«

»

jun 21 2012

Expandindo a linguagem intimidatória

por Antifeministtech, para o The-Spearhead.com

Quando os homens percebem o quanto a linguagem intimidatória é repetitiva ela perde sua efetividade. O que supremacistas femininas e seus acólitos manginas e cavaleiros brancos fazem é simplesmente produzir mais e mais linguagem intimidatória. Outro método usado por eles é a expansão da linguagem intimidatória em si através da redefinição de vários termos, como homossexual, para poder dar sustentação aos seus argumentos pífios.

No blog “The Thinking Housewife” (onde um mangina nos diz que homens devem ser presos em casos de falsa acusação de estupo para poder proteger as mulheres),  um de seus manginas habituais, Josh, tentar dizer que qualquer assunto relativo ao direitos dos homens é algo homossexual.. Todos nós sabemos que isto não faz o menor sentido, então ele tenta redefinir a palavra “homossexual”, não importando que o termo serve para definir a atração sexual por alguém do mesmo sexo. Dê uma olhada no que ele tem a dizer:

Na raiz tanto do movimento feminista, quanto do seu espelho, o movimento pelo direito dos homens, temos o homossexualismo radical (um gayzismo devoto), ou seja, uma autonomia sexual radical. A autonomia sexual radical é o objetivo biológico do liberalismo e o jeito mais fácil para a elite se manter no poder após convencer a população a negar a Supremacia.  Uma população num estado de anti-supremacia e disposta a abraçar a homossexualidade é uma população que se auto aniquila.

A mensagem principal do movimento pelo direito dos homens (MRM) é evitar se casar e ter filhos e que o Cristianismo é uma ameaça ao liberalismo. Isto é de fato uma apologia ao homossexualismo e anti supremacista.

O MRM em sua essência é um movimento liberacionista. Como todos os outros movimentos liberacionistas, ele visa dissolver todas as relações e destriur todos os impedimentos a sua autonomia. Resumindo, todos os movimentos liberacionistas querem uma autonomia radical. Mas esta existência tem que se manifestar no mu ndo real. E as duas formas mais primitivas de manifestação liberal são o ateísmo e o homossexualismo.

O MRM é meramente um movimento liberacionista masculino comandando em grande parte por ateístas e homossexuais. É o feminismo para homens.

Eu penso que nosso entendimento comum do homossexualismo é falso e vejo o porque. O homossexualismo é, em primeiro lugar, uma aversão sexual ao sexo oposto que apenas preenche um vácuo. Mais especificamente, o homossexualismo masculino e o lesbianismo são aversões sexuais ao homem e a mulher, respectivamente. Com tal aversão é antes uma atração homossexual, ou seja, uma auto sexualização, uma forma radical de autonomia. Um homossexual é alguém que tem aversão ao seu contrário e atraído a si mesmo. Ele é um autonomista radical e ultimamente um auto aniquilador.

Deixando de lado que Josh já comete uma triangulação ao tentar igualar o feminismo e a luta pelo direito dos homens, ele não está apenas tentando redefinir o significado da palavra homossexual, mas usa outros termos como “supremacia” de uma maneira que difere de seu significado original. E porque ele capitaliza a palavra “supremacia”? Porque ele não sua as palavras como elas realmente significam? Porque ele é um caveleirinho branco defendendo a mulherada e não tem argumento algum que seja válido contra nós. Nos chamando de homossexuais não faz sentido. Mesmo tendo alguns homossexuais que fazem parte do MRM, a grande maioria de nós não são homossexuais e muito menos fazem parte de alguma “agenda homossexual”. O que Josh tenta fazer é expandir a linguagem intimidatória ao redefinir palavras como homossexual para poder chamar todo mundo aqui de viado. A falta de lógica neste processo é claríssima.

A agenda real dele ficou clara quando ele fala que “a mensagem principal do movimento pelo direito dos homens (MRM) é evitar se casar e ter filhos”. O que faz ele realmente se preocupar é que os homens estão fugindo de suas senzalas e se recusando a serem escravos das mulheres. Ele é incapaz de admitir que ações como a greve de casamento (marriage strike) e se recusar a ter filhos são respostas racionais e sensíveis ao problema que o homem tem que enfrentar o caos criado pelo feminismo. A resposta clara é que se você quer que mais homens se casem e formem família, você tem que consertar as leis que regem o divórcio, a guarda dos filhos, outras leis injustas e o socialismo. Isto aumentará os incentivos para que os homens se casem. Enquanto isto parece bem simples, um cavaleiro branco como Josh não entede isto proque ele é um cavaleiro branco. Ao contrário, ele tenta redefinir palavras como homossexual numa tentativa estúpida de os pintar como sodomitas.

Para ver como são absurdos esses cavaleiros brancos como Josh, compare o que ele faz com o que ele poderia dizer se ele usasse outra tática intimidatória. Outra forma de linguagem intimidatória bem comum é falar que temos “pintos pequenos”. Se Josh tentasse redefinir isto da mesma forma que ele tentou redefinir a palavra homossexual, ele provavelmente falaria que todos nós temos pintos pequenos porque nossos pintos são menores que 40 cm.

Não é a primeira vez que alguém tenta redefinir a palavra homossexual além do termo real dela. Henry Makow nos diz que todo o pornô é gay, mesmo o pornô que só tem sexo heterossexual e que sexo é apenas para procriação e que devemos respeitar isto, com qualquer atividade sexual além dos fins procriativos serem algo gay. Josh é um teorista da conspiração já que acredita que o MRM, o marriage strike e a recusa de um homem ter filhos, etc, são ferramentas da “elite” ao invés de uma resposta racional e sensível dos homens.

Veremos mais e mais tentativas de redefinição da homossexualidade então nossos oponentes continuarão a nos chamar de gays e torcerão para que fiquemos com medinho e capitulemos. Como a linguagem intimidatória perde seu efeito com o tempo isto terá pouco resultado,  já que tal argumento é tão fraco que qualquer homem com um pouco de juízo pode ver tal falácia facilmente.

fonte: http://www.the-spearhead.com/2010/08/09/expanding-shaming-language/

3 comentários

  1. Tenchin

    Se um homem chega em casa depois de uma dia de trabalho e encontra a mulher em casa, tendo ela vindo do trabalho ou não, e ela disser pra ele:
    – amor, o chuveiro quebrou de novo, você pode consertar?
    Em 99% dos casos o homem vai consertar, levar choque (coisa mais normal do mundo pra quem mexe com energia elétrica), e vai ficar feliz pelo sorriso de agradecimento da esposa amada. Isso faz ele se sentir útil, é da nossa natureza masculina! E a amiga feminista da sua esposa vai ficar feliz ao saber.
    Mas se um homem chega em casa na mesma situação e diz a esposa que está com fome, e a esposa levanta, deixa a amiga por um instante enquanto põe a comida no prato. O marido vai ficar feliz, mas em 99% dos casos a amiga feminista vai pensar e depois dizer:
    -Nossa, que homem opressor! Por que ele não bota a comida dele.

    Entendeu o direito iguais no conceito do feminismo?

    Feminismo não tem nada a ver com liberdade, tem a ver com luta pelo poder. É uma perspectiva muito particular de um ponto de vista fechado, que ironicamente se diz aberto à discussões. Estamos em tempos de feminismo e nossa luta não pode parar. Querem aprovar agora uma lei que se a mulher grávida decidir que ela mesma não tem condições psicológicas de ter o seu filho, ela pode abortar e o pai não pode interferir, ou seja, se a criança nascer e os pais se separar, o pai biológico terá toda a obrigação, com pena de detenção caso não cumpra, de arcar com as despesas do bebê, mas se a mãe quiser matar o seu filho e ele não estiver de acordo, ele não pode interferir, ou seja, tem todo os deveres, mas não os seus direitos. Isso meus amigos, é o feminismo!

  2. Renato

    Manginas e cavaleiros brancos estão em todo lugar,puxando o saco da mulherada,queimando o filme de seus “amigos” para chamar a atenção delas,defendendo elas a qualquer custo sem mesmo desconfiar de nada do que ela faz….rebaixando a si mesmo e tentando rebaixar os outros homens para endeusar as mulheres…

    Um homem ser capacho de mulher é triste,Nessahan Alita deveria ser leitura obrigatória a todos os homens,pelo menos uma vez na vida.

  3. fudoshin

    Qdo alguém começa a usar da tática intimidatória, que é desconstruir os argumentos do oponente por desmoralização do adversário, é pq os argumentos são fortes e ele não tem como enfrenta-los. Os GLBT, feministas e feminazis são os maiores preconceituosos de todos os tempos. Eles simplesmente imputaram toda gama de maldade da história da humanidade nos homens. Que segundo eles todos os homens são machistas. Como se todos os homens são os errados da história e devem ser removidos(Leiam-se eliminados). A começar pela eleição de um culpado, eliminação de direitos, marginalização, desmoralização, confusão de identidade, eliminação de liderança, nova função provedora e transformação dos homens em burros de carga. A mensagem q eles querem passar é nós somos melhores q vcs(homens) merecemos mais direitos, vantagens, cargos importantes, liderança e poder.
    Quem já teve a oportunidade de ver esse pessoal com poder na mão, como chefe em um empresa, sabe, o qto eles são mesquinos, inescrupulosos, manipuladores, assediadores sexuais, abusadores, assediadores morais, chantagistas sexuais, corruptos sexuais e toda classe de perversão sexual.

    Preste atenção pois os GLBT são pessoas de caracteristicas psiclógias da esfera de Lilit, segue um trecho sobre tais pessoas: “Todos esses tipos, pelo próprio fato de serem infra−sexuais, costumam afinizar−se com pessoas do sexo intermediário. Assim, não é difícil de se encontrar o homossexualismo metido em muitos conventos, religiões, seitas e escolas pseudo−esotéricas Os infra−sexuais consideram−se indivíduos imensamente superiores às pessoas de sexo normal, e olham−nas com desprezo, considerando−as inferiores.Todos os tabus e restrições, todos os preconceitos que atualmente condicionam a vida das pessoas de sexo normal, foram firmemente estabelecidos pelos infra−sexuais.”
    “O mais grave de tudo é que eles se consideram superiores às pessoas de sexo normal, sentem−se super−transcendidos e chegam a seduzir as pessoas de sexo normal, convertendo−as em seus seguidores.”
    “A Esfera de Lilit é a esfera da grande heresia. Essas pessoas já não têm possibilidade de redenção porque odeiam o Espírito Santo.
    “Todo pecado será perdoado, menos o pecado contra o Espírito Santo”.
    “A Esfera de Lilit distingue−se por sua crueldade e sua psicologia apresenta vários aspectos. Monjes e freiras que odeiam o sexo, homossexualismo nos conventos, homossexualismo fora da vida monástica, abortos provocados, gente que ama a masturbação, gente criminosa dos lupanares, gente que se deleita torturando os outros. Nesta esfera encontramos os crimes mais horrendos registrados nas crônicas policiais, horríveis casos de sangue, crimes de origem homossexual, sadismo espantoso, homossexualismo nas prisões, homossexualismo entre mulheres, monstruosos crimes mentais. Aqueles que gozam fazendo sofrer o ser que amam, infanticídios pavorosos, parricídios, matricídios e fraticídios”

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: