«

»

jun 21 2013

O olhar de mil rolas

tcspor Barão Kageyama

Esses dias, respondendo meus camaradas e aos desafetos no meu velho e querido Ask, um dos meus camaradas me mandou um link com um belo estudo de “mãesozinhologia” (para quem não sabe, é um termo que usamos para avaliar os hábitos comportamentais de mães solteiras à caça de um otário, ops!, “bom marido”para assumir os restos do naufrágio. Aliás já fizemos até um programa sobre isto, para assistir favor clicar aqui.)  realizado lá pela rapaziada do MGTOW Foruns. Para quem manja de inglês vale uma lida, pois nota-se que os métodos usados por elas lá não são tão diferentes dos métodos usados aqui pelas M$óis locais que temos no Badoo e que fazem a alegria dos confrades marmiteiros. (caçar link para o post do bodyhunter)

Mas um termo citado por eles me chamou muito a atenção e resolvi trazê-lo para cá. E como sou um dos pioneiros em trazer termos novos para a Real (como o hamster da racionalização, por exemplo) resolvi então trazer mais um termo novo que pode ajudar aos confrades a descreverem situações do dia a dia. É o “thousand cock stare”, ou como resolvi traduzir, o “olhar de mil rolas“.

Antes de tudo, vamos ver daonde este termo pode ter vindo.

Tal termo provavelmente é uma corruptela da expressão “thousand yard stare”, traduzindo “olhar de 1000 jardas”, que é um termo relativamente comum entre os soldados americanos. Segundo a Wikipédia:

thousand yard stare

O quadro de Tom Lea que deu origem ao termo.

“O olhar de mil jardas é uma frase cunhada para designar o olhar perdido e sem foco do soldado exausto pelas sucessivas batalhas que enfrentou, mas tal sintoma pode ser usado também para vítimas de outros tipos de trauma. Uma característica do stress pós traumático, o olhar perdido reflete uma dissociação do trauma.

[…]

A frase foi popularizada depois que a revista Life publicou a pintura intitulada Marines Call It That 2,000 Yard Stare do artista e correspondente na 2ª Guerra Tom Lea. […]

Relatando seu retorno do Vietnã em 1965, o então cabo Joe Houle disse que não via emoção nos olhos dos soldados de seu novo esquadrão: “Parecia que fora sugada a vida dos olhares deles.” Depois, quando soube que o termo para esta condição se chamava olhar de mil jardas, Houle disse “Depois que perdi meu primeiro amigo, senti que o melhor a fazer era desapegar-se das coisas.”

Ou seja, aquele olhar perdido, sem vida, como se tivesse focado em algo distante e inatingível. Tentando ver algo que esta além de 1000 metros de distância… Provavelmente já deve ter visto alguém com este olhar sem emoção em alguém que perdeu um parente próximo ou que está muito estressado por causa da alta carga de trabalho, etc.

Mas o artigo não é sobre isso, mas sobre o termo “thousand cock stare“.

Pois bem, segundo minhas rápidas pesquisas na internet, achei algumas definições interessantes para o termo:

“Uma vez que a mulher já passou por um número de rolas maior que o nº de sapato que ela calça, ela perde aquela feminilidade e a atração que ela tinha no passado, e então adquire o “olhar de mil rolas”, aquele olhar vitrificado das vadias.”

“Uma vadia o adquire depois de anos metendo o pé na jaca. É como… é como se ela estivesse olhando mais além. Uma vez vadia, sempre vadia. Você pode ver no seu olhar. Eu chamo isto de “olhar de mil rolas”.

“Não são apenas as mulheres com mais de 30 que parecem rancorosas e hostis – também tem aquelas jovens com seus 20 anos que eu vejo muito por aí tendo aquele olhar frio como o gelo, como se o mundo devesse algo impressionante a elas e que o próprio Deus deveria descer a terra e oferece-la tal coisa.”

Realmente, antes deste ter lido este termo, era algo que eu já percebia em vadias rematadas e prostitutas. Mas nunca tive aquele “click” mental e liguei os pontos. Para ilustrar a situação, me lembro que quando eu estava lá na 6ª, 7ª série, já havia umas 3 ou 4 meninas que eram extremamente promíscuas. Lembro de uma que adorava vir com aqueles shortinhos colados que delineavam cada curva de sua região pélvica e lá ia ela passar a lição na lousa para o professor, aproveitando para fazer poses bastante provocantes (para a alegria da molecada que sentava nas primeiras fileiras, eu incluso rs), além de outras histórias meio escatológicas que não contarei para manter o foco do artigo hehe. Uma delas eu me lembro que até engravidou durante o ano letivo de um marginalzinho da região e teve que parar de estudar.

Em todas essas meninas (na época tinham aí entre 12 e 14 anos) eu notava a mesma coisa: aquele olhar frio, distante, muito diferente das demais meninas normais da classe. Eu mesmo novo na época já notava aquilo e ficava bolado com a diferença no olhar delas. Não digo que era algo que assustava, mas era algo que incomodava. Aliás era algo que eu notava em algumas parentes minhas que tinham fama de promíscua.

Mais velho e começando a frequentar puteiros, também notava aquele mesmo olhar perdido, sem vida, malicioso até, nas “primas”. De novo, a dúvida batia mas não parava pra pensar muito (afinal tinha outras preocupações ali…). Na Real, já lidando com relatos, notícias que demonstram o lado obscuro, a organização dos COBs (Corno Otário Beta, um “concurso” onde definimos o mais corno do mês) entre outras coisas que envolviam fotos das vadias em questão, também notava o mesmo olhar estranho na maioria das mulheres envolvidas na história. Era algo recorrente, mas parece que pouco notado entre a galera.

Então como falei, lendo essa parada que me mandaram no ask deu o estalo. “Porra… e não é que tem isso mesmo? O negócio na nossa cara e nem nos tocamos!” Ai quando você para para analisar algumas fotos de vadias famosas você começa a ligar os pontos.

Alguns exemplos:

olharmilrolas

Nas fotos temos: Kristen Stewart, Madonna e Rihanna. Fiz questão de pegar imagens onde não pareciam ter sofrido manipulação digital e com mulheres de idades e raças diferentes. Notam um certo padrão no olhar delas?

O olhar meio frio, perdido, distante?

É disso que eu falo. O olhar semelhante ao das promíscuas da minha sala. Aquele olhar que não te vê como um cara, mas apenas mais uma rola na imensa fileira de rolas que ela já levou, “apenas mais um cliente”…

Os japoneses costumam dizer que “os olhos são a janela da alma”. Logo, pelo olhar você consegue ver dentro da pessoa. Será que tal olhar sem vida é resultado de uma vida de excessos?

Peço para que façam este exercício no facebook e no dia a dia de vocês. Observem suas conhecidas (mas não vão também me inventar de falar pra elas que ela tem esse olhar, pelo amor de deus…), especialmente aquelas que certa “fama” e vejam se conseguem observar esse padrão. Eu faço o teste aqui meio que diariamente no dia a dia e ando notando isso.

Talvez uma explicação mais “científica” para isto é que os níveis de ocitocina no corpo destas mulheres é baixo ou elas não respondem mais a ela. A ocitocina, para quem não sabe, é um hormônio produzido pelo hipotálamo e segundo estudos recentes uma de suas funções é criar uma sensação de prazer e que facilita a “ligação”, digamos assim, entre um homem e uma mulher e também com mãe e filho. Logo, com a mulherada de hoje dando adoidado, o efeito de tal hormônio talvez não tenha tanto efeito depois de anos levando rola, afinal a ocitocina tem picos durante os orgasmo. Assim, com a quilometragem dela aumentando, mais difícil fica para ela se “ligar” a um homem apenas. Então talvez um dos colaterais dessa dessensibilização com a ocitocina seja tal olhar perdido e sem vida dessas mulheres promíscuas. Um verdadeiro olhar de viciado, sempre a procura de doses maiores para saciar o vício.

Obviamente isso é mais divagação, mas tem uma certa lógica por trás disso.

Mas antes que vocês achem “Porra! Encontrei o detector de vadias perfeito!”, vamos com calma…

Tal característica é apenas um indicador. Indicadores ajudam a apontar tendências, mas não as define. Acredito eu que isso seja um indicador muito bom, mas que deve ser utilizado em conjunto com outros indicadores (Nessahan ensina formas muito boas para tentar arrumar indicadores, vão lá ler) para poder ter uma ideia mais precisa da mulher que você esteja lidando no momento.

Por exemplo, observe que algumas atrizes pornô não tem esse olhar de peixe morto. Tem aquele olhar, aparência, etc até bastante “inocentes”. Mas ela pode ter um quilometragem muito maior que uma mina que já tenha sua carga de rolas meio alta e tenha esse olhar parado. Pseudo santas de igreja e aquelas que se dizem “conservadoras” são um perigo também. Só observar em muitos sites estilo “caiu na net” o tanto de menininha ai de 18, 19 que são crentes ou de famílias tradicionais e que tem a maior carinha de anjo e olhar inocente já mostrando o corpo pra todo mundo ver e fazendo coisas que corariam uma prostituta. Logo, se você se basear apenas nisso para tomar sua decisão de definir qual é a dela, pode levar uma naba pesada lá na frente.

Acredito eu que tal indicador possa ser muito interessante para botar no seu arsenal. Pode ser uma arma muito boa para já identificar precocemente se aquela mina que você tá de olho é roubada. Mas, frisando novamente, não se baseie apenas nele para tomar decisões. Use da sua experiência adquirida com o tempo, da excelente tática nessahaniana de se fazer de “liberal”, entre outras coisas, e tente descobrir os fundamentos dela, sem stress…

Acho que é isso. Como sempre gosto de dizer, tentem sempre observar o mundo e as pessoas ao seu redor e tente aprender algo nisso tudo. Faça isso tranquilamente, apenas visando o aprendizado e sua auto preservação, e não para desmascarar os outros.

Adendo: uma pena que eu só vi isso depois de ter publicado o artigo. Mas o Rider lá do Fórum do Búfalo me atentou para algo muito interessante. É o quadro “Olympia”, de Manet. Provavelmente um dos “olhares de mil rolas” mais famosos da história da Arte.

Clique na imagem para ampliar.

Clique na imagem para ampliar.

Esse retrato fez um escândalo desgraçado na época.

Não foi porque ela estava nua.

Também não foi porque ela era uma prostituta.

Mas por causa do olhar da modelo.

É um olhar que dizia “pfft, mais um? Que venha o próximo”.

Estranho como a Arte esfrega essas coisas na nossa cara e a gente não percebe. E também a sensibilidade que perdemos. Os franceses, no séc. XIX, sacaram isso rapidinho. Já nós?

35 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Josue Pires

    Já quebrei a cara, já me livrei, já me envolvi… Já tive mulher de todo jeito. E esse post só confirmou o que eu já havia percebido.
    Uma vez uma dessas queria ficar comigo, foi muito fácil falar sobre isso e até marcar encontro. MUITO FÁCIL MESMO.
    Mas tinha alguma coisa nela que me incomodava, eram os olhos…
    Ai me aquietei, esperei um pouco e observei.
    No facebook dela, em algumas postagens as amigas comentavam com certa frequência de que ela era safada ou davam a entender que era promiscua. Ai veio aquele “click”. (PQP, Escapei fedendo), e então eu soube que foi melhor não ter me envolvido.
    Existe uma coisa interessante sobre essas mulheres, elas sabem transar e te satisfazer, mas também sabem fazer você se apegar e se for inexperiente… Ta fudido.

  2. Paulo

    Sou novato aqui mas estou me identificando com quase todas publicações, no serviço, na internet (redes sociais) e no dia a dia me deparo com essa situação!

    Parabéns pelo blog que é sensacional!

  3. Naldo

    Mano moro no interior..vixe isso ta me assustando um bocado aqui tem esse olhar ..algumas + obvias

  4. kbça de dinossauro

    fodam essas putas

  5. João

    “Você já reparou nos olhos dela? São assim de cigana oblíqua e dissimulada”, é Capitu, é Dom Casmurro, é Machado de Assis. Está na literatura também. Este artigo é genial. Já havia percebido este olhar em algumas mulheres, um olhar às vezes superior, tanto em prostitutas como em civis. Mas nunca tinha visto isto ser tão bem verbalizado como neste artigo. Parabéns ao Barão.

  6. Bruno Portella

    Outro exemplo é a Gioconda… (Monalisa)

  7. V

    Mas tem gente como a Kim Kardashian, por exemplo. Já deu para todo o mundo, tem até sex tape vazado na internet, pousou nua e o olhar dela não tem nada disso daí. Dá para ver que não tem no reality dela, até quando ela está sem maquiagem.

  8. huo Yuan Jia

    So discordo a parte que “atrizes porno com cara de anjo” podem nao ter esse olhar.Entre minhas “pesquisas solitarias” eu vi muita atriz porno,mas,nao adianta se nao for pelo olhar,é pelos gestos,o jeito de olhar,o jeito de falar,porra,ate o jeito de sorrir!!E a as poucas que nao tinham,geralmente,estavam cheias de maquiagem,ou o set estava cheio de efeitos de luz.

    1. Pierre

      Pesquise por Kacey Kox. Essa tem cara de santa, mas é uma das maiores vadias. Se descobre a identidade da mulher, dando corda p ela falar bastante. Qdo ela falar uma putaria, ria, dê corda, faça um comentário mais puto ainda, sem hipótese alguma recriminá-la. A verdade do universo é uma só: Puta não conta derrota!!!!! Tenha uma boa memória, pra jamais se deixar envolver por esse tipo de mulher. Abs!

  9. High_Lander

    só pra complementar o artigo….o máximo que conseguimos enxergar com clareza, são 20Km..após isso, você perde o foco…então seria meio que o olhar de 20 mil metros….

  10. Vinicius Oliveira

    Rapasz espiritualmente isso se explica pelo fato de ela estar cheia de obsessores perto dela , e tbm o fato de ela n ter mais a sua energia vital intensa como era antes ao ser virgem , n aprendeu como repor as pilhas entrando em contato com as forças superiores, o ultmo livro do Nessaham fala disso!

  11. andre

    ja notaram também que mãe solteira fala do filho dela o tempo todo, eu trabalho com uma que só vive a falar do moleque, tem uma que conseguiu laçar um beta provedor o cara é tão mangina que deixa o seu cartão salário com ela, ainda tem muito provedor otário espalhado pelo mundo.

  12. LeandroFlores

    Então, eu tenho o “olhar de mil xanas”! [quem falar que é o de mil rolas, leva uma porrada na cara] hauhauhauha

    Mas nem por isso já passei por tantas assim… temos que ter muito cuidado aqui, pois como o autor disse: o negócio pode ser a parte “traumática da coisa” ou a “a falta de algo novo”/interessante que surpreenda…

    Por exemplo: eu, enquanto malho, no caminho pra escola a escola, faço tudo aqui que já estou acostumado a fazer… tenho essa cara de peixe morto… Mas se tem alguma coisa diferente, converso com qualquer pessoa, ou deixo de fazer uma atividade “chata”, a coisa muda e meus olhos até brilham 😉

    Fica aí o meu relato!

    1. Cassidy Proinsias

      ‘Olhar de Mil Buças’ é mais engraçado!

  13. Laveley

    É incrível que a infelicidade é algo facilmente identificável em uma pessoa. No entanto, o oposto nem sempre é verdadeiro.

    As vezes, vc n precisa nem enxergar para perceber. A algum tempo atrás conheci uma garota no facebook e entre nossas conversas eu lhe disse que ela parecia uma pessoa triste. Na hora, ela se mostrou bastante surpresa com minha declaração e perguntou o pq de eu achar isso; simplesmente respondi que sentia tal coisa nela, quase que instintivamente. Ela desconversou e disse que tentava ser feliz e mimimi, mas logo ali percebi que havia atingido em cheio a ferida.

    Depois que nos conhecemos melhor e pessoalmente, tudo se confirmou.

    Ela era basicamente um “kit” completo de vadiazinha mirim com problemas psicológicos; cresceu em família desestruturada (pais divorciados, morava com a avó), vários relacionamentos conturbados, sendo que no mais longo deles ela dizia que o cara a traia constantemente e a agredia fisicamente e mesmo assim permaneceu no relacionamento por 4 anos, ou seja, mulher de cafa assumida (neste relacionamento ela também admitiu que traiu o companheiro, embora com a desculpa de que foi por vingança pela varias traições dele e que “já estava praticamente tudo acabado”), empreguinho de merda com poucas perspectivas pro futuro (daquelas que trabalha o dia todo pra ganhar uma miséria e gastar tudo no final de semana em balada), etc, etc, etc;

    Logo ela começou a querer jogar comigo, uma hora me tirava pra amigay e outra hora me dava esperanças de cunho sexual. Isso me forçou a me afastar definitivamente dessa pessoa. Mas é inevitável vc sentir uma pontada de pena desse tipo, especialmente quando vc sabe exatamente oq há de errado com a pessoa e que ela é realmente infeliz. Bem, mas até acho que sentir pena é positivo pois ao menos me mostra que ainda sou um ser humano e não virei uma pedra sentimental.

    Porém, racionalmente todos nós sabemos que tentar ajudar esse tipo de mulher é uma missão suicida. Mas para um garoto incauto sem noção alguma da real é realmente uma tentação, ainda mais quando a garota ainda por cima é bonita.

    1. LordByron

      Sim, essa foi a história da minha primeira paixão. Jovem, linda e triste. As marcas foram profundas.

      1. Zey

        laveley, vc é cristão?

        Se vc for, então haveria uma maneira de ajudá-la sem se envolver sexualmente: tacando o evangelho nela.
        Pra quem crer, isso é um lícito e admirável gesto de caridade. Não pensando em sexo, ou qualquer segunda intenção.Apenas que isso pode ajudá-la sem que vc se comprometa intimamente.
        Se alguém, de qualquer outra tradição religiosa, crer que sua crença pode ajudar os outros, poderia tentar isso também.

        ps:calma, ateuzinhos de plantão: desde já eu respeito suas opiniões, então vamos manter o nível aqui, blz? O fato de eu mencionar algo que eu acredito não quer dizer que eu esteja declarando guerra a alguém, agora se me xingar e xingar meu credo for fazer bem pro seu ego, fiquem a vontade, o médico disse pra não contrariar.

    2. Sinceridades da Real

      Cara, é isso mesmo. Ainda somos humanos falo por mim e por você. Mas realmente devemos agir racionalmente nessas situações. Ai de quem não conhece a real. Um dia desses tive que aconselhar uma dona desse tipo, que jogou a rede dela pra me pegar mas enfim tive que agir inteligentimente… dá uma certa pena.

    3. Marcelo

      Impressionante como tem de mulher assim. Eu mesmo conheci uma.

      Parece epidemia, para nossa infelicidade.

  14. Andrew

    Onde eu trabalho tem uma garota (eu não sei o nome dela), mas sei que m$ol. Eu sou um cara que não socializa muito com mulheres no trabalho. Se tenho que falar com elas é só o essencial e coisas relacionadas a trabalho. Bom, essa M$ol é até gostosa e realmente ela tem esse olhar “TCS”. Agora você me complicou barão. Como eu vou poder olhar pra ela e não rir?? Todos os outros caras ficam em cima dela, jogando um verde pra colher maduro, mas ela tem cara de experiente e acho que a qualquer momento ela vai engolir um desavisado!

  15. barreto

    e o quadro de mona lisa???
    piloto

  16. F.

    Texto muito interessante sem dúvida. Tem como colocar uma outra foto de um olhar mais vivo para podermos comparar melhor?

    1. Barãozin

      O problema é achar justamente a foto de alguém famoso (afinal usar “pessoa física” pode dar BO rs) pra ilustrar isso.

      Talvez fotos antigas, lá da década de 30 ou 40, possam ser boa fonte de comparação.

      Ps: Acho q achei uma contemporânea. Procure pela Raquel Scherezade do SBT. Pelo que eu sei dela, ela é dedicada a família (os filhos já são crescidos, então não é errado ela se dedicar a carreira agora) e parece q se casou cedo e está com o mesmo cara desde então.

      1. Crocodilão

        É o famoso olhar 43

        que na verdade é “olhar 43 rolas ao cubo”.

      2. F.

        Barão, dê uma olhada no quadro “A Vênus de Urbino” de Tiziano e compare com esse de Manet, acho que é um bom contraponto.

      3. mateus

        barãozinho de uma olhada na Nicki Minaj ela é a representação atual deste olhar!

  17. Crocodilão

    Caralho! Minha bruxa madrinha é cheia dessas fotos assim…. ARGH!

    Agora que pego nojo dela de vez!

    Caso um dia acabe cruzando o caminho com ela, seja na rua ou principalmente na internet
    vou me lembrar dessa expressão! kkkkk

  18. sapo

    A cara de ESPANTO da empregada dela é sensacional. Ela tem uma expressão expontânea, coisa que a prostituta não tem. A cara da prostituta parece uma “mascara”.

    1. Crocodilão

      A negra tá mais com a expressão Thousand Whore Stare

      “vixe, essa é puta mesmo…. essa não tem futuro!”

    2. Rider

      Pensamento da empregada: “Ôxi! Essa é mais rodada que os pneu do caminhão do Mazzaroppi.”

      Pros que não conhecem: https://www.youtube.com/watch?v=d4OT0Of2mtE

  19. HENRIQUE

    Caralho … Como o amigo ai de cima já frisou, esse olhar sempre me deu uns insights mas eu não sabia o que era. AGORA parece que tudo ficou mais claro! As vezes até conseguia visualizar uma vadia olhando na cara, mas na verdade era os olhos que entregavam elas, sem eu me atentar a isso. Definitivamente BIOLOGIA supera IDEOLOGIA, sem sabermos nossos instintos animais avisam, VADIA DETECTED

  20. Don Corleone

    Uma vez uma senhora de uns 65 anos me disse que existem mulheres que não nasceram para um homem só. Que essas mulheres “enjoariam” logo do parceiro e partiriam para outro relacionamento. Então comecei a observar que aquelas mulheres conhecidas, promíscuas mesmo, não param com homem nenhum; e atenção para o detalhe, essas mulheres não escolhem tipos de homens, elas se relacionam com pobres, ricos, velhos, novos, brancos, negros, magros, gordos, o que cair na rede é peixe. São legítimas devoradoras de picas.

  21. Rooster

    “Uma vez que a mulher já passou por um número de rolas maior que o nº de sapato que ela calça” foi do caralho, barones! Ri muito aqui!

  22. francisco

    Me senti obrigado a vir aqui comentar seu texto. Simplesmente excelente. Matou a charada que me incomodava há muito tempo, o porquê a presença de algumas mulheres promíscuas é meio pertubador. Aprendi então que não é a presença em si nem nada intangível mas sim o olhar. Esclarecedor. Nós seres humanos captamos sinais de comunicação em diversos níveis, alguns inconscientes.

    1. Barãozin

      É então, é um negócio meio perturbador mesmo.

      Nada q te impeça de passar o samango, mas sei lá… é estranho.

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: