«

»

jun 28 2013

Real Talk Show – A promiscuidade nas Igrejas [Parte 1]

Nosso segundo episódio do REAL TALK SHOW, entrevisto o Destro, usuário do Fórum do Búfalo. Neste programa, iremos discutir sobre a PROMISCUIDADE NAS IGREJAS. Destro, que convive no meio evangélico a mais de 25 anos e que já foi pastor comenta sobre coisas que ele viu e vivenciou nesses anos todos no meio. Dividi o programa em dois porque a entrevista foi longa. Aguardem pela próxima parte que irá sair nos próximos dias!

Não deixe de assistir:

Outras opções de download:

http://www.mediafire.com/?v5lyll9tf7vkak2

Ou escute pelo player:

Jornal da Real

Divulguem!  

Clique aqui para baixar pelo Archives.org

Música de abertura e encerramento: Big Bill Broonzy – Baby Please Don’t Go

17 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Nicolai

    Quanto mais crente mais quente . As mulheres gostam mais do proibido não é atoa que eva comeu a maçã o fruto proibido

  2. João

    E nas igrejas católicas, alguém sabe como é o comportamento dos grupos lá ?

  3. Andre Luiz

    Muito bom essa entrevista.

  4. lucas roland

    Já tive uma namorada evangélica e ela era a mais fogosa de todas que já tive.

  5. marcelo nunes

    a libidinagem e a perversão sexual está atingindo uma camada imensa das mulheres,que se camuflam nas igrejas cristãs,cometendo todas as atitudes de pessoas do “mundo”, denominada de neopentecostais.Não confio em nenhum tipo de mulher. toda mulher é uma vadia em potencial pronta para explodir necessitando apenas uma faisca

  6. Jacobus De La Rey

    > Um ponto importante a ser dito, os líderes de jovens não mostram a Real no aspecto cristão, ou seja, incentivam o manginismo e castram todo o comportamento masculino, tornando-o num eunuco. Sendo que, Salomão e David dissertaram sobre as mulheres promíscuas, homens consumistas, desobedientes aos pais; Sansão também pode citar a consequência de envolver com vadias.

    > O Destro equivocou-se sobre Madalena, ela abandonou a prostituição e tornou-se uma das seguidoras de Jesus. Recomendo uma releitura do Novo Testamento. Entretanto, gostei muito do talkshow.

  7. Appollo

    Ficou muito legal a 1 parte barão. O Destro reforçou coisas que eu desconfiava e aquilo que já sabia.

    Vou dizer uma coisa aqui, eu nasci dentro da igreja praticamente( meus pais frenquentavam muito antes de eu nascer), sempre soube que havia algo errado mas não sabia o que era. Eu não sou batizado nem nada, mas andava em retidão muitos que estavam no meio ali (não estou me vangloriando) e eu era o cara que mais se fodia, tanto na igreja como no mundo real (tá parecendo vitimismo).

    Com o tempo comecei a observar essas vadiagens e a ficar puto, até que resolvi largar tudo, a igreja, deixar de aprender música e ir pro mundão me aventurar. Hoje eu faço tudo do meu jeito, converso com Deus da minha maneira, cumprimento e conveso com alguns da minha antiga religião, raramente assisto uns cultos da porta e vou embora e assim vou seguindo a vida…

  8. visotakyju

    Se tem uma lição que fica é: existem cristãos de verdade e não-cristãos.
    Cristão de verdade, evangélico de verdade, não faz vadiagem. Pastor de verdade não rouba, não manipula e não come as mulheres da igreja.

    Justamente porque a base do ensinamento cristão é a prioridade dada a Deus e às suas palavras. Cristão que trata Deus como um programa de domingo a noite (ou sabado a noite, no caso dos cultos de jovens) não conheceu Deus de verdade.

    Jesus até alertou isso, na época dele: “Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.” (Mateus 7:20)

    Então pra quem não é cristão ainda, sejam sensatos. O fato de alguém estar na igreja não significa nada. É o que ela faz fora de lá que conta, principalmente quando não tem ninguém olhando.

    E pra nós, cristãos: a cada dia temos que deixar as paixões (todas, não só paixão por mulher, mas pelas coisas daqui) e cultivar o amor a Deus. Isso só com fé, oração e muita Bíblia.

    1. visotakyju

      Ah, mais uma coisa: lembrem-se do que o Destro disse. Nas igrejas “moderninhas” a promiscuidade rola solta mesmo, ao contrário das igrejas mais tradicionais. E no Cristianismo em si não tem essa de igreja moderna e tradicional, tem igreja que segue a Cristo e igreja que segue qualquer coisa que não é Cristo.

      Pessoas menos promíscuas? A chance maior é encontrá-las nas igrejas tradicionais, antigas, sérias.

      E outra coisa que ele disse, muito importante: não vá pra igreja por causa de mulher. Deus é mais importante.

      Até logo.

      1. Iceman

        Falou tudo.
        Mas tem uma coisa que concordo.
        Os líderes são muito manginas mesmo.
        Outro dia mesmo dei uma enrabada num cara que estava falando sobre perdoar o adultério.
        Ae veio com a enorme falácia que perdoar o adultério é continuar casado.
        Eu insisti que uma coisa não tem nada a ver com a outra, que perdoar é não desejar retribuir o mal.

        Ae perguntei, se descubro que meu sócio me roubou um milhão de reais e o perdôo, sou obrigado a manter sociedade com ele e dar a chance de ele me roubar de novo?
        Todo mundo foi logo dizendo que não e blablabla.
        Na hora disse que era a mesma coisa com o casamento.
        Sou cristão, mas se minha esposa me trair é tchau, não tem choro nem vela.
        Até Jesus permitiu o divórcio em caso de adultério.

  9. Cássio

    Como estamos carecas de saber, a mulher se excita pelas emoções.

    Um exemplo drástico:

    Um padre se relaciona com uma missionária dentro da igreja.
    Na cabeça do macho, ele meio que liga o foda-se e foca apenas na carne esquecendo as consequências.

    Já a mulher não. O falto de estar fazendo coisa errada com um padre dentro da igreja é justamente o que estimula ela.

  10. Luzz

    As verdades por trás da religião protestante, huehuehe.
    Já namorei uma garota que canta em um ministério de louvor, mas ai eu descobri que ela ficava comigo e com o ex dela(maior puta eu sei), depois desse episódio eu aprendi na prática que as garotas da igreja não são diferentes do resto do planeta.

  11. Geremia

    Estou namorando uma católica que tem uma irmã evangélica. Essa evangélica trepou cedo, teve filho com um vagabundo qualquer, maltrata a filha pq está cuidando dela sozinha, joga a menina no chão com raiva, pq quer curtir a vida e talvez culpe a criança pelo cara ter deixado ela.

    Só que quanto mais o cara ignora mais ela quer dar pra ele. Tanto que quando ele quer ela vai correndo atrás dele. Ele abusa e depois deixa de novo. Sempre assim. Ridículo. Como pode uma evangélica ser assim?

    Vive se lamentando no facebook postando frases sobre falta de atenção / superação / desapego sentimental / “agora vou ser mais eu” / “vou me valorizar”… e depois fica chorando quando o ex ta com outra, fica indo atrás dele nas festas. Uma coisa tenebrosa.

    Sai à noite, fica com 2-3 caras por semana… depois quer ir pro culto pagar de moça. Ah vai tomar no cu, vadia!

  12. leonardo_guitarreiro@hotmail.com

    Muito bom. Eu sou da Igreja, e toco no Grupo de louvor da sede. O que ele disse a respeito das mulheres procurarem os homens destacados é totalmente verdade, a galera do louvor é vista como popstar. Infelizmente na igreja tem muitas putas disfarçadas.

  13. Carlos

    Acho que quanto mais proibido mais eles querem. Passei um tempo namorando uma crente que me iniciou à vida sexual. Ela é aquele tipo de garota que se desenvolve rápido antes de saber distinguir caras safados e começa a trepar muito cedo pq cai na lábia do primeiro vagabundo.

    É engraçado como alguns crentes são safados, pelo menos os que conheço. Não tem moral nenhuma. Religião não faz o caráter de ninguém!! Quando ia aos cultos acompanhar minha ex, percebi que ninguém tem postura retida, os maridos sempre q podem dão aquela olhada pras irmãs mais encorpadas. Os garotos não se seguram no culto, ficam conversando e falando das meninas que vão aparecendo e falando sobre sua reputação. Não sei, se eu estivesse em um show ou um barsinho eu veria pessoas mais contidas e comportadas.

    E as meninas, justamente pela proibição é que se vestiam de forma promíscua. Claro q nada era curto, mas sempre que podiam deixavam colado, ou com um decote “comportado”. Chamar atenção era lei.

    Repito, religião não faz caráter de ninguém. Evangélicos que conheci, todos hipócritas. Pregavam coisas que não seguiam, meu sogro evangélico, traía a esposa. Eles buscam pregar a moral sem ter 1% dela. Isso piora mais ainda quando falo de católicos. Claro que em ambos os lados existem os puros, os realmente dedicados e dignos, mas são poucos.

  14. danone

    Eu já namorei uma mulher ideal para casamento que eu achava que fosse, menina criada na igreja Um mortal engano a mina era pior que as do ”mundo” não valia nada, e hj sai com lider casado do seu grupo sai com meu amigos maior putona e faz parte da banda podre e foi criada no evangelho

  15. vic_sage

    Muito bons os programas, aguardo a próxima parte.
    Abçs a ambos.

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: