«

»

set 14 2012

Mais considerações sobre o sexo pago

Não deixem de escutar o Décima primeira edição do Jornal da Real!

Nos comentários do artigo “Paga por sexo? Perdedor!”, Roberto novamente faz uma brilhante análise sobre o mercado do sexo e alguns motivos pelos quais seus detratores o combatem com tanta força. Outro tratado realista!

por Roberto, do fórum Mundo Realista

A linguagem intimidatória funciona nestes casos porque a maioria dos homens sentem medo da desvalorização. Eles pensam que as mulheres gostam deles em si, e se derretem ao receberem aquela enxurrada de declarações de amor que a mulher lhes faz no início do relacionamento. Por serem machos de baixa hierarquia, são desprovidos de ambição e seus desejos se limitam a esperar a morte com o mínimo de sofrimento possível. São passivos, e por isso mesmo a vida lhes fará tomar no cu.

A sexualidade do homem possue dois pedais: acelerador e freio.

O acelerador é a libido. O homem quer espalhar os seus genes para o maior número de mulheres possível. A partir do momento em que o acelerador é acionado pela primeira vez, o homem jamais se sentirá sexualmente satisfeito. A satisfação é apenas temporária, pois poucas horas depois de fazer sexo, o homem já quer ter uma nova relação sexual. Satisfação e prazer são anestesias para o trabalho. Existem para recompensar e revigorar o homem, preparando-o para se esforçar novamente. Quem aqui nunca ouviu falar que o prazer é importante, mas em primeiro lugar vêm as responsabilidades? É exatamente assim que funcionamos. O desenvolvimento pessoal é o principal, pois nosso corpo foi feito para se movimentar e nosso cérebro foi feito para pensar. Descanso e prazer são o alívio. Quando se vive apenas a recompensa, mas nunca se investe no desenvolvimento pessoal, o resultado é a monotonia. A monotonia causa sofrimento justamente porque não fomos feitos para o comodismo.

O freio é a paixão. A paixão é exclusiva do homem por se tratar de um sentimento ativo. O papél ativo no relacionamento é do homem. É importante que o homem seja programado geneticamente com um freio à sua sexualidade, pois sua proteção é necessária enquanto a fêmea estiver grávida, bem como alguns meses depois de a prole nascer. O aparelho psicológico da mulher é totalmente voltado a manipular o homem em favor do seu interesse de um relacionamento sério, para tirar dele todos os recursos necessários à perpetuação da espécie. Acontece que o homem é três vezes mais forte e possui seis bilhões de neurônios a mais. A mulher sozinha jamais conseguiria qualquer coisa do homem. E é por isso que o homem possui essa fraqueza que é a paixão, uma brecha para que a mulher tenha qualquer chance de conseguir o que ela quer. Os homens que não se apaixonam são indomáveis. Sempre ganham a guerra da paixão, pois sem que o homem consinta, a mulher não possui qualquer poder sobre ele. São literalmente soberanos, e por isso é que existem bilhões de mulheres usadas e descartadas por cafajestes. Não existe mulher alfa, pois a mulher está no nível de um beta. Ela não é capaz de evoluir, pois a natureza lhe deu um papél passivo, sem poder. O poder é do homem, que pode ser tanto o mais independente quanto o mais apegado, dependendo de como ele se comportar.

O homem vive em uma balança entre esses dois pedais. É impossível romper qualquer um deles. O que se pode fazer é lutar contra eles, ou contra um deles. Nossa sociedade incentiva os homens a lutarem contra a libido e se renderem à paixão. O homem rendido pela paixão freia quase que completamente a sua libido. Vive apenas de sentimentos e recebe um mínimo de satisfação sexual para não ficar louco. A paixão é realmente um mecanismo capaz de castrar o homem. Não há uma castração propriamente dita, pois a atividade hormonal ainda existe. A castração emocional causada pela paixão faz com que o homem conscientemente rejeite sua própria sexualidade. O corpo masculino quer sexo e estimula o homem a exercer sua sexualidade, mas o homem repete à si mesmo que isso é errado, sente vergonha desse mecanismo e usa todas as suas forças para suprimir as necessidades do corpo. Não é a toa que muitos cometem suicídio. Estão a destruir o próprio organismo.

Quando um homem é castrado emocionalmente, não adianta argumentar em linhas racionais. Mesmo que os argumentos do emasculado sejam totalmente destruídos por um discurso lógico e científico, ele ainda sim recusará a verdade. Para convencer um homem a reerguer sua virilidade e pisotear o vírus da paixão, é preciso atacar o seu emocional. Existem duas maneiras de fazer isso: atiçando a sua sexualidade ou devolvendo a ele as consequências de seu apaixonamento.

Não existe emasculação que resista a uma linda jovem de um metro e sessenta e cinco de altura, peituda, bunduda e coxuda. A fartura sexual inibe a paixão. Afinal, porque um homem haveria de se incomodar com os inferninhos emocionais da mulher A, se ele tem disponíveis a B, C, D, E, F e por aí vai? Para os apaixonados que estão a ler o meu texto nesse momento, sugiro que dêem uma boa olhada na mulher que os está manipulando. Sim, geralmente é uma mediana despeitada, bundinha decente, carinha “arrumadinha de vez em quando”. E então amanhã aparece ESSA MULHER AQUI (AVISO: cuidado se for abrir o link no trabalho!) querendo dar pra você, e aí?

Garanto que a paciência para joguinhos diminuirá exponenciamente. A maioria dos homens que criticam a prostituição nunca usaram os serviços. Basta uma GP dar trato no “pau caseiro” que a mentalidade emasculadora em que ele vivia desce pelo ralo.

Tem também o segundo caso, onde o homem sente as consequências do apaixonamento. Acredito que esse tenha sido o caso da maioria dos membros das comunidades virtuais da real. Chega a um ponto em que a pilantragem passa tanto da linha de tolerância que a fera acorda e o homem procura a libertação. E aí sim, ele finalmente começa a devorar os livros de Nessahan, as postagens dos blogs e passa a ler e participar das comunidades e fóruns.

Prostituição é um serviço essencial para o bem estar do homem. O homem que se recusa a consumir a prostituição por sentir vergonha de recorrer a esse serviço não é diferente de uma pessoa se recusar a comer em um restaurante por ser muito orgulhoso para provar uma comida que não foi feita pela sua mamãezinha. Tem que ser muito imbecil para se recusar a sentir prazer por meio do melhor custo-benefício da atualidade.

A única ressalva que faço a respeito da prostituição é que ela não deve ser usada como escusa à falta de desenvolvimento pessoal. Não é saudável deixar de procurar a evolução ou a socialização só porque possui uma opção garantida de sexo. Relações sexuais com prostitutas profissionais não excluem relações sexuais com “prostitutas civis”. Ao invés de usar uma como desculpa para fugir da outra, por que não ter as duas? A prostituta civil / indireta / social está de greve e se recusa a fornecer sexo sem chantagens emocionais? A melhor solução é se afastar dela e usar a prostituta profissional para o serviço. Quando a civil sentir o desapego e oferecer sexo de conciliação, dê um tempo da profissional. Não existe nenhum motivo para o homem não buscar o equilíbrio entre prostituição civil e profissional. Afinal, o negócio é comer cu e buceta.

O artigo tocou num ponto muito interessante: as mulheres de hoje não tem nada de bom a oferecer além do sexo. E por isso, não passam de prostitutas amadoras. A ideia de ter a exclusividade de uma mulher, tanto do ponto de vista sexual quanto do afetivo, é correta, porém impraticável. Hoje não existe fidelidade e honestidade no mercado sexual. É ineficaz a atitude de procurar uma mulher que não tenha sido afetada pelas porcarias culturais que cercam o mundo atualmente. Primeiro é necessário limpar as porcarias culturais que cercam o mundo atualmente. Depois, substituir as porcarias por uma cultura de valores e respeito. E por fim, só então colher os resultados, que são mulheres próprias para se formar uma família.

Como fazer isso?
1. Não assumir compromisso com: carreiristas, feministas, garotas de programa, mulheres de origem questionável, pseudo-exceções, vadias de toda espécie, etc.
2. Desenvolver-se em todos os aspectos da vida (acadêmico, econômico-financeiro, emocional, espiritual, profissional, sexual, social, etc).
3. Estender a mão a quem honestamente procurar ajuda, compartilhando todos os conhecimentos que adquirir em sua jornada.

Por fim, e não menos importante: se o sexo não é gratuito, a mulher é um objeto. Quando a mulher exigir qualquer compensação por sua companhia, seu afeto ou sua atividade sexual, ela é uma prostituta. Quando a mulher consente que o homem arque inteiramente com as despesas de comida, bebida, combustível ou hospedagem, ela consentiu tacitamente em ser um objeto de consumo. Quando a mulher exige que o homem a conquiste com habilidades sociais como boa conversa, postura corporal, seriedade, serenidade, sutileza nas demonstrações de sexualidade, ela consentiu tacitamente em ser um objeto de consumo. Sexo de graça? Só quando a mulher consente a relação sexual por se sentir genuinamente interessada pela personalidade do homem, pelo que o homem é em si, e não pelo que ele tiver a oferecer.

Muitos pensarão: “mas Roberto, se for assim, toda mulher é um objeto então! É praticamente impossível uma mulher ser tão honesta e igualitária em um relacionamento!”

Resposta correta. Entendeu agora a importância de o homem lutar contra o apaixonamento?

fonte: http://mundorealista.com/forum/viewtopic.php?f=14&t=6767&start=20#p146077

14 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Sebastião Pinheiro

    Resumindo: NÃO EXISTE SEXO GRÁTIS!!!
    Toda mulher tem seu preço!

  2. Cafajeste

    “Quando a mulher exige que o homem a conquiste com habilidades sociais como boa conversa, postura corporal, seriedade, serenidade, sutileza nas demonstrações de sexualidade.”

    DESCORDO TOTALMENTE, isso todo homem deve saber ou procurar aprender, pois ajuda ele em todos os aspectos das vida, vc achar que qualquer ser humano ou mulher DEVE TE DAR SEXO ou qualquer outra coisa sem vc ter habilidade social e conformismo de Nerd, e o mesmo que as mulheres fazem com propagandas pra nós homens aceitar elas gordas, puro conformismo.

    1. Roberto

      Conquista é um protocolo que a mulher exige apenas para homens de baixa hierarquia. A mulher não gosta do homem comum, mas vê nele as utilidades de um provedor. Para tornar a manipulação desse provedor algo mais prazeroso, ela exige essa que esse homem se torne, além de provedor de jantares e presentes, um provedor de emoções. Já que o homem comum não é naturalmente emocionante pra ela, a mulher exige que ele a conquiste. Conquista é um fetiche que gera prazer emocional na mulher. Se a mulher não gostar do homem por sua personalidade natural, pelo que ele é, e exigir que ele adote artificialmente uma personalidade de Don Juan, ela o está usando como fetiche. E sempre que a mulher usa o homem como fetiche, ela não passa de um objeto. Nada mais justo do que objetificar corporalmente a mulher que objetificou emocionalmente o homem.

      Em resposta às suas acusações sobre o conformismo, veja esse trecho do texto:

      “A única ressalva que faço a respeito da prostituição é que ela não deve ser usada como escusa à falta de desenvolvimento pessoal. Não é saudável deixar de procurar a evolução ou a socialização só porque possui uma opção garantida de sexo.”

      Como se vê disse no texto que não se deve deixar de procurar a evolução ou a socialização.

      Inclusive, desde que conheci a Real, todos os dias eu tenho me desenvolvido e já colho os resultados. Já peguei um bom número de mulheres universitárias SEM PRECISAR DE CONQUISTA. Bastou um olhar meu, um sorriso dela e em menos de três minutos ela já foi sentar aonde eu estava, e eu já comecei a pegá-la.

      Quanto mais limitado for o homem, mais ele precisará atender aos fetiches femininos (como conquista, reputação, carro, imóvel, jantares, presentes, etc.). Por outro lado, quanto mais destacado o homem, menos ele precisará atender aos fetiches e mais rápido ele obterá o sexo. E em todos os casos, a mulher que exige satisfação de fetiches não presta para relacionamentos.

      Obviamente, não é minha intenção proibir ou desistimular as pessoas de fazerem o que elas querem fazer. Por exemplo, se você tiver algum fetiche por conquista, vá em frente e seja feliz. E se você quiser assumir relacionamentos com uma mulher dessas, também não te condenarei por isso.

      Ao invés de condenar as pessoas por pensar diferente de mim, eu penso em maximizar os meus lucros. Se o homem aceitar a Real, ele contribuirá para a sociedade e diminuirá os prejuízos que a coletividade me traz. Se o homem rejeitar a Real, ele se casará com uma vadia e será eventualmente processado. E eu estarei lá para advogar por ele e ganhar o meu trocado. rs

  3. marcos

    Artigo arrasador!!

  4. Pablo

    Perfeito Ricardo. Com sábias palavras, e com muita clareza, vc definiu bem a mulher moderna. Não adianta agente ficar em busca de algo diferente, atrás de uma utopia de uma garota especial. Todas são assim por natureza, é da genética delas, do DNA ou até mesmo da origem delas. Sim todas mulheres tem esse lado hipergâmico, narcisista e egocêntrico. Só temos que conviver com isso, e saber diferenciar o nível ou estagio que esta. Tem mulheres que tem esses graus mais baixo, e essas sim merecem meu respeito, afinal, elas seriam um tipo mais conservadora ou talvez discreta ou até mesmo reservada.

  5. jose

    vocês ficam falando em sacanagem; e, tem como parceiros, páginas de religiosos. sem comentários.

  6. Renato

    Artigo arrasador!!

    Um tempo atrás um conhecido meu falou “-Que mané sair com putas o que cara,tem TANTA MULHER AÍ querendo dar de graça,não vale nem a pena….”
    Eu ouvi isso é disse
    “-Jura?então porque você voltou sua ex-namorada depois dela ter te metido um processo de união estável e te fudido no tribunal arrancando até suas cuecas?Não tem tanta mulher por aí querendo dar de “graça”?Voltou com a ex porque?”

    Resumindo:Tem um monte de mulher querendo dar de graça por aí PORRA NENHUMA,se isso fosse verdade não existiriam prostitutas,filmes pornos e se bobear o cara nem bateria punheta na vida dele.
    Homens como eu viveram desertos sexuais durante boa parte da sua adolescência e depois também na vida adulta e ai?Cadê as mulheres querendo dar desesperadamente?!?

    Vivam as GPs,e quem se apaixona é TROUXA! Viva desapaixonado e seja feliz.

    1. andre- desbravador

      sim ha um grande volume de mulé querendo dar……
      querendo dar pro cafa destacado
      querendo dar pro chefão do trabalho….
      querendo dar pro bandidão trafica que controla as currutelas
      querendo dar pro famosão…..

  7. andre- desbravador

    gp é a melhor jogada para o homem comum e para quem tiver a cabeça no lugar, o artigo citou alguns pontos q ue sempre defendo ardualmente como a auto valorização investir em si mesmo, quantos manes não ficam a i se matando de trabalhar para bancar o cursinho d a esposinha e depois recebe um belo par de guampa.
    gp não quer saber s e tu tem diproma ou é o zé da reciclagem que cata papelão na rua, pra elas o que manda é o pagamento e foda-se, as putinhas d e famiiia essas ficam ai com nojinho de dar pra tu pois vc é o porteiro e não o chefe alfa da empresa, que nojo vc é o motorista d a ambulancia e naum o douto que passa a regua nas enfermeiras vadias, enfim se tu acorda cedo pra pega aquele buzão lotado pra ir pro trampo e come aquela marmita fria, aff vc não é digno d e penetrar naquela buceta feita de outo que tem o grelo feito de pedras preciosas…..
    muitos d e nos apesar de esforçar bastante na vida iremos acabar em um emprego mediano com um slalario mediano isso é fato, o importante é saber viver pois a vida meu caro sempre vai estar pronta a nos dar chute na cara.
    pra min mulé s e resume a uma buceta de perna e pronto.
    e nada melhor depois daquela semana cansativa parar no cabaré d a loira tomar aquela gelada.

  8. Humberto

    Isso que é blog. Onde consigo baixar os livros do nessahan?? Pq aqui no brasil é que não iriam divulgar isso.

    1. John Romano

      Você encontra os livros num fórum da real pertinho de você! hahahahah

  9. Santo

    Nossos avós libertaram o monstro, agora cabe á nós, lidarmos com ele!
    Não acredito em mulher exceção, todas só querem a oportunidade para se mostrarem verdadeiramente, mas de forma á ser aceitável socialmente.
    Teu texto está correto, mas acredito que o homem não deva se deixar guiar pela sua forte sexualidade, deve controla-la e domar seus instinstos, não deve deixar-se tornar refém da sua libido.
    Somos formados por 03 bases, que são corpórea, mental e espiritual. Alimente todas da forma necessária á cada um, ou de que adianta ter o mundo todo e perder a alma?
    Buscar sempre o equilibrio, este é o segredo. E o equilibrio é afastar-se daquilo que poderá derrubar-lhe, e mulheres fúteis e ególatras, com certeza estão incluídas nesta categoria.

  10. JV

    Bom demais.

  11. André

    Ótimo artigo.

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: