Transtorno de personalidade borderline – um doente ou somente um imbecil maluco?

Só um aviso aos usuários do Fórum do Búfalo, estamos tendo instabilidades no sistema, por isso o fórum está com uma grande lentidão. Eu realmente não sei exatamente o que ocorre, mas acredito que seja alguma instabilidade nos servidores. Acredito que até o fim da tarde tudo retorne ao normal, geralmente os responsáveis pelo host que o Fórum está hospedado são competentes em arrumar esses problemas.

Agora, ao artigo:

por Paul Elam 

Tenho sido um admirador de longa data dos poucos profissionais que trabalham com psiquiatria que decidem lidar com a verdade, ao invés de apenas ficar vendendo o mais palatável para as mulheres neste senso comum misândrico.

Andar no caminho certo é difícil em qualquer área. Na área que lida com a “saúde” mental que é dominada por feministas, é algo brutal. Eu sei, eu vivi tal vida por algumas décadas. Eu posso lhe dizer por experiência própria que os maiores bombardeios que sofri foi por não ter seguido a linha oficial que o partido nos deu.

Meu primeiro conflito sério foi sobre o alcoolismo, que eu era obrigado a ver como uma doença. Isto era complicado para mim, já que o alcoolismo não é uma doença. Eu não estou especulando sobre isso, ou vendo as coisas sob a minha “perspectiva”. Eu falo que isto é uma verdade irrefutável. Não há nenhuma evidência, nenhuma, que o alcoolismo é uma doença, exceto que foi considerada assim no ano do meu nascimento, em 1957, pela Associação Médica Americana, sem a mínima evidência científica que a suporte.

Isto foi puramente uma decisão política e financeira, que permitia que os médicos começassem a ter motivos para cobrarem alcoólatras pelo tratamento da “doença” deles, o que permitiu que alcoólatras inveterados fizessem o que eles sabem fazer de melhor… jogar a culpa de seus problemas em outras coisas ao invés deles mesmos.  No fundo, todo mundo saia ganhando com isto.

Outra área significativa de conflito que tive que passar no campo saúde mental foi em respeito a tal Transtorno de Personalidade Borderline (ou limítrofe), ou, como acho mais apropriado, “imbecil perigoso que deveria ser evitado como a peste”.

Peço um pouco de paciência enquanto abordo um pouco do básico aqui. Se tratando de problemas psicológicos, nós estamos lidando com um imenso e diverso leque de problemas e suas causas. Temos desordens que são puramente fisiológicas em sua origem, como a Síndrome Cerebral Orgânica, onde uma doença ou lesão prejudica as funções mentais. Esta síndrome tem um termo um pouco antiquado, e foi até removida do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais por causa do aumento das descobertas que apontam para uma causa orgânica (fisiológica) de muitos transtornos psicológicos.

Mas o importante aqui é que descobrimos que muitas vítimas de lesões ou doenças cerebrais tem pouco controle sobre seus pensamentos, e muitas vezes de suas ações. Esta capacidade lhes foi retirada devido os efeitos de um trauma cerebral ou alguma doença.

A esquizofrenia, uma condição devastadora que causa uma série de deficiências cognitivas, suspeita-se que em parte acontece por problemas fisiológicos. Assim como outros problemas orgânicos cerebrais, a vítima é completamente impotente contra seus sintomas e as vezes não tem controle sobre seu comportamento. É uma doença destruidora que literalmente aterroriza suas vítimas. Imagine você vendo agora demônios vindo da parede e te rasgando em pedaços, ou sua mente te dizendo que deus está falando através de seu cachorro, mandando você matar alguém.

Esquizofrênicos não escolhem ter estas alucinações e pensamentos bizarros e sem ajuda médica ou até mesmo legal, eles muitas vezes não tem controle sobre como eles responderão a tais estímulos. De forma parecida, a desordem bi-polar pode resultar em uma psicose aguda, fazendo com que a habilidade que m indivíduo tem de controlar suas ações ficarem no mínimo questionáveis.

Há mais exemplos de quando uma causa fisiológica é a raiz de problemas psicológicos ou comportamentais graves. A depressão é um bom exemplo. Ela pode ter uma miríade de causas físicas e pode resultar em sintomas físicos muito perigosos, como o alcoolismo, abuso no uso de drogas, violência e suicídio.

Mas a depressão é uma desordem, mesmo tendo algumas possíveis causas fisiológicas, que demandam um tratamento diferente de doenças como a esquizofrenia.

Uma pessoa, não importa o quão deprimido esteja, ainda é capaz de fazer escolhas racionais sobre suas ações. 

Vendo sob esta luz, eles são totalmente responsáveis por usarem ou não álcool ou drogas, serem violentos ou até mesmo se matarem. Podemos dar a eles remédios e psicoterapia, assim como prover outros serviços de apoio, mas no fim eles são totalmente responsáveis por cada ação que eles tomam. Mesmo com sua mente ficando turva por causa do problema, eles ainda são capazes de determinar a diferença entre o certo e o errado assim como entender as consequências de seus atos.

E isto nos trás a desordem de personalidade borderline. Este indivíduo, geralmente uma mulher (sim, isto já foi observado) é alguém no qual seu estado mental faz com que ela seja um perigo emocional, psicológico e até mesmo físico para as pessoas que se envolvem com ela, em particular os homens no qual elas tem algum tipo de relacionamento amoroso.

A desordem de personalidade borderline é diagnosticada quando alguns ou todos estes sintomas estão presentes: 

  • um longo histórico de emoções turbulentas ou instáveis, incluindo frequentes demonstrações de raiva inapropriada;
  • um padrão de impulsividade e relacionamentos caóticos, incluindo, mas não limitado, a impulsividade de gastar dinheiro, uso de drogas, relacionamentos sexuais, compulsão alimentar e furtos em lojas;
  • reação intolerante, muitas vezes hostil, de ficar sozinha;
  • repetidas crises e atos de auto mutilação, como cortar os pulsos ou abuso de medicamentos.

Existe um exame mais aprofundado dos comportamentos comuns de uma pessoa que sofre desta desordem, mas você provavelmente não irá achá-las detalhadas na literatura médica disponível. O que vem a seguir são traços comportamentais que observei em anos lidando com mulheres bordeline em ambientes clínicos e na vida real.

  • Uma facilidade para mentir e manipular, particularmente usando a simpatia e a adulação, mas também  para listar a ação de outras pessoas que ela possa utilizar para vantagem própria no futuro, com fins vingativos ou de retaliação;
  • uma propensão para inventar acusações de estupro, abuso sexual e violência doméstica;
  • uma capacidade praticamente infinita para praticar vinganças pelos menores, ou imagináveis, motivos;
  • um prazer sádico de causar danos injustificáveis contra os outros que são vistos por ela como inimigos, ou mesmo contra aqueles que ela considera que não as ama o “suficiente”;
  • a capacidade de justificar e racionalizar qualquer comportamento abusivo, não importa o quão extremo ou quão inocente é a vítima. Não seguem um norte moral;
  • a demanda incessante que os outros gostem dela, mesmo com ela causando destruição na vida de inocentes;
  • a visão distorcida que o abuso que elas infligem não é abuso, mas reclamar ou reagir contra este abuso é algo abusivo para elas.

E mais uma coisa que precisa ser incorporado em seu entendimento sobre a desordem borderline. Elas sabem exatamente o que estão fazendo. Não há nenhum fator orgânico ou deficiência em seu auto controle que provoque elas a fazerem isto.  Seus atos são intencionais e premeditados. Elas sabem muito bem a diferença entre o certo e o errado, o que é apropriado ou não, o que é verdade e o que é mentira, realidade e fantasia.

Elas frequentemente tem empregos e se envolvem em situações sociais em que seu comportamento destrutivo acabam rapidamente prejudicando elas. Geralmente demonstra uma capacidade admirável de auto controle e comportamento apropriado. Qualquer noção de que elas não conseguem controlar suas ações, o que você frequentemente escutará da boca de algum borderline ou de um médico inescrupuloso que lucram com esta condição ajudando elas a racionalizarem seu comportamento, são totalmente fraudulentos.

Elas sabem muito bem o que estão fazendo, e muitas vezes até gostam disso.

Elas sofrem com o caos interno e emoções instáveis? Certamente. Assim como os depressivos, os alcoólatras e aqueles que tem desordens de ansiedade ou outras mazelas. Só não podemos permitir que se dê um desconto a eles ou que machuquem os outros e a si mesmo. E nem devemos.

Dado o potencial absoluto de destruição que um borderline pode ter na vidas dos azarados que acabem cruzando seus caminhos, é muito importante o entendimento do prognóstico de sua condição.

Não há medicamento psicotrópico e nem terapias cognitivas que funcionem em um borderline. Resumindo, eles tem uma condição intratável com o que temos atualmente. Eles não podem ser ajudados tanto quanto eles devem ser isolados para poder ajudar os outros.

Há uma piada corrente entres os psiquiatras que lidam com a borderline. E sim, nós fazemos piadas sobre problemas sérios. É uma das maneiras de aliviar o stress de ter que lidar com estes casos. De qualquer forma, é uma piada curta e grossa:

Você não trata borderliners, você simplesmente os ignora.

E assim, num sentindo mais amplo, é o conselho indireto que se dá para qualquer pessoa que tem o azar de se encontrar na mira de um borderline.

Fique longe dele. 

Siga outro caminho. Não vá atrás. Não pague 200 dólares. Simplesmente caia fora; esqueça qualquer perda que sofreu em sua experiência e fique feliz de não ter perdido mais.

As famílias dos alcoólatras são orientadas a ignorá-los quando eles estão bebendo. É um bom conselho que ajuda o alcoólatra encarar o problema e que salva sua família de muitos problemas. Mas lidar com um borderline não é tão simples ou fácil como ir a encontros do AA e aprender a ter limites. Sua patologia é muito mais séria e perigosa do que isto.

Escute isto, e não esqueça. Eles não irão melhorar. Nunca. Não há nada que você possa fazer, nenhuma bondade que você possa fazer, nenhuma simpatia que você possa oferecer, nenhuma mãozinha amiga, nem a combinação de toda a sua experiência pessoal que você possa oferecer pode fazer com que um borderline seja nada além de uma tremenda dor de cabeça e um pesadelo em potencial que está só esperando a chance de destruir tudo o que você tem, por dentro e por fora.

Na verdade, se você se encontra num eterno dilema se deve ou não sair de um relacionamento com uma borderline, eu sugiro é que você vá procurar ajuda. Ao invés dela, talvez tenha uma chance de ajudar a você descobrir as causas que te fazem ficar ligado a uma vida cheia de abusos, caos e perigo.

Afinal, sempre haverá a pílula vermelha da verdade.

fonte: http://www.avoiceformen.com/women/borderline-personality-disorder-sick-or-just-crazy-asshole/

933 comentários

1 menção

Pular para o formulário de comentário

  1. É Rosângela, concordo com sua análise! Já busquei soluções em todos lugares e todos as possibilidades, em psicólogos, psiquiatras, através de médiuns, colegas daqui , conselheiros, amigos parentes e Deus, e a conclusão que cheguei é que só eles podem se ajudar e mudar! É a péssima moral que possuem, é da alma, egoismo, mentira, crueldade, e tudo mais! E sabem disso , não mudam porque são ruins mesmo! Hoje depois de décadas sendo compactado por um rolo compactador com milhares de passadas, recolho o que se espalhou pelo chão, a confiança, o coração, o respeito por mim mesmo, minha mente, meus valores, meus filhos.Não quero mais tentar entender essa loucura, é impossível ver solução! Creio que nem os psicólogos e psiquiatras conseguem aturar esses desequilibrados Um dia eles prestarão contas com as suas consciências, do mal que causaram e do bem que deixaram de fazer! Peça a Deus que ele vem , coragem, resignação que vai dar tudo certo!

  2. Bem, por tudo que estou vivenciando, chego a uma conclusão:
    Não é uma doença não, é simplesmente, falta de vergonha na cara, falta de caráter, educação e bons princípios.
    Mas, como para tudo eles dão nomes hoje em dia…..vai saber né?
    Sabe, eu sou uma pessoa que conheci o mundo, trabalhei com centenas e centenas de pessoas, quero dizer, sempre tive que lidar com pessoas, e nunca conheci uma igual a essa que estou vivendo, o nome dele é MALDADE.
    Simples assim, pessoas ruins, do mal.

    O que eu posso fazer agora é me apegar ainda mais a Deus e rezar, rezar e rezar, porque eu acredito que Deus faz milagres.

  3. Isso não tem nada haver com medicação. Novamente você está arrumando um “culpado” para não assumir as RESPONSABILIDADES por suas ações. “mimimi nasci assim”.

    Seu gosto por manipular e ser cruel é apenas egoismo, falta de caráter, e falta de empatia pelas pessoas que estão a sua volta.

  4. O problema deles é que confundem sua cabeça, até você perceber que são doentes você já esta mais doente que eles, se perceber a tempo pode inverter o jogo, eles gostam de parecer normal, se usar com eles o mesmo veneno eles correm. Ninguém quer conviver com uma pessoa doente e possessiva, é só usar os mesmos traços deles contra eles, caçador quer a caça, quando identifica outro caçador mais hábil sai de perto, tem que ser teatral, pelo menos até se livrar do(a) “mala”. Observo os pais em lugares públicos, a criança(vamos aqui classifica-la como a borderline) e a mãe(a namorada normal), a criança tem uma crise, começa a gritar, quer ver a necessidade atendida, a mãe ali naquele momento, morrendo de vergonha, fala baixinho, tenta contornar a situação, mas a situação só é controlada quando atende a tal necessidade e sai correndo do tal lugar morrendo de vergonha. Se a mãe passar a ter comportamento louco, agredir a criança, gritar histéricamente(jámais façam isso com uma criança, é somente uma forma hipotética de colocar uma situação), depois de assistir a cena da mãe louca a criança vai ficar petrificada. A situação normal seria ir para casa e sair novamente avisando a crinça que estaria indo retornar as compras mas que ela não iria pois não teve um bom comportanto e estaria de castigo, mas como relacionamento com bordelaine não é relacionamento de mãe e filho, onde a mãe tem o poder para educar, ai fico com a teoria da gritaria em público…vai avisando…”se você é louco sem noção…então vou mostrar a você quem é mais louco”. Eu vinha sendo ameaçada, qualquer coisa era…eu vou no teu trabalho e vou fazer um escândalo, vou contar para todo mundo quem você é, aquilo me paralisava, ai comecei a usar o mesmo veneno, qualquer coisa que me desagradasse eu usava o veneno, avisava que iria no trabalho dele fazer um “barraco”…ele dizia você é educada , não faria isso, ele estava me testando, e eu avisava….depois de anos de convivência com você eu perdi minha sanidade, não estou nem ai para o que vão pensar, comecei a deixar ele com medo, até ele confessar que tinha medo de mim, que não sabia o que se passava na minha cabeça, hj vivo tranquila e sem brigas, acho que desenvolvi a tal boderline, pelo menos pra me defender de um. As tentativas dele de verem as necessidades atendidas hj se resumem em apelar para doenças, diz que acha que vai enfartar, que esta passando mal e tal, ai aviso caso ele morra que isso é normal, que todo dia morrem milhares de pessoas, isso faz parte da vida, que se quiser podemos ir até uma emergência fazer exames, ai ele para, pois se for até a emergência vai ser detectada a fraude. Boa sorte a todos que tem um doente na família.

  5. SOU CASADA COM UMA PESSOA, HÁ 7 ANOS, COM ESSE TRANSTORNO, INFELIZMENTE, EU SÓ DESCOBRI QUE ELE SOFRE DESSA DOENÇA HÁ 1 ANO.
    PERDI MEU EMPREGO, ALIÁS, ELE MANIPULOU PARA QUE EU PERDESSE, VIREI UMA MULHER BAGULHO, DEIXEI DE VIVER UMA VIDA SOCIAL, PERDI AMIGOS, PERDI O AMOR DA MINHA FAMÍLIA, JÁ QUE É COMUM ESSAS PESSOAS TE ISOLAREM, COMO UMA PRESA QUE SOMENTE ELAS POSSAM, TE DEVORAR SOZINHAS. ENFIM, DESTRUIU ATÉ O RELACIONAMENTO COM MINHA FILHA DE 17 ANOS.
    PARA MIM, A MENTIRA É O FATOR MAIS AGRAVANTE DESSA DOENÇA. SÃO PESSOAS MENTIROSAS, DEVORADORAS DE ALMAS E DA FELICIDADE ALHEIA.
    PARA QUEM ACREDITA EM ESPIRITISMO, PODE-SE COMPARAR A PESSOAS POSSUÍDAS PELO PRÓPRIO DEMO.

    NÃO ADIANTA TRATAMENTO NÃO, POIS O MEU MARIDO TOMA MEDICAÇÕES FORTES, COMO ALTAS DOSES DE SEROQUEL E DEPAKOTE, E NADA ADIANTA.
    NA TERAPIA ELE USA A PSICÓLOGA COMO UMA TUTORA PARA FAZER MAIS MALDADES AINDA, MESMO PORQUE ELE DISTORCE TODO O DITO PARA O SEU BENEFÍCIO PRÓPRIO.
    AGORA, NEM EU SEI COMO SAIU DESSA RELAÇÃO, POIS PERDI TUDO QUE TINHA, ESTOU SÓ, SEM FAMÍLIA E SEM 1 REAL, NADINHA!!!
    ELE FEZ EU PERDER TODOS OS MEUS CONTATOS PROFISSIONAIS, POIS ELES INVERTEM A SITUAÇÃO PARA AS PESSOAS, DIZEM QUE VC É DOENTE MENTAL E PROBLEMÁTICO, JÁ QUE ELES TEM UMA FACILIDADE ENORME PARA CONVENCER OS OUTROS COM SUAS MENTIRAS.

    UMA PESSOA DESSA DEVERIA FICAR INTERNADA, LONGE DE OUTRAS PESSOAS NORMAIS, POIS SÃO PERIGOSAS, DANOSAS, MALDOSAS.

    1. Bom dia Rosangela,
      Não desista de vc nunca é tarde para recomeçar,isso é tudo q eles querem te convencer de q vc é incapaz quando na verdade são eles os incapazes e sem auto estima,elrs querem q acreditamos nisso pq são seres inseguros e egoistas.
      Vivi 3 anos com um q me fez as mesmaas coisas,me sentia uma inutil fiquei de cama um mês sozinha pq ele tambem me afastou de tudo e todos,mas graças a Deus estou conseguindo seguir em frente,comecei um curso conheci pessoas novas inclusive uma amiga nova q me chamou para participar de um grupo de terapia q vou começar hj.
      O q quero te dizer é q vc é capaz sim q tudo isso q ele fez vc se sentir na verdade é ele q é e ñ vc,vc pode e é capaz se vc acreditar em vc e Deus!
      Recomece sua vida ainda é tempo!
      Va em frente e ñ olhe para tras nem de ouvidos a ele pq eles tentam manipular de novo ainda mais se perceber q vc esta conseguindo se levantar sem ele.
      Sei q é muito dificil mas não impossivel,seja forte!
      Abraços e boa sorte!

  6. Para o Deus que eu sirvo que é o Deus que criou o Céu e a Terra e tudo que neles há, o transtorno Boderline tem solução e a solução é orar por aqueles que nós amamos e ter paciência por que as bençãos vem com a fé e a fé se resumi em confiar e esperar. Eu aconselho a aqueles que convivem com estas pessoas a não as abandonarem, principalmente para o que estão casados. O que essas pessoas mais precisão é de uma comunhão verdadeira com Deus, a aceitarem a Jesus, mas elas também precisão do seu apoio, da sua companhia e do seu amor. Quando elas pedirem para que você suma da vida delas, não faça isso, pois é o momento que elas mais estão precisando de você. Não precisa dar tudo que elas pedem, por esta apenas com medo delas ficarem com ódio de você, na verdade as vezes o que elas querem é que você não dê tudo que elas pedem. Não os critiquem, apenas os apoiem, mas aprenda a mostrar onde pode haver um erro. Se prestarmos atenção em nós mesmo veremos que todos nós temos um pouco do Boderline dentro de nós. Esse é um mau que está no mundo e todos nós temos sido afetados por isso. Todos os dias somos afetados pela mídia, somo pressionados inconscientemente a aceitar coisas que antes jamais seriam aceitas, somos pressionados a consumir demasiadamente, temos sidos enfeitiçados pela sexualidade e pelo dinheiro. A sociedade está perdendo seu rumo, as famílias estão perdendo seus valores. Vivemos em uma sociedade onde o que é imoral e glorificado e o que é descente é ridicularizado.Todas esses transtornos psicológicos que estão aparecendo nos dias de hoje são frutos de um sociedade perdida, sem Deus. Não há outro caminho a não ser Jesus. “Eu sou o caminho, a verdade e a vida” (João 14:6)

    1. Caro Alter,
      Leia o último parágrafo do texto do Paul Elam.
      VOCÊ ainda tem chance, creia nisso por Deus, Jesus, Buda, Krishna, Zeus, Orio ou qualquer outra divindade que você acredite. Você tem o poder de mudar a si próprio, mas não tem o poder de mudar os outros, ainda mais um borderline que não aceita que seu comportamento é errado.
      Admiro sua fé, mas lembre-se da palavra do semeador: “PLANTOU PERSEVERANÇA, MOTIVAÇÃO E AMOR E NÃO FLORESCEU, NÃO SE SINTA CULPADO, É PORQUE A TERRA NÃO ERA FÉRTIL. NÃO DESISTA E NEM DESPERDICE MAIS SEMENTES, PLANTE NOVAMENTE, MAS EM NOVOS CAMPOS. ” …

    • Fernanda Bitencourt em 12/04/2013 às 23:34
    • Responder

    Nossa!!eles sabem fazer isso muito bem né? (atacar) muito triste…

    1. Fernanda,
      Sim, eles são especialistas em atacar e se vitimizar, fazendo com que você pense que é culpado até mesmo por coisas que não fez/disse. Os ataques de fúria e ódio são desproporcionais e inexplicáveis.
      Minha ex uma vez ficou irada pois eu a abracei em um grupo de amigos, retirou meus braços do entorno dela com agressividade e se afastou do grupo. Eu na hora fiquei sem entender nada, perplexo.

      Passado um tempo, quando fui conversar com ela, pois ocorreram mais episódios inexplicáveis de fúria e ódio por parte dela sem eu ter feito ou dito nada (mas na cabeça dela eu teria feito), ela me contou que tinha essas atitudes que ela não sabia explicar, que ela era muito egoísta, que tinha problemas em casa com a família e não se sentia bem em levar os amigos lá quando os pais estavam em casa, que o único lugar que se sentia bem era no quarto dela.
      Algumas pessoas notavam essa mudança de atitude nela, outras não, mas ela é muito teatral, pois quando estávamos sozinhos ela me tratava mal, mas era só chegar algum conhecido e ela se tornava a pessoa dócil e calma que eu conheci e que alguns amigos em comum me falavam.

      Ela estava frequentando uma psicóloga, mas havia dois problemas: o primeiro que ela ia uma vez por mês consultar (eu acho muito pouco), e já tinha ficado até três meses sem ir, e o segundo é que ela era amiga pessoal da psicóloga e não falava tudo que acontecia com ela, ela sempre colocava a culpa de suas atitudes em “terceiros” (pai/mãe/irmão/alguém da família).

      Borderlines são infantis, comportam-se como crianças birrentas, manipulativas e mentirosas. Querem tudo do jeito que pensam que deve ser, não são flexíveis com as situações, qualquer situação que sai do “rumo” que eles idealizaram já é um gatilho para que um ataque de fúria/ódio aconteça, mas esses ataques só acontecem com as pessoas mais íntimas (pais/irmãos/namorados), muito difícil que haja “ataques” a pessoas estranhas, pois assim revelariam como realmente são.

      Me parece que ela procurou ajuda de uma psicóloga somente para dizer que estava tentando melhorar, pois em casa ninguém mais aturava seus ataques, assim podia dizer: “Estou em tratamento, quero melhorar”, mas continuava com os mesmos hábitos furiosos de sempre.

      E perante suas amigas e colegas de trabalho, é uma pessoa quase perfeita. Mas ela cultua essa imagem apenas para ser aceita, pois precisa de atenção e adulação das pessoas para se sentir melhor, caso contrário as crises começam. E as redes sociais podem ser o prato preferido de um borderline, onde a exposição é alta e as “curtidas” e elogios são o alimento para se sentir aceito, pelo menos é isso que a minha ex faz, compartilhando mensagens e fotos de “sabedoria facebookiana” para que haja interação com ela e elogios desnecessário.

      Uma coisa que notei é que na maioria dos relatos as situações são muito parecidas, algumas até mesmo idênticas. Isso é algo que chama muito atenção, não é mesmo?
      Espero que com espaços como esse (Canal do Búfalo), possamos alertar ao máximo possível de pessoas sobre esse tipo de comportamento de algumas pessoas.

      1. Verdadeiro, este canal é muito bom! Ele e seus participantes como você me ajudaram a me situar nesse inferno criado pelo Bordeline, É algo que somente quem convive sabe que existe! Creio que muitos piram desconhecendo que ele não é o problema! É dose para elefante!

      2. É verdade aqui foi o melhor lugar que encontrei para desabafar…Nossa eu vivi horrores com meu ex .Ele é muito maquiavélico ,promiscuo,faz uma imagem de um homem tão especial,espirituoso tudo de bom rs haaaaaa quem não conhece compra!!!Graças a DEUS e as forças que venho buscando estou conseguindo apagar da minha alma o estrago que ele fez!!! BOA SORTE pra NÓS e que o universo continue conspirando sempre a nosso favor!!!

      • Fernanda Rangel em 12/30/2013 às 19:17
      • Responder

      Tenho lidado com as idas e vindas de uma border na minha vida há mais de 2 anos. Sempre que penso que acabou esse inferno há um retorno, pois meu lado emocional é burro e não consegue simplesmente ignorar uma pessoa pela qual tenho sentimentos, com a qual me preocupo. Acredito que eu seja um caso de pessoa co-dependente, que aceita ter parte da vida anulada por não ter força em me afastar de uma borderline. Mas como escrevi outras vezes, quero deixar claro o quão perturbador é conviver com essas pessoas, o quão enlouquecedor é brigar com elas, tem momentos que vc duvida até da sua própria sanidade, porque os borderlines conseguem racionalizar TUDO. Tudo eles conseguem transformar em um argumento poderoso, mesmo sendo o maior absurdo. A borderline com quem convivi é ainda mais astuta dentro das brigas. Nunca proferiu uma ofensa contra mim, por outro lado consegue me deixar arrasada com significados “escondidos” nas entrelinhas, com o modo de me tratar, pois sabe o que me deixa mal. É um inferno, é essa a melhor descrição. Viver com medo de se abrir, de conversar, de dar um simples bom dia, de contar da sua vida, pois qualquer coisinha mínima é motivo para brigas é uma das piores sensações que existem dentro da relação. O segredo de sair de vez de uma relação tóxica com um border é conseguir perceber que enquanto vc estiver com essa pessoa estará morrendo aos poucos, tendo a sua vida e tempo consumidos por alguém que possui um vazio existencial tão tão tão grande que precisa dessa sua energia. Energia essa que vc poderia usar construindo coisas boas, cuidando de si e daqueles que merecem. Já repararam quanto tempo perdemos em brigas e discussões sem finalidade com os borderlines? Tempo demais! Espero conseguir me prender a isso e ficar bem longe da minha ex borderline dessa vez. Espero ter força.

  7. Pessoal, vou deixar um link que me ajudou a sair do inferno de uma relação com uma borderline, eu segui tais conselhos e consegui fazer com que ela se afastasse de mim por vontade própria:

    Terminando uma relação com alguém que sofre de BPD
    http://bpdinfo.blogspot.com.br/2010/08/terminando-uma-relacao-com-alguem-que.html

    Vídeo bem realista sobre o transtorno:

    1. Veja nos comentários o quanto ele foi atacado pelas borderlines.

      1. Parece que retiraram o vídeo mais realista e esclarecedor sobre borderline do youtube.
        Com certeza algum borderline reclamou o “abuso” do vídeo para poder continuar com suas borderlinezices.Uma lástima.
        Barão, se por um acaso conseguires este vídeo novamente, clamamos para que ele esteja no Canal do Bufalo, assim conseguiremos ajudar mais pessoas que se encontram nesse inferno de se relacionar com um borderline.

  8. Isso é tudo DEMÔNIO no coro !!! Jesus está voltando irmãos!!

  9. Nunca tinha ouvido falar nessa porra, acho que isso não é doença não, todo mundo já teve ou tem ataques de raiva e acaba falando o que não devia mesmo se arrependendo depois, eu mesmo já humilhei amigos e parentes. Não me orgulho nada disso, era pura falta de controle emocional, e falta de racionalidade, me desculpei, e comecei a controlar minha emoções como homem e parar de ser muito emocionado. Comecei a pensar com racionalidade, e a recompensar os outros que me faziam bem e parar de fazer birra por qualquer coisa. Na minha opinião isso é coisa da atualidade onde as pessoas estão cada vez mais descontroladas emocionalmente.
    FLW.

    1. JOnhY você conseguiu controlar justamente pq vc não é border. Border não se controla NUNCA. N-U-N-C-A. Ele te agride e então se arrepende e pede desculpas. 10 minutos depois, repete a mesma coisa e isso se torna um ciclo vicioso. Já cheguei a contabilizar mais de 8 brigas somente numa tarde com a border que namorei. Depois de 4 anos com ela, consegui o que? Uma úlcera e 4 anos de faculdade no lixo.

  10. Primeira vez que estou lendo sobre este transtorno, a maioria das características vejo no meu pai, então, é mais complicado, porque não posso simplesmente me afastar. Minha mãe sofre muito, desde criança vejo por o que ela passa, ele fala coisas horríveis, desde xingamento até sobre a família, coisas terríveis que minha mãe jamais merecia ouvir. Isso me deixa muito revoltado, ultimamente não consegui mais ficar calado, acho que o que influencia mais é por não ser mais criança, defendo a minha mãe como posso. Nunca entendi o motivo dela aturar isso, mas hoje imagino que tenha sido pelos filhos, desestruturar uma família não é nada fácil. O pior é que meu irmão mais velho está indo pelo mesmo caminho, tem vícios como meu pai e trata a mulher de forma terrível, tem acesso de raiva repentino e sem motivo aparente, depois volta como se nada tivesse acontecido, isso é o que me deixa com mais raiva. Enfim, foi bom compartilhar isso com vocês, geralmente não falo com as pessoas próximas de mim sobre essas coisas.

  11. Caaara!…
    Eu já vi esse texto aqui no site, mas nem dei importância!…
    Mas depois da mensagem da página no Facebook (sobre a polêmica e de que ainda está dando o que falar), eu li. E FIQUEI ASSUSTADO e HORRORIZADO!

    Parece algo demoníaco, diabólico!
    A pessoa SABE o que está fazendo, SENTE PRAZER nisso e, ainda assim, se NEGA A VER A VERDADE, e a MUDAR!

    Rapáz…

    Eu acho, ao meu simples ver, de que isso é reflexo de uma sociedade sem Deus, sem consciência do pecado e do mal que habita em nós, todos os homens (eu sou cristão/evangélico). Percebam que a prepotência, arrogância e vaidade dessas pessoas são gigantescas!

    Rapaz…

    Shalom e e acho que, se essas pessoas conhecessem ao Senhor e a sua condição miserável de pecador e condenado ao Inferno, a menos que se arrependa e creia em Jesus, SE ELAS ACEITAREM, elas podem ser curadas.

    Paz a todos

    1. Dom Rafael,

      Olha, eu não vejo a religião como um caminho para a verdade, às vezes a religião pode ser um caminho para mascarar esse transtorno.

      Eu me relacionei com uma mulher e ela era muito fraterna e dedicada com sua religião, ensinava o evangelho e tudo em grupos de estudos. Mas em casa com seus pais e sua irmã a coisa era diferente, era um inferno no real sentido da palavra, tudo o que ela pregava ela não fazia.
      Na sociedade os borderlines utilizam máscaras, são amáveis e queridos por todos, mas quando você faz parte da intimidade (entra para a família) aí sim você vê a real face da pessoa. Ela se comportava muito bem em público (no trabalho, com amigos e na igreja), mas quando ficava comigo a sós me desrespeitava, me ignorava e a indiferença tomava conta dela, sempre procurava algo para gerar discussão, mentia e inventava desculpas até mesmo para não nos encontrarmos, mas tinha tempo para ficar em redes sociais e com as amigas.
      Se eu contasse o comportamento dela para alguns amigos nossos, ninguém acreditaria, o “louco” seria eu. É difícil de fazer com que alguém acredite, pois a máscara que ela usa é exatamente para fingir ser uma pessoa “normal”.

      Mas isso só aconteceu depois que eu conheci a família, comecei a frequentar a casa dela e soube que ela frequentava uma psicóloga (visitas não frequentes, que não adiantavam de nada). Aí sim eu conheci o inferno.

      Apresentei a ela seus atos e, em algumas conversas com ela (na realidade ela discutia comigo), enquanto eu tentava entender seu comportamento e tentar fazê-la entender que seu comportamento não fazia bem a nossa relação, mas tudo foi em vão.
      Ela se revoltava, ficava com muita raiva e ódio, sua face era horrível mesmo ela sendo uma mulher bonita, mas se transformava em um monstro em um instante, e eu nunca sabia quem estava do meu lado, se era aquela mulher afável, querida bondosa e espontânea, ou um monstro incontrolável, raivoso, cheio de ódio e manipulador.
      Outra característica que ela apresentava era de me culpar por coisas que eu não fazia, mas que na cabeça dela eu teria feito, ou tentar me culpar por estar fazendo com que ela se sentisse mal com o relacionamento, pois eu não podia dizer a ela que aquele comportamento dela não fazia bem para mim e muito menos para ela. Aí sim ela se enfurecia e me destratava mais ainda.

      Se alguém estiver com uma pessoa assim, grave em vídeo ou em áudio os “ataques de fúria” e o modo como ela irá te culpar, para poder provar para outras pessoas e a si próprio que quem tem problema é ela e não você, pois ela é capaz de inverter a situação para algumas pessoas e dizer que você é que tem um comportamento “estranho” (como aconteceu comigo, ela foi “se queixar” com uma tia dela que não me conhecia, e esta tia entrou em contato amigos meus para saber como era meu “comportamento”, sorte que esses meus amigos já tinham conhecimento da situação e explicaram para ela que quem se comportava inadequadamente era ela, e a tia disse que já suspeitava disso pois ela quando mais nova sempre teve uma “personalidade forte” e comportamentos que ninguém entendia).

      A situação é complicada, só quem se relaciona com uma pessoa assim é que sabe o quão difícil é. Durante este turbilhão todo, procurei respostas para o que eu enfrentava com ela, e me deparei com muitas pesquisas, artigos, textos, livros e reportagens sobre o transtorno de borderline, e felizmente achei este artigo do Paul Elam aqui no Canal do Búfalo, e posso afirmar que é o mais real que define esse transtorno.
      Na minha opinião, o transtorno de borderline nada mais é do que um desvio de conduta, que está ligado a formação do caráter da pessoa (ou personalidade, como queiram chamar), pois esta mulher com que me relacionei tinha uma família desestruturada, com pai, mãe e tio envolvidos em negócios ilícitos, envolvidos em política (com mais negócios ilícitos ainda), pai que trai a mãe com uma mulher mais nova e até tem um filho com ela, o pai é alcoólatra (ela mesmo me relatou quase tudo isso em uma conversa), enfim, o ambiente familiar é um deserto, onde nunca caiu um pingo de honra ou sensatez.
      E isso tudo pode ter influenciado na sua formação psicológica, fazendo com que tais problemas, trazidos para a vida adulta gerassem todos esses conflitos.

      Mas uma coisa é certa, ela sabe que seu comportamento é ruim, que isso não faz bem a ela e nem a alguém que vai se relacionar com ela, mas não sei o porque (por orgulho ou egoísmo) não aceitou minha “ajuda” para tentar reverter sua situação, tentar ajudá-la a melhorar seu comportamento.
      Ela não quis, ela decidiu por não querer me ver mais. Me senti muito mal por ter terminado um relacionamento com uma pessoa que eu gostava tanto, mas após um tempo (depois de conhecer o problema) consegui entender que esse relacionamento nunca daria certo, pois o que teria que mudar era o comportamento dela, e esse poder, de mudar uma pessoa, eu não tenho.
      E eu creio que nem Deus pode fazer isso, isso tem que vir da própria pessoa, pois depende somente dela querer essa mudança, Mas para eles é muito fácil dizer “eu sou assim, tenho personalidade forte”, ou seja, não querem mudar, querem que a pessoa se molde a seu comportamento instável e ache isso bom, ache isso normal, aceite tudo e não exponha nada de errado que ela faz.

      Conselho que deixo a quem possa encontrar alguém que esteja em um relacionamento com uma pessoa que tenha o transtorno de borderline: dê mais valor a si próprio do que a ela, quanto mais você se entregar, tentar agradar, conversar, compreender e “ajeitar” as situações, mais tempo terá perdido e muitos problemas e infernos emocionais irá viver. Valorize a sua vida, não a dela.
      Muitas vezes, para provar a uma pessoa que ela está errada, é preciso deixá-la seguir seu caminho.

  12. eu tenho esse transtorno e uma vez me envolvi com uma mulher com esse transtorno também, foi uma verdadeira guerra dos mundos…mas se eu lembrar dos ocorridos agora até chego a dar risada.

      • Fernanda Bitencourt em 11/19/2013 às 14:21
      • Responder

      Eu não faço outra coisa a não ser ler artigos,livros,videos sobre borderleine tudo para tentar entender o por que um homem que achava ser o da minha vida me fez..Sempre fui uma pessoa super tranquila ,buscava equilibrio espiritual enfim cuidava muito do meu eu,da minha essencia…até que tive a infelicidade de conhecer uma pessoa,romântico,amigo,carinhoso,era juras de amor todos os dias,uma rosa a cada encontro e outros mimos me apaixonei por ele.Depois de quase 1 ano de namoro descobri uma pessoa intolerante,egocêntrico,imprudente no transito e nada romântico pelo contrario me ofendia por nada usavas palavras que até hoje está duro de tirar da minha alma que está ferida!Descobri que ele tem o transtorno tentei ajuda-lo ,compreende-lo + foi tudo em vão…Ele começou a se vitimizar,e jogar toda a culpa das fraquezas dele em mim .Terminei depois de uma briga que ele teve com minha irmã (minha melhor amiga) ele pegou uma bronca gratuita dela<foram muitas outras coisas que se eu for falar fico até amanhã teclando (rs)
      Bem o resultado de tudo isso foi que eu as vezes nem sei quem sou,adquiri uma ansiedade horrorosa e tomo setralina 50mg para tentar ficar menos ansiosa e deprimida estou buscando forças para voltar a ser o que eu era antes.Feliz,espirituosa confiante coisas que ele conseguiu roubar de mim!!! espero aprender com tudo isso e quanto a ele desejo tudo de melhor que esse universo tem para oferecer !!! Por que apesar de tudo eu ainda o amo!

      1. Você narrou exatamente o jeito que me sinto.Era também muito envolvente,nossa como era gentil.Passado algum tempo tornou-se um indivíduo raivoso,explorador financeiro,chantagista.Se fazia de coitado quando queria alguma coisa,sempre querendo dinheiro,ao obter,no dia seguinte já com as grossuras.Falava coisas que nem sei de onde tirava,mas no dia seguinte parece que não lembrava do que havia dito.Falava muito em morte,que seria a melhor coisa que podia acontecer para ele.Íamos fazer viagens,nos primeiros dias estava feliz,do nada ficava irritado,colocava defeito em tudo,me ofendia e o retorno era o maior suplício,falava sem parar, eu me calava porque se falasse ficava mais enfurecido.Jurava que era a última vez,passado um tempo lá vinha ele todo bonzinho, e tudo se repetia.Comecei a refletir, este homem tem sério problema mental,não gosta de ninguém,no trabalho só cria caso,tenho que ficar isolada porque não quer amizades. Até que resolvi tardiamente dar um basta, ele estava passando dos limites,me punha para baixo.Me afastei completamente.Um lado meu tem dó dele, mas percebi que não haverá jamais qualquer chance de melhorar, só foi piorando com a idade. Assim, desisti de ser ofendida sem merecer.
        Cansei de perdoar.

  13. Sou casado há aproximadamente 11 anos e tenho um filho de 7 anos. Minha esposa foi diagnóstica como borderline este ano. Antes, fazia tratamento para depressão e, mais recentemente, bipolaridade. Foram anos de agressividade, impulsividade, brigas, etc. Quando comecei a ler sobre o transtorno fiquei assustado e reconheci muitos dos comportamentos de um border nela (manipulação, impulsividade, etc.). No início, era a mulher que eu sonhei. O sonho virou pesadelo.

    Nos últimos anos, minha vida virou um caos. Após ela tentar trabalhar como comerciante, o resultado foi desastroso: dívidas crescentes, os mais variados problemas para eu resolver, mentiras, simulação e algumas tentativas reais de suicídio após o fechamento do negócio.

    A família dela é toda desestruturada. Alguns de seus familiares a prejudicaram fortemente. A mãe dela é uma pessoa alheia, finge que é simples. Na realidade, acho que não quer encarar o problema e deixar a bomba comigo.

    Estou esgotado, cansado, destruído. Não sei o que fazer. Penso em separação, mas tenho receio por conta do meu filho já que trabalho o dia todo e moro distante de minha família. Também tenho medo da reação dela. Além disso, hoje ela é minha dependente financeira. No fundo também me preocupo com o que vai acontecer com ela.

    1. “No fundo também me preocupo com o que vai acontecer com ela.”

      Você acha se fosse a situação contrária ela estaria minimamente preocupada com o que aconteceria com você?

      Ela te quer apenas como provedor.

  14. Olá, estava procurando um grupo de apoio para pessoas que se relacionam com borderlines, uma vez que, somente quem tem um relacionamento íntimo com um consegue entender essa realidade que foge completamente de tudo que conhecemos. Eu namorei por um ano e meio uma mulher borderline e durante todo esse tempo só me abri sobre o que acontecia dentro da relação para o meu psicanalista, por respeitá-la muito e pra evitar a expor para conhecidos. Eu vivi de tudo nesse tempo, sem dúvida eu tive os piores e os melhores momentos da minha vida com ela, ela é a mulher mais apaixonante que já conheci e essa separação é muito dura pra mim, penso todos os dias que agora seria diferente, penso que talvez consiga compreender a forma como sua mente e suas emoções funcionam, ela aceita que tem um problema, após um ano de namoro ela começou o tratamento com o psicanalista e agora está indo ao psiquiatra, ela tem tido uma maior consciência sobre os seus atos e isso martela na minha mente, ao mesmo tempo que desesperadamente sei que não tenho condições de passar por tamanha instabilidade, não aguento mais me olhar no espelho e ver meus braços cheios de hematomas, ser verbalmente agredida com coisas tão íntimas que só confiei a ela e principalmente, não aguento mais tamanha incompreensão com a minha posiçao dentro dessa relação, por mais que ela consiga refletir sobre seus atos, ela abandona a compreensão sobre meus sentimentos e me sinto sozinha. Hoje em dia, me vejo completamente apática, me sinto destruída de forma tão profunda que não possuo o entendimento racional necessário, sei que me vejo incapaz de sentir qualquer sentimento, só possuo sensações. No fundo da alma sinto vontade de correr para seus braçoa e mergulhar de cabeça em todo amor e carinho que tínhamos, mas sei que não posso viver uma vida pisando em ovos, como medo de qualquer comentário inocente ser mal interpretado, sem ter confiança na pessoa que eu estou, não aguento mais viver sabendo que a pessoa pra quem eu mais dou amor é aquela que mai pode me machucar e usar qualquer coisa contra mim, diante de sitiações em que ela se sinta rejeitada. Pedi pra ela isolamento e hoje em dia ela consegue respeitar mais isso, já que nunca tive isso durante o relacionamento, pedi pra ficar sozinha pra me entender. Me sinto tão confusa, perdida e desmoronada, meu norte sempre foi meus planos ao lado dela, sempre foi pensar que iria poder tocá la e dar todo meu amor pra ela, mas não quero esquecer de todo sofrimento que já passei, toda a dor que me transformou em torpor. Vivo sem rumo, sem entender o que aconteceu nesses dois anos de minha vida, como posso ter tido tantos opostos da mesma pessoa e se o caminho realmente certo pra mim é longe do dela.

    1. Eu sinto muitíssimo por todo o seu sofrimento. Imagino o quão angustiante deve ter sido para você, especialmente quando você falou de pisar em ovos e ser a todo instante ofendida por coisas que você confidenciou a ela em momentos que ela tinha de desvalorização. Espero que você tenha saído desse relacionamento e a deixado. Lutar por esse tipo de relação é garantir a depressão, ansiedade e até mesmo o suicídio. Sua namorada era egoísta, é. Não pensa em você, apenas não deseja ficar sozinha mesmo que a custa do seu sofrimento. Por favor, faça um favor para si mesma e saia desse inferno o quanto antes para o seu próprio bem. Sorte.

  15. Estou muito triste com tudo que vem acontecendo comigo desde de que conheci uma mulher uma pessoa muito linda, alegre, amiga, atraente, começamos as namora e e com o tempo ficamos muito íntimos como todo casal normal e feliz, eu como sempre fui uma pessoa conservadora não entrei no relacionamento bem devagar e eu ja estava apaixonado pro ela mas não demostrava totalmente mas amava muito ela, e com passar do tempo em um certo dia ela chegou em mim e disse que era borde e nao sabia o que era mas ele me passou um site e uns video para mim saber como ela era realmente mas ela nao quis fala de jeito nem pediu para mim ver os videos e ler um pouco sobre o assunto e foi isso que fiz… muitos depois que ver ou ver os videos ficam muito assustados mas nao foi a minha reação, a minha reação foi de diferente e muito sícera pois eu ja sentia um sentimento muito diferente por ela amor.
    com o passar do tempo eu fui me apaixonado pro ela e algumas coisas aconteceram uma boa e outras ruim ela com ciume de mim mas eu nunca trair ela com niquem mas sabia que algumas coisas que ela tinha era pro causa do border, mas nunca me vinha totalmente isso na mente sempre vinha um sentimento de que ela sempre foi uma pessoa normal, e sei que ela e normal muito normal pra mim pois eu amo muito ela ate hoje, terminamos e ficamos 1 mes de nos ver e eu sempre querendo ver ela e ela nao muito afim. depois ela veio me procura falando que estava com saudades e que amava muito como eu sempre a amei e sempre vou amar … mas ai em um “belo” dia ele sumiu e nao ligava e nada … e começamos a discutir e ela falou que nao queria mais nada e que tinha termina… e estamos a muito tempo de um ver um outro. isso ta acabando comigo pois ela tbm me ama senti ciume de mim .

    gostaria muito de uma ajuda …

    1. qual seu email?

  16. Tenho 23 anos e fui diagnosticada (não precisamente) por uma psiquiatra como sendo boderline . Eu mesma já li vários artigos sobre e posso afirmar com toda certeza que esses remédios (calmantes) os quais enchem a gente, não surte muito efeito a não ser uma boa noite de sono. Tenho consciência de todos os meus atos, mas não consigo parar… sou manipuladora, cruel e gosto disso. Infelizmente nenhum remédio conseguiu mudar essa coisa de sempre ver os outros como culpados de tudo que acontece comigo. Se algum dia a psiquiatria conseguir um tratamento de verdade pra nós boderlines, será uma grande vitória e o melhor conselho que eu como boder posso dar : SE PERCEBEREM ALGUÉM COM ESSAS CARACTERÍSTICAS SE APROXIMANDO, CAIA FORA, PQ NÓS SOMOS TUDO ISSO QUE FOI DITO ACIMA E MAIS ALGUMAS COISAS. SOMOS PERIGOSOS E SEM ESCRÚPULOS.

  17. Estou chocada com esse artigo.Tive um namoro que durou 8 anos.Ele era desempregado e eu funcionária pública.Deixei de fazer muitos de meus projetos por causa deste relacionamento.Meu dinheiro era pra comprar móveis e construir a casa.Ele sempre dizia quando eu arrumar um emprego a gente se casa.Nunca fui de controlá-lo.Mesmo porque neste tempo eu nem tinha celular e nem tinha redes sociais.Eu confiava muito nele.Muitas vezes ele viajou com amigas minhas que eram também amigas deles e eu nunca briguei por isso.Mas é claro que eu o amava.Ele ajudava a mãe dele na feira.E muitas vezes me chamavam para ajudar,pra não pagar a uma pessoa.Quando ele arrumou um emprego ele disse que ia fazer faculdade por isso não ia se casar.Pouco tempo depois se apaixonou por uma mulher no seu emprego e me deixou.Eu mesmo assim o ajudei em muitos trabalhos da faculdade.Mas sofri muito.Sofri tanto ao ponto de entrar em depressão profunda e não conseguia andar.Comecei o tratamento.E não reagia.Até o psiquiatra aumentar a dosagem do anti-depressivo e eu surtar.Arruinei minha vida nos dois seguintes anos.Deixei o tratamento e fiquei sem medicação.Por um lado eu me tornei uma pessoa com uma capacidade intelectual muito grande.Passei a fazer palestras pra faculdades em assuntos qu eu dominava bem.Me tornei “Autodidata”. Por outro lado os sentimentos eram fortes demais.Não havia meio termo entre amor e ódio. Mas na maioria das vezes eu controlava bem.Outras vezes eu explodia.Claro que raramente.Depois de sofrer com essa instabilidade comecei o tratamento com outro psiquiatra que depois de saber algumas coisas ficou na dúvida se eu era bipolar ou bordeline.Acabei sendo dopada.Neste periodo me casei.Havia uns dias de instabilidade.Mas eu conseguia controlar com medicação.Mas não sabia que tinha me casado com uma pessoa violenta.E passei a apanhar.Mas eu ficava calada.Sofria calada.Me dopava cada vez mais.Mas ele passou a ter outras mulheres.Passei a desconfiar dele.E tive razão.O que mais ele queria era um fillho,eu não consegui engravidar.Resultado fiz exames e não posso engravidar.Preciso de tatamento.Ele disse se eu autorizaria que ele tivesse filho com outra mulher pra gente criar.rsrsrssrs.Pra não perdê-lo aceitei a condição.Mas não suportei a ideia.Meu casamento durou 2 anos e meio.Deixei-o.Ele ficou atrás de mim me ameaçando.Eu não quis.Faz cinco meses que estou com outro psiquiatra que chegou a seguinte conclusão.Tirar todos os meus remédios pra ver se sou bipolar ou bordeline.Engraçado isso.Fico imaginando se eu tiver picos de mania de novo.E se eu for border…acho tudo isso um absurdo.Com relação a não controlar os sentimentos…Eu posso te dizer uma coisa.Não é fácil para mim.Vc diz que se alguém conhecer um border se afaste dele.Eu que digo se eu conhecer alguém que vá me fazer sofrer eu mesmo me afasto.Pode até ser que eu não seja border.Mas acho que não quero ter nenhum relacionamento tanto se eu for bipolar ou se eu for border.Amor pra mim é uma palavra fora do meu vocabulário.Não amor a meus amigos,familiares, a minha profissão…não é isso.Mas sei que nunca vai existir uma pessoa o suficiente capaz de entender um dos dois.Caso vc está em um relacionamento com um border ou um bipolar a decisão é sua se continua ou não.A pessoa não é culpada pelo o que sente.Mas ninguém é obrigado a viver com quem não se ama mais.Ou que tem medo da pessoa.Isso já não é mais amor.O border precisa de tratamento pra reorganizar os pensamentos.Remédios nem sempre dão resultados.Border é uma maneira de viver que está ligado a personalidade da pessoa.É verdade que ela pode até ter consciência do que tá fazendo.Mas as emoções falam mais alto.Eu posso dizer como é ser bipolar.Mas se eu for border…rsrsrs.Eu digo sei disfarçar muito bem.

    • Fernanda Rangel em 10/15/2013 às 20:16
    • Responder

    Desesperançada, só pelo fato do seu marido estar em tratamento já é um ótimo início. Pelo lado racional, sim, deveríamos sair correndo dos borders, seria uma atitude que nos pouparia de muito stress e danos emocionais. Porém…eu bem sei que nada funciona assim de maneira radical. Nós não somos seres só racionais, temos o lado humano, emocional, e esse lado desenvolve amor pelos borders, porque apesar de tudo, normalmente eles tem seu lado bom. Então tentando equilibrar o racional e emocional o que eu posso dizer é: tente ao máximo conviver bem com o seu marido. O que vc puder melhorar em si para conviver com ele tente fazer. Dê uma chance a ele após esse tratamento. A questão é se vc consegue viver de uma forma saudável do lado dele, pois tem pessoas que conseguem ter paciência com os borders (são pessoas quase-santas na minha opinião). Se não der, te fizer realmente muito mal, aí sim pense seriamente em abandonar o barco. Borders são extremamente difíceis em se conviver, não é todo mundo que aguenta, e temos que ser sinceros com nós mesmos quando isso acontece. O que aconteceu comigo, mas apesar de tudo, sinto falta da minha ex-namorada border, pq ela tinha seus lados bons, pena que eu não tive paciência. Eu sou assim, por isso não me culpo, não tenho paciência mais, estava cansada de me anular, perto dela me sentia uma sonsa sem opinião, sem voz, por medo das brigas, e essa não era eu.

    1. Como me faz bem ler vocês… eu que estava tomando uma decisão absurda(me separar do meu maravilhoso marido por ser apaixonada por un borderline- quem leu o meu primeiro post e successivas acusas sabe a minha situação). Peguei uma semana se ferias, refleti, conversei abertamente sobre separacao com o meu marido-que quer somente a minha felicidade- e resolvi me tirar essa ideia da cabeca e resistir a todas as suas formas de tentacao, manipulacao e seducao. E sao muitas as armas. Mas nao o vejo como um monstro como vcs pintam, e nem quero vê-lo assim. Entao resolvi ficar Na minha, tentar manter um saudavel relacionamento de linda amizade e a Imagem de uma das pessoas mais fascinantes que conheci Na Vida. Mas não é para mim.

      1. “me separar do meu maravilhoso marido por ser apaixonada por un borderline”

        Louca

  18. OLha se vc que escreveu esse texto psiquiatra saiba que conhecer a psiquiatria para mim foi a maior roubada,eu fui tratada como bipolar por longos 10 anos….agora sou tratada como bolderline,me encheram de estabilizadores de humor,antidepressivo,antipsicoticos etc eu me perdi de mim dentro da própria psiquiatria que nem diagnóstico completo sabem fazer,sou casada,tenho filho,não promiscua,nunca usei drogas….E se hoje eu tenho meus rompantes de fúria devo a psiquiatria que me vestiu de bipolar eu sendo bolderline….visto que nunca me cortei então eu não tenho vários sintomas de bolderline….Agora depois de entupirem de drogas eles dizem que traço de personalidade o que eu tenho…..que eu tenho que me controlar mais como se meu emocional foi afetado por longos anos de tratamento desncessário.Todos os dias morrem monte de gente por homicídios e não são feitos por bolderline são feito por pessoas ditas normais…..Eu nunca vi casa de homicído feito por bolderline!!!!Agressão quem nos dias de hoje não perde cabeça,nossos direitos menores não são assistidos não temos saúde,educação nem segurança,se vc comprar objeto ele quebrar vc não tem garantias nossa sociedade está doente…..Não são apenas os bolderlines que agridem ou descontrolam está tudo descontrolado……Psiquiatria só me fez ficar mais doente….se eu era uma bolderline hoje eu sou bolderline doente….pq antes de conhecer a psiquiatria eu era feliz!!!!!Não tinha meu estômago furado por medicamentos e tão pouco emocional estragado!!!!!Esquizofrênia e que não se trata milhões esquisofrênicos tomando antipsicoticos tendo alucinações me diga para que serve tratamento psiquiatrico para nada vcs nem conseguem ajudar esquisofrênico que na maioria das vezes tem lesão cerebral…..Só servem para dar sossega leões nas pessoas apenas para isso…..para isso serviu a sua formação para fazerem as pessoas dormirem

    1. “Eu nunca vi casa de homicído feito por bolderline!!!!” É porque borderline, geralmente, não mata com as próprias mãos, mas induz o parceiro ao suicídio por conta do seu comportamento desequilibrado e sufocante.

    • Desesperançada em 10/11/2013 às 11:27
    • Responder

    Estou completamente chocada com tudo o que li. Meu marido, o qual estamos juntas há 8 anos, sempre foi diagnosticado com transtorno bipolar, e agora, depois dessa última crise, ele foi internado e a médica que o acompanhava disse que ele também é borderline. Isso explica muita coisa. Estou sem rumo, sem saídas, ele já me fez sofrer demais, mas por algum motivo eu nunca consegui abandoná-lo. Agora recentemente eu estava criando forças para deixar essa relação, mas muita coisa aconteceu, inclusive sua internação, e tive esperanças de que talvez agora ele consiga seguir corretamente o tratamento e melhorar. Porém depois de ler este post, não sei mais o que pensar, ou o que fazer. Será que é isso mesmo? Será que nós, companheiros, estamos em um barco à deriva? Será que realmente não há esperança para nosso ente doente e para nós mesmos?

    1. Boa noite,não sei seu nome mas li o seu post e vc descreveu meu ex todinho,na verdade eles querem nos fazer dependentes deles provando amor,carinho,dedicação para depois nos fazer sofrer para a alegria deles.Eles são maquiavelicos,manipuladores,astutos etc… Queria muito conversar com alguem com a mesma experiencia,pq as pessoas ao meu redor pra alguns nem falo e os poucos que comento só dizem larga que é louco,mas ninguem compreende o quão complexo é a convivencia com essas pessoas. Boa noite,boa sorte e força! Se quizer conversar esse é meu email aninhalusoares@gmail.com
      Abraço

        • Desesperançada em 11/04/2013 às 15:18
        • Responder

        Jany, vou te mandar um e-mail para conversamos, ok.

    2. Olá desesperançada tenha calma também estou no mesmo barco meu marido também é borderline quem sabe podemos nos ajudar? ele vai fazer um tratamento com uma medica vi uma luz no final do túnel,E muito sofrido pra eles, familiares e nós esposas lhe sugiro ler mais á respeito pra poder ajudá-lo, mas ele precisa de tratamento com antidepressivo e terapia.
      abraços

      Lucia

        • Desesperançada em 11/04/2013 às 15:20
        • Responder

        Lucia, vou tentar um acompanhamento psiquiátrico pra mim também, pois está difícil segurar a barra sozinha. Mande seu e-mail pra gente entrar em contato. 🙂

  19. Nunca pensei que existisse um transtorno como esse. Conheci um homem encantador: sensível, romantico, educado, gentil, que me jurava amor eterno e dizia que o único propósito de sua vida era me fazer feliz.
    Namoramos por 3 anos, tivemos algumas brigas, terminei por 2 vezes, mas ele me convencia a voltar, garantindo que me amava, que estava sofrendo muito, pedindo mais uma chance.
    No momento mais difícil de minha vida ele me deu o fora: me maltratou, me agrediu verbalmente, criticou minha família, etc…se foi dizendo que me amava e me culpando por tudo o que não deu certo em nossa relação. Ele é a vítima em pessoa!
    Depois de alguns meses, pediu prá voltar mas sem reconhecer nenhum erro, pelo contrário, continuava me culpando de tudo.
    Descobri que ele já estava em um relacionamento sério com outra pessoa, mas mesmo assim não me deixa em paz.
    Faz questão de se mostrar presente nos locais que frequento, aborda meus amigos, pergunta por mim e ainda apresenta a atual. Sempre se fazendo de muito feliz.
    Meus amigos ficam constrangidos com a cara de pau dele, e ele faz tudo isso com o seu jeitinho de anjo.
    A atual também é sua vítima, ele tá dando o golpe do baú nela, coitada, nem imagina o que vai ter que aguentar. Inclusive dedica prá ela os mesmos versos que dedicava prá mim. Incrível. Verdadeiros manipuladores, sem carater!
    Tenho evitado até de sair de casa para não dar de cara com esse doente que vive rondando minha rua. E olha que ele vem de outro estado, só prá me pertubar. Sei que ele faz tudo isso prá me provocar.
    Nunca imaginei que o homem que dizia me amar com os olhos cheios de lágrimas pudesse ser um pessoa tão má.
    Ele tem prazer em sofrer e fazer sofrer.
    Sou uma pessoa forte, do contrário não sei o que teria feito.
    Já pedi a Deus prá tirar ele do meu caminho porque não aguento mais!!!!!!

    • Fernanda Rangel em 10/02/2013 às 21:04
    • Responder

    O universo dos borders é uma loucura total. Eles sentem prazer em brigar, discutir, e tal realidade para nós “normais” acaba com as nossas energias. Infelizmente não sei me controlar quando isso acontece e acabo me rebaixando, proferindo ofensas, o que me faz passar por culpada no fim da história. A manipulação dos borders é tão perfeita que conseguem essa proeza, hoje que percebi. Pegam bem no seu ponto fraco para te desestablizar, então vc entra no jogo para se defender e quando menos nota já está espumando de irritação, se exalta, fala grosseiramente, e no fim: vc é o monstro da situação.

    É bem assim, não?

    1. Sim Fernanda, é exatamente isso. Saiba que eu acredito em você. Sei o quanto você sofreu por não terem te dado o devido crédito. A boa noticia é que você pode se libertar de todo esse lixo que o (a) border tenha deixado em você. Essa negatividade não te pertence. Esteja atenta. Corte contato com o (a) border e não olhe para trás.

    2. É bem assim mesmo eles dizem e imaginam coisas que te dezestabiliza e vc acaba gritando pq eles tem o dom de tirar qualquer um do serio,alias qualquer um não,pq aos olhos dos amigos colegas deles aparentam ser normal,gentis,eu dizia para meu ex”vc conseguiria tirar até os monges do serio”.Que Deus nos livre desse mal,amem!!

  20. Estou arrasada… Sou casada ha 8 anos com um cara q foi diagnosticado boderline pela psquiatra apos quase 2 anos de tratamento para bipolaridade sem sucesso. Tenho 2 filhos com ele e meus pais o odeiam, com razao. Casei-me gravida, aos 19 anos, briguei com a familia pq achava q precisava constuir a minha com ele. Hoje sao dividas infindas, nao tenho agua nem luz em casa…Se nao fosse a mae dele q eh minha vizinha, de onde puxo energia, estaria ainda pior….Bom…o fato eh q esse ano me separei dele e fiquei 6 meses na casa dos meus pais… Quando eu finalmente estava me reeguendo, o border começou a me cercar por todos os lados pq eu “precisava” ficar com ele e pqele estava mt mal…Pedi medida protetiva e td e esta foi negada… A grande m foi q cai na dele e comecei a ficar com ele de novo…apanhei em casa da minha mae e fui expilsa de la com meus 2 filhos…Agora estou aqui no apto de novo e desde q voltei estiouo sofrendo agressoes fisicas semanalmente….Hoje foi um soco no estomago…Esta doendo e nao tem marcas, pois ele o fez assim exatamente pq sabe q nao iria deixar marcas… Entao ele faz um inferno, briga , grita, tenta se matar, como o tem feito com frequencia e depois chora, diz q ama, q se descontrolou mas q ele esta arrependido pq ele me ama… Q inferno…Nao posso ir embora, nao quero ir a policia de novo, pois tenho medo do inferno q ele pode fazer para se vingar e eu nao poder tomar posse em um cargo publico como estou prestes a faze-lo… Gente…apenas um desabafo… estou arrasada…queria ir embora com meus pequeno nem q fosse para uma cidadezinha de interior qq… preciso do meu dinheiro pra ontem…

      • Marilia Diaz em 06/26/2014 às 16:59
      • Responder

      Não consegue abrigo na casa de alguém, até tomar posse? Tenta sumir. Não deixa ele saber onde vc esta´. Depois tenta mudar o cargo público para outra cidade. E tenta de novo a medida protetiva. Conversa sinseramente com algum familir. Não volta para esse inferno.

  21. Foi mto bom ter lido isso! Há 3 semanas terminei um namoro c um homem que provavelmente tem esse transtorno! Exatamente hoje eu o vi de longe e me abalou mto…nas brigas que sempre tivemos sempre me passava pela cabeça: será que se tiver mais paciência consigo convencê-lo em procurar ajuda? Por duas vezes ele concordou p no dia seguinte…ou no dia da consulta provocar uma briga! No início era tdo uma maravilha mas qto mais nos aproximávamos, mais foram aumentando as ofensas, as provocações, os testes e as agressões! Com 33 anos, dois filhos c mulheres diferentes, um deles c portador de séria síndrome! Tinha histórico de agressões físicas e morais a essa mulheres e os filhos foram uma forma clara de manter algum vínculo afetivo c alguém…nunca cortando esse vínculo! Os familiares das duas ex-esposas ( não casou formalmente) não aceitavam o seu comportamento e me parece que, claramente utilizou da gravidez p forçar a manutenção das relações! Comigo, talvez por um resto de sanidade que me restava, me preveni o tempo todo, apesar de sua insistência em ter uma menina! Ele comprou então um cachorro p ser nosso vínculo e me entregou p cuidar até arrumar um canil que nunca foi providenciado. Os términos começaram a ser frequentes a partir de agosto qdo me traiu c a ex-mulher , mãe do filho problemático! Perdoei essa traição…ficamos em lua de mel por um bom tempo…mas a mãe do outro continuamente enviava msgs de cobrança…que cheguei a ler…coisa pesada tipo seu filho é doente e vc na farra c sua “p…” ela usava esse filho p perturbá-lo sempre que estávamos bem! Até q no último término entendi tdo….ele sem emprego há três anos, não queria pagar pensão, morando na casa da avó…um inferno de lugar…família permissiva e ao mesmo tempo dominadora….todos “iguais”…embora ele se achasse diferente! Tolerei mtas agressões verbais pq lia mto sobre o transtorno e usei isso p justificar meu amor por ele…os pais o deixaram na casa do avô p ser criado por ele aos 4 anos e a perda desse avô ( que era sua paixão) aos 14 anos, parece ter desencadeado tudo! No último término..cortei o vínculo total…com a tia inclusive que sempre nos reaproximava…e disse que o cachorro ficaria comigo e se ele quisesse entregaria para a tia e ele pegaria c ela! Disse a ele que não queria nenhum vínculo c ele…que queria distância! nunca tinha conseguido falar c ele dessa forma…cheguei a chamá-lo de retardado, mentiroso, cafajeste e manipulador ! Coincidência ou não eu estava passando por uma crise financeira e estava regulando mais nossas saídas e a crise foi aumentando! Há pouco tempo , através de um amigo em comum fiquei sabendo que ele quer voltar p ex do filho c problemas…ela mora na antiga casa deles c esse filho e eu jamais poderia dar isso a ele…pois tenho um filho de 19 anos cuido de minha mãe de 80 anos! Aki ele sabe que não cabe e sempre me falou que não poderia viver comigo nessa casa pq ele se conhecia e sabia que não se controlaria e qq frustração vivida aki ele explodiria…e minha família se viraria contra ele! Credo falei tanto…mas estava tão sufocada…achando que poderia tentar novamente…ele sempre passa na porta da minha casa…na madrugada…o meu vigia sempre o vê!! Isso me balança pq sei que está sofrendo e eu não posso ajuda-lo…não mais…e sei que vai inventar o e planejar outra vida c a ex mulher…e que seu filho será sua salvação…! Tem tanta coisa…é um história tão pesada e riste…que não sei como consegui sair…acho que estou conseguindo….só espero que não haja nenhuma investida por parte dele…pq ainda não estou pronta…ainda estou contaminada por essa doença…essa crueldade!

  22. Primeiramente, parabéns e obrigada Paul Elam, muito esclarecedor seu texto. Bom… Eu também cheguei a namorar um borderline. Deus! Quanto sofrimento. Eu me deixava levar demais pela vitimização dele, pela lábia, eu só sei que levei bonito na orelha quando vi o quanto eu estava pra baixo. E aprendi com ele, observando todo aquele transtorno o quanto a autoestima é essencial! Hoje em dia, dei um jeito de “tatuar” nos neurônios e na alma: QUEM GOSTA DE MIM SOU EU! Descobri que não me amava para ter me permitido chegar onde cheguei. Ô loco! No que eu pude ajudar, ajudei. Comprei um mapa astral para ele que seria uma “ideia da personalidade dele pelos astros” ele reconheceu ter tido bastante efeito. Recomendei um filme para ele Borderline sem limites, enfim, no que eu pude ajuda, sem me afetar, eu fiz..Chega de carregar cruz dos outros, é cada um por si e Deus por todos.

  23. Me relacionei com um homem com este problema! Ele quase me levou aosuicídio, acabou com a minha auto-estima, terminei por desenvolver depressão e um transtorno de humor. Estou tentando me reerguer mas toda a minha auto-confiança foi abalada, bem como toda a minha vida. Eles tem uma capacidade de convencer a todos que a louca é você. Tem uma personalidade pública e outra bem diferente dentro de casa.
    Se cruzar com alguém assim, fuja! Não se coloque em perigo psicológico, emocional e físico tentando ajudar quem nunca vai ser grato por nada do que fizer por ele.

    1. Parece que a mente da gente fica condicionada a obediencia, piedade, sei lá… Sempre fui bem resolvida, mas eles vão minando nossa auto estima aos poucos, mesclando isso com um amor que parece imenso, manipulação pura, a sociedade culpa a vitima, mas na verdade a vitima é VITIMA! Com a intenção de faze-lo mudar… É terrível, só quem passou por isso que sabe…

      1. Importante saber que nós que vivemos essa experiência traumática com uma pessoa border (no meu caso foi minha mãe) temos cura e podemos sobreviver a tudo isso. Perdoar não é nada fácil, depende de esforço no caminho do autoconhecimento para, talvez, um dia conseguirmos. A psicoterapia ajuda, mas tem também a filosofia. a religião, etc. Cada um escolhe o que achar melhor, o que importa é não desistir de nós mesmos.

        1. Sábias palavras Gisele.

        2. Tens razão Gisele…principalmente quanto a religião…Não é fácil conviver com um border..(no meu caso minha filha) Mais difícil ainda é ter que dar razão a tudo que esta escrito neste artigo…

      2. Escrevo aqui para ter a ajuda de vcs: sou casada, com um marido maravilhoso, mas acho que estou sendo seduzida por um irresistivel Bordeline… Espero sabios conselhos
        Obrigada
        Confusa

        1. Vc não tem vergonha na sua cara não?

            • Carlos em 09/23/2013 às 23:44

            Cara, não podemos julgar uma pessoa, desta maneira, o boder é sedutor, usa e abusa, e pode usar este tipo de argumento “casada”, para possuir a personalidade da pessoa, afinal é o que ele mais deseja, a manipulação a seu favor, sua despersonalização,e claro usar tudo o que ele tem para depois jogar tudo isso na cara da pessoa que “cair” no seu jogo. Eles funcionam desta maneira, a partir do momento que você dê uma oportunidade, se prepare, pois vem um batalhão de ideias, jogos, inverdades…. é isso que voce quer para si “CONFUSA”?

          1. Eu julgo. E tou nem aí.

            Afinal isso aqui é meu lugar msm rs

            • João Cunha em 10/11/2013 às 18:08

            Pior um amigo de infância meu (conheço ele e a esposa desde criança e sei o caráter de cada um) que é casado com uma borderline e sempre foi muito bom pra ela, mas de repente ela resolveu ter um caso com um esquizoide, mas vive como dona flor (enrola o marido dizendo que vai despachar o amante maluco, já para o amante maluco ela mente que já tá separada no papel do marido, como ele mora em outra cidade e é doente acredita…)

        2. Continuo apaixonada… mas resistindo intensamente e sempre mais consciente dos problemas dele… ele agora resolveu se abrir, e as vezes, tenta me explicar mais ou menos como funciona a cabeca dele… mas ele nao sabe que o compreendo mais do que ele possa imaginar( tenho lido muito sobre o disturbo de personalidade borderline). Ele voltou a se aproximar de mim. E agora comecou a me convidar para viver com ele… a deixar tudo e ficar com ele… sempre mais confusa estou. Ele falou que assim que eu decidi, ele esta pronto. Reforco que a nossa relacao ate agora é so da mais pura amizade, mas com muito amor e ternura. Para mim nao é facil. Ate quando posso acreditar nele em se tratando de um borderline?

            • sapo em 11/29/2013 às 10:59

            Ou seja, você quer trocar o marido beta que te trata bem, mas não é destacado, por um borderline alfa.

            Só não fez isso pelo fato de estar com medo de não dar certo e acabar sem nenhum dos dois. Por isso está empurrando a situação com a barriga, esperando que o borderline te dê “garantias” para que você possa chutar o seu ex.

            Não tem nada de “pura amizade” nessa história, e você sabe disso. Você só não chegou as vias de fato apenas para não caracterizar a traição e não correr o risco de ou seu marido saber ou o borderline espalhar para sua familia/marido/amigos e queimar o seu filme.

            • Desesperançada em 11/29/2013 às 16:06

            Se cair na lábia dele vai se arrepender profundamente. Ele não quer nada sério com vc. Vc deve ser uma das ~namoradinhas de crise~, que eles arrumam, fazem se apaixonar e depois descartam. Não caia nessa.

            • Walter em 12/04/2013 às 22:42

            Tenho quase certeza que a Confusa já transou com o borderline só não está segura de trocar um relacionamento tranquilo por outro que promete ser uma montanha russa emocional.

          • Fernanda Bitencourt em 12/02/2013 às 23:39
          • Responder

          Confusa eu te dou um conselho não largue seu marido pelo amor que vc tem por vc mesma…eles seduz como ninguém,são tudo de bom + depois amiga haaaa prepara sua alma é uma paulada atras da outra é triste…

      • Fernanda Bitencourt em 11/21/2013 às 9:14
      • Responder

      Mariana é exatamente isso, eles tem o dom de tirar até nosso amor própio…+ ainda bem que temos uma força interior para resgatar esse nossa preciosidade que é o AMOR própio

  24. Não existe um entidade boderline, existem varias pessoas diferentes que desenvolveram esse transtorno em diferentes níveis. Ninguem pode ser definido como um trastorno, ninguem é exclusivamente um trastorno. Um Boderline pode sim ser tratado e ter uma vida melhor. Pode reconhecer seus sintomas e contorna-los, criar espaço para o desenvolvimento das suas qualidades.Eu tenho transtorno Boderline, to com 25 anos, num relacionamento de 3 anos. No qual eu tenho me saído muito bem. Não pq sou uma dissimulada, mas pq realmente o amo e quero ter uma vida saudável. E com tratamento pscicologico e força de vontade, é possivel.

  25. Existem homens com esse trantorno sim! Namorei e convivi como casada por 2 anos com um. No ínicio éra um amor, gentil, inteligente , romantico, prestativo…Mas tinham uns lapsos de pessoa anormal, se machucava e me culpava, ficava estressado e com medo muitas vezes, o comportamento foi piorando ao longo do tempo e com o aumento da convivência, bebia muito, mas muito mesmo, no dia seguinte colocava a culpa no alcool, na rua éra controlado mesmo bebado, mas éra só chegar em casa para atacar, me menosprezava, me chamava de piranha, burra, mulher de merda, fazia perguntas que eu não sabia responder pra me depreciar, depois que passava a onda da bebida virava um anjo, falava baixo, educado, controlado, mas tomava rivotril pra não ficar nervoso, éra muito agressivo quando bebia, me agredia mas depois fingia arrependimento e simulava que ia se matar com garfo, me falava sempre que iria morrer e pra eu aproveitar o tempo, quando sóbrio éra calado e controlado por remédios , éra um inferno, e me chamava muito de diabo, ficava com idéias de inferno , diabo e morte na cabeça. Cheguei num ponto final, ou eu me salvo dele ou eu que morro, o cara transbordava ódio e as vezes amava loucamente, olha, não sei bem o que ele éra, alcoolatra apenas mas misturado a isso: misógino, border, bipolar, narcisista, sei lá… Queria entender…

    • Joe Limítrofe em 08/08/2013 às 9:55
    • Responder

    Poxa o que é isso galera, panelinha dos ‘normais’ ? hahahaha. Vocês estão muito alterados, deveriam procurar um médico e tal.

    Custa assumir uma vez na vida que vocês POSSAM TALVEZ terem feito algo errado também? Ou só tem perfeitos aqui? Coisa de louco.

    Borders só fazem o que vocês queriam fazer, e falam o que vocês queriam falar.

    Abraços.

    1. Segundo esse “raciosímio”, o cara q critica bandido só o faz pq tem “invejinha”. vejamos:

      “Poxa o que é isso galera, panelinha dos ‘honestos’ ? hahahaha. Vocês estão muito alterados, deveriam procurar um advogado e tal.

      Custa assumir uma vez na vida que vocês POSSAM TALVEZ terem feito algo desonesto também? Ou só tem perfeitos aqui? Coisa de louco.

      Assaltantes só fazem o que vocês queriam fazer, e falam o que vocês queriam falar.”

      É cada merda q eu tenho q aturar…

    2. Você está certo…ninguém aki é criança…todos nós temos escolhas….mas o fato é que se relacionar e amar uma pessoa que apresenta essa personalidade não é fácil e é muito difícil sair do relacionamento! E só saímos porque o que fez o companheiro se aproximar deixa de existir…vamos nos apagando…p deixar o companheiro ficar tranquilo…mas nunca é suficiente! No fim…seremos duas pessoas totalmente diferentes d que qdo nos conhecemos! O vazio crônico que não se preenche e outro se esvaziando para manter a relação! Enfim se ficamos nessa é pq algum ganho temos tbém! E não é fácil admitir isso! Continuo amando meu ex , o homem que mais amei em toda a minha vida…mas sei que não podemos ficar juntos! Não tem nada a ver c ele…mas comigo…não tem nada a ver com personalidade limítrofe dele…mas c o meu limite!a
      Antes de ser limítrofe, ele é uma pessoa e não um caso…um transtorno! É o amor da minha vida e terei que aprender a ficar sem ele…por nós!

      1. Puxa… estou amando ter encontrado este Forum. Lendo os depoimentos de voces, cada vez mais me identifico, identifico Ele e vejo a besteira que estava prestes a fazer… Como ele é muito inteligente e intuitivo, acho que com grande esforco ele tenta me proteger, se afastando (nao, nao penso que seja uma fase de desvalutacao). Amo-o demais. E as coisas com Meu marido nao vao tao bem. Mas pelo menos tenho uma Vida tranquila e equilibrada. Com ele, vcs me estao dando a certeza que nunca seria assim… Prefiro continuar sendo sua Amiga, tanto querida, mas sem maior ed vinculos. Vai ser duro. Estou sofrendo, mas vai ser melhor para todos. E acho ate que posso ajudá-lo mais assim.
        Obrigada a todos

    3. Que idiota! Pois Joe, sinto muito se você é doente e promove desgraça por onde passa, podemos não ser perfeitos, mas não fazemos as coisas que vocês fazem e que estão relatadas aqui. São tão tóxicos e nocivos que há, inclusive, psiquiatras e psicólogos que se recusam a atendê-los. É muito cinismo mesmo.

Carregar mais

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: