«

»

ago 21 2012

“Não há homem no mercado!”

por Duncan Idaho

Está é uma pergunta frequente entre muitas mulheres por aí.

“Não tem mais homens bom? Já estão todos comprometidos. Não sobrou nenhum.”

E por aí vai.

Quando uma mulher diz isto a nós homens – ou mais comumente, para outras mulheres mas de uma forma que todos os homens no recinto escutem – elas fazem isto no intuito deliberado de nos humilhar. Seria mais ou menos como se ela falasse:

“Eu não acho (ou melhor, ele é que não me acha, afinal eu sou muito diligente em tentar arrumar um bom homem) um homem que queria e possa cumprir toda a imensa lista de demandas, em particular minha insistência – quer dizer, senso  de merecimento – de ter um cara rico que me sustente. Vocês homens que estão ao meu redor são lixo! Se expliquem e se defendam! Justifique suas existências, seus vermes!”

E é mais ou menos assim que se parece. Elas amam fazer isso, reclamar que não tem mais “bons homens” e outros variantes (“homem de verdade”, etc) para forçar que você e outros caras que estão ao redor se sintam na obrigação de se defender e tentar explicar porque você – e talvez os outros caras ao seu redor – são dignos de atenção da Toda Poderosa que te escarnece a fim de vê-lo rastejar.

Morder a isca é inútil. Tentar contra argumentar que a entrada na mulher na mercado de trabalho diluiu a força de trabalho e diminuiu a habilidade de um homem comum poder sustentar ele próprio, sua mulher e seus filhos e por conseguinte apontar que foram as próprias mulheres que contribuiram para demolir a habilidade de um homem realizar o desejo feminino de ser sustentada é algo que não leva a lugar algum. Assim como mostrar como cada vez mais os casamentos terminam em divórcio e que com a perda de boa parte do patrimônio do homem neste processo faz com que os caras mais ricos percam ainda mais a vontade de contrair matrimônio.

Tais argumentos são baseados na lógica pura e simples, e além do mais eles ainda responsabilizam as mulheres por seus atos; e mulher é simplesmente alérgica a essas coisas.

Além do mais, tentar rebatê-las com tais argumentos – como tantos caras tentam fazer – é algo humilhante. Porque diabos nós temos que nos defender disto? Porque raios temos que tentar contra argumentar e tentar explicar que há muitos bons homens por aí e que elas simplesmente não se interessa por eles? Evitar cair nestas armadilhas é difícil para muito de nós homens (eu incluso), principalmente durante a nossa juventude, quando inocentemente pensávamos que ter a aprovação feminina era algo que merecia ser conquistada a qualquer custo e que sua desaprovação nos custaria noites sem dormir.

A melhor forma de lidar com uma mulher enchendo o saco falando que não tem mais “homem de verdade” por aí, ou lamentando que “não consegue achar um bom homem”, ou seja lá o que ela invente, é simplesmente dizer:

“É mesmo? Problema seu.”

E então ignorá-la.

Pensem bem. Você como um homem em sua jornada para a felicidade, teria que se incomodar com o fato que falta homens ricos por aí? Você, um homem que vive sob o matriarcado, porque teria que ficar sem dormir ao saber que cada vez mais homens influentes não estão mais a fim de se casar? É óbvio. Isto não te prejudica em nada. Isto é problema inteiramente da mulher (o que elas sabem muito bem, e assim tentam jogar a culpa em nós reclamando que estamos nem aí para os problemas da mulher, assim esperando que assumimos a bronca e tentamos resolver tal problema para ela. Como você trabalhar duro, economizar e casar com alguma aproveitadora que esta a caça de algum idiota afim de bancar sua aposentadoria precoce.)

Então na próxima vez que uma dessas vier falar idiotices sobre o gênero masculino e ficar espalhando aos quatro ventos que há uma falta de homens de verdade (leia-se ingênuos), simplesmente dê de ombros, fale que o problema é dela e não seu e comece a falar com o solteiro mais próximo o quanto é bom ser solteiro.

fonte: http://eternalbachelor.blogspot.com.br/2007/11/there-are-no-good-men-left.html

23 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Gilgamesh

    Se você tentar discutir, entra em um ja-ken-po de duas opções, buceta ganha de pau, sempre. Melhor não discutir.

  2. henrique nascimento

    Ótimo texto! um bando de hipócritas essas mulheres são isso sim , depois reclamam quando são tratadas como objetos sexuais , mais elas fazem por merecer mesmo.

  3. possessed

    Sobre a ” falta de bons homens” , a mulher atualmente consegui se destacar e agora quer sempre os caras que tenha mais grana que elas , eu mesmo conheço uma moça que na época em que fiz amizade com ela atravez de amigos (ela sempre se fez de boa moça) havia um que era apaixonado por ela e ele se arrastava por ela ,(mas era POBRETÃO servente de pedreiro),e ela esperta atravez do manginão conheceu outros amigos e ficou com os mais bonitos e destacados , namorou por uns cinco anos um dos amigos dele e hoje em dia faz uns 6/7 anos que namora nada mais nada menos que o irmão da ex-patroa , ela sempre teve um salário razoável mas hoje em dia ela tem um salário enorme graças o mangina do namorado riquinho que ensina ela a investir e ganhar mais dinheiro , o sorriso da pistolera rodada revela sua satisfação no resultado, perdeu a virgindade com 16 anos ,enganou os fracassados roudou a banca na rola dos mais destacados e agora desfruta dos luxos e bens materiais que um mangina com conhecimento e recursos pode lhe oferecer.

  4. Luiz Guilherme Prats

    Olha, já passei dos quarenta e, se posso dizer algo baseado em minha experiência sem pretender generalizar, digo que 8 de cada dez mulheres que conheci eram interesseiras; digo, materialmente interesseiras. Conheci poucas que tem uma cabeça voltada para a busca de um homem companheiro e inteligente.
    Não, a maioria quer um provedor. Desde as descaradas que selecionam pelo carro que o sujeito tem, roupas e viagens que o cara afirma ter feito até aquelas mais discretas nestes quesitos. Não é a toa que, baseadas nestes critérios de aparência, caem nas malhas de cafajestes (que existem em bom número também). Depois reclamam que homens não prestam e blá, blá, blá.
    Melhor coisa: goste de você mesmo, seja um sujeito honesto e legal, mas não subserviente. Goste de sua própria companhia (se você for um sujeito de valor e conteúdo isto não será difícil). Só abra mão de si mesmo se aparecer uma mulher que valha a pena. Seja exigente. Não se derreta com o primeiro vestido curto e umbigo de fora (tudo bem, dê uma olhada discreta, mas deixe claro que não é isto que procura). Mulheres que procuram seduzir pelo corpo e pelas formas, são em geral banais, interesseira e fúteis, e atraem homens tal quais.

    1. Morais

      Concordo em gênero, número e grau com seu comentário!

  5. Marcus Valerio XR

    O problema de ficar traduzindo textos sempre das mesmas fontes é ficar de fora de perspectivas futuras que já estão deixando bem claro os rumos prováveis deste dito “matriarcado”.

    Ocorre que um das maiores, talvez a maior de todas, forças que ainda tem oferecido alguma resistência a ascenso feminina no ocidente é nada menos que a Monogamia, se não a institucionalizada legalmente, ao menos a culturalmente resiliente. E ela que, ao impedir que os “melhores” homens possam abertamente acumular mulheres, as obriga a se contentar com os homens comuns.

    Como cada vez mais as mulheres ascendem economicamente, e apesar do que costuma se dizer, já estão em larga vantagem econômica em diversos segmentos sociais, fica cada vez mais difícil achar homens “bons” disponíveis.

    Mas a monogamia não tardará a estar sob ataque frontal, sendo muito provavelmente a vedete da próxima grande “luta emancipatória”. Alguns links como
    http://www.salon.com/2012/07/28/how_polygamy_works/
    http://bigthink.com/dangerous-ideas/22-polygamy-is-feminist
    já dão uma boa idéia de como a percepção disso poderá ditar a tônica de demandas futuras. Observa-se claramente que pode optar por um homem mais rico independente dele já ser casado ou não é altamente interessante para as mulheres.

    Talvez seja até por isso que a palavra Hipergamia é quase impossível de encontrar em textos feministas, porque um mínimo de reflexão sobre o tema permite que em 2 ou 3 passos se perceba que a Poligamia, no caso a Poliginia, é resultado inevitável para garantir os melhores resultado econômicos possíveis para a metade feminina da humanidade.

    Aí, só restará aos betas fazer uma revolução.

    Marcus Valerio XR
    xr.pro.br
    evo.bio.br

    1. Barãozin

      Cara… eu já tinha publicado da poligamia aqui:

      “O autor errou. O que temos na Ásia não são mulheres fugindo das agruras da vida doméstica, mas a velha hipergamia em ação. Em diversas partes da Ásia, as mulheres mais jovens estão ganhando mais que os homens mais jovens. As asiáticas estão mais felizes do que nunca para se casar, mas está ficando cada vez pior para os homens terem a vantagem de serem os provedores da família. Na verdade, num verdadeiro retorno às raízes, as chinesas estão cada vez mais se voltando aos casamentos polígamos com as disparidades de renda ficando cada vez maiores. É melhor para elas dividirem um homem rico do que ter só para elas um homem de mesmo nível social.”

      http://canal.bufalo.info/2011/12/the-economist-sugere-que-os-asiaticos-adotem-leis-de-divorcio-ao-estilo-ocidental-para-conter-sua-crise-de-matrimonios/

      É um negócio q mts deles estão cientes, vc não descobriu a roda não rs

      1. Marcus Valero XR

        Realmente muito bom esse texto, que eu não havia lido.

        Mas de qualquer modo fica a dica de um tema que merece ser abordado. Embora boa parte dos defensores da poligamia sejam grupos religiosos (http://www.pro-polygamy.com), já há feministas laicas claramente apoiando a idéia.

        Em geral acrescentando também o direito a uma mulher ter mais de um marido, embora qualquer um que saiba a diferença do mundo real para o delírio do Determinismo Cultural saiba muito bem que pode até haver uma ou outra “Dona Flor” com seus dois maridos por aí, mas o que teríamos mesmo seriam pencas de homens ricos com seus haréns.

        Também é especialmente recomendável
        http://www.scoop.co.nz/stories/PO1301/S00012/the-evidence-that-polygamy-and-polyamory-will-be-next-claim.htm

        Amigavelmente

        Marcus Valerio XR
        xr.pro.br

  6. Jorge

    Geralmente este tido de comentário (Não tem mais home no mercado) é promovido por uma senhora (leia-se puta) que perdeu a virgindade quando ainda brincava de bonecas e agora quer um homem que a sustente, faça todos os seus gostos, seja tratado como lixo, e ainda por cima dê risada. Mulher que é mulher de verdade se respeita e se mantem virgem até o casamento, essa sim vai ser boa esposa e boa mãe. Afinal de contas para que serva uma mulher que não é boa esposa, boa mãe e boa dona de casa? Para nada. Se for pra isso, é melhor se casar com uma boneca inflável, pois a maioria das mães atuais não ensinam a filha a lavar nem a própria calcinha, quanto mais cuidar de uma casa e de um marido. Insanidade de um homem se casar com uma mulher dessa.

    1. Um Cara

      É cara, é por aí mesmo. Outro dia estava numa situação dessa, mas as mulheres em questão não estavam reclamando da falta de homem, e sim do fato da divisão de contas. Mas nesse caso eu não consegui ficar passivo e contra-argumentei. Perguntei a elas se elas gostariam de ser donas-de-casa, ficando em casa, fazendo trabalho doméstico, cozinhando, cuidando dos filhos e isso tudo tendo somente um dinheiro contado que o marido dá por mês para ela fazer as coisas dela. Aí responderam que assim não dava, que ia ser muito difícil. Aí eu respondi que não sendo um homem rico a única maneira de elas viverem uma relação desse tipo era desse jeito, pois não existe salário de homem mediano que dê conta de todas as necessidades das mulheres de hoje.

      1. mario

        Conheço uma mulher, na casa dos 30, assim, porém, ela disse de forma velada: – Gostaria de me casar com um homem que seja bonito e ganhe muito mais que eu, que me desse segurança. O tempo se passou e ela descobriu que um homem assim não quer nada com uma mulher como ela, o desespero chegou e, dentre todas as opções que teve na vida, acabou casando com o pior, hoje, sustenta um marido sem iniciativa nenhuma que ganha menos de um décimo do que ela ganha. Virou marida.

        1. Barãozin

          Justiça poética rs

  7. Realista

    Não falta homem no mercado, falta ALFA DESTACADO no mercado.

  8. Sinistro - Ta ficando bom!

    Ou então se ela for mais direta e te atacar com: “Não existe mais homem no mercado” na frente das amigas. Tu engrossa a voz e fala sério: Eu nunca procurei homem para saber se falta ou não.. Vai da situação e do momento.

  9. Renato

    Não há homem de “verdade” no mercado ?? hahahahahahaha FODA-SE,quem perde tempo se explicando para uma tonta dessas é muito ingênuo,quando falam isso elas só querem se aparecer,se fazer de coitadinhas,enquanto um tonto se rasteja por ela dando mil explicações….

    É só ignorar ou dizer “Foda-se,seilá o que você está procurando num homem”….

  10. Visitante

    Eu normalmente respondo:
    Mulher: Ah não tem mais homem bom.
    Eu: O que é uma maravilha, já que aumenta o nível de carência das mulheres, facilitando assim o meu trabalho.

  11. andre- desbravador

    concordo com o artigo e assino embaixo…
    como é boooommmmm ser solteiro ser um homem livre, deixe essa coisa de relacionamento pra manginas provedores.
    ontem eu e stava conversando com uma balzaca ela e mae solteira e perdeu o virgindade aos 12 anos, vejam só o que espera para o matrixiano apaixonado só mulé boa rsrsr

  12. Humberto

    Muito bom texto. Alguem sabe se tem q pagar pra baixar os livros do Nessahan Alita? Nesse 4share?Ah e tem alguns blogs como o homem realista q ˜ão existem,se por acaso acontecer de algum mangina invadir aqui,ou o metendo a real no facebook,agente se reagrupa e posta tudo de novo,nunca vamos nos dar por vencidos.

    1. Barãozin

      Os livros do NA são inteiramente GRÁTIS.

      MAs parece q a fonte do 4shared caiu. Tem q caçar pelo google outra fonte de download, acredito que lá no mundorealista.com tenha links funcionando.

      1. Tenchin

        Se quiser posso enviar pra você via e-mail em um arquivo compactado, depois vc descompacta. Estou numa discussão ferrenha com feministas no meu facebook. Estão programando agora uma passeata contra a “mídia machista”. Barão eu te adicionei no face, mas vc tem que aceitar. Acho que agente tem que manter contacto por essas redes. Até mesmo pra quando um de nós entrar numa discussão, todos nós entramos de sola. Tamo junto, Força na Real!

        E-mail: Pazebem_rj@yahoo.com.br.

  13. André

    É a mais pura verdade.

  14. anonimo

    Otimo e destruidor,ja sei o que fazer para humilhar uns manginas..

  15. JV

    Ótimo.

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: