«

»

abr 30 2013

A irmandade feminina é mais densa que o sangue

irmandadefeminina

* post de nº 500 do Canal. E vamo que vamo pros 1000!

por Joe Zamboni, do The-Spearhead.com

Um antigo provérbio alemão dizia que “o sangue é mais denso que a água.” As pessoas queriam dizer com isto que sua lealdade é direcionada em primeiro lugar para as suas famílias, e não para seus amigos e muito menos ainda para outros grupos desconhecidos. A frase data do século XII, quando as famílias tinha um papel muito mais importante na vida do indivíduo, muito antes das feministas modernas aparecerem com seus mitos e mentiras maliciosas que são usadas para separar e isolar maridos e pais de suas famílias.

Estou começando a notar que a situação atual na América pode ser melhor descrita pela frase “a irmandade feminina é mais densa que o sangue.” Ou seja, a mulher criou uma aliança com todas as outras mulheres, mesmo desconhecidas e que ele nunca verá na vida, e dão preferência a elas não sobre homens desconhecidos, mas sobre seus próprios filhos biológicos. Esta última característica foi algo chocante para mim, e tive que presenciar uma experiência que um amigo meu passou para eu realmente compreender isto.

Esta experiência ilustrou que as mulheres tem uma ideia distorcida dos homens americanos, e como a ideologia feminista pode ser tão odiosa contra eles. Quantas mulheres pensam desta maneira eu não sei, mas aposto que grande parte delas vêem os homens, tantos adultos quanto crianças, dessa forma degradante. Não há uma forma de mensurar isso, já que se perguntarem para qualquer mulher pistas sobre como as coisas são assim elas provavelmente irão negar isso e se fazer de exceções. Isto porque quando você realmente disseca esse ponto de vista, você vê como ele é totalmente imperdoável, indefensável e imoral.

A mulher em questão geralmente é daquelas independentes, tem suas próprias opiniões, não é tradicional mas também não é feminista. Ela é sincera, compassiva, inteligente, disposta a discutir a verdade e muito envolvida em seu desenvolvimento pessoal. Francamente, se ela fosse feminista nem me daria ao trabalho de conversar com ela, talvez apenas trocar algumas palavras para concretizar uma transação num supermercado, ou qualquer coisa que ela esteja no caminho entre mim e um objetivo meu.

Eu percebi que seu filho de 26 anos completou a universidade, mas não consegue encontrar um emprego além de instrutor de academia de meio período. E isto está assim por mais de 20 meses, então não é apenas um momento de dificuldade para um jovem. Este sub emprego é um grande demérito para um jovem que escutou por anos que ele tinha que se formar na universidade , pois assim ele arrumaria um bom emprego. A sociedade mentiu para ele quanto a isso. Resumindo, só porque ele é jovem branco e heterossexual normal, não há ações afirmativas para dar aquela mãozinha para ele. Ele é o último da lista na hora da seleção de emprego.

Eu conversei com esta mulher sobre os problemas que seu filho vinha passando e sobre a necessidade dele ter um planejamento de carreira. Ela me disse que ele ia fazer um curso de massagista, e que isto poderia ter um bom mercado no futuro já que no futuro o sistema de saúde poderá preferir tais métodos alternativos de tratamento. Ela era bem resistente em falar sobre o futuro do filho, ou mesmo admitir que ele precisava de alguma ajuda para subir na vida. Eu não conseguia entender porque ela não queria falar sobre isso, já que eu me sentia mal pelo cara e gostaria que ele se desenvolvesse,  que arrumasse um bom emprego. Eu perguntei a ela então porque ela estava fugindo do assunto. Foi aí que o ponto principal me foi revelado: ela achava que ele não tinha ajuda porque ele era um homem branco e heterossexual. Então ela começou a falar sobre “todos aqueles caras brancos que receberam bancos de herança de seus pais.”

Fiquem sem palavras, e só depois de meio minuto consegui falar “O quê?! O que são um punhado de homens brancos dentro de uma população de 300 milhões de pessoas?” E então comecei a falar para ela que a maioria dos jovens como o filho dela estavam tendo muita dificuldade em arrumar um emprego porque eles não conseguiam ter experiência e a competição era dura. Eu mencionei que eles não tinham nenhum tratamento preferencial. Depois disso ela simplesmente disse “não quero mais falar sobre isso.” Eu acredito que isso seja uma versão polida da frase “os homens não entendem.” Então mesmo para esta mulher de mente relativamente aberta, uma que quase não foi maculada pela mítica e maliciosa mentira anti-homem das feministas, mesmo ela foi pega pela propaganda imposta pelas feministas nas últimas décadas. A profundidade e alcance desta lavagem cerebral é espantosa.

De certa forma é até um alívio entender porque ela não dará nenhum apoio para ele encontrar um emprego melhor, fazer cursos que ajudem ele, etc. Mas por outro lado, eu odiei isto, já que as coisas na sociedade americana começaram a fazer mais sentido para mim de uma forma diferente do que eu imaginava. Por exemplo, agora eu entendo porque, na maioria das vezes, os jovens estão se dando muito pior do que as mulheres no mercado de trabalho. Além de todos os privilégios vantagens que as leis e o governo dão para elas,  a jovem americana atual está recebendo um apoio imenso de suas mães solteiras, mas seus filhos não. O jovem americano já é automaticamente considerado um “macho alfa”, um abusivo, aquele que deve ser o culpado por todos os males do mundo. Ou seja, eles não merecem apoio nenhum. E o que é mais impressionante é que muitas mulheres pensam desta forma até mesmo em relação a seus próprios filhos, aqueles que ela mesmo deu à luz.

Então, quando temos a falta do pai numa família com filhos, nós vemos que são os filhos que sofrem mais que as filhas. As filhas são paparicadas pelas mães, mas os filhos estão nessa sozinhos. Isto tem um paralelo perverso com a forma que o dinheiro da casa é tratado em muitas famílias aonde ainda se tem um marido e uma mulher. O dinheiro do homem é o “nosso dinheiro”, e o dinheiro da esposa é “dinheiro dela.” Então as mulheres ajudam outras mulheres, e a si mesmas, mas não ajudam o homem, mesmo aqueles que são filhos de sangue. E o jovem atual sofre muito com essa visão feminista perversa das coisas.

É tempo de abandonarmos todas aquelas fantasias sobre as mulheres, especialmente aquelas na qual concerne a santidade da maternidade. O veneno feminista envenenou tanto a família que suas mentiras maliciosas sobre o homem, e a misandria cultural que a acompanha, supera até mesmo o amor que uma mãe tinha pelo filho. Eu posso mencionar outros exemplos reais onde eu vi esta priorização em ação, mas apenas um exemplo é suficiente. Eu deixo para o leitor analisar exemplos que ele mesmo presenciou para que ele perceba este fenômeno em ação.

Homens – você vai ter que internalizar bem isto – a compaixão que as mulheres sentem por você é ínfima ou mesmo não existente. Vai ter que se acostumar com o total desinteresse delas com as coisas que acontecem com você – mesmo que esta mulher seja sua própria mãe. Vai ter que acostumar com a ideia que você está completamente sozinho neste mundo. Seja morando na rua, sofrendo de alcoolismo, com tendências suicidas, na cadeia por causa de alguma acusação falsa vinda de uma mulher, vítima de fraude de paternidade, sem seus bens por causa do pagamento abusivo de pensão, acusado de violência doméstica perpetrado por sua mulher, sofrendo de stress extremo por causa de serviços extenuantes,  sem partes do corpo perdido em acidentes, o que seja – muitas delas simplesmente não estão nem aí, elas não ligam a mínima.

E aos homens mais velhos – nós precisamos urgentemente de dar mais apoio aos mais jovens. já que se não forem nós a ajudá-los, ninguém os ajudará. Nós que somos mais velhos temos que começar a ajudá-los dizendo-lhes a verdade de como é a vida deles sob a tirania feminista.

fonte: http://www.the-spearhead.com/2013/04/23/sisterhood-is-thicker-than-blood/

12 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. pedro R

    Mulher quase não tem empatia por homens, e para piorar HOMENS TAMBÉM tem muito pouca empatia por outros homens!

    Tamos fu…

  2. Sincero da Real

    “Homens – você vai ter que internalizar bem isto – a compaixão que as mulheres sentem por você é ínfima ou mesmo não existente. Vai ter que se acostumar com o total desinteresse delas com as coisas que acontecem com você – mesmo que esta mulher seja sua própria mãe.”

    cara… eu vivo isso aqui em casa minha mãe não me dá tranquilidade nem apoio, eu luto sozinho mesmo porque o meu pai é ausente…por divorcio… minha familia é desestruturada…..

    onde moro só existem bixas feministas e mulheres ranzisas feiosas que ficam me criticando e tentando colocar obstáculos na minha vida,

    mais eu estou me esforçando ao máximo pra focar nos estudos e nos meus objetivos realmente importantes,

    o Canal do Búfalo é um lugar essencial pra mim, é aqui onde encontro forças as vezes quando estou pra baixo e preciso de um conselho e doutrina pra seguir,
    valeu caras

  3. christ

    Realmente ,pura verdade.Digo isso porque,uma vez minha mãe mentiu sobre meu pai ser um safado que só tratava ela mau no passado,mas soube da verdade e nisso brigamos e ela disse que eu sou indigno de ser seu filho(como se eu tivesse culpa de ela sair liberando na adolescência) e queria que eu ficasse longe dela(eu tinha 15 anos na época e morava com minha avó.),eu disse que o que ela disse não era justo e era humilhante,mas duas tias minhas(irmãs delas),apoiaram ela em vez de ficar do meu lado.Foi a primeira vez que foi cometido a maior das injustiças contra mim.
    outro exemplo foi de um primo meu ao fazer aniversário só deram um bolo todo mal feito para ele,mas para a irmã dele foi dado quase 400 reais para ir para um show(ela só tinha 13 na época e ele 12).
    Percebo que cada dia que se passa a Matrix existe,mas a REAL está aqui para nós ajudar.

  4. João Filho

    A situação atual não está nada boa, tenho passado para meu filho todas as experiências por que passei e isso tem tido muitos resultados positivos, por isso um pai é fundamental. Não vivo com a mãe dele mas sou presente. A mãe não teria compreensão para tanto e regularmente me acusa de ter muita influência sobre ele, o que me deixa bastante satisfeito.

    Os blogs da real ajudam/ajudaram muito, inclusive a mim. Tenho divulgado o máximo que posso, mas vejo que muitos tem medo de enxergar a realidade e descobrir a verdadeira face de suas namoradas/esposas e outros não dão a devida importância, por cerem como algo menor. Mas chegará o dia, se não forem muito estúpidos, que conhecerão a verdade.

    A mídia representada pela TV, principalmente no Brasil, é muito poderosa, mas está em lenta decadência, mesmo as TVs por assinatura. O trabalho da real está no caminho certo, pois está investindo em um meio de comunicação que cresce a cada dia. A cada dia o volume de investimentos em propaganda cresce na internet e se reduz na TV. Pelo que andei lendo, em muitos países da Europa, a internet já passou a TV e nos EUA a projeção para que isso aconteça é de cerca de dois anos.

    1. pedro R

      que bom que voce é um pai assim!

      tem pai que parece que é cachorrinho de madame das esposas ou ate das filhas meninas com o maior gosto….

  5. Tenchin

    Mas isso que vc falou Don Corleone, também vi muito quando falamos de homens apanhando de mulheres, seja tapa na cara ou simplesmente uma panela voadora ou cuspida na cara. Isso é visto por elas como uma coisa engraçada, mas vai fazer isso com elas pra ver o que vão dizer? Até caso de estupro, não vejo nem um comentário delas sobre os homens que são violentados nas cadeias por outros homens, as vezes o cara foi preso enganado, falsa acusação, ou pensão alimentícia, e fica a mercê dessa situação. O fato com elas é: Igualdade é só pra beneficiá-las. Não o importa o interesse dos outros (os homens).

  6. Tiger

    Estamos esperando o que ?
    Uni-vos tbm.

    Sejamos corporativistas

  7. TheOldSkull

    Meu exemplo de vida se encaixa nesse post. Minha mãe é uma feminista enrustida dos anos 70. Me criou como um boneco de louça e escravo até os 10 anos, depois perdeu a graça para ela. O intuito dela de se ter um filho era pra que ele substituísse o pai depois de adulto (óbvio, sem a parte sexual), para sustentá-la, ficar mimando-a com boas coisas, ela é interesseira. Hoje digo a vcs que não confio em minha mãe, não quero mal a ela, mas também quero distância pq ela me faz muito mal, desconta a frustração de eu não ser e não ter sido o escravo dela. Isso me fez desde cedo a olhar as mulheres com mais desconfiança. Tinha em mente que uma mãe era para ser um ser santificado, um ser misericordioso, de amor abundante e compaixão, mas fui enganado. fui crescendo e vendo a ardilosidade das mulheres, seu lado obscuro. Concluí minha provação há 6 anos atrás, qdo passei por uma experiência muito dura, revoltante, que tirou o resto da minha ingenuidade que eu tinha e me fez abrir o restante dos olhos. Hoje estou mais protegido contra essa ardilosidade delas e faço minhas escolhas muito melhores que antes. Reconheço o estado dos homens de hoje, que estão passando muitas dificuldades e digo a muitos que não se casem, pois a maioria das mulheres nem servem para ser mães hoje quanto mais esposas e o mais agravante: os homens hoje não tem vez nem voz para educar seus filhos pois as mães os desautorizam perante eles e eles passam a ser visto pelos filhos como um frouxo ou um adolescente do mesmo nível que eles . Quantos meninos hoje estão perdidos pois são largados pra rua, as mães só os humilham, não os dão apoio moral nem emocional, será um futuro de homens inseguros, chorões, sem iniciativa, sem opinião própria, futuros mendigos vagando pelas ruas ou criminosos revoltados que rebelarão contra o sistema. Vejos muitos meninos de 13 14 anos vagando nas ruas depois da escola, ouvindo funk alto no celular, largados e com cérebro de ameba, eles não tem capacidade de raciocínio, de construção de idéias, de incentivo para estudar ou para desenvolver um dom. Seu tempo é desperdiçado com coisas fúteis, a maioria não se consegue ter uma conversa decente. Esses serão o futuro do nosso país, em que iremos viver, com escassez de mão de obra qualificada, com dificuldades em massa de socialização e respeito ao próximo e índice de suicídios muito altos. Por isso homens, façam uma tentativa pra que o mundo melhore pelo menos o bom o suficente, não se casando ou se for casar, que seja com toda a segurança do seu ato e pense muito bem antes de ter um filho, pois vai precisar muito de uma boa mãe é isso é imprescindível em sua vida e na vida de seu filho.

  8. andre

    cara ainda bem que minha mãe é d as antigas, super tradicional ela a te ataca essas vadias modernas que se acham por ter uma buceta no meio d as pernas e ficam sendo 24 horas paparicadas por manginas idiotas, todas mães dos meus amigos falam que mulé moderna não d a valor a homem trabalhador ou seja não vale um absorvente, agora se tu meu amigo é um cara comum trabalhador honesto, tu ta fudido elas odeiam vc, tallves vc consiga valer um provedor mediano só isso, não quero cargo de gestão nem d e chefia se é isso que elas almejam sentar com seu rabo gordo em uma cadeira e dar uma d e menina super poderosa que s e fodam, o homem é um s er livre tem o mundo a ser desbravado.

  9. Jr.

    Tudo que o artigo menciona está também exposto (e de forma brilhante, devo acrescentar) no livro O Homem Domado (prefiram ler The Manipulated Man, tradução em inglês, a portuguesa é um lixo) de Esther Vilar. O homem no universo feminino é tido apenas como se fosse uma máquina provedora e apenas outras mulheres é que contam no seu mundo por uma questão de afinidade mental.

    Na verdade quando a autora afirma isso ela está apenas querendo que nos demos conta de que a mulher só pensa em si mesma e em tudo que representa (o feminino), sendo incapaz de ser algo mais que o descrito no livro. Não é como se uma delas tivesse alguma noção de irmandade ou um conceito parecido. Tudo que a mulher faz é voltado ao seu parasitismo e ao materialismo.

  10. Rocky MARCIANO

    Que mulheres não gostam de homens eu já tinha a percepção intuitiva disso desde criânça, com minha mãe mesmo que tinha tratamento diferenciado entre mim e minha irmã. Minha mãe faz tudo por ela, basta ela pedir agora eu tenho que fazer mundos e fundos para ganhar favores na mesma medida… Mas é sempre bom ler textos sérios e densos como estes para confirmar nossas convicções.

    Mães que preterem seus próprios filhos, sua prole, em favor de outras mulheres, por conta de uma suposta dívida que todos os homens teriam por ter “oprimido” este serzinho tão ofendível que é a mulher.

    Mulher na verdade não gosta de homem, Nessahan já falava isto, Esther Villar disse isso na maior cara dura a 40 anos atrás, Mulheres gostam de mulheres e delas mesmas e de sua prole, excetuando se o nascituro for fêmea, por que se nascer menino a mulher o ama… mas o amará até a puberdade… E SÓ! Acabou! O amor da mãe é para sempre apenas para a filha até o fim da vida…

  11. Don Corleone

    Felizmente para mim tenho uma mãe que não se encaixa nessas modernetes feministas misândricas. Criou-se um mito que homem branco e heterossexual já é privilegiado automaticamente, precisamos nos unir e ajudar os mais jovens. Mas queria tocar num assunto que poderia servir como um futuro post, isso se esse assunto já não for abordado. Refiro-me a truculenta reação das mulheres quando são alvos de brincadeiras por parte dos homens. Não se pode tirar sarro da cara delas, elas não admitem e reagem de forma violenta, com xingamentos e cara feia. Gozações que entre homens é motivo de piada, entre elas é motivo de reações extremadas. Comecei a reparar esse detalhe de uns tempos pra cá e comecei a fazer uns testes com conhecidas minhas que se diziam minhas amigas de fé, todas elas reagiram muito mal as minhas gozações e comprovaram a minha observação. Enquanto a tiração de sarro é contra os homens elas participam com alegria, no momento em que são vítimas também reagem de forma ríspida, não admitindo que sejam alvos de brincadeiras também.

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: