«

»

jul 20 2012

O feminismo radical é uma frente socialista?

Não deixem de ouvir o Jornal da Real desta semana!

Criei uma página para compilar dados estatísticos interessantes. Não deixem de conferir!

por Carey Roberts

Nos últimos 30 anos eu segui a trajetória do feminismo. Originalmente eu era um defensor ardoroso de tal ideologia. Mas 15 anos atrás, ficou claro que tal religião de libertação de gêneros perdeu seu norte moral.

Hoje, o feminismo virou uma mera paródia dos mesmos ideais que eles dizem promover. É esta dialética que me leva a pesquisar esta série de artigos sobre o feminismo e socialismo. A pesquisa me levou a estas conclusões:

1 – A premissa básica do feminismo radical é que ser uma mãe e esposa é algo inerentemente explorador para a mulher. Tal paradigma se originou d aanálise marxista das relações entre as classes na Europa em meados do século XIX.

2 – Depois de 100 anos, muitas líderes feministas se aliaram abertamente à ideologia socialista.

3 – No começo dos anos 20 do século XX, pensadores socialistas notaram que o capitalismo não poderia ser derrubado através de meios violentos. Então eles conspiraram para encontrar uma forma de minar os valores e instituições da sociedade ocidental. Isto é o esquema do que chamamos hoje de Marxismo Cultural.

4 – Feministas radicais trabalharam na vanguarda da Guerra Cultural. O alcance de suas táticas é assombroso:

5 – Tanto o socialismo quanto o feminismo radical operam pelo embuste. Enquanto ambos alegam que estão meramente lutando por igualdade, na verdade eles aspiram a reconstrução radical da sociedade.

Então o feminismo radical é uma frente socialista? Em uma palavra, sim.

Leia apenas alguns parágrafos do livro de Kate Weigrand, “Red Feminism”. Ou vá até a página “Women and Marxism” para ler discursos de partidárias do comunismo que eram calculados para levar as mulheres à histeria revolucionária.

A visão de mundo feminista, seus objetivos, táticas e retórica – toda ela vem diretamente da teoria marxista leninista.

Ironicamente, é duvidoso achar que o marxismo libertou a mulher. A mulher moderna não é mais independente do que ela era a 150 anos atrás na Europa patriarcal.

O feminismo socialista simplesmente mudou a dependência da mulher do homem para o grande governo e para ideólogas feministas que ditam o que mulheres devem pensar, sentir e fazer. Não é de se espantar que elas se sentem tão vitimizadas, nervosas e sozinhas.

Então se a teoria feminista socialista falhou para a mulher, como ficamos? Claramente, os papéis da mulher – e do homem – estão evoluindo. A resposta para esta antiga questão não é um retorno aos papéis restritivos do século XIX.

Primeiro temos que ter em mente que a vida não é um mar de rosas – tanto para homens ou mulheres. Ambos sofrem terrivelmente de abusos específicos de seus gêneros.

Também temos que notar que direitos e responsabilidades andam juntos. Quanto mais direitos qualquer grupo adquire, mais responsabilidades ele terá.

E finalmente, temos que parar com os epítetos de gênero que tem o efeito de humilhar e silenciar os homens.

Os mitos do feminismo socialismo estão profundamente enraizados na mentalidade ocidental. Tais mitos devem ser expostos e desmascarados.

E ao mesmo tempo, porque finalmente não começamos um verdadeiro diálogo entre os gêneros?

fonte: http://www.dvmen.org/dv-124.htm#front

3 comentários

  1. emanuel junior

    Grupos sociais imensos foram se aglutinando dando lugar a aglomerados de doutrinas ideológicas. Para abreviar pretendo falar sobre as características do capitalismo e socialismo. (bom é ressaltar que um ou outro foram criados juntos com a humanidade, e não cunhados a partir de pensadores ou ideólogos; o capitalismo e o socialismo são na verdade instintivos; não idealizados!) vocês vão entender onde quero chegar….Bem, pode-se falar sobre várias correntes ideológicas e suas dissidências, contudo vou me prender ao objeto de estudo como patriarcado e ginecocracia; e para falar sobre as dualidades temos que observar o ajuntamento das massas de acordo com sua ideologia….O capitalismo é um sistema econômico em que os meios de produção e distribuição são de propriedade privada e com fins lucrativos; decisões sobre demanda, oferta, preço, distribuição e investimentos não são feitos pelo governo, os lucros são distribuídos para os proprietários que investem em empresas e os salários são pagos aos trabalhadores pelas empresas, estas são alegorias do patriarcado, então podemos afirmar que o capitalismo traz embutido características masculinas.
    O socialismo é uma estrutura socioeconômica e uma ideologia política, que pretende promover o estabelecimento de uma sociedade igualitária, sem classes e apátrida, baseada na propriedade comum e no controle dos meios de produção e da propriedade em geral. O “comunismo puro”, no sentido marxista refere-se a uma sociedade sem classes e sem Estado. Estas são alegorias da ginecocracia, então podemos afirmar que o socialismo traz embutido características femininas.
    *Porém como foi dito tanto um quanto o outro traz embutido características de seus opostos; Sara mostrou-se capitalista ao defender seu patrimônio em relação ao filho de Hagar; ou Marx ao defender suas idéias sociais. Todos temos muito de um e de outro!
    trecho do meu livro

  2. DuleniroPE

    Esse Carey é muito foda!
    Obrigado pela tradução, Barão.

  3. JV

    Com certeza, pois é uma forma de “igualitarismo” só que de gênero. E quem comanda essa orquestra que são políticos de esquerda e toda sua agenda macabra em prol do caos e destruição de valores morais e cívicos de uma sociedade.

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: