«

»

jan 23 2013

Em pesquisa, 40% dos japoneses preferem ser solteiros

mgtowNão deixe de ouvir a Edição Especial do Jornal da Real – Real Rural

Parece que o mercado de ração de gato no Japão vai disparar haha

por W. F. Price, do The-Spearhead.com

Um comentarista do site, que vive no Japão, nos mostrou um artigo que fala sobre como cada vez mais os homens japoneses preferem ser solteiros.  Já vemos algumas indicações disto, como a cultura dos homens “herbívoros” que simplesmente se decidiram a evitar mulheres, e a baixa taxa de natalidade nas partes desenvolvidas da Ásia. Numa pesquisa feita recentemente com 300 leitores do “My Navi News”, 40% deles preferiam ser solteiros. (NT: Ok, a pesquisa só contou com 300 participantes, um número ínfimo. Mas se for levar em consideração o fenômeno dos herbívoros que até mesmo o governo do Japão já abordou, a pesquisa não seria tão insignificante assim).

Entretanto, a opinião dos japoneses sobre o assunto é bastante franca – de forma até divertida. As razões dadas para não se casar são diversas, mas ao invés de dar desculpas, todos eles aparentam dizer que o casamento simplesmente “não vale a pena”.

Abaixo vai algumas das citações:

“Só de olhar meus amigos casados e como a cada dia que passa eles me parecem estar cada vez mais abatidos, isso me faz pensar que é muita sorte eu ser solteiro.” (25, Artista)

“Ouvir sobre o modo cruel que algumas esposas tratam seus maridos me faz ficar branco de medo.” (25, Artista)

“Para mim, os homens casados não me parecem satisfeitos, e com o passar do tempo, sua infelicidade fica cada vez mais aparente.” (36, Finanças)

[…]

“Ao invés de ter minha carteira sugada até o último centavo, gastar o que você ganha como você bem entender é uma opção bem mais atraente.” (24, Comunicações)

“Todo o seu dinheiro suado, num piscar de olhos, desaparece completamente no buraco negro que são os gastos domésticos!” (24, Cuidados Médicos, Serviço Social)

[…]

“Pela impressão que eu tenho, o casamento significa jogar seus passatempos pela janela.” (25, Maquinaria)

“Estar comprometido a alguma coisa causa stress desnecessário. Resumindo, estar por conta própria lhe dá a liberdade de fazer o que você quer e quando quiser.” (31, Maquinaria)

“Eu gosto de beber e apostar, mas me comprometer provavelmente significaria o fim disso tudo.” (26, Imobiliário)

Gostei desse último cara.

Então vemos que isto não está acontecendo só no Ocidente. Aparentemente em todos os países avançados e pós industriais tende a se criar uma aversão natural ao casamento, talvez porque homens e mulheres realmente são iguais nesses ambientes em termos salariais e status social.

Isto me leva a uma teoria sobre porque o casamento não parece funcionar tão bem nesses ambientes igualitários onde temos poucas diferenças entre homens e mulheres.

Quando você nivela os papéis e cria confusão sobre a divisão de trabalho, parece que homens e mulheres acabam não vendo necessidade um no outro. Adicione a isso ter acesso a sexo fácil fora do casamento, e não temos nada de atraente num casamento. Finalmente, justamente porque homens e mulheres são diferentes por natureza, eles quando não precisam tanto um do outro eles geralmente começam a se detestar, já que ambos tem interesses diferentes. Estou generalizando, é claro (há alguns casais que tem muitas coisas em comum e compartilham interesses parecidos), mas isto é verdadeiro se for ver que em situações não sexuais a maioria dos homens não curte tanto assim ficar andando por aí com mulheres.

fonte: http://www.the-spearhead.com/2013/01/20/40-percent-of-surveyed-japanese-men-prefer-bachelorhood/

14 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Gatilheiro

    Parece-me haver uma pequena confusão, mesmo no vídeo postado dá para notar,
    ou seja, estão dizendo que os japoneses não gostam de sexo. Não me parece,
    a minha opinião é que eles não gostam é da relação custo/benefício para conseguir
    sexo. Acredito que, como nós, eles gostam de mulheres e de sexo, mas ao custo
    exigido não dá “jogo”. Antigamente o homem entrava com quase tudo em um casamento e
    a sociedade respondia bem a isso. A legislaçao não “fodia” o cara, a sociedade
    o respeitava e a família o amava. Hoje o homem continua entrando no casamento como
    antigamente, mas a lei é totalmente a favor da mulher, a sociedade não o respeita e
    a família não tem como amá-lo porque a lei e a sociedade tomaram dele a liderança.
    Assim, o homem está “castrado” no sentido de não poder agir como homem, posto
    que a lei e a sociedade o caparam. Ele não tem direito algum, só deveres.
    E é aí que surge o desequilibrio na balança. Benefícios: amor, sexo, liderança,
    respeito foram solapados. Os custos, porém, foram aumentados, triplicados.
    Num casamento, ou mesmo numa relação de longo prazo, o homem só fica
    com as contas, com o ônus. Os bônus estão com outros.
    Assim, há essa conversa que os homens não gostam de sexo, que é também
    uma forma de ataque aos homens, do tipo “seja homem case com mulher roda
    da”, seja homem “crie os filhos da mãe solteira”. Ao dizerem “que os homens
    não gostam de sexo” é uma forma de jogar a culpa no homem por ele
    não querer assumir os ônus, cada vez maiores de um casamento, sem direito
    aos bônus: seja homem “suporte tudo sem piar”. Mas , isso é assunto para outro dia.
    Em resumo, os homens continuam querendo amor, sexo e família, mas
    ao custo atual não dá, por isso o homem demonstra essa rejeição, mas não é
    ao sexo ou à mulher e sim à submissão dele à condição de mero provedor – cobrir os
    custos – sem os direitos que daí deveriam advir.

    1. Senhor X

      Raciocínio perfeito cara, vc demonstrou uma visão sistêmica do problema

  2. Rob

    Muitos caras se deixam influenciar pela cultural local, pressão de conhecidos, etc. Quem parar um pouco para raciocinar vai ver que não vale a pena, é melhor trabalhar e gastar o dinheiro com você mesmo e ir só atras de sexo casual.

  3. Jose

    Só não desisti totalmente de casar porque ainda não decidi se vou ter filhos, mas com as políticas feminazis de libertação sexual da mulher e desgenitalização da paternidade (vínculo socioafetivo pra criar filhos ilegítimos, como foi dito em uma matéria daqui) mesmo casando ainda posso não ter direito a ser pai legítimo. Além disso, hoje apenas as casas do programa Minha Casa Minha Vida são intituladas à mulher (a mulher fica com a casa na separação), mas como vamos saber se com o feminazismo dominando o mundo isso não vai se estender para casas fora do programa ou mesmo para todo o patrimônio? Casamento hoje em dia não é pra sempre mesmo, o divórcio se tornou uma coisa banal. Se juntou a perda gradativa dos direitos reprodutivos do homem (legal e social) com a perda gradativa dos direitos patrimoniais você vai se casar pra que? Você pode namorar pra sempre (até o dito cujo não funcionar mais) já que a espectativa de vida do homem é menor e a medida que a faixa etária da população sobe a proporção de mulheres na população aumenta (tem muito mais viúvas do que viúvos). De repente as coisas só melhorem com o envelhecimento. Não ligaria de divir as tarefas domésticas se os 2 têm emprego, mas o problema é essa política óstil contra o homem dentro da família, além da degradação social do marido e principalmente do pai (sempre foi extremamente inferior à mãe) dentro da família. O negócio é fazer um planejamento pra velhice e ficar solteiro. Uma falacia feminista é “o feminismo liberta os homens”. Talvez a destruição do casamento seja a libertação da qual elas tanto falam

  4. andre_desbravador

    eu a cho que o casamento ja foi algo bom para o homem no passado quando a mulé era uma boa dona d e casa uma boa mãe uma boa companheira que tinha o respeito pela familia e pelo seu homem, uma mule cheia de valores solidos , mas atualmente a mulher ta imprestavel pensa que é superior ao homem em tudo ja que o mundo é movido a buceta, e como o homem ja nasce desvalorizado e desde cedo ele ja sofre fustrações no campo amoroso, nos ja criamos uma resistencia a solidão eu mesmo não encaro a solidão como um bicho d e sete cabeça pois ja que nascemos desvalorizados por não termos uma buceta no meio da perna , se hoje a familia esta em colapso não é nossa culpa, se uma mulé me classifica como um cara mediano eu não to nem ai, pois pra min mule moderna se resume a uma vagina d e pernas, ja tou cansando d e houver essas idiotices de que tu tem que arrumar um rabo d e saia para casar para não envelhecer sozinho, não penso na velhice pois posso morrer amanha, não tenho medo d a solidão pra min solidão é temida pelos fracos. eu tenho uma filosofia de vida e sempre stou buscando algo a acrescentar em prol ao crescimento e fortalecimento.
    agora quem acha q ue vale a penas casar vai la.

  5. Korvus corax

    eu tiro pelos meus amigos,todos casados/namorando…tem apenas um q tem um pouco de consciência ainda de não deixar a mulher tomar conta da sua vida… ainda. o resto,como ele mesmo diz: precisa de carta de alforria pra fazer alguma coisa rsrs
    esses kras não conseguem nem mais se reunir se ter a mulherzinha a tira colo
    pqp
    e algumas delas me odeiam kkkkk
    por que eu sou,,como disse o comediante americano bill maher: o escravo que escapou e traz boas novas sobre a liberdade. rsrs
    de qualquer jeito eu não sou contra o casamento…cada um faz a porra que quizer!

  6. Renato

    É um fenômeno interessante,tenho conhecidos que já foram para o Japão trabalhar e o que eles dizem é que as japonesas de hoje são muitoooooooo seletivas e interesseiras.
    Você tem que ser um fodão,um empresário,um rico pra comer as meninas lá,elas ignoram solenemente os homens de lá,preferem estrangeiros do que os japoneses em si,as que se casam com japoneses são as que não tiveram opção mesmo,ai o casamento fica uma grande merda,ela não gosta de dar e o japonês não gosta de trepar….então vocês imaginam a merda que dá.
    .
    Os homens de lá perceberam que não vale a pena mais,elas estão hiper,super,mega valorizadas….e eles não querem mais arcar com nada disso..
    Tem o que em troca?….nada,só dívidas e mais dívidas e um sexo de merda.
    .
    E para piorar o japão PROÍBE a prostituição para os pobres betas japoneses,mas os ricos e endinheirados dão um jeito,então os japoneses fazem bem em não casar,FODA-SE elas.
    .
    Quando o casamento voltar a ficar “bom para os dois” e elas deixarem de ser frescas e metidas,ai quem sabe eles voltam a casar…..mas acho muito improvável,é mais fácil culpar os japoneses e se fazer de vítima…

  7. Hello Kitty

    http://www.youtube.com/watch?v=7EfDHsM5g0w

    Chocante?

  8. BERNARDO

    Engraçado! As mulheres no início da adolescencia e gostosura tem um ego e complexo de superioridade extratosférico. Mesmo meninas de 8 anos, hoje se acham superiores aos meninos, ou mesmo homens, daí elas conhecem o feminismo, são indoutrinadas a pensar que não precisam de homens para nada…

    Entretanto a idade vêm! Realmente mulher não gosta de homem, mas de mulheres e delas mesmas, BUT, más, todavida, contudo elas querem ter filhos. O melhor dos dois mundos uma vida de carreiristas e filhos no mais tardar para perto dos 40, 50 anos.

    Bem a ciência já provou que as reservas de óvulos da mulher decai a um nível de até 90% quando essa mulher chega aos 30 anos sem filhos. Quando ela atinge mais de 35 ou 40 anos a possibilidade dela ter filhos é quase nula. Ela se torna estéril. Só um milagre para acontecer e isto é diagnosticado pela ciência. Isto é Certo!

    Chegando essa idade por força de pressão biolôgica essa mulher é obrigada a ser humilde por conta de não ficar sozinha, Já que ela não gosta do homem em sí mas teme a solidão e o tempo.

    Mulher não consegue lidar com a frustração de ser sozinha, mesmo não amando o homem em sí. Mas o homem não. Ele pode lidar com a solidão pelo resto da vida por que a solidão e a frustração é o estado permanente do homem desde sempre. Para o homem pouco importa se ele vai viver até os 90 anos sozinho ou não. Isso é de menos. Mas essa solidão e a ausência de um filho é insuportável para mulher em sí.

    Então daremos a elas o que elas merecem! Dai a cézar o que é de cézar! Nada de casamento! Nada de cerimônia! Nada de Festa! Nada de filho! Que elas tenham seus filhos com os cafagestes que elas tanto amam e cuidem dele sozinhas, se forem capazes.

  9. Julio

    Casamento é reprodução humana forçada em cativeiro.

    *Alguém sabe onde posso ler postagem do SK sobre provedores e reprodutores?

  10. Ric

    Quem diria, até os frouxos e emasculados japoneses estão acordando pra real.

  11. Punisher

    Não à toa o casamento é chamado de “sociedade conjugal”, na qual homens e mulheres entravam com papéis diferentes e complementares, devidamente delineados. Aí aparece o feminazismo e diz que o papel da mulher era “opressão patriarcal”, como se os deveres dos homens fossem uma moleza, como se eles fossem para seus escritórios (desconsiderando os que trabalhavam em atividades pesadas, perigosas e insalubres) todas as manhãs para ficar batendo papo, com a secretária gostosa no colo e um copo de uísque na mão. Segundo a maledicência feminazi, era uma verdadeira festa, um clube do bolinha super divertido.

    O tempo passou, o feminazismo colou, e hoje temos um monte de mulheres tendo que trabalhar para se sustentar, estressadas, sofrendo de vários males antes praticamente exclusivos dos homens, e em quem colocam a culpa? No “machismo”, e nos homens, claro! Somos nós os “medrosos”, os “inseguros” e “imaturos”. Nós somos culpados pelo simples fato de não querermos casar e por deixarmos uma geração de balzacas carreiristas com seus ansiolíticos e seus felinos. Fodam-se!

  12. Aquele cara.

    Camarada… Eu por anos tive esse pensamento de casar e ter filhos, e isso fora da matrix já, só selecionando, selecionando, selecionando… Mas enfim cheguei a conclusão na base da observação que a melhor coisa é NÃO fazer isso e muito menos pensar sobre isso.
    Cada vez é mais comum os filhos não gostarem dos pais (isso inclui-se mais ainda o PAI), o adultério é regra, a hipergamia é a mil, as leis do divórcio são totalmente pró-mulher, TODA mulher depois de um tempo começa a dar sexo de má vontade para seu conjugue (e pra conviver com as flutuações de humor e assuntos fúteis de mulher, só regrado a muito sexo, camarada…) e vc se vê obrigado a largar seus lazeres, as vezes não porque desagrada a mulher (pq se não desagrada agora, vai desagradar, confie em mim) mas porque VAI TE FALTAR DINHEIRO depois de casado.
    Hoje eu tenho uma namorada que quando eu vou beber uma cerveja com meus amigos ela já fica com uma tromba enorme, já tá ficando chato transar com ela, pq eu mau começo ela já fala um “não pega aqui, não pega ali, to com dor de cabeça, aiiiiiiiiiinnnnn”, pro azar dela eu sou ogro pra caralho e meto mesmo assim, pq se eu fosse “betinha” ela COM CERTEZA ia regular a porra do sexo e eu ficaria estagnado na primeira reclamação feita.
    E pra finalizar, mesmo sendo criado numa família razoavelmente conservadora (pai militar e mãe professora honrada, que estão casados até hoje, 22 anos) se EU engravidasse minha namorada por exemplo, eu pediria o DNA mesmo assim (mesmo sabendo que levaria a um término, mas eu que não arrisco assumir esporrada de outro pq EU DUVIDO que alguma mulher criada na geração de hoje ou 2 passadas no máximo, não traiam) e não casaria nem iria morar junto, pq pagar pensão e dividir gastos é ainda melhor que casar, pelo menos aos meus olhos.

    1. Humberto

      Vou até colar seu comentário no meu email,pra se um dia começar a ser louco de querer casar,vai servir de lembrete pra não jogar minha vida e liberdade no lixo. Pq concordo que nessa geração de agora,uma menina só tem namorado,pra poder falar que está traindo alguem,essa é a função,ou provedor babaca,ou qqr coisa qeu eu não pretendo ser tão cedo,nem tão tarde, nem nunca.

      E o casamento é foda,vc ve TODOS os caras infelizes,ou no minimo,abatidos,e isso só piora com a falta de sexo e a mejera reclamando…..e o pior é que os caras sabem a merda que é a ainda te aconselham pra ir pelo mesmo caminho,do tipo:

      “Essa comida tá uma merda,quer um pedaço?”

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: