«

»

maio 03 2013

Os pais dela gostam de você? FICA ESPERTO!

Lendo o relato do John_Preston no Fórum do Búfalo, relembrei de um conceito muito usado pelo Jorge Tadeu do fórum MR que diz que, quanto mais os pais da sua namorada/noiva/marmita/o que seja gosta de você, piores são as coisas para você.

Como não lembro de um texto um pouco mais detalhado sobre o assunto, então eu mesmo decidi fazer um, baseado tanto nas discussões dos fóruns, quanto ao analisar algumas situações que eu presenciei.

Pois bem. Porque então então se os pais te acharem um “bom partido” para a filha dela isso é um péssimo sinal? Não deveria ser justamente o contrário? Ora, afinal se você já se dá bem para com a família de sua mulher, ótimo! Sinal que se rolar um casamento as chances de uma maior integração familiar são muito melhores. O que tem de mais aí?

Mas as coisas não funcionam bem assim…

Talvez isto seria um ponto positivo no passado, onde os relacionamentos eram mais focados no longo prazo e na construção de um patrimônio familiar. Mas na nossa era, onde tal mentalidade não existe mais devido as mulheres supostamente se “libertarem” de um suposto controle masculino (e com isso ajudando a ficar mais rico nos meus investimentos, quem me acompanha nos fóruns sabe o porque rs) e o homem que responde a tal desdém também não querendo nada sério, você ser visto como bom partido é praticamente assinar um atestado de fracassado. Vamos ao porque disto.

Primeiro de tudo, obviamente é do maior interesse dos pais de uma mulher fazê-la se casar com o melhor provedor disponível. Isto é algo natural e não tem nada demais aí. Só que, quem estuda a real e observa as dinâmicas sociais sabe muito bem a opinião das mulheres sobre provedores… Uma frase do (verdadeiro) Silvio Koerich resumia bem isso: “mulheres dividem os homens em duas categorias: reprodutores e provedores.” Ou seja, ela quer um homem para se reproduzir (fazer aquele sexo foda, ter filhos, etc) e outro para prover (ou seja, o panaca que vai pagar pelos prejuízos advindos da diversão anterior dela).

Logo, se os pais te vêem como “bom partido”, significa que aos olhos da mulher ou você é um merda ou será um merda. Mero caixa eletrônico, burro de carga, otário pagador de contas, escolha seu termo favorito.

Realmente, hoje ela pode gostar de você, o relacionamento tá bom, a família gosta disso tudo, tudo muito bom. Mas tal relacionamento dificilmente terá futuro…

Como todos aqueles que estudam a Real sabem (ou deveriam saber…), mulheres são movidas por emoções. De preferência uma montanha russa dela cheia de altos e baixos. Então me diga, o que provê mais emoção? Uma sólida ferrovia com uma subida gradual (o preferido dos pais) ou uma montanha russa maluca (o odiado pelos pais)?

FERROVIAVSMONTANHARUSSA

Acho que nem preciso dar a resposta…

Outro ponto que se deve colocar na equação é o DESAFIO. O desafio dela te domar. O prazer dela brandir para todas que “domou o macho até então indomável”.

Ora, se os pais já gostam de você, provavelmente é porque você é um cara submisso (claro que há exceções, mas não lido com pontos fora da curva), logo, qual é o desafio em domar um cavalo de sela? Que graça tem em desfilar por aí com um pangaré manso?

Vamos agora olhar um pouco o padrão dos “odiados dos pais”. Ora, como disse acima, o preferido justamente é o cara que trata bem, o respeitador, um verdadeiro príncipe. Então obviamente os odiados são aqueles que maltratam, que cagam e andam, que desrespeitam, o verdadeiro vilão da história.

E me digam, por qual dos dois acima mulher enfrenta fila de cadeia, briga com os pais, pula muro de casa para ir se encontrar, passa por mil e um problemas para poder ter um pedacinho do tempo dele para ela?

Ganhou um doce quem falou “os canalhas”: bandidos, vidas lokas, viciados, cafajestes, espancadores e outros lixos humanos.

Para quem duvida, peço para que leiam estes textos:

http://canal.bufalo.info/2011/12/mulheres-que-gostam-de-marginais-parte-5799/

http://canal.bufalo.info/2013/01/nada-e-mais-excitante-que-um-matador/

http://canal.bufalo.info/2012/04/as-mulheres-e-suas-escolhas-amorosas/

http://canal.bufalo.info/2012/04/um-complemento-ao-artigo-as-mulheres-e-suas-escolhas-amorosas/

http://canal.bufalo.info/2012/03/rihanna-e-chris-brown-entre-tapas-e-beijos/

http://canal.bufalo.info/2011/12/mulheres-cacam-marginais-mais-evidencias-cientificas/

http://canal.bufalo.info/2013/04/terrorista-gostosao/

É, eu acho que já está bom rs

E tem mais um fator em mente: a vontade da mulher se rebelar contra aquilo que ela acha que lhe prende (mesmo que essas barreiras a protejam de se ferrar de forma estrondosa). É como diz aquela frase “fogo morro acima, água morro abaixo e mulher quando quer dar, ninguém segura”. Ela vai ver a resistência dos pais a se relacionar com o sementinha do mal em questão como uma afronta às vontades idiotas dela, vai fazer de tudo para derrubar essas barreiras e vai lá dar pro cara. E muitas vezes isto termina mal (principalmente com um filho indesejado a tiracolo…)

Então você deve estar pensando: “fodeu!!! tou namorando aqui e os pais dela gostam de mim, sou um bosta e futuro corno!”. Calma, não vamos com sede ao pote também. Tal característica serve como um bom INDICATIVO, não como definidor de caráter. Vejamos duas situações:

Num lado (até tou usando o exemplo de um conhecido meu) temos o cara bonzinho, que faz tudo pela sua garota e tal, super romântico e tal e os pais dela o adoram.  É 90% de chances que ele é aos olhos da sua mina como um prato de mingau de aveia frio. Ela até fica com ele ali do lado por falta de coisa melhor e pra não ficar “feio” chutá-lo do nada. Mas deixa coisa melhor aparecer na jogada para ver se os papinhos de “dar um tempo” não começam…

Do outro lado, temos o cara que segue o “perfil masculino ideal” proposto por Nessahan e consegue se impor na relação, comandando a relação com justiça e sem dar espaços para pilantragens por parte dela. Talvez aconteça que os pais não te vejam tão bem assim, mas eles vão gostar de você ao ver que é um sujeito honesto. É bem provável (se a mulher em questão for minimamente decente) que ela dificilmente te achará um lixo assim, afinal você sabe se manter como um desafio.

Então senhores, a dica final que fica é: caso esteja em um relacionamento mais sério com uma mulher, sempre veja a opinião dos pais dela relativo a você. Eles te odeiam? Se você só quer marmitá-la, ótimo, capaz que ela te dê até com mais vontade só para afrontar os pais. Se aproveite disto, coma ela com vontade e desapareça depois. Afinal uma filha que não respeita pai, dificilmente vai te respeitar também no longo prazo, afinal depois que ela vencer a barreira dos pais, a próxima barreira na frente dela é VOCÊ.  Então pra relacionamentos a longo prazo isso pode ser péssimo, tanto pelo quesito obediência quanto porque se você for odiado pelos pais apenas por ser pobre e lascado, isso dará a ela um bom motivo pra te chutar a qualquer momento e você vai ter que engolir isso calado.

Os pais gostam de você, e você é um cara “meloso”. OLHO VIVO! As chances de você já estar com o teu na reta ou até mesmo estar levando chifres são bem altas! Ela te vê apenas como uma muleta (seja emocional e/ou financeira) e não exitará em te dar um belo pé no rabo no momento mais oportuno. E você, como apegadinho de merda que é, vai ficar deprê por um bom tempo.

Agora os pais gostam de você, mas você é um cara que honra suas bolas e domina a relação? Muito bem, mas fica de olho! Ainda tem aquele quesito “quebrar barreiras” contra você. Como todos sabemos, a hipergamia é algo insaciável, logo você nunca irá satisfazê-la. O risco estará sempre a sua espreita. Mas como você provavelmente é um conhecedor da Real, isto não é algo tão preocupante assim.

Tem mais um detalhe interessante, que não se encaixa muito bem nas categorias anteriores mas que você deve ficar esperto, é que outra coisa interessante a se ficar de olho é se os pais dela puxam muito o teu saco, exaltando a filha e querendo que vocês se casem. Já ouviu aquele ditado “quando a esmola é demais o santo desconfia”? Então. Eles podem muito bem saber que a filha é mais rodada que pneu de caminhão e que nem um homem que se preze vai querer algo com resto dos outros. Ou até pior, uma mulher problemática (com borderline ou outro transtorno de personalidade grave). Pois bem, os pais criam todo um ambiente favorável para que você assuma essa bomba e tire esse estorvo da vida deles, já que pai nenhum gosta de ver a filha ficando “pra titia”. Pense naquele vendedor picareta de carros usados que tá com aquele Gol quadrado meio zuado encalhado na loja e quer se livrar dessa bomba com algum lucro. O que ele irá fazer? Irá dar uma “maquiada” no carro e todo aquele que se interessar a comprá-lo, o vendedor irá jogar um papo monstruoso em cima do incauto contando mil e uma vantagens do carro pra ver se o cara livra ele dessa bomba. Todos sabemos que isso não acaba bem…

Outra coisa interessante é que podemos usar este “instinto protetor” dos seus pais (especialmente da mãe) a seu favor. Podemos levar a nossa atual mulher lá para nossos pais conhecer e deixar a sua mãe sondá-la melhor. Como dizia aquele ditado “ninguém fareja uma vadia melhor que outra vadia” hehe.

No mais senhores, como sempre gosto de falar, o mundo sempre está contra o homem. Mas nem por isso vamos deixar de prosperar. Sempre fique atentos aos sinais que te rodeiam, fique esperto e sempre tente se antecipar a possíveis perigos na tua frente. Terá uma vida muito mais confortável assim.

15 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Vasiliy Zaytsev

    Excelente texto do Barão.

  2. Marcus Valerio XR

    Muito bom ver que o Barão começou a escrever seus próprios textos. Bagagem é o que não lhe falta, e até já posso antever um certo estilo pessoal.

    Meus apelos contribuíram para isso?

    O texto fico bom, (com exceção da “piada” de péssimo gosto sugerindo as mães de todos como vadias) e creio que os insights em essência estão corretos. Mas penso que faltou alguma coisa.

    Talvez porque quase sempre quem implica com o namorado é a sogra, nem tanto o sogro, e quando o faz me parece ser por motivos distintos. Como fica, por exemplo, o caso onde os sogros divergem sobre o pretendente?

    Comigo até que funcionou bem essa leitura. Os casos onde os pais de minhas namoradas me aprovaram incondicionalmente foram mal sucedidos, inclusive meu primeiro casamento, e depois me casei justamente com uma cuja sogra me detestava, tendo depois que dar o braço a torcer, e nosso casamento é ótimo, não tendo sinal algum de desgaste.

    Marcus Valerio XR
    xr.pro.br

    1. Barãozin

      Mas vcs são meninões criados a leite com pera msm. Nem aguenta piadinha com mãe. Se vissem o q eu fazia nos meus tempos de escola, acho q metade aqui teria um infarto. Ehh esses caras sendo meus “coleguinhas”, o q eu não ia aprontar? rsrsrs

      Não… escrevi pq um cara comentou sobre isso no fórum e lembrei q não tinha um texto sobre esse assunto (até tinha, mas não era mt famoso). É q gosto de escrever mais nos fóruns.

      Qto no caso citado, vai depender: qual dos dois impõem mais respeito perante ela? Mãe? Pai? Caso o q implicou seja justamente o q impõe mais respeito, vamos entrar na situação do “desafio” citado. Ela vai querer contrariar o coitado do pai/mãe só pra bater no peito e falar q “venceu mais uma barreira”. E ainda terá a cara de pau de usar o “álibi” do pai q concorda/é neutro pra tentar justificar seu comportamento.

      Ah se essa força de vontade toda em quebrar barreiras fosse usada em prol da ciência…

  3. sergio

    O problema é que essa só vai sossegar se encontrar um cara pulso firme pra caralho. Chutou o primeiro por ser “bonzinho”, foi atrás do segundo que pensou que era um alfão poderoso, mas deve ter percebido que o cara não é tão fodão e não tras tantas emocões quanto ela pensou. Vai em busca de outro, cada vez mais perigoso e “emocionante”. Até se deparar com um realmente perigoso que não vai botar freio, vai meter bala. Aí é game over.

  4. Fernando

    Barão Kageyama, quero primeiramente elogiá-lo pelos ótimos textos, e também pedir uma matéria que explique o caso a seguir (desculpe se ficou muito extenso):
    Na firma em que trabalho (é da área da limpeza urbana: coleta de lixo, roçagem de grama, varrição de rua,etc) há uma balzaca da varrição que era casada com um coletor de lixo (este era um marido exemplar) há quase 30 anos e tem com ele um filho de 19 anos.
    A balzaca trabalhava junto com um rapaz de 36 anos, com piercing, tatuagens, e tem um homicídio na costas, e, claro, ela começou a dar pra esse cara, influenciada principalmente pela inseparável amiga vadia dela, também funcionária (essa dá pro encarregado).
    De um dia pro outro ela abandonou a própria casa para ir morar com ele, saindo só com a roupa do corpo e perdendo tudo, inclusive o respeito que as pessoas tinham por ela.
    Isso aconteceu em setembro do ano passado. Todo mundo da firma ficou perplexo e reprova essa “união”, como uma coisa que não tem cabimento, pois visivelmente ela não gosta dele e não o respeita, trata ele mal e inclusive dá em cima de outros caras e vadiou bastante no carnaval sem ele.
    É aí que entra a contradição: Apesar de visivelmente as coisas não estarem boas e os dois se odiarem (nem tem mais sexo, segundo ele), ela conseguiu fazer o cara casar no civil.
    Como pode uma mulher abandonar marido bonzinho e filho, perder tudo e casar de novo com uma pessoa que ela nem gosta? O que acontece na cabeça da mulher para fazer esse tipo de coisa? Será que é pra se aparecer? A matéria que eu gostaria de pedir baseada neste caso é mais ou menos essa:Qual a visão da Real sobre homens que “roubam” mulher dos outros.

    1. Barãozin

      Emoções. Pura e simplesmente.

      São tão viciadas nisso q fazem coisas auto destrutivas só para ter acesso a isso. É como um viciado em crack.

  5. Tiago

    “Podemos levar a nossa atual mulher lá para nossos pais conhecer e deixar a sua mãe sondá-la melhor. Como dizia aquele ditado ‘ninguém fareja uma vadia melhor que outra vadia'”. Não entendi esse trecho, você está chamando sua mãe ou de outros confrades de vadia?!

    1. Barãozin

      Piada, meu irmão…

  6. Nice

    Já agradei os pais, automaticamente, por não ter traços de marginais, fui chutado pela menina.

  7. fred

    kra gostei do q falow ai

  8. Billy Beane

    Então se os pais não gostam é ruim se os pais gostam é ruim, qual a melhor solução, não conviver com os pais? eu já passei pela situação de namorar e os pais não iam com a minha cara era um inferno, era muito dificil a convivencia e olha que eu nem era um canalha hein, era um troxão, no fim eu que acabei terminando. E outra se a mina é marmita eu nem quero passar pela chatice de conhecer os pais, é marmita caralho!!! Tô nem pra que os pais dela acham de mim.

    1. Barãozin

      Sim, se não pretende ter nada a longo prazo (algo de 1 ano pra cima), preferível nem saber o nome dos pais dela rs

      A longo prazo já é inevitável. O ideal nesses casos é tentar se manter neutro e respeitar o espaço dos velhos, como um artigo do Doutrina (tou sem o link) ensina.

      1. Billy Beane

        Pra mim pra conhecer os pais, tem que ser algo sério de longo prazo, e marmita é marmita! Quem é que vai querer algo sério com marmita? então não tem porque conhecer a família
        .

  9. Augusto Isaac (@Guto_Isaac)

    Na boa, seus textos são muito bons! Excelente o depoimento do cara aí também. Vamos lá homens honrados, contra tudo e contra todos, vamos construir nossa fortaleza.

  10. Um Cara

    É cara, eu já vivi essa situação na Pele. Eu era um merda profissionalmente falando, o meu aspecto pessoal tá muito longe do legal social (Uso Cabelo Longo) e ao mesmo tempo estava namorando uma mulher (os pais dela me detestavam). Só que eu nunca deixei de estudar e com isso acabei passando num concurso que paga um ÓTIMO salário, daí o otário aqui achou que agora ia começar a melhor fase do relacionamento, onde teria dinheiro para fazer coisas legais com ela. Mas foi ao contrário, os pais dela começaram a ir com a minha cara, começaram a falar bem de mim para ela e tchanan ela começa a perder o interesse em mim, ela foi ficando cada vez mais fria e mais distante. Um tempo depois eu terminei, não achava justo comigo continuar naquela situação. E olha que eu nem conhecia a Real na época.

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: