«

»

maio 24 2013

Um pequeno estudo sobre o Erotismo

erotismopor John Romano, do Fórum do Búfalo

Muito se fala nele, mas a sua explicação é surpreendentemente simples e até hoje não consegui descobrir uma definição melhor que essa: O erotismo consiste na máxima valorização da própria capacidade sexual.

Descartaremos de antemão o “erotismo masculino” porque ele simplesmente não existe. O erotismo existe como um apelo sexual ao outro. Só que o que ninguém fala é que as mulheres não sentem atração física direta pelo homem.

Não há dancinha, gestos, roupa, perfume nem nada do gênero que faça uma mulher ficar excitada de uma maneira independente dos critérios utilitaristas que ela usa pra criar o “perfil sexual” do homem que está na sua frente.

Elas sempre desejam o homem indiretamente, por suas capacidades, potencial, destaque, grana, “pegada”, oportunidade de dar fortes emoções, por causa de disputas com rivais etc.

Mesmo o bombadão alto não é desejado diretamente porque é “mais gostoso” que os outros, mas porque é fisicamente superior à maioria e destaca-se por isso. Tanto que dentro do contexto de uma academia, os “menos bombados” também tornam-se invisíveis a elas perante dos “mais bombados”. Isso tudo já foi exaustivamente discutido em todos os fóruns e textos e blogs da Real. Não vou chover no molhado. Por isso todo o erotismo que tratarmos aqui dirá respeito apenas ao erotismo voluntário da mulher, voltado ao propósito de alterar o estado interior do homem.

Vale sempre ressaltar que o homem, por outro lado, deseja a mulher diretamente, em si mesma. Sempre gosto de dizer que para o homem, a mulher representa prazer para os sentidos. É a partir desta ótica que podemos entender como funciona o erotismo feminino, já que ele se volta pra nós, para nossa percepção e para os nossos sentidos.

Ora, etimologicamente falando, “sensualidade” e “sentido” tem significados muito próximos. Então no âmbito da sexualidade, podemos dizer que a sensualidade tem a ver com aquilo que mexe com os sentidos. Como o erotismo está estreitamente ligado aos sentidos do homem e por conseguinte, à sensualidade, podemos facilmente diferenciar o erotismo da pornografia a partir de sua finalidade e conteúdo: o erótico/sensual é aquilo que envolve a exaltação da capacidade sexual a partir da manipulação dos sentidos, enquanto o pornográfico é aquilo que retrata ou descreve o ato sexual em si mesmo. Com esta distinção em mente, sigamos.

O que exatamente uma mulher faz ou usa pra ser considerado “erótico”?

Basicamente, tudo aquilo que insinua disponibilidade sexual, que valoriza qualidades, disfarça defeitos, mexe com os sentidos, a faça parecer mais jovem e que faça pressupor que ela possui habilidades sexuais desejáveis.

Entretanto, quase sempre isso é como um “encanto” que se quebra com o ato sexual. Depois que se teve o corpo da mulher à disposição, esses adereços e apetrechos perdem a capacidade de “enganar” o homem, porque ele teve acesso à realidade física do corpo da mulher. Retornarei a este ponto em particular depois.

Vejamos: Lingeries, bikinis, roupas curtas, coladas, transparentes e decotadas, insinuam o sexo feminino sem expô-lo totalmente. São peças de roupa que nos mostram algo, mas não tudo, e nos fazem imaginar aquilo que não vemos, uma vez que nossos olhos não tem acesso à totalidade de seu corpo. Por mexer com o nosso sentido da visão num escopo sexual, isto é sensual e por conseguinte, erótico. Também por isso certas combinações de roupas, acessórios e jóias também são excitantes, porque o brilho e as cores agem de maneira calculada a distorcer a imagem que criamos da mulher.

Geralmente, um corpo feminino totalmente nu não é sensual, é sexual. Já um corpo feminino quase exposto é erótico, porque sugere coisas e brinca com a nossa percepção sem mostrar a totalidade do playground.

Da mesma forma, adereços que a façam parecer mais jovem, que escondem a barriga, aumentam os seios, delineiam o quadril e as pernas, que aumentam a bunda, que deixam sua figura mais longilínea (pras gordas) ou curvilínea (pras magras), também são coisas eróticas porque alteram a percepção do corpo da mulher, criando uma falsa impressão dela ser fisicamente melhor, mais gostosa ou mais nova do que é na realidade. Da mesma forma, o corte e a cor do cabelo que as façam parecer mais jovens, a altura do salto que as deixam com as pernas mais retesadas e empina a bundinha, o batom vermelho que faz a boca parecer uma vagina, o perfume que nos deixa loucos, etc., tudo isso serve pra alterar o modo como as vemos e sentimos. Tudo isso é sensorial. É sensual. É erótico.

As próprias mulheres sabem (por mais que neguem) que um corpo jovem e dentro do padrão é muito mais desejável para o homem do que um corpo velho, usado e fora dos eixos. Assim, tudo o que elas fazem neste sentido, ao disfarçar os defeitos, valorizar as qualidades e aliviar o peso do tempo em seus corpos, pode ser considerado erótico porque aumenta a atratividade sexual delas, já que o desejável é o jovem, o proporcional, o bem-ajustado.

As demais coisas tidas como eróticas estão ligadas à atitude sexual em si. Apesar de eu ter ressalvas a este ponto, porque o que envolve o sexo é sexual, não sensual.

Sejamos francos: mulheres podem fazer sexo de maneira completamente apática, chata e desinteressante. Isso é um fato. Mas um homem deixaria de fazer sexo com uma mulher por ela ser fria? Provavelmente não, mas com 100% de certeza ele gostaria que ela fosse mais… “animada”.

Por outro lado, sabemos que há mulheres com uma capacidade sexual incrível e que cavalgam divinamente, que fazem anal giratório, que chupam olhando no olho, etc. Essas coisas que vemos em filmes pornô são altamente sexuais e excitantes para nós, homens. É ÓBVIO que gostaríamos que todas as mulheres fossem ótimas na cama, com um desempenho digno da Sasha Grey ou da Lisa Sparxxx.

Então, se uma mulher insinua ter tais “habilidades”, sem necessariamente se expor ao ato sexual em si, estamos diante de uma atitude erótica da parte dela, porque ela está expondo (diretamente ou não) uma capacidade sexual elevada, coisa altamente desejável por 100% dos homens.

Exemplo: uma mulher dançando e requebrando. Isso é erótico porque insinua uma parceira sexual que rebola gostoso e dá a ideia de que o sexo com ela é de qualidade. Uma mulher chupando um pirulito ou um picolé também insinua uma boa chupeta. Falar sacanagens, idem.

E agora que sabemos o que vem a ser erótico, podemos nos perguntar até onde vai esse poderio todo. Simples: depende do tipo de homem que você é.

Como todo homem que teve contato com a Real deveria saber, excluindo-se aqueles casos em que a mulher busca apenas “emoções fortes e momentâneas”, elas evitam ao máximo efetivar o sexo, preferindo apenas sugeri-lo pra manter o homem num estado de desejo não-satisfeito pelo máximo de tempo possível. E uma das principais (se não a principal) ferramentas é o erotismo.

Ao mesmo tempo em que mantém betas e manginas na friendzone com um erotismo light e sutilmente calculado, elas usam outros mecanismos eróticos mais “pesados” de maneira direta e evidente pra se sobressair ante as demais concorrentes aos olhos daqueles homens que elas realmente cobiçam: os destacados.

Dando ao miguxo doses mínimas de insinuação sexual, prometendo sexo se for bonzinho e se ficar ali do lado fiel como um cão, ela o mantém preso pelo desejo, sem jamais chegar a satisfazê-lo. E a principal razão deste chove-não-molha TAMBÉM é a própria natureza efêmera do erotismo. Se os próprios friendzoneados conhecesses a verdadeira natureza do erotismo, talvez a situação fosse outra…

Em outra via, ao se erotizar fortemente para os destacados, ela tenta passar a ideia de ser uma deusa do sexo e que pode proporcionar orgasmos incomparáveis ao que as outras podem oferecer. Elas o fazem porque sabem que as concorrentes estão fazendo o mesmo. Cada uma delas sabe que provavelmente só terá uma chance com o alfa. Elas sabem que tem que dar tudo! (no sentido literal e figurado…)

Eis aí o uso perverso que muitas mulheres fazem do erotismo em suas maquinações e manipulações.

O grande ponto fraco de todo este poder do erotismo é que ele só funciona a partir da mera sugestão sexual. É um poder que se extingue no exato momento em que o sexo deixa de ser apenas imaginado e começa a ser feito. Toda a magia das roupas, cintas-liga, meias, sutiãs, perfumes e maquiagem se esvai quando o corpo feminino está ao alcance das mãos. O que acontece é o sexo em seu estado puro. Somente corpo e sensações, sem enganos nem truques. Aí o que entra em cena é a realidade física do corpo e a qualidade do sexo em si…

Toda a cortina de fumaça se esvai, ao mesmo tempo em que o poder de escolha muda de mãos. Isso mesmo: a balança vira pro lado do homem. A partir do sexo, o homem é quem decide se liga no dia seguinte, se aquela noite foi só uma noite mesmo, se vale a pena outra chance pra avaliar a mulher, etc.

Por esse mesmo motivo, só os casais que estão juntos há muito tempo é que inventam aquelas fantasias sexuais idiotas (que quase nada tem de eróticas, convenhamos…) de enfermeira, professorinha, policial, bombeiro, etc., que ó servem mesmo pra elas terem algum tipo de emoção no sexo, já que elas o consideram enfadonho. Contudo, há de se perceber que sugestão de fantasias sexuais mais pesadas (orgias, BDSM, inversão, parafilias) podem indicar que a necessidade de emoções chegou num nível patológico ou que o respeito dela por ele simplesmente acabou…

Senhores, descortinamos enfim a razão delas adiarem eternamente o sexo com os “inferiores” e extrapolarem no erotismo pra pegar os destacados (a ponto de virarem “periguetes”): a natureza fugaz do erotismo e a fantasia que ele sugere, em oposição à realidade física do corpo (cheio de defeitos) e do ato sexual (que pode até ser bem sem graça).

É esta “aura” de deusa sexual que elas lutam incansavelmente pra que não desapareça, paradoxalmente evitando ao máximo fazer sexo.

Apesar do que a mídia feminazi diz incessantemente, a verdade é que a mulher não gosta tanto assim de sexo, porém elas sabem do seu valor para o homem. Por isso é um bem tão cuidadosamente racionado: pra mantê-lo sempre escasso à maioria, elevando seu valor. Elas bem sabem que até o momento do sexo, o poder de escolha é delas. Só que depois do sexo, o homem é que escolhe se a coisa segue ou não.

E no fundo no fundo, o que elas querem é alguém pra ter do lado. Nem que seja só pra bancar as contas e levar chifres.

Um adendo: Dá pra extrapolar esse raciocínio e entender muitos aspectos interessantes das mulheres a partir dos seus caracteres eróticos. Ora, o que é uma periguete? Nada mais é do que uma mulher que usa o máximo de adereços, acessórios, roupas e atitudes eróticas ao mesmo tempo. Uma falsa santinha? Uma mulher que tem ótima performance sexual, mas que não transmite informação sensual nenhuma ou quase nenhuma. Por que loiras são tão desejadas? Porque olhos e cabelos claros remetem a mulheres mais novas e ao mesmo tempo, há uma ideia generalizada de que as loiras tem ótima performance sexual.
O que é uma coroa gostosa? Uma mulher que consegue transmitir mais sensualidade do que o desgaste natural do corpo pela idade, numa soma positiva.
Por que as pin-ups são tão sensuais? A não exposição total do corpo.

E assim por diante…

Anexo 2: É impossível avaliar uma mulher amplamente, sem levar em consideração seu “poder de barganha”, que pode ser entendido como o binômio beleza-idade

Só pensando na idade/beleza primeiro e o comportamento depois, é que se pode ver a lógica e o padrão comportamental-sexual delas. Os sinais eróticos que uma mulher emite estão diretamente ligados ao aumento do poder de barganha, ao disfarçar a idade ou aumentar artificialmente a beleza.

Vamos tentar quantificar esse raciocínio, de forma meramente ilustrativa:

– Avalie e pontue a beleza de maneira crescente. Digamos que as jubartes e ogras peludas valem -10 pontos, as medianas comuns sem atrativo nenhum valem 0 e as panicats/tops valem 10. É um critério altamente subjetivo, mas válido pra fins ilustrativos.

Feminazistas devem ter seu valor de beleza atribuído em -100 por padrão, servindo apenas pra um eventual pente-e-rala no escuro.

– A idade deve ser pontuada de maneira decrescente. Elas começam com 10 pontos dos (digamos) 16 aos 24 anos, e vai caindo 0,5 ponto a cada ano a partir daí. Aos 30 anos elas chegam aos 7 pontos, que pode ser considerado “na média pra passar”. Além e abaixo desse ponto, começam a não valer a pena, passando a depender mais da beleza.

Com essa “quantificação” do poder de barganha em mente, que tem como valor máximo 20 e decresce até o infinito, podemos avaliar os comportamentos delas com outros olhos.

Por exemplo, as novinhas bonitas costumam agir mais ou menos da mesma forma, já que estão no auge do poder de barganha e tem MILHÕES de homens à disposição. Mas já as novinhas feias agem de outra maneira, muito mais parecido com as mulheres com mais idade e medianamente quase-bonitas.

Coroas lindíssimas valem bastante, com certeza. Mas bastante “quanto”? Ora, tanto quanto uma mulher mais jovem um pouco bonita. Ou mesmo uma novinha quase-feia. É o poder de barganha atual que define COMO elas se comportam e o quanto são desejadas.

É esse o tipo de lógica que deve ser mensurada ao avaliar os caracteres eróticos que ela transmite. Ora, uma mulher usando cinta, sutiã com enchimento ou aquelas calças da NASA, consegue aumentar um pontinho de beleza física/gostosura aqui e ali. Usando certos cremes, acessórios e maquiagens, pode tanto melhorar sua pontuação no quesito “idade” quanto no quesito “beleza de rosto”.

É um ótimo custo-benefício pra elas! Por isso são tão amplamente usados e abusados. Mas depois do sexo e de um bom banho… Não admira tantos caras adeptos ao pente-e-rala!

fonte: http://forum.bufalo.info/showthread.php?tid=2352

15 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Angelo Salles

    Otimo texto!

  2. Ricardo

    Mulheres gostam de sexo sim. Sexo é gostoso tanto pra macho quanto pra fêmea, porra! O problema é que nunca relaxam, seja por avaliação pseudo-negativa do macho que está em cima dela ou algo idiota deste nível, e que não permite que elas ‘desliguem’, e, claro, cabeça cheia é uma bosta que compromete tudo. Como elas só gozam gostoso com alfas, seja pela aventura, sensação de perigo ou rivalidade com outras, ou mesmo pela postura de piranha-frágil-santa que elas adoram demonstrar/vivenciar perto destes, eis aí algo que é até simples de entender. Beta manginão, mesmo que coma uma delas, come prato frio, sem gosto, mas como é um bostão mesmo, acha que a esmola miserável vale a pena. O tal da ‘pegada’ tão alardeado por elas nada mais é do que serem tratadas (e se sentirem) como putas eficientes, no máximo como vadias-santas (coisa que desconcerta muito machão por aí). E assim, elas ainda fazem o que querem com a gente e parece que isso não vai mudar tão cedo, pois nós ainda ficamos meio que abobados com uma mulher que ‘se entrega completamente’. Tem muita coisa nesse campo onde os homens ainda engatinham, pois é como se a natureza provesse as fêmeas com uma ‘sabedoria’ de nascença, algo que o homem parece ter que conquistar, seja de um modo ou de outro (sendo alfa o be$ta)

  3. Andirá

    Meu irmã pegava umas garotas massas também quando era solteiro. Depois que casou, a vida dele mudou completamente. Vive com uma mulher fria, desapegada (ela nem sequer acrescentou o sobrenome dele no nome dela na certidão de casamento) e que não poucas vezes discute com ele. Detalhe, ela já está embarangando e ele no auge da carreira como personal trainer (ou seja, diariamente vê gostosas passando perto dele mas não pode fazer nada, rsrs)..

  4. Fernando

    É impressionante que ainda existem homens que acreditam que mulheres gostam de sexo,se mulher gostasse de sexo não venderia como moeda de troca,a prova disso e que elas vivem fazendo greve de sexo como forma de controlar ou punir o homem se gostassem realmente não fariam isso.

    1. Crazy Madman

      Mulher só vende sexo pros betas. Elas se molham todas pros alfas.

      1. felipe

        Só que sexo pros alfas também é temporário… quando elas domam o alfa (conseguem fazê-lo casar com elas) passa a ser a mesma coisa… de certa forma a mulher realmente não gosta de sexo: no caso dos alfas elas usam e abusam do sexo, que serve como moeda de troca também, pra tentar domar o cafa e torná-lo submisso…

  5. Crazy Madman

    Esquerdistas versus Feministas.

    Não existe coisa mais deliciosa que ver teus inimigos lutando entre si.

    http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/05/julian-assange-o-inimigo-no1-do-pais-que-transformou-o-sexo-livre.html

  6. Sincero da real!

    Concordo com o texto em muitas coisas, mas quanto ao que “as mulheres não querem muito transar” acho isso mentira. Elas querem dar sim, querem transar. Elas fantasiam sexo sim, brincam com seus orgãos genitais pensando em sexo sim… mas elas querem fazer isso com o “cara ideal” e não com qualquer beta… essa é a verdade….

    valeu

    1. SemLogica

      Só o fato de ter que ser com o ‘cara ideal’, já mostra o quanto elas não gostam de sexo, aposto que vc que escreveu isso, se uma mulher aparecer querendo dar, vai comer, mesmo ela não sendo a ideal, mesmo feia ou com mais de 30 anos, se ela oferecer, ainda assim, vc tendo 10 mulheres em casa te esperando não ia deixar passar, essa é a diferença entre ‘gostar’, de sexo pra homens e mulheres.

  7. andre

    entaum ja que mulheres são viciadas em emoções que emoções um marido pode passar?
    um cara domado sem graça muitas vezes fora de forma por não ter tempo e nem a filosofia d a real pra se cuidar, o infeliz passa horas ehoras trabalhando pra prover o casamento, e agora casar nesse mundo vaginante compensa? é por isso que esta em alta o mercado d e chifrudos, e é aquela velha historia se mulé gostasse de piroca qualquer mediano beta , mangina, teriam altas orgias com direito a fuder duas bucetas ao mesmo tempo,
    mulher odeia homens comum, só servem para serem meros provedores, não seja burro pare de inflar a moral de vadias em redes sociais tipo elogiando-as, pare d e assoviar na rua, pare com aquelas bobagem do tipo nossa vc ta bonita hoje, bla bla bla, enquanto vc deixa o ego dela la em marte , o destacado fode gostoso, como dizia o bufalo reprodutor, toda enfermeira quer dar pro medico, toda operaria quer dar pro chefe, toda vadiazinha d e periferia quer d ar pro malandrão d a baixada.

    1. felipe

      EXATAMENTE ” o destacado fode gostoso, como dizia o bufalo reprodutor, toda enfermeira quer dar pro medico, toda operaria quer dar pro chefe, toda vadiazinha d e periferia quer d ar pro malandrão d a baixada”.Mas isso só ocorre enquanto o macho em questão não está dominado (casou)… pq toda aquela aventura, os altos e baixos acabam… aí elas já ficam de olho em outro pra botar chifres

  8. Ejaculador

    Essa tirinha diz tudo do texto.
    Poderiam atualizá-lo colocando-a?
    http://2.bp.blogspot.com/-YxUIHaihTR8/UZ5glyUx2vI/AAAAAAAAAzs/hquGdggTRtY/s1600/0902.gif

    Depois, publiquem isso:

    O censo pornô na web
    http://oglobo.globo.com/blogs/pagenotfound/posts/2013/03/13/o-censo-porno-na-web-489595.asp

    Olha os resultados por países nos links. Na Romênia, os internautas buscam, em primeiro lugar, vídeos em que apareçam “mãe e filho”. Sabe porquê? Os caras aí lá procuram mulheres mais velhas. Isso só mostra o quanto eles querem mulheres mais realistas e menos feministas, com ideologias e conversa idiota de jovem direitos iguais. São as desesperadas e que não casaram (ou separaram) .. ou ainda as que caíram na real e viram que o feminismo é um engodo. No fundo, eles preferem no físico as mais novas, mas aí as mulheres são verdadeiros MONSTROS por dentro. Tanto que, tá cheio de gringo que vem pegar mulher do 3º mundo pra casar. Meu amigo tava na Finlândia e disse que os caras lá só pegam mulher da Tailândia. Pros homens europeus é muito difícil se relacionar com a mulher feminista. E descobriram que a mulher mais velha já caiu na real e perdeu também poder de barganha, ao passo que o homem novo não tem poder. Por isso, o fetiche com as MILF (coroas enxutas) ou a pornografia de mãe com filho. Não é pedofilia, como pode parecer. Mas fantasia com mulher não-feminista: aquela que já é velha.

    A mulher feminista europeia é tão igual aos homens que compete de igual pra igual dando hadouken neles assim: http://sphotos-e.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-ash4/428407_488103527910370_70494599_n.jpg

    No Peru, todas as dez expressões mais procuradas estão relacionadas ao universo gay.
    Na Venezuela, destacam-se buscas por duas atrizes veteranas: Nina Hartley e Mason Storm.
    Em Portugal, a expressão “tuga” (aférese de portuga, gíria para português) é a mais procurada.

  9. Tenchin

    Na minha opinião, a partir daquilo que tenho visto, eu penso que o casamento é um grande prejuízo ao homem. O homem ele se desgasta e gasta muitos recursos no casamento, desde o início, durante, e depois do fim. Se tiver filhos, será um inferno por mais dez ou quinze anos. Soma o tempo em que ele ficou casado, e perdeu metade de sua vida. Nessahan diz que lidar com mulher requer paciência de Jó, sangue de barata e nervos de aço. E é a mais pura verdade. Qualquer mulher pode fazer um inferno da vida de um homem e geralmente de uma forma ou de outra ela o faz. No entanto, ter uma vida independente, sem apego, necessita também de uma prática mental muito disciplinada e forte. Eu ainda acredito que pra vc ter a chance de um casamento onde vc e a mulher vivam de fato um para o outro, só se os dois seguirem com toda alma uma religião. Mas nos dias de hoje, com tanta mídia femenazi, amigas mal amadas, trintonas feministas mal comidas e tudo mais, o vetor contrário é muito forte e minha descrença na felicidade de um casamento é cada vez maior. Se o amor da mulher é para os filhos, como diz N.A. O destino do homem é ser um mero provedor. Voltamos a premissa nossa, de que no caso de um homem querer ter filhos, o faça pra lá pra frente, bem longe dos trinta. Aproveita a vida, queime muita energia, conheça vários lugares, pessoas, teorias, estudos, bocas, bocetas diferentes, e com 30 e caralhada se quiser ter filhos, vai estar financeiramente equilibrado para sustentar a continuidade de seus genes. Mesmo assim se precaveja caso contraia matrimônio e separe e tentem com pensão alimentícia sugarem até seu sangue. Me desculpem se estou sendo muito pessimista, mas nunca vi um homem chegar pra mim e dizer, sou feliz em meu casamento. Só vejo reclamações e mulheres falando mal de seus maridos, quando não ouço comentário delas sobre outros homens.

    1. Andrew

      Engraçado a vida! Meu irmão sempre foi o meu oposto. Sempre tinha várias garotas atras dele, sempre saia e pegava uma gata na noite. Um dia cheguei em casa, depois da escola, e encontrei ele, no sofá, com uma morena gostosa pra caramba. E nisso tudo ele já namorava com a atual esposa. Hoje ele é um cara bem sucedido na sua área de trabalho. Vai começar a dar aula de pós graduação. Eu amo esse cara, mas depois que casou só briga com a mulher. Aquela “coisa” só sabe ficar com cara de bunda em todo lugar. Hoje ele tem um lindo garotinho, que é a coisa mais gorducha e fofa, mas eu nunca vi o meu irmão sair sozinho com ele. Ou seja, o garoto só sai com a mãe. Acho que até hoje eu não vi o meu irmão exercer a função de pai. Pegar o garoto, só pai e filho e sair, fazerem alguma coisa juntos. Final de semana eu acordo com a discussão dos dois. É um saco!

      Hoje eu o vejo e não reconheço. Uma vez ele me disse que é muito bom a vida de casado, mas ele não olhou no meus olhos quando disse isso. Chega a ser piada! Meu irmão sempre foi o cara que eu queria ser, mas hoje eu penso que ainda bem que não sou o meu irmão.

      Aprendi algumas coisas, levei muito na cara. Nunca peguei uma top, mas graças a deus eu não sou o meu irmão. Minha mãe me fala que já estou na idade de casar e me pergunta se não tenho ninguém (sim, sou muito reservado quanto a minha vida pessoal. Até pra minha mãe!) e eu só respondo, na lata: “NÃO!”. Depois que eu conheci a real, minha auto-estima melhorou. Me sinto ótimo. Meu irmão é um grande homem, mas não pôde com esse mundo feminazi e tombou na guerra! Espero que um dia ele volte a ser o meu irmão!

      1. Contestador

        Andrew, vc descreveu o mesmo modo como vejo meu irmão. Sempre foi muito social, todas as saídas e festas estava com uma garota diferente (o q toda vez acabava no motel), facilidade nos esportes, e mesmo não sendo muito estudioso foi bom nos estudos porque é inteligente e alcançou reconhecimento profissional.
        Quis ser igual a ele em todos os aspectos. Mas depois casou com uma mulher reclamona, falsa, preguiçosa e cheia de fazer intrigas. Hj msm eu tava pensando nisso q apesar de ter sido pegador, foi fraco ao entrar numa relação duradoura.

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: