«

»

ago 16 2012

O feminismo como infantilidade ideológica

por Matt Forney, do The-Spearhead.com

Se lembra quando você era criança e não via a hora de se tornar adulto? Geralmente quando você tinha que ir dormir cedo, não podia comprar aquele doce ou tinha que ficar de castigo por causa de alguma molecagem.

“Quando eu crescer, eu vou fazer o que eu quiser! Ficarei acordado a noite inteira, comerei o quanto de doce quiser e você não vai poder fazer nada quanto a isso! Ha ha!”

Da perspectiva de uma criança, ser adulto é ser livre. Liberdade para fazer o que quiser sem sofrer as consequências de seus atos. Ser criança é um saco, afinal temos todas aquelas regrinhas a seguir. Faça sua lição de casa, ir bem na escola, não puxar o cabelo da sua irmã, não comer nada depois do jantar, não ficar acordado até tarde, etc, etc, etc.

Quando você finalmente cresce percerbe que ser adulto é uma droga.

Você não tem que seguir mais essas regras, mas agora tem responsabilidades e ninguém para protegê-lo de suas barbeiragens. Você pode ficar acordado o tempo que quiser… e sofrer os efeitos da falta de sono no dia seguinte quando seu corpo está moido por dentro e você não consegue ficar acordado. Você pode ficar jogando video game o dia todo… até perceber que você tem que trabalhar pra bancar seu video game, o aluguel, sua comida e todo o resto. Você pode comer doces até estufar… até você virar uma bola de gordura e ficar com diabetes.

Só uma criança acharia que ser adulto é só curtição. É muito mais sobre ter que trabalhar feito um cavalo do que qualquer outra coisa. Crianças fantasiam sobre quando serão adultas, mas adultos ficam fantasiando em serem crianças novamente, com toda aquela diversão despreocupada e ainda tendo alguém para cuidar de você.

Estava pensando e notei como feministas vêem o papel do homem na sociedade patriarcal da mesma forma que crianças vêem adultos.

“Waah-waah! Homens podem ter toda a liberdade e isso não é justo! Eles ganham mais, podem votar, podem comer quem quiser, eles podem fazer tudo que quiserem! Waah!”

Como crianças chorando sobre como é injusto terem que dormir cedo, feministas ignoram completamente o outro lado da moeda dos privilégios masculinos: a responsabilidade masculina.

Sim, homens em média ganham mais que mulheres. Isto é porque homens são mais propensos a seguirem carreiras que são perigosas, que demandam grande esforço físico e/ou intelectual. Enquanto dirigia para a Barnes & Noble para escrever este artigo, eu notei uma construção na beira da pista, recapeando a estrada. Da por volta de duas dúzias de trabalhadores na pista, vi apenas uma mulher, e tudo  o que ela fazia era direcionar o tráfico. Todos os outros caras estavam fazendo o serviço de peão.

Sim, homens podem comer quem eles quiserem e terem menos repercussão que isso do que as mulheres. Isto porque homens promíscuos são mais propensos a formarem laços duradouros e casamentos estáveis do que as mulheres promíscuas. Isto se dá porque se uma mulher trai um homem e tem filhos com outro cara, ele terá que pagar por um filho que não é seu, sem nem saber disto.

Sim, maridos tem mais liberdades pessoais que suas esposas. Isto porque ele é o chefe da casa, ele é responsável pela segurança dela e de seus filhos.

A liberdade de fazer qualquer coisa vem com a carga de ter que ser responsável pelos seus atos.

Nós podemos ver facilmente as consequências da concepção feminista de liberdade por aí. Moradoras de bairros pobres cheias de pivetes, cada um de um pai diferente. Carreiristas desesperadas atrás de um CSP (NT: capitão salva putas, homens que aceitam casar com mulheres rodadas, mães solteiras, entre outras desesperadas em geral. Geralmente tomam tal escolha por total falta de opções…)  para poderem se casar, antes que seus óvulos parem de ser produzidos. Garotas “liberadas” que acham que homens são atraídas por suas tatuagens horríveis e má atitude.

Será que ninguém fala a elas que comer doces o dia todo é uma péssima idéia?

Então, não estou falando que a mulherada tem que voltar para suas cozinhas. E nem tou interessado em dizer o que elas tem que fazer ou não. Mas como um blogueiro muito esperto disse, escolhas tem suas consequências. Mulheres devem ter a liberdade de fazer o que bem entender, mas elas tem que ter em mente que tais escolhas tem consequências e assumí-las faz parte de ser um adulto funcional.

Se você escolhe fazer artes ou outra carreira na área de humanas, provavelmente você irá ganhar menos que alguém que cursou Exatas.

Se você decide deixar para ter filhos mais tarde, as chances de você arrumar um bom marido irá cair drasticamente, e as chances de seu filho nascer com uma desordem, como o autismo, só irá aumentar. Se você decide dar para todo mundo, os homens a considerarão menos atraente para um casamento/relacionamento comparado a uma mulher mais casta.

Não importa o quanto você esperneie e chore sobre o quanto isto é injusto, isto não irá mudar a realidade ao seu redor. A vida não justa pra ninguém.

As mulheres querem privilégios que os homens tem, mas não querem as responsabilidades que os homens tem.

Ser homem também é assumir as responsabilidades e consequências de suas decisões. Se algo que você fez é errado, reconheça; você não pode ficar jogando a culpa nos outros. Isto é um comportamento de putinha.

O feminismo é uma ideologia de crianças, pelas crianças e para crianças.

fonte: http://www.the-spearhead.com/2012/06/07/feminism-as-ideological-childishness

1 comentário

  1. Doido

    Excelente texto!

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: