«

»

abr 04 2012

Mulheres são como granadas

por Happy Ghost

"Deus me ajude se isto for uma imitação! - A vida dele esta em suas mãos"

Eu fui no aniversário do filho de um amigo meu. Um dos amigos dele também veio, e junto com ele sua nova namorada. Ele descreveu para esta mulher que eu sou um solteirão… não exatamente com estas palavras, mas descreveu a idéia. Ela imediatamente começou a me questionar… porquê?

Eu mencionei que o casamento é um risco alto. Ela soltou a famosa frase “nem todas as mulheres são assim”, o que calmamente rebati usando a analogia das granadas (temos uma caixa de granadas e no meio delas tem uma que é só um simulacro. Pegue a que você acha que é a falsa, segure-a, puxe o pino e veja se está certo ou não). Não há como saber que tipo de mulher você tem ao lado até que você tenha se casado e aí já é muito tarde para evitar ser destruído. É claro, pode ter mulheres que “não são assim”, mas infelizmente isto é irrelevante. Nem todas as granadas “são assim” (ou seja, que possam explodir), e é claro que temos simulacros… mas simulacros são iguaizinhas com granadas comuns, então você tem que ser muito louco para pegar uma e tentar descobrir se ela explode ou não.

Ela ficou indignada e basicamente disse que se eu não descobrisse a verdadeira face de uma mulher até antes de me casar, então eu era muito sem noção. Eu respondi afirmando que mulheres podem ser atrizes muito boas, e você só irá ver sua “verdadeira face” se ela permitir isto, e muitas não se revelam antes de se casarem. E mulheres que se fingem de boazinhas parecem iguais, em todos os aspectos, com aquelas que REALMENTE são boas. Então, não há uma forma de descobrir isso até que seja tarde demais.

E expliquei que o Casamento 2.0 é muito diferente do Casamento 1.0 (sim, eu usei estes termos, quem sabe assim eles se espalhem), e que no Casamento 2.0 a mulher tem praticamente todas as cartas em mãos, e o cara tem porra nenhuma praticamente.

Ela imediatamente sacou a tática intimidatória da “amargura”, mas fez isto sutilmente.  “Você já foi casado?” Eu disse não. “Você já entrou num relacionamento que terminou mal?” De novo, não. “Então como pode saber de tudo isto?” Eu sorri e falei, “Por observar todos os meus amigos homens sofrendo e sendo destruídos por causa disso, e por ler todas as mudanças nas leis de casamento e divórcio nos últimos 40 anos, diretamente dos livros jurídicos, e vendo estes processos rolam nas cortes. Eu aprendi por observação, ao invés de ter passado por tudo isso, graças a deus.”

Silêncio. “Elas não são todas assim” já não funcionava mais. Assim como “você é um amargurado”. Ela não tinha mais nada para jogar em cima de mim.

Então ela me perguntou a quanto tempo penso assim,  e me falou que a minha escolha não é sustentável. Então meu amigo me falou quando foi a última vez que tive um relacionamento sério… o que já faz anos e anos. Eu sorria bem em frente a ela, fumando um grande charuto, tomando uma cervejinha e com a aparência mais feliz que já tive em toda a minha vida. Não sustentável o cacete, minha querida.

Parece que isto a deixou doidinha. Ela mencionou como ela tem uma amiga que vive reclamando que não consegue achar um bom homem… uma mãe solteira! Eu preferi ficar quieto (não queria pegar tão pesado, afinal).

O que parece que a assustou mais foi que o namorado dela estava bem ali do lado quando enquato eu falava tudo isto, absorvendo esta perspectiva única que eu tenho (ele já sabia sobre mim, mas ela provavelmente não sabia que ele sabia). Eu tenho certeza que ela não ficou nada satisfeita comigo falando tais idéias com ele ali, porque aposto que ela irá tentar fazer com que ele se case com ela em breve.

Isso foi legal. Ela me perguntou se eu já considerei um dia me relacionar e se casar, e eu falei que se as leis e a sociedade voltassem a ser como eram em 1950 ou antes, quando o homem tinha alguma chance de ter um casamento decente e as leis não eram tão desfavoráveis, talvez eu consideraria isso. Voltando para a analogia da granada,  eu falei que antigamente, tendo que escolher entre as granadas, se eu pegasse a que explodisse eu só ficaria com uma mão bem machucada, mas hoje, uma granada me destruiria. E falei que como uma melhora nessas condições provavelmente não iria ser restaurada durante minha estada na Terra, então eu simplesmente me recuso participar disto, e muitos outros homens também, acredito.

Ela não tinha mais nada para dizer depois dessa. Isto foi muito lindo.

Se mais homens escutassem isto, enquanto suas namoradas (e talvez eles próprios) ficam enchendo o saco sobre como não há mais bons homens, quem sabe assim eles começam a juntar dois mais dois.

fonte: http://mgtowsurvivalguide.blogspot.com.br/2010/03/women-are-like-hand-grenades-by-happy.html

18 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Tony

    Muito bom !!!! A solução e fazer o que os americanos fazem a bastante tempo. Pense no casamento como um investimento/negocio e fazem um contrato pre-nupicial com clausulas que torna um casamento 1.0. Eu acho bom, pois se voce gosta da mulher com que voce vive, ela vai viver a vida no mesmo nivel the luxo que voce vive ou possa proporcionar.

    1. Marcelo

      Nem isso funciona, Tony. Sei de casos em que o contrato pré-nupcial foi simplesmente ignorado pela “justiça.” O melhor é não casar em hipótese alguma. E olhe que sou um ferrenho defensor do casamento e da família à moda antiga. Infelizmente, esse tempo passou pra nunca mais voltar.

  2. Fulano de Tal

    Realmente, um texto excelente. Até por que rebate alguns argumentos falaciosos das vadias pró-casamento (leia-se, arrumar um beta provedor otário pra bancar a sua vaidade). Primeiro isso, depois elas vão se fazer de “coitadinhas”, “frágeis”, “oprimidas”…

    Não tem como saber mais com quem você está se relacionando hoje em dia, até por que as mulheres de hoje mal param em casa. Vai lá saber onde e com quem elas andam? E o cara não pode exigir nada, se não é chamado de “machista”, “antiquado”, “ciumento”, etc.

    As mulheres estão doidas varridas querendo ser “iguais” aos homens. Isso na prática quer dizer: pior que os piores homens nos hábitos, e em situação social melhor que a média dos homens (Ah! Maldita sociedade com suas leis misândricas!).

    O cara ter que assumir uma rodada com as leis atuais (ao invés de uma virgem com as leis de antigamente) é realmente uma cilada, praticamente 99,99% de chance do cara entrar numa fria. É como tentar acertar na loteria apostando um só bilhete.

    Dá pro cara fazer umas apostas e torrar um bocado de grana e paciência, mas o cara pode escolher não apostar também, o que pode ser mais lucro para alguns. Se bem que no fim a bolada que o cara ganha no casamento nem é muita grana mesmo…

  3. André

    Excelente Postagem

  4. LARISSA

    MINHA NOSSA! Que teoria diferente. rsrs…Continue sorrindo com seu charuto e sua cervejinha. Não se case mesmo. Será um divórcio a menos, um estúpido casamento a menos. Cada homem tem a mulher que merece, se você decidir se relacionar, sua parceira realmente será um desastre feminino, você vai achá-la uma granada e vai ter embasamento prático pras suas idéias. Fique assim como está. Sozinho e falsamente superior.

    1. Barãozin

      Claro, Dona Granada rs

      (senti um nervo sendo atingido aqui, hm?)

      1. Gustavo Oliveira

        Resposta perfeita Barão!

  5. fabio

    caraca tá foda mesmo os dias atuais é mulherada.

  6. Varrido

    Muito bom texto! Excelente! merece print! Sinceramente, cada vez mais vejo um casamento distante de mim. Antes eu ate tava animado com a guria q eu to, mas hj… ela tmb perdeu bastante o interesse por mim. vamos ver ate onde vai.

  7. Buda

    Nós nascemos e morremos sozinhos, ter uma mulher é uma alternativa e não objetivo de vida.

  8. marcio

    Excelente texto, homens de bem nao devem compactuar com essa vadiagem, o judiciario acabou com a figura do chefe de familia.

  9. Cruel

    O número de fatalidades no transito aumentou muito. Vou vender minha moto e meu carro e nunca mais vou sair de casa.

    1. F T

      Você não estendeu nada, deve ser um Mangina preso na matrix, mas deixa que eu explico oque o autor do texto quis dizer nos seus próprios exemplos, se a taxa de acidentes no transito fosse como os divorcios aproximadamente 50%(taxa de divorcio, que na esmagadora maioria de vezes é começado pela mulher) e que desses acidentes fosse certo você sair destroçado perdendo tudo e mais um pouco.
      Agora eu pergunto a você.Você usaria seu carro ou moto se soubesse que metade das vezes que você usa-lo pode acabar num acidente devastador ?
      Se sim você está alem de qualquer ajuda…

      1. Cruel

        Entendo esta afirmação dos estadunidenses porque eles não tem, seguindo seu exemplo, a Auto-Escola Nessahan Alita, para ensiná-los a dirigir com segurança… se nós quisermos ficar em casa, o fazemos por nossa escolha, tola ou sábia.
        Eles, do alto de sua “sabedoria jurídica”, acreditam que não tem…

        1. Barãozin

          Tática de intimidação no seu máximo…

          “sigam o meu caminho, ou são imbecis completos”…

          As feminazi piram. Me diga lawliet, o q acontece?

          1. Cruel

            Não sou Lawlyet. Seria uma grande desonestidade de minha parte eu querer me passar por ele. Tomara que um dia eu cheue ao nível dele…

          2. Barãozin

            Então se me explicar pq os dois usam a msma pergunta aqui e lá, eu agradeço.

            Também não é desonestidade copiar o argumento do outro sem dar créditos?

  10. JV

    EXCELENTE! Namoral bufalo, você não pode parar de fazer essas postagens. Ajudam muito e incentivam muito a seguir em frente cara! SEN-SA-CIO-NAL

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: