«

»

dez 19 2012

Os homens que apoiam o feminismo

leitecompera* antes do artigo, gostaria de dizer que no dia 15 agora rolou mais um EDR SP (que quase não rolou por causa da chuva torrencial que teve na região no dia, tanto que eu nem pude ir) e como não podia deixar de ser, tivemos mais um podcast gravado! Mais detalhes e o link para o download do podcast você encontra aqui: http://forum.bufalo.info/showthread.php?tid=2298&pid=31889#pid31889

por W. F. Price, do The-Spearhead.com

A articulista Kate Harding fez a sua “Fuck You Week”, do site feminista Jezebel, com um artigo de ódio contra o movimento pelo direito dos homens, que reforça só o familiar lixo que as feministas usam quando querem intimidar seus rivais. Aparentemente, isto foi causado em parte pelo incidente em Toronto, que começou a mostrar que a estratégia de confronto está começando a dar frutos. (NT: este incidente ocorreu quando o escritor e ativista masculino Warren Farrel foi dar uma palestra na Universidade de Toronto sob o tema “Transforming the Boy Crisis“, que abordava a falha que o sistema americano de ensino cometia na educação de seus jovens. Como falar em defesa do homem atualmente é um crime, um grupo de feminazis resolveu invadir a palestra e começou a causar tumulto, xingando e agredindo aqueles que estavam na palestra. Mais detalhes aqui.)

Incidentalmente, eu notei que algumas pessoas que conheço pessoalmente “gostaram” deste artigo no Facebook. Eu não vou dizer quem são, afinal eles não passam de anônimos sem importância, mas isto mostrou para mim o tipo de homem que ainda acha que o feminismo tem alguma legitimidade moral. Eles são essencialmente urbanos, geeks de mente “progressista” (NT: eu chamaria esses caras de “meninos criados a leite com pêra e ovomaltino”…). Sem família, sem filhos, e provavelmente sem mulher. Na verdade, eu soube que um desses caras que gostaram do artigo – um magrelinho que só fica na internet – foi preso uma vez por violência doméstica e teve uma ordem de restrição imposta a ele alguns anos atrás, o que lhe vez ficar algum tempo morando na rua. É, alguns nunca aprendem.

Talvez, ao invés de analisarmos o grito de ódio do site Jezebel, o que não vale muito o esforço, eu deveria discutir o fenômeno desses machos beta sem perspectiva que orbitam o feminismo. Se for pensar no tipo de furada que eles estão entrando, é algo muito estranho. Que diabos os motivam a isso?

Eu acredito que, como na maioria do apoio dado para essas causas progressistas “justas”, ela é baseada na sua maioria no medo. Um terror constante e profundo de quebrar normas. Ser chamado de “machista” é algo terrível para estas pessoas como ser chamado de “infiel” para algum clérigo durante o século XII. Eles acham que tal coisa resultaria num banimento instantâneo de seus bons empregos e a expulsão de seu círculo social cuidadosamente montada, coisas que são importantes demais para eles. Destura a família, e as pessoas começaram a depender mais de construções sociais artificiais, como gangues de rua por exemplo. Não é de se espantar que muitos destes progressistas urbanos apenas pouquíssimos parentes, ou vivem bem longe de sua família. Eu penso nas famílias desestruturadas que eles cresceram, e não me surpreendo como os mais sensíveis e reflexivos deles que finalmente conseguiram ganhar um bom emprego são tão atormentados com a insegurança e a carência.

Eles lembram um pouco os monges da Idade Média, que encontraram uma causa em comum em meio a estranhos – longe da família – ao aderir a uma visão de mundo estreita, sempre repetindo os mesmos mantras, rezando aos mesmos deuses e seguindo os outros em seus rituais comuns. Sua própria sobrevivência, ou como eles enxergam ela, dependem de uma espécie de fascismo espiritual e ideológico que tanto os disciplina quanto os protege.

Alguns acham loucura que algum monge errante responderia ao castigo, muitas vezes físico, com ainda mais comprometimento a sua fé, mas isso era a norma. Da mesma forma, muitos homens nessa era hiper politicamente correta da nossa elite urbana progressista respondem aos revezes pessoais e a punição de transgressões com um fervor redobrado, se tornando ainda mais fanáticos a ideologia que os une. É uma existência triste e insignificante, mas entre os tipos mais intelectuais é generalizada.

Caso você desafie os pontos de vista que eles consideram sagrados, eles entram num estado de raiva semelhante ao de uma fera acuada. “Palavras feias” estão entre as coisas mais aterrorizantes em suas vidas. Mesmo não recomendando provocar tais tipos, isto pode ser algo até divertido de se fazer, porque a histeria com que eles reagem a isto é ridícula.

Então o que podemos dizer sobre estes homens? Eu não tenho certeza se vale a pena ajudá-los ou combatê-los. Por um lado eles são uma minoria aqui nos EUA. Homens brancos são hoje 30% da população, e tais indivíduos devem representar uns 20% disso. Então, temos aqui uns 5% da população americana, e ainda estou sendo generoso. E muitas vezes eles não tem fibra para arrumar uma briga (com algumas poucas excessões). Se eles abrem a boca, geralmente é apenas para manginar para garantir a atenção feminina. Você os vê comentando nesse Jezebel de tempos em tempos, mas quantos homens mesmo lêem este site? Se você não aborda assuntos de homem, porque você teria que se importar? A única razão que vejo nisso é que alguns deles pensam que se unir a feministas podem garantir algum sexo para eles.

Quando temos que abordar esse fenômeno desses homens brancos urbanos “progressistas”,  o melhor a se fazer é ignorá-los. Confrontemos as feministas, e mantemos nossos olhos nelas mesmo se elas tentam jogar esses caras na nossa frente para atrapalhar. Apenas os ignore e continue a ir atrás das feministas. No fim, os únicos homens com quem devemos nos preocupar são os policiais. É apenas a lei que devemos seguir – não algum idiotinha sem fibra que fica nos dizendo o quanto somos “homens maus”.

fonte: http://www.the-spearhead.com/2012/12/13/kate-harding-gets-her-hate-on/

11 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Brasileiro

    Olhem esta notícia bizarra. Sim, exatamente isso que leem: a mulher irá se casar com o cara que matou sua irmã gêmea.

    1. Brasileiro

      Só para avisar que a justiça argentina suspendeu o casamento em questão. Ainda assim, segue o impacto de ser uma mulher que quer casar com o assassino de sua irmã gêmea.

  2. Don Corleone

    O pior é que no judiciário está cheio de homens desse tipo. Vou contar uma passagem pra vocês terem uma ideia. Aqui na minha cidade tinha um defensor público já de certa idade e que agora se afastou por problemas de saúde. Pois bem, ele atendia as mulheres que estavam se separando nas questões de bens, guarda dos filhos e pensão. Ele trucidava os homens na frente do juiz, agia com fervor, comprava briga, fazia de tudo pra tirar todo os direitos dos homens e tudo isso imaginem pra quê? pra ver se elas davam pra ele. Várias mulheres me contaram que ele flertava elas quando iam procurá-lo para defendê-las. Então meus caros, enquanto certos homens não se revestirem de moral, hombridade e fazer como as mulheres fazem, se unir em causa própria, nós estaremos brigando com 2 inimigos, as feministas e sua tropa e os homens domados, que traem os próprios irmãos pra tentar ganhar uma vagina.

  3. Sr. Vergara.

    Não é bom ignorar não. Bom, eles ajudarão a decidir qualquer votação acirrada, sem contar que, uma vez na faculdade, vão colaborar no processo de formação de opinião, especialmente se virarem professores.

    Foi exatamente isso que ocorreu na década de 80 e 90 no Brasil, com a nova geração sendo moldada desde o berço a ter o pensamento mais “progressista” possível dentro desse Marxismo Cultural.

    Sem contar que na impessoalidade de concursos públicos, muitos desses “homens” podem vir a garantir cargos importantes no campo jurídico e no processo de tomada de decisões.

    O importante ao denunciar a tática do atual feminazismo, é abrir os olhos do máximo possível de homens e angariar rejeição nas mulheres à atual fase de confronto do feminismo, mostrando que com isso elas também tem a perder.

  4. Julio

    Homem feminista tem o mesmo comportamento do miguxo… no caso do homem feminista, ele acha que vai conseguir / ampliar suas possibilidades com as mulheres abraçando o feminismo… já o miguxo acha que vai “conquistar” a amada com “o tempo”.

    1. Barãozin

      Pior q eu não pensei por este lado. O homem feminista é uma espécie de “miguxo político” rs

  5. andre-desbravador

    é como sempre digo, acabe com o manginismo e o feminismo vai por esgoto afora pois feminismo não tem estrutura é como um prego na areia, é claro com a vida confortavel que uma mulé pode ter hoje graças aos homens do mal, que criaram e moldaram essa sociedade cheia de confortos com energia eletrica, agua encanada, seila as vezes eu penso que a sociedade pra s e livrar de certos males tera que regredir a idade da pedra, ai eu quero ver
    o sistema bruto pairar sobre a humanidade.
    não s ei s e um dia a real vai reinar no universo masculino, mas feliz daquele que acordou pra vida e deixou de ser zé buceta.

  6. Um Cara

    Eu já fui um desses caras aí, até que calejado da vida começei a me perguntar o porque eu agia dessa forma. Eu era um bobo que ficava entendendo os erros das mulheres, culpava os caras por tudo que acontecia a elas e tal. Mas de um tempo para cá eu começei a refletir o porque de continuar nessa defesa, se elas sempre valorizam os cafas e deixam caras comuns e medianos como eu sempre de estepe emocional ou em segundo plano. Foi a partir daí que começei a ler sites como esse, o The Turh (aliás, o masculinista mais centrado de todos, um cara que escreve com propriedade, expondo só a verdade sem atacar ou ser grosso com quem quer que seja), agora têm tipo uma tropa de choque querendo fazer eu voltar a ser o que era, mas agora amigo eu passei do ponto sem retorno. Já estou fora da Matrix e sem nenhuma saudade de lá, é difícil sair e está sendo para mim ainda. Mas um dia tudo irá se esclarecer e eu vou poder viver uma vida melhor.

  7. Franlkin

    pra mim,pior que mulher feminista,é homem feminista!
    eu tenho nojo desses cagalhões,defensores de vagabundas!!
    se rebaixam por migalhas…como disse o camarada leandro,melhor seria cortar as bolas…
    “melhor morrer em pé,do que viver de joelhos”

  8. Leandro

    Homens feministas são traidores de seu próprio gênero, sem amor próprio. Já estao afeminados, só falta cortarem as bolas. Fracamente, eu não tenho pena destes lixos, merecem se fuder.

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: