«

»

set 03 2012

Ganhamos a guerra dos sexos!

por Matt Patterson

Memorando confidencial

Para: todos os homens

Re: Operação “Movimento Feminista”

Homens, nossa longa luta contra o sexo oposto acabou. Nossa vitória é total.

Consegue acreditar como as coisas eram no passado? Lembra quando nossos pais e avôs tinham que enfrentar empregos entediantes diariamente, arcando com toda a responsabilidade de garantir as roupas, a comida e a casa da família toda?

E as coisas não eram fáceis antes do casamento, quando a jornada masculina pela satisfação sexual geralmente era sabotada pelos códigos morais vigentes que ensinavam as mulheres a não entregarem o “ouro” de “graça”.

Bem, os estados das coisas era insuportável. Então nós homens nos unimos e fizemos o que fazemos de melhor – formulamos e implementamos um plano. Primeiro passo, desenhamos um mundo perfeito, o mundo masculino perfeito. Decidimos que tal mundo consistiria em duas coisas: menos responsabilidades e mais – e sem barreiras – acesso ao sexo.

Irmãos, nós conseguimos.

A coisa mais incrível, na verdade, é como foi fácil e rápido dissolver as obrigações e responsabilidades do antigo mundo. O primeiro e crucial passo foi, é claro, convencê-las que elas é que eram oprimidas, que nossos empregos eram “intelectualmente estimulantes” e não a porcaria monótona que eles são na verdade.

Funcionou, e rapidamente as mulheres estavam exigindo para se juntar a nós no mercado de trabalho. Parece que elas não se tocaram que nós poderíamos ter impedido isto facilmente – e não impedimos ainda. Nós abrimos espaço sem muito estardalhaço, na verdade, o que constitui na maior abdicação voluntária da história da humanidade. Somente isto já deveria ter feito elas se ligado que havia algo errado.

Em seguida, as mulheres no ambiente de trabalho começaram a resolver nossos problemas. Primeiro, como cada vez mais interagiamos no ambiente de trabalho isto nos levaria a pular a cerca mais fácil, o que levou a quebra de muitas famílias, e por consequência nos tirou muito da responsabilidade de nossas costas.

Mas isto foi só o começo. Para realmente deixarem as coisas justas, tinhamos que eliminar aquela velha mentalidade burguesa que no passado fazia com que as mulheres fossem frustrantemente modestas e castas. E qual a melhor forma de fazer isto senão convencê-las que um dos piores elementos de nossa sexualidade – a promiscuidade – era na verdade o mais correto dos comportamentos, que deveria ser imitado para elas serem realmente “libertadas”?

E por incrivel que pareça, elas engoliram isso também.

Infelizmente, nossas irmãs são menos capacitadas para tal comportamento, o que causa nelas dor e remorso em suas almas femininas. Mas não importa – também convencemos elas que não existe essa bobagem de alma “feminina”, o que temos é uma alma “masculina”, e que ambos os sexos são igualmente capazes de fazer qualquer coisa.

(Muitos de vocês disseram que mulheres nunca cairiam nessa, dado os milênios de história de nossa espécie que sempre fala mais alto em reforçar a diferença entre os sexos, uma diferença que beneficiou ambos os sexos desde os tempos imemoriais. Mas eu fui otimista – e não estava certo em ser?)

Homens, a Operação “Movimento Feminista” funcionou, e mais rápido e eficiente do que imaginamos. Poucas décadas atrás, gastávamos muito tempo e dinheiro antes de se casar apenas na corte; e depois do casamento nós tinhamos que arcar com todo o peso financeiro de nossas famílias.

Agora, antes do casamento, espera-se que a mulher pague por metade de tudo, o que é ótimo, já que video games são caros. Mas, como cada vez mais vocês estão descobrindo, pra que ainda se importar com casamento? Você pode varar a noite no bar com seus amigos numa boa, seguro ao saber que você pode com alguma facilidade arrumar uma garota fácil, uma que foi doutrinada e condicionada (por outras mulheres!)  a não esperar nada em troca – o que é ótimo.

E de se espantar que, de acordo com uma pesquisa, que as mulheres atualmente estão ficando mais infelizes quando comparada aos homens, entre todas as idades, classe social e estado civil? Não, isso não deveria surpreender ninguém, mesmo que essa infelicidade generalizada delas está as pegando de surpresa. Afinal, elas não “podem tudo”?

Não – somos nós que podemos tudo.

Parabéns, irmãos. Nosso dia está chegando, um dia sem responsabilidades e fácil aocesso ao sexo até onde nossas vistas podem chegar. Melhor de tudo, elas estão mesmo convencidas que elas é que fizeram isso sozinhas, e por vontade própria.

Claro, há alguns inconvenientes. A civilização está entrando em queda livre; as grandes obras nas artes, nas ciências e na literatura, por qual os homens eram os maiores responsáveis, cessaram de iluminar nossas mentes – e quem está ligando? Tais perfumarias não são mais necessárias para impressionar mulheres, o que, na verdade, era a única coisa que realmente nos importamos. Perder a alta cultura é um pequeno preço que temos que pagar para podermos afrouxar a moral e as obrigações que temos com nossas atuais parceiras liberadas.

Então homens, sentem-se e aproveitem. É hora de comemorar.

fonte: http://pjmedia.com/blog/men-the-gender-wars-are-over-%E2%80%94-we-won/

7 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Rodrigo

    Venho defendendo essa tese há bastante tempo, desde a OLODM. A guerra já está ganha, vencemos. Quem está sendo abatido é quem não lê e não tem acesso a informação. Informação é poder. O maior pesadelo delas é que a informação está sendo passada em bares, em grupo de homens, se espalha como um vírus.

    Eu nunca vi uma quantidade de mulheres solteiras, com filhos, depois dos 30 e a quantidade de divorcios. Vencemos, pessoal. As mulheres não tem outra escolha, terão se jogar com nossas regras.

  2. Ricardo Dionisio

    O texto é sarcástico. Não como ganhar uma guerra entre sexos.
    Um homem é genética, psicológica e morfologicamente diferente de uma mulher. Essa complementação entre essa grande separação, esse seccionamento (daí a palavra sexo) é que traz a felicidade para ambos.
    Quem ganhou essa “guerra” foram as feministas e os cafagestes. A grande maioria dos homens e a grande maioria das mulheres foram derrotados.

  3. Dick

    Esse texto é uma ironia deliberada, será que vocês não perceberam?

  4. andre-desbravador

    mesmo um mediano consegue sexo mais facil que um mediano do passado, é claro que o destacado come muito mais mulé.
    esse artigo é interessante pois não temos mais a obrigação de casar para conseguir algo “sexo” em troca ontem mesmo eu tava em um buteco tomando umas biritas e obeservei um casal o cara era mediano e tava dando uns amaços em uma mina não era la essas coisas mais dava pra comer, no passado ou o cara casava ou pegava uma puta.
    resumindo…… a vida sexual do mediano é ruim é , mas é melhor que no passado
    se hoje o feminismo passa uma filosofia de liberdade para a mulherada, na verdade nós ganhamos a liberdade tambem pois nimguem mais é obrigado a ser o proverdozinho fudido de familia e de mulé, podemos ganhar nossa grana e gastar com nos mesmos.

  5. FELIZ

    Meus amigos não me levem a mal. Mas isso não é uma coisa para se comemorar. Ainda não. Descansar talvez. Curtir e a aproveitar. Mas como bem escreveu nosso amigo Matt Patterson essa guerra deixou feridas muito grandes na civilização. Eu acho que é justo para nós homens que viveram décadas sob este jugo dar uma relaxada, umas metidas, umas gozadas. Mas não esqueçamos que chegará uma hora que teremos que arregaçar as mangas de novo. Desta vez para trazer de volta a verdade na Terra. Sim, é verdade que nós conseguimos fazer muita coisa. Nos consertar. Nos curar. E aprender a nadar nesses mares perigosos e bravios. Mas é bom passar isso adiante. Nem que seja começando por um bando de piranhas numa roda de bar. Numa praça. Mas que essa nossa voz chegue a todos. E assim, consequentemente de volta ao poder do Estado. E a nossos filhos. Mas essa é uma outra jornada. Por hora vamos descansar e aproveitar. Quem sabe assim elas mesmas vejam que foram elas que perderam. Mas é isso aí galera vamos primeiro ao tão merecido descanso, a putaria.

  6. JV

    Seria um bom texto se todos os homens fossem ricos, baladeiros e vivessem pra putaria. Quando na maioria das vezes, vivemos pra trabalhar, ganhar um salário considerado mediano e ser visto como mediano. Logo, ser rejeitado e visto como um cara que não tem nada a proporcionar, só problemas ao invés de solução, consequentemente sendo rejeitado.

    1. Daniel

      Muito bom o seu comentario. Concordo plenamente.

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: