«

»

mar 28 2012

Sobre as vadias

Com toda essa onda de “mulheres convertidas”, acho que é uma boa hora de definir o que realmente é uma vadia…

por Antifeministtech.info

Seria interessante ter uma classificação melhor de quais mulheres são realmente vadias. Há duas coisas que eu notei quando o assunto são vadias:

1 – Vadias não são apenas aquelas que vivem fazendo sexo casual. Vadias também são aquelas que se envolvem em vários relacionamentos longos. Elas também são vadias.;

2 – Uma vez vadia, sempre vadia.

Normalmente, quando pensamos numa “vadia” pensamos logo naquela mulher que tem um histórico de vários parceiros de uma noite só. Esta definição de “vadia” é insuficiente. A forma preferida de promiscuidade para a maioria das mulheres é a monogamia serial ou vários RLP (relacionamentos de longo prazo). Não há nada de mais “bonito” ou “mais moralmente aceitável” sobre ser uma mulher que se envolve em vários RLP’s ou uma que tem vários parceiros de uma noite só. Não há nenhuma diferença entre esses 2 tipos de vadias. Muitas vezes a diferença entre as duas depende mais do cara que a comeu quer continuar comendo ela ou não. Em muitos casos nem há diferenças visíveis entre uma que se relaciona com vários parceiros casuais e uma que tem vários relacionamentos mais longos.

Um histórico de vadia não pode ser simplesmente apagado. Muitas vadias pensam que se casando ou se “entregando” à Jesus fará com que todo o histórico de vadiagem dela desapareça. E não é assim. O casamento não dá garantias que uma mulher pare de agir feito uma vadia. As taxas de divórcio e o fato que em grande parte são as mulheres que iniciam o processo dele é uma prova disto. “Se entregar” à Jesus também não faz muita diferença. Jesus perdoa pecados. Mas ele não os apaga da história usando algum tipo de mágica. Para Jesus perdoar os pecados de uma pessoa, primeiro a pessoa deve estar realmente arrependida de seus pecados e não apenas indo para igreja só para poder achar algum idiota para se casar e fazer de conta que agora é uma mulher respeitável.

Sim, mais mulheres são vadias do que pensamos. E elas jamais deixarão de ser vadias.

fonte: http://www.antifeministtech.info/on-sluts/

15 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Luiz Alberto da Silva Lima

    Muito bom o texto, concordo com tudo, não existe esse negócio de ex-vadia. Conheço uma mulher que passou a adolescência inteira indo em bailes funks e dando o rabo pra funkeiros vagabundos. Depois de adulta ela se casou com um beta provedor, entrou pra Igreja evangélica e sossegou o rabo por um tempo. Mas logo ela ficou entediada do casamento com o beta e começou a traí-lo com um cafajeste que ela conheceu no facebook dela. Ela se separou do betinha corno e agora está morando com o cafajeste do facebook, mas tenho certeza que em breve ela estará entediada de novo e vai trocar esse cafajeste por outro ainda mais cafajeste que ele, mesmo já tendo uma filha do cafajeste do facebook e um filho do betinha corno. Vadias se entediam fácil, por isso é tão importante conhecer o passado das mulheres. O passado de uma mulher diz muito sobre ela!!!

  2. Carlos eduardo

    Concordo com tudo digitado! Iiii
    Mas uma curiosidade, como se define um vadio?
    Sera que vale o mesmo para os homens?

    1. Barãozin

      Sei não Bianca, não manjo de homens vadios.

  3. Andressa

    Tudo ta ficando cada vez pior por isso homens não querem mais nada sério por conta dessa libertinagem, mulheres nunca vão ser iguais a homens, valores estão em extinção.

  4. Ricardo Dionisio

    Em tempos passados havia uma forma de de deixar de ser vadia. A mulher se trancava em um convento e renunciava ao sexo e ao relacionamento com homens. Elas sabiam que estavam contaminadas e não serviam mais para ser uma mãe de família.
    Depois, vemos isso muito em filmes, passou-se a retratar uma espécie de catarse. a mulher, entre prantos, confessava ao homem amado o seu passadoi sujo e ele obviamente perdoava a “ex” vadia.
    Hoje em dia parecem que querem nos fazer acreditar que a mulher usada, abusada e com altíssima experiencia em sacanagem é algo absolutamente normal.
    O que virá em seguida? A exigência que para poder casar a noiva tenha que ter trabalhado na prostituição?!
    A perda do valor da moral mais básica é algo flagrante.

  5. kirk

    cara conheço uma assim mesmo.Tipo só em 3 anos eu a vi com 4 namorados e 2 ficantes só que eu sei.Hoje ela é mãe solteira!

  6. Mariele

    Discordo dos participantes aqui da sala. A juventude, tanto para homens como mulheres, é uma época de descobrimento em vários sentidos. Assim como o homem tem necessidade de se auto-afirmar, o mesmo caso vale para as mulheres. Só acho problemático quando homens e mulheres pretendem viver os clamores da juventude durante toda a vida. Quando o frêmito passa, as pessoas naturalmente vão se adaptando a modelos de vida mais conservadores e pensam em uma futura velhice com mais acuidade.

    1. Barãozin

      Bem, eu não sei como alguém pode se “auto afirmar” passando por 900 rolas diferentes…

      1. Rick

        barão, tem um erro simples de ortografia. Tenho certeza que nossa amiga queria dizer se ”auto-arrombar”.

  7. Renato

    Pior que é verdade,elas se comportam como verdadeiras devassas durante toda a juventude,só dão para os mais destacados e cafas,depois dos 30 (por aí) querem arranjar alguém legal que as respeite e as trate como princesas,e em troca dão sexo de péssima qualidade e é cheia de “não me toques”.,fora os inferninhos emocionais.
    .
    Hoje muitas mulheres tem “orgulho” de serem Vadias,antigamente tinham orgulho de serem honestas,fiéis e companheiras,hoje tem orgulho de serem Vadias…..
    .
    Que decadência….

  8. Luis

    A coisa mais ridícula e ao mesmo tempo mais hilária é o fato de que as modernetes se comportam como vadias a vida toda, durante a adolescência e início da juventude rodam na vara de muitos homens sob o pretexto de “curtir a vida”, “aproveitar” e mimimi e depois, quando começam a perceber que está na hora de arrumar um relacionamento “sério”, como casamento, passam a exigir “respeito” e reclamam quando são tratadas como depósito de porra, coisa que elas adoravam antes.

    Além do mais, como disse o texto “uma vez vadia, sempre vadia”. Logo, quem acreditar no papinho furado do “o que passou é passado”, corre um sério risco de ganhar chapéu de touro.

  9. Buda

    Às que se “entregam” a jesus, fazem isso quando estão ficando velhas, nunca vi uma mulher de 20 / 25 anos se “arrependendo” de seus pecados.

    1. Barãozin

      As raras que se “convertem” pra alguma religião ainda sendo novas são as famosas “crentes do cu quente”…

    2. Leonardo

      Como diz ditado: quando novas dão a carne ao diabo, velhas dão os ossos para Deus.

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: