Sobre cafajestes

cafapor Roberto, do fórum Mundo Realista

Penso que cafajeste seja uma mistura entre cultura e genética.

A parte cultural é a independência da mãe desde a infância, onde ele aprende a se virar logo que possível e não tem tempo de correlacionar a figura materna com as outras mulheres, uma vez que o processo de adaptação e socialização já faz parte da formação dele. Os manginas são geralmente aqueles homens que, na infância e principalmente na adolescência, sofreram forte influência da mãe ou da avó, seja por um cuidado excessivo, que o tornará um homem muito carente e apegado, seja por um autoritarismo excessivo, que o tornará excessivamente recluso, não raro apresentando tendências masoquistas.

A parte genética provavelmente tem a ver com um maior desenvolvimento da parte instintiva. Por exemplo, um maior instinto de sobrevivência que a média, que pode torná-lo inclusive um narcisista, ou uma maior quantidade de testosterona, que o torna mais impulsivo e propenso a ir à luta desde cedo, ou ainda um desenvolvimento fraco dos instintos paternos, que o torna menos sensível que a média, algumas vezes chegando ao nível de um psicopata.

Há também um outro aspecto: certas personalidades atiçam mais a sexualidade das mulheres do que outras. A personalidade que mais parece atiçar as mulheres é a daquele homem que fala baixo, mas fala como se estivesse acabado de fazer sexo, aquela fala tranquila e desapegada. Em segundo lugar vem aquela personalidade hiperativa, voz forte, tom firme, levemente arrogante e que não percebe muito bem os sentidos dos outros.

Mesmo que o cafajeste seja feio, ele vence por efeito dominó. Eventualmente ele pega uma mulher ou outra, trata a mesma como se fosse nada, o caso repercute e outras mulheres decidem experimentar o veneno. O interessante do cafajeste é que ele dá às mulheres um pouco do próprio remédio: do desinteresse, do descaso, e, em alguns casos hilários, até mesmo da friendzone.

Apesar de tudo, o cafajeste ainda é um matrixiano. Um matrixiano bem sucedido, mas um matrixiano. Quem conhece a Real ganha um potencial de desenvolvimento emocional e espiritual muito superior à de um cafajeste. Pode até não fazer tanto sucesso com as mulheres, mas possui inteligência e preparo que um cafajeste não é capaz de alcançar.

14 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Cafajeste = quem teve uma mãe filha da puta(borderlines, narcisistas), e se foi vadia/puta pior ainda.

    Pode ver os bandido mirim filho de mãe solteira, teve um msm que jogava bola comigo que a mãe dele deu pra dois amigos dele e ainda riu da cara dele contando, hahaha.

    E claro não são todos que tem mãe assim se torna um, como diz no texto se não tiver predisposição o cara vira uma mocinha e recluso, até masoquista como diz no texto, pois não soube “lidar” com o abuso, e se tiver um pai fraco pior.

    A esmagadora maioria dos homens tiveram amor materno normal, o que os faz confundir as coisas, por isso muitos quando descobrem a real sentem nojo, pq vincula, inconscientemente, a imagem materna com o resto das mulheres(principalmente as “mais comportadas”).

    1. E uns que conheço, principalmente da minha família, se tivessem disciplina ficariam ricos, mas o imediatismo e o ego não deixa. Meus parentes parece regra ser traste(daqueles que se envolveram em crimes, drogas… e todos são alcoólatras), diferente de outras famílias que tem um ou outro, eu desconfio que seja um forte fator genético.

      Mais uma coisa é que cafa velho sempre tem dicas boas não só em relação a mulher. Aprontam pra caralho pra no final da vida se arrependerem de não terem tido um bom desenvolvimento pessoal.

    • Maria de Fatima em 05/07/2013 às 23:28
    • Responder

    Tinha que ser culpa da mulher, né? Subtraindo todo o resto é ela que põe no mundo. KKKKKK. Gente o negócio aqui é quente!

    1. Hot like hell, my friend.

  2. Precisamos desinstalar continuamente as crenças matrixianas do que é “sucesso”. Muitos sujeitos admirados pelas pessoas na realidade são medíocres e meros robôs.

    * * *

    1. Sem mais… Cafas são tão prejudiciais quanto os manginas!

    • Fulano de Tal em 03/26/2013 às 0:50
    • Responder

    Já cogitei ser um, dada minhas frustrações nos relacionamentos recentes…

    Não necessariamente do tipo canalha, só um do tipo come quieto, sem alvoroço e de preferência cada dia “em um restaurante diferente”.

    Mas ainda bem que conheci a real, não vou mais precisar me tornar o destruidor de corações (e vidas!) que elas tanto amam.

    Agora vejo que dá para ter um discurso superior, e ser interessante para as mulheres ao mesmo tempo. Dá para unir o útil ao agradável sim, e sendo um homem honrado de valor!

  3. Simplesmente FODASTICO!!!

  4. Refletia justamente sobre isto hoje. Estamos nos esforçando para alcançar uma posição pessoal/social fora deste sistema. Somos senhores da nossa mente, do nosso coração, dos nossos recursos. Estamos aprendendo a conhecer a real, e batalhando para aplica-lá em nossa vida, o que não é fácil, porém não impossível, e assistindo lucidamente as dinâmicas sociais. Cafas, “alfas”, piriguetes, apesar de “talentosos” vão se desesperar frente ao tempo, doenças, decepções e inevitável fracasso, e nós continuaremos com nosso legado, agindo enérgica e estrategicamente quando nossos direitos e liberdade estiverem sob risco, buscando sobretudo: viver sob os preceitos de Deus e a renovação Espiritual, a conquista pessoal/financeira e, quando oportuno, fazer o bem. Força e honra.

    • INTERESSADO em 03/20/2013 às 14:12
    • Responder

    É isso aí Barão. Falo por experiência própria só sabem comer mulher e mais nada. E mesmo assim são completamente dependentes dos outros. Ter o estereótipo de um cafajeste é bom mas sem jamais ser um. A pior merda que tem é um cara desses na família e na sociedade. São raposas e não lobos. Vivem entocados só parasitando os outros. Sociopatas ou psicopatas sociais é assim que se chamam nos termos médicos.

    • Leo Philalethes em 03/20/2013 às 12:36
    • Responder

    Tal como os manginas, cafajestes nunca dão bons amigos. Não têm qualquer senso de lealdade com quem quer que seja, te matariam por uma vagina!

    A sociedade está pagando muito caro por incentivar o crescimento desse tipo de homem.

    PS: Não me refiro ao “ex-bonzinho”, àquele que, por sempre quebrar a cara com as mulheres em virtude de sua postura correta, passa a tratá-las como mero objeto sexual e com desdém. Mas sim aos cafajestes natos, cujos traços comportamentais remontam à infância.

    • Wilkson RC em 03/20/2013 às 12:14
    • Responder

    Texto excelente, já havia permutado em meus pesamentos que um homem que segua a filosofia da Real é superior a um cafajeste. Pois o cafajeste só come mulheres, mas um homem da Real tem outros princípios.

    1. a mais pura verdade!!!!!!! existem caras baladeiros, que gostam de beber, sair toda a noite, desfilar com suas motos pra cima e pra baixo atrás de mulheres randômicas… eles vivem esse estilo de vida e não passam de caras que nunca se desenvolvem na VIDA, NUNCA! aqui na minha cidade eh assim com os ditos forrozeiros

    2. Tb concordo,pq graças a Real,trouxe de volta o verdadeiro siginificado de ser homens,que é ser responsavel,honrado,trabalhador,atualmente o siginificado de ser homens está manchada,a midia e o comportamento feminino e os manginas denegriram o verdadeiro significado de ser homens,e a Real esta trazendo algo muito importante,que faz parte ate mesmo do instinto do homens a HONRA,algo que antigamente muitos preferiam morte do que perde-la.

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: