«

»

ago 08 2013

Toda mulher tem seu preço – Final

jece pequenoHoje termina o relato do confrade Reese, que está fazendo um belo sucesso e com o pessoal sempre ligado na telinha no aguardo do próximo capítulo. Posto ele não tanto apenas para mostrar como o desenvolvimento pessoal pode facilitar demais as coisas para um homem. Mas sim pra mostrar que toda mulher tem seu preço… Então meu irmão, você que achou que encontrou sua “exceção” fica esperto. Quem sabe ela já não foi “contratada” por um cara estilo o Reese?

 por John Reese, do Fórum do Búfalo

* obs: para saber da história do autor e como ele chegou aonde chegou, ler este relato.

Leia a parte anterior antes, caso não tenha lido ainda.

Como o dinheiro quebra regras.

Depois desse banho gelado de regras, perdi o tesão. Afinal ficar 3 meses só no “beijo na boca”, “pega na mão” pra ver se dá certo?

Até poderia, afinal estava com mais uma foda fixa pelo PAC-B, então sem sexo não ficaria, mas mesmo assim não gostei da idéia e na sexta feira chamei ela pra sair novamente.

Neste dia queria dar o ultimato.

Visto minha melhor roupa, meu melhor perfume, meu melhor sapato e vou de Omega ao seu encontro.

Marquei pouco antes das 19h no estacionamento, tudo vazio, ela me esperando na porta do estacionamento, estava com uma roupa mais simples do que no dia anterior, uma calça jeans mais justa, sapato de salto e uma camisa branca cinturada.

Entro com o Omega, porém ela não reconhece o carro, fica olhando pro nada. Ai eu desci do carro e falei “E ai, vamos?”

Ela esboça um sorriso sem graça, porém incontrolável, entra no carro e pude notar sua mão tremendo.

Dou um beijo de enfiar a língua na guela, desta vez melhor correspondido com uma mãozinha atrás de minha cabeça, quase arranco a roupa e como ela ali mesmo, neste dia estava com um tesão que se ela não me desse ali, ia entrar no primeiro puteiro de luxo que visse na rua.

Resolvi leva-la no Shopping Bourbon em Pompéia para um cinema e jantar, mas no caminho dentro do carro ela fica me lembrando das porras das regras da igreja.

Mas eu estava obstinado a encerrar o assunto aquele dia.

Perguntei em que shopping ela já tinha ido, ela me responde que já foi no de Santo André, Central e Mauá, só shopping ruim.

Porra, no Bourbom os olhos dela brilhavam, as roupas, os sapatos, eu precisava de alguma forma resgatar a feminilidade daquela menina.

Fomos andando, ela parava em frente algumas vitrines e ficava namorando algumas roupas e sapatos que via, parei em uma loja que ela gostou de um vestido, falei “Entra, experimenta.”

Ela recusa, eu falei que fazia questão, senão iria ficar muito chateado.

Ela entra para experimentar, saiu do provador linda, parecia uma modelo no vestido, as coxas grossas e aquela bundinha ficavam em evidência com aquele vestido, só faltava uma sandália para completar o pacote.

Parece que ali estava fora da sua realidade, nem lembrava das regras da igreja, ela incrédula olhando a etiqueta do preço disse que iria tirar para devolver, só que enquanto ela tirava, eu comprei ele, paguei R$ 300,00.

Na hora que a vendedora entregou o vestido para ela em uma sacola da loja achei que ela ia achar ruim, ela pula no meu pescoço, me abraça, me beija e agradece.

Algumas lojas depois, igualmente ela gosta de uma sandália, falo pra ela experimentar pra ver como fica e ela vai, aqueles pés bem cuidados, unhas bem pintadas. Menina mesmo pobre era bem cuidada.

Comprei e da mesma forma pulou no meu pescoço e agradeceu muito, mas dessa segunda vez um detalhe peculiar. Pude sentir seus peitos durinhos encostando em mim, aquela hora tava com tanto tesão que se ela falasse que tinha gostado de um carro eu comprava…

Alguns confrades podem achar exagero, mas só de ver aquela menina que nunca foi tocada por um marmanjo e nem sequer beijada, paudurece qualquer um.

Jantamos, fomos ao cinema e depois ficamos em um amasso monstro no jardim do shopping, coração acelerado, aquele beijo gostoso, molhado, beijando boca, pescoço, mão na bunda, ali já não tinha limites.

O soldado se ergue em atenção!

Falei, vamos pra um lugar mais reservado?

De repente ela vem com a facada.

– Olha, eu estava esperando o momento certo para falar com você, mas seria injusto se eu não te contasse agora, eu sou virgem.

(Tá, me conta alguma novidade.)

Eu só pude balbuciar as palavras, não tem problema, a gente resolve isso hoje.

Ao que ela fala, hoje não, não to preparada.

PORRA, alguém me arruma um banho gelado?

Depois daquilo, levei ela embora, mas não a beijei mais naquele dia, dei um gelo completo, ela perguntou porque eu estava bravo, quando cheguei na casa dela, ela me dá um selinho e disse “Depois a gente conversava.”

Afinal, segundo encontro é pedir demais um cabaço porra?

Mas tenho que quebrar isso, afinal o que ela ganha permanecendo da forma que está?

Um detalhe importante é que a vivência dela era zero, não conhecia nada do mundo, apenas a parte ruim, e ficou quase 4 anos presa em uma doutrina que supervaloriza a mulher a ponto de você encontrar virgens com 25, 30 anos nesta igreja.

No dia seguinte dei um gelo nela, não atendi ligação, recado no facebook, e-mail, no fim do dia havia 15 ligações perdidas no celular. Determinado a faturar aquele cabaço de um jeito ou de outro volto na igreja na quarta feira a noite, após o expediente, mas nem avisei pra ela que eu ia.

Cheguei antes, sentei no meio do povo, no meio da reunião o pastor fala que tem que vender alguns livros pra ajudar na obra, precisava pagar algumas contas de consumo da igreja, coloca as caixas dos livros em uma mesa, ele insiste, insiste, insiste, e poucos gatos pingados vão la na frente, cabisbaixo ele fala, amem povo, deus há de prover.

Neste momento saio do meio do povo, vou até la na frente, iria comprar um só, mas vi que tinha 30 livros x 10 reais, = 300 reais,relativamente pouco, compro todos e saco as notas, coloco sob a mesa e falo para ele dar ao povo que não tinha.

Rapaz, o povo aplaudiu que o prédio chegou a estremecer, vi muitos olhares de admiração, inclusive dos jovens que estavam comigo no Habbibs como relatei logo no começo.

Ele manda que os livros sejam distribuídos ao povo como eu pedi e na hora e conforme vou voltando ao lugar, muitas pessoas que receberam o livro saem dos seus lugares para me agradecer.

Vejo ela no meio mas não vou até ela, me dirijo até uma fileira vazia no fundo, isolado, vejo muitas pessoas olhando para trás. Mas a maioria, meninas que estavam presentes no dia do habbibs olhando e sorrindo para mim.

Após a reunião o pastor pergunta se pode falar comigo, o cara é gente fina e ficamos alguns minutos conversando, fizemos amizade.

Quando termino a conversa, novamente o grupo de jovens se reúne ao meu redor, puxando conversa, e ela me fita de longe perguntando e gesticulando se poderíamos conversar.

Só que nesse instante, uma coisa interessante aconteceu, só para ressaltar, até o momento ninguém ali sabia que eu tinha ficado com ela.

Uma jovem, branca, loira e linda pergunta se pode conversar comigo em particular.

Eu peço um instante a loirinha, me dirijo até ela, e no meio de todo aquele povo sem me falar uma única palavra ela repentinamente me dá um abraço e um beijo na boca e no meu ouvido me fala “Me perdoa?”

Saldo parcial de gastos pelo cabaço

R$ 250 Habbibs pra galera.
R$ 300 Vestido
R$ 100 Sandália
R$ 300 livros

PS: Para mim isto não é muito, é uma pequena parcela de meu orçamento previsto para diversão.

Não entendo os livros como besteira já que naquele momento além de arrumar mais opções alternativas, consegui quebrar o gelo dela, pelo ciumes principalmente o que viria a ser favor decisivo para a solução final.

Porra, aquilo me desabou.

Metade do povo olhava para nós incrédulo, muitas caras de decepção no meio de algumas meninas do grupo.

Os manginas nem disfarçavam.

Ela “Quero falar com você em particular.”

Eu falei “Vamos, te levo embora.”

Deixei todo mundo ali falando sozinho e me dirigi ao estacionamento com ela.

No carro, saímos do estacionamento com cara de paisagem, após sair ela pergunta porque eu a estava evitando.

Eu falei “Naquele dia você me deixou louco e do nada me dá um balde de água fria, queria que eu ficasse como?”

EU “Sabe que eu quero você, mas você parece não me quer.”

ELA “Lógico que eu te quero, parei o carro e ela pulou no meu colo me dando um beijo gostoso, como o carro é filmado e não dá pra ver porra nenhuma dentro, ela estava com uma calça de tecido mais fino e eu estava de calça social, aquela bundinha e aquela bucetinha relando no meu pau me deixou louco, coração acelerado, temperatura nas alturas, mas ali não era lugar de descabaçar a donzela.”

Chegando em casa subimos o elevador comportadinhos, mais da porta do apartamento para dentro foi coisa de louco, para dar uma calibrada, abri uma garrafa de vinho do porto, ela virou a taça de uma vez só.

Porra, tava calibrada, na vontade mesmo, mas como tinha chegado da rua, ela tomou um banho demorado pra caralho na suíte de visitas e eu no quarto principal, acabei primeiro e fui pra cama.

Ela saiu do banheiro só de calcinha, sutiã e a camisa branca que ela vestia.

E era uma vez um cabaço.

Foi a coisa mais intensa, depois de tanto sacrifício que eu experimentei na vida, não me arrependo de ter gasto cada centavo nisso. Foi sacrificante, mas sabia que ali eu era o primeiro em tudo.

Quando acabamos fomos tomar banho juntos, mas deu uma crise de choro dentro do banheiro, mas ai dei um beijo nela, e ela engoliu o choro e me deu um abraço.

Fechei o pac-b com ela meio que disfarçado em namoro, nós saimos, porém não haverá nenhuma interferência dela em minha vida privada.

Toda vez que ela vem me ver dou uma graninha pra ela, a mãe dela gosta de mim pra caramba, tem dia que to sem porra nenhuma pra fazer, trago ela aqui, é fight no quarto, na sala, na cozinha, no banheiro, na lavanderia…

Obs: O “arco” principal da história termina aqui, mas amanhã para encerrar a semana eu colocarei mais um adendo a história que falará um pouco mais do que aconteceu no pós “empaqueamento”, digamos assim. Não deixem de ler! Clique aqui. 

fonte: http://forum.bufalo.info/showthread.php?tid=4244

23 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Luiz Alberto da Silva Lima

    É impressionante como até o povo evangélico puxa o saco de quem têm $$$$$$, principalmente as mulheres evangélicas. É verdade que a doutrina evangélica supervaloriza as mulheres, mas encontrar mulheres virgens com 25, 30 anos? Isso nem nas igrejas do interior. Hoje em dia, o que mais se vê nas igrejas evangélicas são balzacas rodadas e mães solteiras à procura de um CAPITÃO SALVA PUTAS.

  2. onanis

    só que se esqueceram de um detalhe, a mina desde o começo da história estava dando bola para nosso herói. Isso facilita muito para um cara experiente, se quiser levá-la para cama e só ter interesse nela que para comer é questão de tempo.

    1. vagnercorretorVagner

      Sim… estava ensando nisso mesmo. Peguei uma crente virgem nas mesmas condições: não saía, vivia só com a mãe, gostosa para caralho. Não gastei um centavo. Um mês depois, comi a bundinha dela. Nem sei onde esta hoje. Melhor simlificar tudo.

    2. vagnercorretor

      Pensei a mesma coisa. Faz pouco tempo peguei uma evangélica virgem, cheia de pudores, namesma linha descrita nestes rtigos: não saía de casa, só ia para trabalho e igreja, etc. Comi em pouco tempo, fiz o que quis, ganhei boquete esforçado, enfim, putaria das boas. Um mês depois ganhei um analzinho.Não gastei nada nem precisei mentir ou coisa parecida. Pelo contrário, passei o tempo todo repetindo que eu não prestava, que ela merecia um cara melhor… Me livrei dela em pouco tempo. Pelo que vi no face, voltou para a vidinha dela.

  3. Luiz alberto

    As igrejas evangelicas estao cheias de prostitutas nao-declaradas que vao a igreja em busca de um varao ungido (leia-se rico). E por isso que aqui no Rio ha varios jogadores de futebol milionarios tornando-se “evangelicos” so pra pegar mulher. Esses jogadores ja perceberam que hoje em dia se voce for rico e mais facil pegar mulher em igrejas!!!

  4. Renato

    Muito bem ! mostrou-se como ser um cafa !

  5. Neo Realista

    Tudo é comprável. Depois da Real. Meu pessimismo em relação ao caráter das pessoas só aumentou, as pessoas simplismente se vendem por tão pouco.

  6. Luigi Carlo

    Algum dia eu terei só para mim uma história como essa ! Valeu pela inspiração mano !

  7. Anjo_Censurado

    O que levo comigo é que vc aparentemente em nenhum momento mentiu para ela sobre algo,
    e apesar das feministas chiarem, ela não foi obrigada a nada e mesmo se no pós não rolar nada, ela é quem deveria se conhecer bem e aproveitar os momentos de prazer, que isso o homem normalmente faz e bem. rsrs

  8. Antonio Neto

    Terei que estudar mais um pouco pra conseguir gastar isso tudo que vc gastor pra descabaça uma gata, conto maneiro. Esperando a parte 4…

  9. Fernando

    Não tem jeito o homem sempre vai precisa ter dinheiro pra conseguir comer mulher porque se for um pobretão de merda pode tira o cavalo da chuva.

  10. Cabraman

    se conduziu com firmeza e estratégia e ainda esfregou o patrimônio na cara da guria era mais que obvio que o cabaço iria subir! Só estou curioso pra saber o que o reese vai fazer com ela agora.

    Fez subir as pregas tbm?

  11. andre

    o parceiro ae prova mais uma vez que s eja puta ou virgem, elas gostam d e destacados, o cara estava em um ambiente onde ele era o alfa, pois só tinha manginas lambedores d e calcinha, mina mesmo sendo cabaço viu o cara d e carrão, que o cara podia proporcionar uma boa vida, na boa se tu é o d estacado do ambiente ond e tu esta inserido ganhara altas bucetas, e provando que toda operaria deseja o chefe, toda piriguete deseja o malandro da baixada, e por ae vai.
    é por isso que digo mulé da de dificil com betas.
    sim toda mulé tem o seu preço, mas a natureza delas são todas iguais. não existe essa d e especial.

  12. zzz

    Essa necessidade de gostar apenas dos mais destacados cria uma demanda idiota. Aguardo a parte 4 muito divertido a história, Espero que vire rotina seus contos, como já foi comentado gostoso de ler pra caralho!

  13. Fernando R.

    Brother tu é muito rico, seu relato me deu mais motivação ainda pra estudar, muito obrigado ! hahaha

  14. Victor

    A princesa que virou uma vadia. Nem culpo o cara, isso não foi estupro nem chantagem! Mas que é decepcionante, é! Pretendentes pra rodadas, existem! Pra virgens, muito mais! Ou seja…Não foi por medo de ficar sozinha! O brilho no olhar que elas têm pelo destacado e assediado acontece com todas, até com as mais puras!

  15. allanschutzertelex@gmail.com

    Mulher tbm quer marcar territorio e eliminar concorrentes parceiro !

  16. Eliakim M.

    Valeu a pena acompanhar…
    Por tão pouco a guria liberou, e enquanto isso uns otários acreditam na ‘supervalorização’ e ‘frescura’ de “só depois de casamento”. Mas convenhamos que não basta ter dinheiro, tem que ser MACHO; O autor teve boa postura ante o que houve durante os ocorridos, e soube jogar corretamente.

    Realmente um bom conto, e espero que quem tenha lido isso e anteriormente acreditava que “mulher não tem preço” e que é “santinha e delicadinha”, comece a acreditar no contrário, pois isso pode até evitar frustrações em certos casos.

  17. Renato

    Muito boa a história,isso prova que exceção não existe e que mulher gosta é de dinheiro,ostentação,status.
    Meninas assim de “igreja” valorizam demais sua virgindade mas dão,uma hora dão,é certeza,é só saber enrolar como fez nosso amigo ai…hehehe

  18. Renan

    Não vejo mal nenhum nisso…
    se a garota é tudo isso mesmo, estranho seria se ela perdesse o cabaço com algum otário que não pode nem gastar dinheiro com a mina.

  19. Johnson jjs

    toda mulher tem seu preco realmente nao importa o quanto santinha ela seja

  20. Poiwe

    É meu caro, as pessoas mudam.

    Parabéns novamente e no aguardo do adendo final.

  21. Alexandre

    Legal essa historia. Interessante a competição que ela teve com a loirinha que queria conversar com você.

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: