«

»

jun 18 2012

Lidando com a realidade

Senhores, novamente sem Jornal esta semana. Alguns parentes vieram aqui em casa e não tive tempo para fazer…

por Antifeministtech, para o The-Spearhead.com

Há muitas pessoas que falam que é contra o feminismo, mas realmente não são. Uma das formas de descobrir se a pessoa é realmente contra o feminismo é pergutar a ele se suas críticas e soluções ao feminismo lidam com a realidade para homens e meninos.  Ao contrário, se eles começam com aquela masturbação mental que é o debate acadêmico, que nada faz para dar soluções práticas para melhorar a vida de homens e garotos, então eles não estão seriamente se opondo ao feminismo. É mais provável que eles sejam uma outra espécie de supremacista feminino, mas tem alguma pendenga ou outra discordância trivial com o feminismo. E isto é ainda mais verdadeiro se eles falam que é contra o feminismo mas atacam ferozmente o movimento pelo direito dos homens.

Um exemplo é este blog dito conservador, chamado Oz Conservative (em inglês). Há muito papo sobre “individualismo”, “separatismo” e “autonomia”. É supostamente um crítica tanto ao feminismo quanto ao masculinismo. Note como tais termos  não estão realmente definidos para o contexto que ele quer usar. Eles são “maus” porque são “maus”. E há diversos argumentos bizarros falando como o masculinismo quer se “liberar da masculinidade”. Mas o que seria esta “libertação da masculinidade” não é definido também. Praticamente todos os masculinistas estariam perdidos numa discussão dessas porque nos concentramos na realidade ao nosso redor. Lidamos com assuntos que afetam (e em muitos casos destrói) a vida de homens e meninos como as leis de divórcio hostis ao homem, pais sendo separados à força de seus filhos, homens forçados a pagarem pensão para filhos que não são deles (NT: procurar por “paternidade sócio afetiva”, por exemplo), homens que são presos por falsas acusações de abusos sexuais, homens perdendo empregos devido à ações afirmativas, garotos sendo emasculados por sistemas educacionais feminizados, garotos forçados a tomarem remédios como a ritalina, etc.  Se um garoto de 7 anos se revolta contra a educação que lhe é enfiada goela abaixo,  segundo este blogueiro somos levados a crer que este garoto está querendo “se libertar de sua masculinidade”? O autor deste blog é um professor, então é possível que ele acredite nisto.

Outro exemplo de suposto anti feminismo que se recusa a lidar com a realidade em volta dele pode ser encontrado no blog “The Thinking Housewife”. Veja alguns pontos levantados pelo autor:

E parece que está ficando cada vez mais evidente que este movimento pelo direito dos homens na verdade é um movimento liberacionista de homens brancos que está indo em direção a uma autonomia radical/a um homossexualismo de fato. É uma escolha consciente para se separar espiritual, fisica e emocionalmente das mulheres. Este movimento liberacionista branco se justifica afirmando que seu inimigo é o feminismo/mulher em ordem de acobertar seu culto radical à autonomia.

O incentivo para adotar tais papéis, segundo eles, é para ter a chance de serem HOMENS DE VERDADE.  Alguém que não nasceu ou não age feito homem não é possivel de ser homem. A ideia de homens favorecendo um ponto de vista homossexual (separar-se tanto espiritual, emocional e fisicamente de mulheres) serem homens é a grande fraude do movimento pelo direito dos homens. “Homens” liberais. “Homens” radicalmente autônomos. “Homens” que rejeitam mulheres são na verdade anti-homem. Eles são almas gêmeas de outras forças anti homem, como as inapropriadamente chamadas feministas.

A ilusão do movimento pelo direito dos homens está na idéia de que um coletivo de homens liberados podem derrotar um coletivo de mulheres liberadas usando tanto táticas liberais ou recuando a um estado de facto homossexual (autonomia radical)… Este radicalismo liberal é um desejo subconsciente de se auto destruir para assim finalmente libertar o homem americano temente a deus de sua carga. Esta é a essência do movimento pelo direito dos homens; uma cópia invertida de outro movimento radical que visa destruir tanto homens quanto mulheres.

Liderar os homens para um homossexualismo de facto usando o grito de batalha de “sem filhos, sem casamento” é liderar os homens para um estado de autonomia radical. Ou seja, você está assegurando que tais homens jamais descubram o que é a verdadeira masculinidade.

O homossexualismo não é APENAS duas pessoas do mesmo sexo que são atraídas uma pela outra.

É um simples fato que aqueles que acreditam na autonomia (fluidez) sexual  simplesmente rejeitam a idéia de uma ordem sexual imposta externamente. Significa que a sexualidade deles é auto criada. O homossexualismo é a atração sexual a si mesmo, primeiramente, e só a partir daí que eles se atraem a outras pessoas com uma mesma visão. Mas não se engane, uma auto criada “orientação” sexual que é uma sexualidade que é ativada PARA SI MESMO (um narcisismo puramente físico) é realmente uma “orientação” sexual que rejeita uma ordem sexual externamente imposta; esta “orientação” sexual fluida rejeita o homem como um fanático e rejeita a mulher como uma homossexual radical. É bem fácil de ver que um auto-sexualizador, mesmo quando ele preenche o seu vazio com algo que é parecido com ele, é por natureza auto destrutivo.

O que o autor do posto quer dizer é difícil de entender porque muitos de seus conceitos não são definidos. De qual “autonomia” ele fala? Como este “homem de verdade” deve ser neste contexto? O que é esta “ordem sexual externamente imposta”? è algo que não dá para ser claramente identificado, mas supostamente é algo ruim por alguma razão desconhecida.

E mais, o autor ainda tenta redefinir termos como homossexual para algum outro conceito nebuloso similar a forma que os esquerdistas americanos tentam destruir a língua inglesa para seus propósitos mesquinhos. A única idéia que ele nos passa é que ele tenta expandir as táticas intimidatórias contra homens.

O que são estes “fanáticos” que ele fala? Parece que ele esta falando de aliens de outro planeta. É assim porque ele se recusa a lidar com a realidade a sua volta quando o assunto é feminismo. Se o único problema é que o feminismo é um grupo de aliens de outro planeta então os homens não tem mais o que temer. Os problemas causados pelo feminismo cercam todos os homens deste planeta. Uma mulher que força o divórcio e rouba o direito dele ver seus filhos não é um “fanática” – ela é uma mulher heterossexual comum. Uma lésbica jamais se casaria com um homem em primeiro lugar. Quando se analisa  todos os problemas causados pelo feminismo, precisa de muito mais mulheres do que apenas um grupinho de lésbicas para causar tanto estrago. Isto precisa da ajuda da mulher comum do dia a dia para acontecer. Ignorar isto é ignorar a realidade na sua cara. O autor se recusa a considerar que não se casar e ter filhos é uma das soluções para que os homens se defenderem disto. E é por isto que cada vez mais homens estão evitando se casar e ter filhos. Tais homens jamais ouviram falar desta tal “autonomia” ou “auto aniquilação” no contexto que o autor do texto usa. Mesmo se eles tem isto em mente, eles estão nem aí porque eles tem que lidar com a realidade ao redor deles. Eles estão tentando evitar coisas como um processo de divórcio danoso e a cadeia. Será que um homem que tem que lidar com problemas reais causados pelo feminismo como uma falsa acusação de estupro está ligando pra estes conceitos idiotas que o autor fala? Não, porque ele tem que lidar com a realidade ao redor dele, ou seja, evitar ser preso.

Agora vejam este texto escrito por Jesse Powel (a mesma pessoa que afirma que não ha problema homens serem presos por falsas acusações de estupro se isso “proteger as mulheres”)

Ter obrigação pelos outros sempre terá não importa as circunstâncias. O homem tem o dever de “prover e proteger” as mulheres simplesmente porque esta é a parte fundamental do papel do homem na sociedade; é um dever inerente; uma característica intríseca do homem.

Porque se celebra o declínio do casamento chamando isto de “marriage strike”?  Eu suspeito que os apoiadores dos movimento pelo direito dos homens sabe que sua condenação do casamento e sua recusa em cumprir suas obrigações como homems é destrutiva para a sociedade e assim eles abraçam e glorificam esta destruição da sociedade para poder legitimar e glorificar suas prórpias convicções anti-sociais.

O que seria essa “obrigação de prover e proteger” mulheres? E porque ela existe? Tais questões não são levantadas porque não há tais questões.  Tais afirmações existem para evitar a questão principal: “porque os homens devem se casar sabendo da realidade atual?” A realidade do homem que se casa hoje é que há mais de 50% de chances de suas esposas forçarem um divórcio, pegarem metade de seus bens e levar seus filhos embora. Desde quando é a obrigação do homem ter que enfrentar um processo de divórcio ou a cadeia? Jesse Powell diz para nós que devemos ignorar nosso próprio bom julgamento e capacidade de planejar o futuro e ainda pretende que a realidade a nossa volta não existe.

Todas as pessoas usadas neste exemplo fazem a mesma coisa: evitam lidar com a realidade em volta deles. Eles não dão nenhuma solução prática para os homens que tem que enfretar tal realidade usarem. Eles recusam a admitir que tais problemas existem, e se recusam a admitir que a vida de homens e garotos estão sendo destruídas pelos problemas criados pelo feminismo. Ao contrário, eles perdem o tempo deles fazendo masturbação mental, inventando conceitos que não refletem a realidade de forma alguma. É um grande contraste de como o movimento pelo direito dos homens e todos os seus apoiadores agem. Pegue as táticas de sedução, por exemplo. É uma solução que foi criada para lidar com a realidade que os homens tem que enfrentar. Esta é uma razão pela qual ela funciona. A única forma que os homens podem prosperar enquanto lidam com o feminismo é pensar em soluções práticas e realistas para eles. Qualquer um que perca seu tempo com suas teorias malucas e debates ideologicos sem nexo não é parte da solução dos problemas do feminismo, e realmente não se opõe ao feminismo.

fonte: http://www.the-spearhead.com/2010/12/15/dealing-with-the-reality-on-the-ground

Comentário: Um bom artigo para nos preparar para futuras difamações (quem acompanhou o caso do artigo lançado na grande mídia sobre o masculinismo sabe do que estou falando). Um comentário do artigo original me chamou a atenção e acho que merece ser replicado aqui, já que ele dá uma boa resposta ao mangina supremo que falou que o homem é obrigado a ficar sustentando mulher, não importa como.

O homem tem o dever de “prover e proteger” as mulheres simplesmente porque esta é a parte fundamental do papel do homem na sociedade; é um dever inerente; uma característica intríseca do homem.

Não. Não temos esta obrigação como uma “característica intrínseca” para sermos homens.

Este privilégio que oferecemos as mulheres vem em troca delas serem obedientes e leais ao homem como esposa. O homem concorda a tomar conta da sociedade como um todo como um acordo benéfico para todos.

Metáfora? Um homem não tem o “dever intrínseco” de comprar um cachorro e cuidar dele. Ele só tem o dever de cuidar dele se ele quiser comprar o cachorro e se o cachorro for leal e obediente a ele. Sem isto? O homem pode simplesmente matar o cachorro ou largá-lo na rua. É por isto que o cachorro é leal e obediente. Ele sabe que irá ganhar com isto.

Infelizmente, praticamente todos os cachorros são mais inteligentes do que praticamente todas as mulheres ocidentais que, parece, não consegue perceber esta simples equação como um cachorro consegue. Ser uma companhia leal e obediente a um homem é um BOM NEGÓCIO.

3 comentários

  1. Charlton Heslich Hauer

    Texto fantástico!

    É também um recado direto pra muitos caras que se acham “bem resolvidos” com as mulheres, onde na verdade, não passam de alienados que não se importam com toda misandria e com todo sofrimento masculino que há em volta.

  2. Vlad Tepes

    Mais outro grupo de Idiotas Úteis…

  3. Um Barbaro

    “Infelizmente, praticamente todos os cachorros são mais inteligentes do que praticamente todas as mulheres ocidentais que, parece, não consegue perceber esta simples equação como um cachorro consegue. Ser uma companhia leal e obediente a um homem é um BOM NEGÓCIO.”

    E desta forma a sociedade ocidental como um todo vai para o abismo abaixo…

    E (estou sendo irônico) viva o islã, que vai tomar conta dessa baderna toda!

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: