheres a serem trabalhadoras produtivas e donas de casa, um “duplo fardo” foi criado pela emancipação – criar filhos e administrar uma casa por um lado e ter que lidar com os trabalhos técnicos, muitas vezes em indústrias, por outro.

Este duplo encargo tem sido em grande parte responsável por uma tendência significativa que está causando alarme para sociólogos e demógrafos soviéticos: a decisão da mãe sobrecarregada de trabalho, particularmente em áreas urbanas, as famílias russas tem limitado o tamanho da família para um ou no máximo dois filhos. Como resultado, a natalidade dos russos de etnia branca está em declínio, enquanto a natalidade dos  russos asiáticos minoritários está subindo. Sua preocupação não é infundada. As estatísticas indicam que entre 1959 e 1970, a porcentagem de russos na URSS caiu  para entre 55-53 por cento da população total.

É claro que há uma série de diferenças entre a sociedade norte-americana contemporânea e a antiga União Soviética, mas alguns dos mesmos fatores estão, obviamente, no trabalho. No caminho para alcançar a igualdade de gênero como ditada pela doutrina marxista-leninista, encargos extras foram colocados sobre a família e, eventualmente, estes começaram a cobrar seu pedágio demográfico. As mulheres encontraram-se cada vez mais responsáveis, tanto com o trabalho como para a família, e os homens finalmente se afastaram na irrelevância, bebendo e torrando seu tempo ao invés de serem cidadãos produtivos. Este é um bom caminho para explicar o colapso da União Soviética e a confusão subseqüente com que a Rússia ainda está lidando.

Observando a trajetória da União Soviética, pode-se chegar à conclusão de que os Estados Unidos poderão enfrentar um colapso similar em um tempo relativamente curto que irá resultar em declínio econômico e político significativo.

fonte: http://www.the-spearhead.com/2010/06/02/parallels-with-soviet-society/

6 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Marcus Valerio XR

    Com as informações dessa matéria, somadas a
    http://en.wikipedia.org/wiki/Abortion_in_Russia
    e
    http://en.wikipedia.org/wiki/Demographics_of_Russia ,
    contrastadas com
    http://www.infowars.com/the-rise-of-the-bear-18-signs-that-russia-is-rapidly-catching-up-to-the-united-states/ ,
    fica fácil entender porque a Rússia está começando a perder a paciência com feminismo e ativismo gay.

  2. Fernando

    Como eu já disse o coitado dos EUA esta começando a perder o seu status de superpotência econômica pra China.

    1. Jean

      Apesar de tudo a China está longe de alcançar os EUA, o ”socialismo de mercado” chines ja está em decadência, o governo investiu em obras inuteis(existem milhares de contruções inutilizadas) e isso acabou inflando o PIB…

    1. Barãozin

      Porra véio…

  3. Anjo_Censurado

    E quem será a bola da vez…China? India? Oriente Médio?
    Estava refletindo sobre a igualdade dentro das policias outro dia. Lido com policiais homens e mulheres todos os dias.
    Imagine você sendo roubado e uma viatura chega com duas soldadas e dois soldados. Em uma luta corporal qual na teoria deverá levar vantagem?
    E no caso de uma fuga, qual teria maior probabilidade de alcançar o meliante?
    Ladrão não usa tática diferente pra fugir, então porque nos testes para engajamento estes tem que ser diferentes?
    No mundo animal não existe o que pregão hoje, é vida ou morte e o azar é seu!

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: