«

»

set 05 2012

Um mundo sem bicicletas

por White Raven

O homem é um animal doméstico que, se tratado com firmeza e bondade, pode ser treinado para fazer muitas coisas.

– Jilly Cooper

Esta citação resume a visão moderna que temos do homem. Se no passado os homens eram vistos como inventores, pensadores e líderes, hoje eles nem são vistos como humanos. Seres obsoletos, neandertais violentos que jogariam o mundo na lama se as mulheres  não tivessem por perto para civilizá-los e conduzí-los.

Não tem importância que o mundo em que vivemos foi construído – e principalmente mantido – por homens:

Foram os homens que construíram as casas, as pontes, as estradas, as ferrovias, represas, fábricas, navios, canais, monumentos, aeroportos, igrejas, escritórios, túneis, a maquinaria industrial, etc…

Foram os homens que tiveram que trabalhar nas fábricas, fundições, esgotos, nas minas, etc…

Foram os homens que, de forma justa ou não, tiveram que lutar nas guerras, combater o crime, enfrentar as tempestades, encarar as dificuldades…

E foram os homens que inventaram, descobriram e fizeram praticamente tudo que foi inventado, descoberto e feito.

É neste contexto que eu gostaria de explorar a noção popularizada por Gloria Steinem que uma mulher precisa de um homem como um peixe precisa de uma bicicleta.

Se o homem é apenas um animal bruto, que apenas é capaz de produzir coisas sob a supervisão de uma mulher, então é lógico supor que uma mulher pode sobreviver facilmente sem ele. Uma pequena olhada pela história, entretanto, desmonta esse pensamento em segundos. Os grandes cientistas, matemáticos, artistas, filósofos, músicos e escritores durante toda a história da humanidade são quase que exclusivamente homens. As excessões provam a regra.

A grande verdade é que, graças ao grande paraíso tecnológico criado pelos homens que é a civilização ocidental, agora é possível para a mulher viver confortavelmente sem ter um homem em sua vida. Neste caso, realmente ela não precisa de um homem. Mas o homem é extremamente necessário para fazer as engrenagens da sociedade girar, do qual seu estilo de vida depende. Então ela ainda precisa demais dos homens.

O que acontece aqui é a mulher simplesmente esqueceu que foi o homem que fez com que a civilização ocidental fosse possível e que foi o homem que fez e fará os serviços perigosos e insalubres que mantém ela em funcionamento. O homem como um grupo está se tornando meras piadas quando a mulher afirma que eles não são mais necessários para a sociedade, e isto é responsável em grande parte pelo crescente êxodo masculino em assumir o contrato não escrito que mantém a civilização em seu lugar.

Entre outras coisas que o contrato não escrito impõem, uma delas é que o homem como um grupo deve proteger a mulher como um grupo. Podemos chamá-la de claúsula da Bicicleta. Ela dita que se uma mulher estiver por si em um ambiente hostil, seja temporária ou permanentemente, ela poderia contar com a ajuda de um outro homem que estivesse disponível sem ter nenhum tipo de relacionamento anterior ou ter que dar algo em troca por isto. Tal cláusula era invocada por qualquer coisa, desde trocar um pneu ou intervir numa situação violenta.

Resumindo, qualquer homem tinha que estar pronto a arriscar sua vida e seu bem estar a qualquer momento para proteger uma mulher, mesmo se ela fosse uma total desconhecida. O homem que salva a vida de uma mulher é visto como herói e um homem que escolheu não se envolver era visto como covarde. Esta parte do contrato foi baseada no entendimento que a mulher é mais fraca que um homem e tinha o direito de receber ajuda de outras pessoas enquanto um homem é responsável por cuidar de si.

Mas se uma mulher é pelo menos igual (senão superior) ao homem, então tal parte do contrato não se aplica mais. Demandar igualdade é renunciar a cláusula do contrato que dava privilégios especiais baseados no conceito da fraqueza. E mesmo que tal noção ainda persista, parece que os homens estão começando a ignorá-la:

Uma das características mais marcantes do desastre [do navio Costa Concordia] que provocou muitos comentários são os relatos de sobreviventes que afirmavam que, no meio do caos, os homens se recusavam a dar seus lugares para mulheres e crianças, e além disso se impunham na frente delas para poderem escapar.

Você não pode ter as duas coisas ao mesmo tempo. Ou a mulher é mas fraca que o homem e precisa de proteção, ou ela é igual a eles e podem se virar. Achar ruim que os homens estavam agindo em interesse próprio  enquanto eles são ensinados que mulheres não precisam ou não querem sua ajuda não é apenas contraprodutivo, mas como extremamente injusto.

Esta é uma questão binária com apenas duas respostas possíveis – ou elas precisam da ajuda do homem ou não. Atualmente, a cultura nos diz que não, e o homem está respodendo a isso deixando elas se virarem. Isto continuará enquanto a cultura não mudar.

Resumindo, num mundo onde bicicletas não são mais necessárias nenhuma será produzida. Elas mesmas estão deixando bem claro que não precisam de homens, e estão ativamente criando um mundo sem bicicletas. É simples questão de oferta e demanda. Só espero que quando e se elas se encontrarem desesperadas por uma bicicleta elas percebam que a razão delas não terem uma é que elas coletivamente insistiram que não precisavam mais delas.

fonte: http://www.the-spearhead.com/2012/08/27/a-world-without-bicycles

13 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Tiago

    Eu mesmo trabalho numa distribuidora de vidros e como é trabalho de risco não existe mulher nenhuma na produção e quando descem só olham com nojinho espero que o mundo que elas desejam criar elas trabalhem como nos 😀

  2. Rickd

    Achei que você fosse fazer um post sobre como as bicicletas estão em franco declínio. Depois da popularização das motos entre jovens (que compram pra impressionar mulheres) a industria da bicicleta encolheu 70% dos anos 80 até os tempos atuais. Se antes era legalzão ter uma bike foda aos 15 anos, hoje é visto como piada, porque a molecada ja tá andando de biz.

    As mulheres destruiram, estão destruindo toda uma industria. A coisa é tão feia que propagandas da Caloi muito comum há uns 15 anos atrás simplesmente desapareceram. Até em ofertas de produtos em panfletos elas são sumariamente ignoradas, agora são vistas como coisa exótica e de gente ecológica.

    Se vc reparar bem, até o cross-aventura com moutain bike e bmx acabou totalmente, hoje tem que ter moto pra fazer cross ou de preferencia um carro cross.

  3. Perseu

    A chave para decifrar esse paradoxo é simples: “conveniênia”.

    Quando é conveniente dizer que as mulheres são fracas, elas o dizem; quando o conveniente é dizer que elas são iguais ou superiores, as feminazis ajustam o discurso.

    Direitos iguais, responsabilidades diferentes.

  4. Marcos Frederico Andreoli

    E esse texto diz algo que eu gosto de repetir para defender o masculinismo: existia um contrato onde homens e mulheres haviam tanto direitos como responsabilidades. As mulheres romperam com sua parte nesse contrato e ainda nos cobram as mesmas responsabilidades sem querer dar a contrapartida. Está na hora do homem romper com a parte dele.

  5. Humberto

    Cara,esse blog e o detonando a matrix são foda demais,não conheço mais nenhum.
    Elas queria direitos iguais?? Be careful of what you wish,BITCH

  6. Renato

    Muito bom o texto,eu disse isso aqui e repito : NÃO SE CASEM SUAS BESTAS!!!

    Gastem o dinheiro com vocês,invistam em vocês,saiam com prostitutas,e façam sexo com as novinhas “se possível” e só.
    Invistam seu tempo e dinheiro em vocês,o homem quando fica mais velho é como vinho,a mulher não,ela azeda rápido e se estraga.

    Mulheres e crianças primeiro é o caralho! Elas não são melhores?mais fodas? então se fode aí ué.

    Não ajudo mulher em porra nenhuma,direitos iguais eu levo a sério…hehe

  7. Don Corleone

    Interessante que ontem em um site famoso tinha uma reportagem sobre uma mulher que cortou o pênis do companheiro e jogou na descarga para que não houvesse chance de reimplante; pois bem, ao ler os comentários eu percebi que as mulheres no geral não se importam com os homens e alimentam um rancor sem limites. Mais de 90% das mulheres acharam graça, apoiaram e muitas insinuaram terem tido uma boa inspiração para fazer o mesmo. Isso não me surpreendeu. O que fiquei louco da vida foi que vários homens levaram na brincadeira, outros apoiaram a atitude da mulher e alguns apenas se revoltaram. Fiquei pensando: graças a esses otários é que a situação está assim, não veem que estão dando um tiro no próprio pé e que amanhã serão eles as vítimas das mulheres que eles tanto defendem. E a vagina tem tanto poder que os meus comentários contra essa situação começaram a ser censurados nesse site. Vejam como o poder oculto das mulheres dominou os setores da mídia apoiado pelos manginas otários

    1. andre-desbravador

      é meu caro….
      como eu sempre falo não temos que combater as modernetes pois a superioridade delas é como um castelinho d e cartas de baralho não aguenta um simples sopro que vem ao chão, o combate tem que ser em cima do gigantesco e poderoso exercito de manginas, enquanto houver manginismo havera essas patitice toda que vemos por ai.

  8. André

    Auto-suficiência e pretenção feminina é um tiro no próprio pé.Deixem elas sozinhas em momentos de perigo para ver como as mesmas choram como meninas indefesas.É assim a vida.Ela não é boazinha nem doce com nós homens por que deveríamos dar algum privilégio as mesmas que nos olham e tratam como lixo só por sermos diferentes?Continuem a pregar os direitos iguais que colherão o mesmo como foi no caso do naufrágio Concórdia.

    1. andre-desbravador

      não existe essa coisa d e mulé alfa ou fodona, se a soceiadade entrar em um caos seja por guerras ou desastres naturais, elas vão voltar pra dentro de casa e se comportar como amelinhas,o unico poder que e las tem é a sua buceta em um mundo onde atualmente as engrenangens são movido a buceta, ja pensou se o mundo fosse totalmente dominado por calcinhas o que não é dificil acontecer, o planeta iria entrar em declinio. na minha opnião antes d e combater essa filosofia da mulé fodona, temos que combater o manginismo que é a base dessa merda toda, tu ja pensou se 80% dos homens tivesse essa ,mentalidade da galera que interage nesse site do bufalo…… cara elas estariam na pica do saci.

  9. Coringa

    Buafalo, queria dar os parabéns pelo blog. Continue assim. Depois que o the Truth acabou com o blog dele, pensei que o nosso movimento tivesse parado.Continue postando, não vamos deixa nos enganar.Temos que ver a realidade do jeito que ela é.
    Abraços

    1. John Romano

      A Real é um vírus! Ela NUNCA irá acabar, enquanto houver pelo menos um só homem que não se venda nem se rebaixe por cause de mulher e sexo.

  10. andre-desbravador

    ta ai um texto bacana……
    antigamente o homem movia o mundo, hoje é a buceta que move o mundo, em uma sociedade onde qualquer um pode ter uma vida independete, não é só a mulé que não precisa do homem, a verdade é que o homem não precisa mais da mulé, qual dificuldade tem em varrer o chão colocar a roupa suja na maquina lavar pratos…putz
    se uma mulé me classifica como apenas uma ferramente utilitarista, estamos empatados pois eu a s vejo apena s como uma buceta de pernas… somente isso.
    e buceta qualquer uma tem seja uma analfabeta uma balconista etc.

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: