«

»

ago 07 2013

Toda mulher tem seu preço – Parte 2

jece pequenoProsseguindo com a 2ª parte do relato do Reese. Posto ele não tanto apenas para mostrar como o desenvolvimento pessoal pode facilitar demais as coisas para um homem. Mas sim pra mostrar que toda mulher tem seu preço… Então meu irmão, você que achou que encontrou sua “exceção” fica esperto. Quem sabe ela já não foi “contratada” por um cara estilo o Reese?

 por John Reese, do Fórum do Búfalo

* obs: para saber da história do autor e como ele chegou aonde chegou, ler este relato.

Clique aqui para ler a parte anterior, caso não tenha lido ainda.

Algumas meninas que estavam no dia do Habbibs vieram conversar comigo, vi que isso causou certo desconforto nela, não sei se por ciúmes ou pelo fato das meninas exacerbarem um comportamento não muito comum neste meio.

Inclusive ali percebi que tinha ganho um vasto cardápio, caso aquela fizesse cu doce.

E novamente ela se sentou do meu lado na reunião, porém neste dia como era uma reunião de caráter geral, não havia necessidade dela se sentar comigo.

Após a reunião, me ofereço para levá-la em casa e desta vez ela aceita.

No caminho foi algo muito estranho, pois ela já me tratava como amigo de longa data, isso é ruim.

Mas como naquele dia estava pronto pro tudo ou nada, falei respeitosamente para ela:

“Posso te convidar para jantar? Com todo respeito, é lógico… Só pra gente se conhecer melhor, caso não queira vou entender. Mas gostei de você a partir do momento que te vi, não me interprete mal, mas não ficaria em paz se não te fizesse isso. (PAPO PADRÃO, AFINAL, TENTAR COMER SEM GASTAR ANTES NÉ?)

Ela – Quando?

Eu – Agora, conheço um lugar bacana na Zona Sul, não precisa se preocupar, é só um restaurante…

Ela, ai não, to mal vestida.

Não está não, ta linda desse jeito.

Mas novamente te digo, estou te convidando com todo respeito, se não quiser ir eu vou entender. (LEGENDA: Ou dá ou desce) Eu te levo na sua casa pra você tomar um banho e se trocar se você quiser, eu aguardo.

Ela aceita, paro na porta da casa dela e ela desce, depois de alguns minutos quem sobe?

A mãe dela… pensei, agora fodeu…

A mãe dela vem na direção do carro sorridente e me chama pra entrar, tomar um café, eu recuso mas ela insiste, fala pra esperar la dentro enquanto ela tomava banho.

Penso comigo, mas que porra que ela falou pra mãe dela?!

Pensei comigo, deve ter uma maquina de tortura chinesa me esperando lá embaixo.

Casa simples, pintura velha mas bem arrumadinha, TV de tubo na sala, um computadorzinho daqueles baratos no cantinho, mas tudo muito limpo, o banheiro com aquelas portas de sanfona deu para ouvir ela tomando banho, a mãe dela me convida para sentar a mesa, a única coisa que sempre me entristece é ver gente de bem, trabalhadora com geladeira vazia, ou seja, enquanto a menina perdia tempo na igreja servindo e ajudando enriquecer os pastores, a mãe dela se matava de trabalhar e ainda passando privações.

Naquele dia, como tinha ido em um cliente e fui direto para a igreja, vestia um terno sob medida, sem gravata, creio que isso passou certa credibilidade em comparação aos manginas da igreja.

Me pareceu ser uma senhora muito simples, falou assim “Você é la da igreja né, do grupo de jovens…”

Com a maior cara de pau do mundo respondo. “Soooou!”

Quantos anos você tem? O que você faz? E sua família? Já foi casado? Disparou uma torrente de perguntas. Porra só faltou o polígrafo!

Respondi todas, afinal não era nada demais.

Ela sai do banheiro e se ela se assusta me vendo ali, ela estava com um roupão que cobria todo o corpo, mas os cabelos molhados, aquele cheiro de shampoo exalou no ambiente, a imaginação foi longe de imaginar o que estava embaixo do roupão, quase paudureci ali mesmo.

Ela fala assim, toma conta da minha filha, você que é da igreja sabe como é né…

Novamente na maior cara de pau do mundo falo “Seeei…”

Aproveitando o ensejo e para me impor perguntei “E sua filha, o que a senhora tem a dizer dela?”

Emendei com uma brincadeira “Ah não, mãe não vale…”

Ela respondeu até o que não perguntei.

Boa moça, estudiosa, educada, ajuda a cuidar da casa, só não faz faculdade porque não arrumou emprego ainda, sem experiência e sem qualificação, de fato é difícil, e ela tinha acabado de atingir a maioridade fazia apenas 3 meses.

(De fato ajuda mesmo pois mesmo a casa sendo simples estava tudo limpo e cheiroso que dava gosto de ver)

O único problema dela é que ela vive enfurnada dentro da igreja e não se desenvolve, as vezes fica o dia inteiro lá, limpando, ajudando,eu falo pra ela fazer um curso, sair, ir ao shopping, não acho isso saudável.

Tem vezes que ela vai 2, 3 x por semana a pé pra lá.

Vou de vez em quando, mas não acho isso normal, a pessoa tem que ter vida.

De fato está certa, 18 anos, virgem, bonita, educada e fica perdendo tempo dentro de igreja limpando, distribuindo panfleto na rua é um desperdício.

(Não me surpreende que não tenha namorado nenhuma vez ainda, pois mesmo sendo novinha, gostosa e prendada, a imagem é de uma criatura totalmente sem graça, na forma de se vestir, na forma de se portar.)

A mãe dela deixou escapar que ela contou o episódio do restaurante e não parava de falar de mim desde aquele dia.

Já fazia uns 40 minutos ali esperando, inquieto olhando toda hora pro celular, até que ela aparece na cozinha.

Estava linda, um vestido preto que marcava bem o contorno do corpo, alguns dedos acima do joelho, sandália, um perfume doce que me deu uma dor de cabeça do cão, pouco maquiada mas com uma beleza natural, totalmente diferente daquela criatura sem graça que vi alguns minutos atrás, o cabelo penteado com franja.

Me despedi da mãe dela com um beijo no rosto, deixei meu cartão com telefone se ela precisasse ligar.

A mãe dela fala, gostei de você, rapaz muito simpático.

PONTO PRA MIM, TENHO O AVAL DA VÉIA!

Levei ela em um restaurante atrás do shopping Ibirapuera, no trajeto ela nervosa, toda desconcertada tentando puxar assunto em um tom de voz inaudível, os olhos fitavam os prédios em volta como se nunca tivesse visto algo parecido.

Falei pra ela, só pra te avisar, velhos hábitos não são fáceis de largar, sou apreciador de um bom vinho.

Ela – Mas beber é pecado.

EU – A Bíblia fala para não se embriagar e não para não beber, Jesus transformou a água em que? (Check Mate)

ELA – É, vendo por este ângulo, tem razão!

EU – Pecado é beber até cair, ou seja, se embriagar.

Lá chegando, ela com os olhos arregalados, parecia tudo novidade, desconcertada até no jeito de pegar os talheres.

Tirei ela de sua zona de conforto, sem defesas, estava em um ambiente desconhecido.

Comecei a conversar com ela na maior naturalidade do mundo, o dono do restaurante veio falar comigo perguntar se eu estava gostando, se precisava de alguma coisa.

Os garçons vinham encher a taça sempre que ficava vazia, nessa ela tomou 2 taças e meia sem perceber, algo incomum pois a maioria das mulheres não aguentam mais do que uma e começa a ficar alta.

Aproveitei o ensejo e comecei a perguntar de sua vida, sua família, o vinho tira um pouco o freio e ela começou a falar.

Notava-se que ela estava sem jeito com tudo aquilo, ao que sugeri que fossemos pra outro lugar.

“E ai, vamos pra outro lugar?”

Fui gentil, porém não avancei, não tentei nada, apenas deixei fluir, afinal queria ver o tipo dela, se depois de tudo aquilo ia cair de boca na rola ou se era mais recatada, porém o choque de realidades foi tão grande que ela parecia uma menina tímida do interior na cidade grande.

Saindo dali levei ela para dar uma volta, fomos conversar em uma praça próximo do restaurante…

Sentamos na praça e ela parecia mais solta, conversamos melhor.

Até que eu vou aproximando meu rosto do dela para beija-la.

Ela não se esquivou, mas não conseguiu esconder sua cara de espanto.

Beijo ruim, falta de habilidade por parte dela, nervosismo, talvez.

Eu – Relaxa, você ta muito nervosa, quer que eu te leve pra sua casa agora?

Ela pede desculpas e me revela que NUNCA BEIJOU NA BOCA.

Falei calma, respira fundo, em tom de brincadeira cuidadosamente me aproximo e a beijo novamente, me senti como no dia do primeiro beijo, mas como eu já tenho habilidade de alguns anos de vivência (e alguns PAC-b também) fiz o teste do pescoço, afastei o cabelo lentamente do rosto dela e dei um beijo em seu pescoço, ela ficou arrepiada na hora, isso tira o juízo de qualquer mulher.

Porra, esta menina ficou parada no tempo ou foi muita sorte minha?!

Na volta o silêncio sepulcral dentro do carro, me senti o pior dos corruptores de santinhas, ela me fala que na igreja para namorar é muito burocrático, tem que se passar por entrevistas com o pastor pra saber se o cara é realmente bom pra mulher, mas em tão pouco tempo surpreendi ela tantas vezes em tão pouco tempo, mas ela disse que o que mais chamou atenção em mim foi meu respeito (sei…)

Mas que se fossemos “namorar”, teríamos que seguir as regras da igreja.

É, eu pesquisei na doutrina…

Conversar por no mínimo 1 a 3 meses para ver se é isso mesmo que quer.

Apenas beijos na boca e passeios em horários e lugares “respeitáveis”.

SEXO SÓ DEPOIS DO CASAMENTO

Ééé… e agora hein John? Não perca a parte final deste relato! Clique aqui para ler!

fonte: http://forum.bufalo.info/showthread.php?tid=4244

Off topic: Mais uma reflexão no ar! Não deixe de ouvir…

15 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Luiz Alberto da Silva Lima

    Achar uma novinha de 18 anos virgem e que nunca beijou na boca é como ganhar na loteria…algo raro!!!

  2. Luigi Carlo

    História foda !!!! puta que pariuuuuuuu;

  3. Fernando

    É impressionante depois que o cara cresce financeiramente pegar mulher comum se torna até um hobby.

  4. Dom Rafael

    Rapáz, é fogo! sou cristão e sei o que eu passo!
    Detalhe para a moça ter logo reparado no “respeito” do nosso colega, e já ter IDO A UM ENCONTRO COM UM DESCONHECIDO, QUE NEM SABE SE É CRENTE OU NÃO, LOGO DE PRIMEIRA!!
    Eu é que não tenho uma oportunidade dessas!…
    Shalom

  5. Victor

    Pra uma mulher 0 km, até que está bem barato!

  6. Itamar Dias Machado

    quero ver o desenrolar dessa história…ando tão desconfiado das mulheres,que tô prevendo safadezas…

  7. Anderson

    Finalmente o barão conheceu uma “mulher exceção”, “pra casar”, boa sorte ai!

  8. ohmega

    Agora o pior tipo de mulher é aquela que te atiça e quando você avança ela te joga um balde de água fria! Comecei a ficar com uma mina assim, mas com os conhecimentos que adquiri aqui, vi que esse tipo de mulher é sem futuro e dei “pinote”, pois além de não te dar, ela ainda te “queima” com as outras.

  9. zzz

    só depois de casar, um sorriso medonho se cria no meu rosto sempre quando leio isso…
    aguardo a parte III

  10. Anjo_Censurado

    Fim de semana sem nada pra fazer fizemos um churrasco na casa de um amigo, cada um levava sua cerveja e carne, logo no começo, vem 4 meninas nota 7 – de 0 a 10 – como não conhecia fui perguntar pro meu amigo quem eram, disse que trabalham no shopping com sua namorada, foi como jogar água na fogueira, a real ja veio e me deu aquele golpe…na hora falei pra ele, que elas estavam ali para passar tempo, a cidade não tinha nada que valesse o ingresso, pra variar não trouxerem nem fosforo pra churrasqueira, e que dificilmente ficariam com alguem dali.
    Passando o tempo, elas comendoooooo e bebendo um pouco, fechadas em uma rodinha, dando risada, só olhava e pensava qual o preco que teria que pagar pra ter alguma delas? – antes que alguem fale do mesmo jeito que homem tem o direito de escolher o que quer, elas tb tem, mas td tem seu preco – Me vai um outro que estava bebendo creio eu achando que isso daria coragem e aumentaria a chance, chega tenta puxar conversa, elas olham , dão risada e continuam conversando, ele se vira e volta desanimado pra onde estava.
    Enfim, sai pra não ficar em casa, tomar umas e dar risada, se falar que não pensava em pegar ninguém seria mentira, mas vi como funcionam as coisas de camarote.
    Aquelas creio eu para rolar algo, tem que chegar na balada de carrão, ou ir no shopping vender um grande status, convidar pra sair e bancar tudo, pois se pensar em dividir conta ja vão xiar.

  11. Alexandre

    Realmente esse relato é bem legal. Devemos tomar cuidado com todo tipo de mulher.

  12. Experimentador

    Interessante. Mulher tem em sua natureza o impulso da vadiagem. Uma coisa que aprendi na vida: mulher santa, casta e pura, só Nossa Senhora. Meus amigos, vcs cometem um erro fundamental em considerar qualquer mulher uma santa por natureza. Dá pra perceber que quando elas são “santas” é apenas por falta de oportunidade e experiência de vida.

    1. Dom Rafael

      Mas Maria casou e teve filhos; logo, ela foi uma mulher como outra qualquer, só que não prostituta.
      Shalom

      1. Tenchin

        Maria nunca teve filhos, a não ser Jesus. Única passagem na Bíblia que faz alusão aos irmãos de Jesus diz: Está ai fora seus irmãos e sua mãe. Diz irmãos de Jesus, não filhos de Maria. Isso faz uma grande confusão pra quem ler a bíblia hoje sem avaliar o contexto da época e isso por dois motivos. José, que era o pai Biológico de Jesus (no entender de toda a sociedade daquele momento, pois eles não sabiam que Jesus era Deus e como foi sua concepção), já tinha uma idade muito avançada quando se casou com Maria. Maria tinha 16 anos, enquanto ele estava próximo dos setenta. José já tinha sido casado e provavelmente já tinha outros filhos, daí eles serem irmãos de Jesus. Outro fato, é que o termo irmão, primo e até cunhado, em aramaico, se pronuncia pela mesma palavra, o termo adelfos (irmão em grego, onde a bíblia foi traduzida e para onde foi a tradução aramaica) adquiriu todos esses termos como “irmão”. A mulher Judia não saia sozinha em público, e pra Maria sair pra rua atrás de seu filho, tinha que ir acompanhada, ainda mais por causa da multidão que se formava em volta de Jesus e que estava fora da casa nesse momento esperando por ele, segundo o texto bíblico. Os parentes moravam próximos, o sentido de família era muito mais forte do que os que existem hoje, daí ela ser bem acompanhada pelos seus parentes. A palavra “irmão”, tem um sentido mais forte, e abrange os outros membros de parentesco. Pela tradição judaica, e Jesus era Judeu, se morre o pai, o filho mais velho adulto, tem que cuidar de sua mãe, se este morrer, seu irmão mais velho tem que assumir seu lugar nos cuidados com sua mãe. Jesus ao morrer na cruz, designa João, discípula amado, para cuidar de sua mãe: Mulher eis ai seu filho, filho eis ai sua mãe. Se Jesus era Judeu, sua mãe Judia, e se ele tivesse outro irmão filhos dela, seu irmão consanguíneo mais velho depois dele é quem deveria assumir os cuidados da mãe deles. Provavelmente esses irmãos, era primos, filhos de José de Cleofas que era irmão de seu pai. Mesmo nome do irmão? Como assim? Ora, O nome da minha tia é Maria das Dores, da minha outra tia é Maria da conceição, e de uma outra Maria margarida. Só minha mãe diferencia por Francisca Margarida. Em comunidades pequenas, como no Nordeste ate´hoje, esse tipo de coisa ainda acontece.

  13. Victor Hugo

    Nota 10! e tudo estava se passando aqui perto de onde moro.. Mas vamos ver até onde esse cara vai conseguir levar a mina

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: