Transtorno de personalidade borderline – um doente ou somente um imbecil maluco?

Só um aviso aos usuários do Fórum do Búfalo, estamos tendo instabilidades no sistema, por isso o fórum está com uma grande lentidão. Eu realmente não sei exatamente o que ocorre, mas acredito que seja alguma instabilidade nos servidores. Acredito que até o fim da tarde tudo retorne ao normal, geralmente os responsáveis pelo host que o Fórum está hospedado são competentes em arrumar esses problemas.

Agora, ao artigo:

por Paul Elam 

Tenho sido um admirador de longa data dos poucos profissionais que trabalham com psiquiatria que decidem lidar com a verdade, ao invés de apenas ficar vendendo o mais palatável para as mulheres neste senso comum misândrico.

Andar no caminho certo é difícil em qualquer área. Na área que lida com a “saúde” mental que é dominada por feministas, é algo brutal. Eu sei, eu vivi tal vida por algumas décadas. Eu posso lhe dizer por experiência própria que os maiores bombardeios que sofri foi por não ter seguido a linha oficial que o partido nos deu.

Meu primeiro conflito sério foi sobre o alcoolismo, que eu era obrigado a ver como uma doença. Isto era complicado para mim, já que o alcoolismo não é uma doença. Eu não estou especulando sobre isso, ou vendo as coisas sob a minha “perspectiva”. Eu falo que isto é uma verdade irrefutável. Não há nenhuma evidência, nenhuma, que o alcoolismo é uma doença, exceto que foi considerada assim no ano do meu nascimento, em 1957, pela Associação Médica Americana, sem a mínima evidência científica que a suporte.

Isto foi puramente uma decisão política e financeira, que permitia que os médicos começassem a ter motivos para cobrarem alcoólatras pelo tratamento da “doença” deles, o que permitiu que alcoólatras inveterados fizessem o que eles sabem fazer de melhor… jogar a culpa de seus problemas em outras coisas ao invés deles mesmos.  No fundo, todo mundo saia ganhando com isto.

Outra área significativa de conflito que tive que passar no campo saúde mental foi em respeito a tal Transtorno de Personalidade Borderline (ou limítrofe), ou, como acho mais apropriado, “imbecil perigoso que deveria ser evitado como a peste”.

Peço um pouco de paciência enquanto abordo um pouco do básico aqui. Se tratando de problemas psicológicos, nós estamos lidando com um imenso e diverso leque de problemas e suas causas. Temos desordens que são puramente fisiológicas em sua origem, como a Síndrome Cerebral Orgânica, onde uma doença ou lesão prejudica as funções mentais. Esta síndrome tem um termo um pouco antiquado, e foi até removida do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais por causa do aumento das descobertas que apontam para uma causa orgânica (fisiológica) de muitos transtornos psicológicos.

Mas o importante aqui é que descobrimos que muitas vítimas de lesões ou doenças cerebrais tem pouco controle sobre seus pensamentos, e muitas vezes de suas ações. Esta capacidade lhes foi retirada devido os efeitos de um trauma cerebral ou alguma doença.

A esquizofrenia, uma condição devastadora que causa uma série de deficiências cognitivas, suspeita-se que em parte acontece por problemas fisiológicos. Assim como outros problemas orgânicos cerebrais, a vítima é completamente impotente contra seus sintomas e as vezes não tem controle sobre seu comportamento. É uma doença destruidora que literalmente aterroriza suas vítimas. Imagine você vendo agora demônios vindo da parede e te rasgando em pedaços, ou sua mente te dizendo que deus está falando através de seu cachorro, mandando você matar alguém.

Esquizofrênicos não escolhem ter estas alucinações e pensamentos bizarros e sem ajuda médica ou até mesmo legal, eles muitas vezes não tem controle sobre como eles responderão a tais estímulos. De forma parecida, a desordem bi-polar pode resultar em uma psicose aguda, fazendo com que a habilidade que m indivíduo tem de controlar suas ações ficarem no mínimo questionáveis.

Há mais exemplos de quando uma causa fisiológica é a raiz de problemas psicológicos ou comportamentais graves. A depressão é um bom exemplo. Ela pode ter uma miríade de causas físicas e pode resultar em sintomas físicos muito perigosos, como o alcoolismo, abuso no uso de drogas, violência e suicídio.

Mas a depressão é uma desordem, mesmo tendo algumas possíveis causas fisiológicas, que demandam um tratamento diferente de doenças como a esquizofrenia.

Uma pessoa, não importa o quão deprimido esteja, ainda é capaz de fazer escolhas racionais sobre suas ações. 

Vendo sob esta luz, eles são totalmente responsáveis por usarem ou não álcool ou drogas, serem violentos ou até mesmo se matarem. Podemos dar a eles remédios e psicoterapia, assim como prover outros serviços de apoio, mas no fim eles são totalmente responsáveis por cada ação que eles tomam. Mesmo com sua mente ficando turva por causa do problema, eles ainda são capazes de determinar a diferença entre o certo e o errado assim como entender as consequências de seus atos.

E isto nos trás a desordem de personalidade borderline. Este indivíduo, geralmente uma mulher (sim, isto já foi observado) é alguém no qual seu estado mental faz com que ela seja um perigo emocional, psicológico e até mesmo físico para as pessoas que se envolvem com ela, em particular os homens no qual elas tem algum tipo de relacionamento amoroso.

A desordem de personalidade borderline é diagnosticada quando alguns ou todos estes sintomas estão presentes: 

  • um longo histórico de emoções turbulentas ou instáveis, incluindo frequentes demonstrações de raiva inapropriada;
  • um padrão de impulsividade e relacionamentos caóticos, incluindo, mas não limitado, a impulsividade de gastar dinheiro, uso de drogas, relacionamentos sexuais, compulsão alimentar e furtos em lojas;
  • reação intolerante, muitas vezes hostil, de ficar sozinha;
  • repetidas crises e atos de auto mutilação, como cortar os pulsos ou abuso de medicamentos.

Existe um exame mais aprofundado dos comportamentos comuns de uma pessoa que sofre desta desordem, mas você provavelmente não irá achá-las detalhadas na literatura médica disponível. O que vem a seguir são traços comportamentais que observei em anos lidando com mulheres bordeline em ambientes clínicos e na vida real.

  • Uma facilidade para mentir e manipular, particularmente usando a simpatia e a adulação, mas também  para listar a ação de outras pessoas que ela possa utilizar para vantagem própria no futuro, com fins vingativos ou de retaliação;
  • uma propensão para inventar acusações de estupro, abuso sexual e violência doméstica;
  • uma capacidade praticamente infinita para praticar vinganças pelos menores, ou imagináveis, motivos;
  • um prazer sádico de causar danos injustificáveis contra os outros que são vistos por ela como inimigos, ou mesmo contra aqueles que ela considera que não as ama o “suficiente”;
  • a capacidade de justificar e racionalizar qualquer comportamento abusivo, não importa o quão extremo ou quão inocente é a vítima. Não seguem um norte moral;
  • a demanda incessante que os outros gostem dela, mesmo com ela causando destruição na vida de inocentes;
  • a visão distorcida que o abuso que elas infligem não é abuso, mas reclamar ou reagir contra este abuso é algo abusivo para elas.

E mais uma coisa que precisa ser incorporado em seu entendimento sobre a desordem borderline. Elas sabem exatamente o que estão fazendo. Não há nenhum fator orgânico ou deficiência em seu auto controle que provoque elas a fazerem isto.  Seus atos são intencionais e premeditados. Elas sabem muito bem a diferença entre o certo e o errado, o que é apropriado ou não, o que é verdade e o que é mentira, realidade e fantasia.

Elas frequentemente tem empregos e se envolvem em situações sociais em que seu comportamento destrutivo acabam rapidamente prejudicando elas. Geralmente demonstra uma capacidade admirável de auto controle e comportamento apropriado. Qualquer noção de que elas não conseguem controlar suas ações, o que você frequentemente escutará da boca de algum borderline ou de um médico inescrupuloso que lucram com esta condição ajudando elas a racionalizarem seu comportamento, são totalmente fraudulentos.

Elas sabem muito bem o que estão fazendo, e muitas vezes até gostam disso.

Elas sofrem com o caos interno e emoções instáveis? Certamente. Assim como os depressivos, os alcoólatras e aqueles que tem desordens de ansiedade ou outras mazelas. Só não podemos permitir que se dê um desconto a eles ou que machuquem os outros e a si mesmo. E nem devemos.

Dado o potencial absoluto de destruição que um borderline pode ter na vidas dos azarados que acabem cruzando seus caminhos, é muito importante o entendimento do prognóstico de sua condição.

Não há medicamento psicotrópico e nem terapias cognitivas que funcionem em um borderline. Resumindo, eles tem uma condição intratável com o que temos atualmente. Eles não podem ser ajudados tanto quanto eles devem ser isolados para poder ajudar os outros.

Há uma piada corrente entres os psiquiatras que lidam com a borderline. E sim, nós fazemos piadas sobre problemas sérios. É uma das maneiras de aliviar o stress de ter que lidar com estes casos. De qualquer forma, é uma piada curta e grossa:

Você não trata borderliners, você simplesmente os ignora.

E assim, num sentindo mais amplo, é o conselho indireto que se dá para qualquer pessoa que tem o azar de se encontrar na mira de um borderline.

Fique longe dele. 

Siga outro caminho. Não vá atrás. Não pague 200 dólares. Simplesmente caia fora; esqueça qualquer perda que sofreu em sua experiência e fique feliz de não ter perdido mais.

As famílias dos alcoólatras são orientadas a ignorá-los quando eles estão bebendo. É um bom conselho que ajuda o alcoólatra encarar o problema e que salva sua família de muitos problemas. Mas lidar com um borderline não é tão simples ou fácil como ir a encontros do AA e aprender a ter limites. Sua patologia é muito mais séria e perigosa do que isto.

Escute isto, e não esqueça. Eles não irão melhorar. Nunca. Não há nada que você possa fazer, nenhuma bondade que você possa fazer, nenhuma simpatia que você possa oferecer, nenhuma mãozinha amiga, nem a combinação de toda a sua experiência pessoal que você possa oferecer pode fazer com que um borderline seja nada além de uma tremenda dor de cabeça e um pesadelo em potencial que está só esperando a chance de destruir tudo o que você tem, por dentro e por fora.

Na verdade, se você se encontra num eterno dilema se deve ou não sair de um relacionamento com uma borderline, eu sugiro é que você vá procurar ajuda. Ao invés dela, talvez tenha uma chance de ajudar a você descobrir as causas que te fazem ficar ligado a uma vida cheia de abusos, caos e perigo.

Afinal, sempre haverá a pílula vermelha da verdade.

fonte: http://www.avoiceformen.com/women/borderline-personality-disorder-sick-or-just-crazy-asshole/

933 comentários

1 menção

Pular para o formulário de comentário

  1. Olá pessoal,meu problema éo seguinte,estava me relaçionando cm uma border, nao era namoro mais era uma relacao q estava se caminhando para um namoro,ah conheço a dois meses,d iniçio a vi cm uma pessoa altamente inteligente e bem resolvida,p mim uma mulher normal,porém mt apaixonante,cm o passar dos dias ela veio me confessar q tinha um problema pisicologico,e q somente a mim ela tinha confiança para contar,eu nao acreditei mt,pois para mim ela era bem normal,ela me dise q era border. Até agora n vi maus tratos da parte dla,so acho ela uma pessoa fria,e q me acusa a ponto d me odiar por coisas q eu nao faço,e q adora ser bajulada,é mt orgulhosa,fika cm raiva por qlqer besteira,e isto me dxa mt stressada,até quando tenho razao d algo ela fika cm raiva é qer q eu vá atraz e peça perdao. A ultima dla,foi q eu disse p ela se afastar d uma pessoa q me fez um grande mal,e ela além d defender a pessoa ainda me ignorou e ficou cm ódio msm eu tendo a razao. Ela é mt stressada,e dsconta os problemas dla em mim. Arruma confusao e motivos p briga e se faz d vitima,e eu me mato p nao fazer nada q a deixe cm raiva,esforço totalmente em vão. Peço ajuda a vcs,esta ultima briga foi hj. Eu gosto mt dla e a quero p mim,mais fiko stressada em ter q correr atraz sendo eu a certa da causa.

      • Fernanda Rangel em 08/02/2013 às 11:58
      • Responder

      Então amigo, vc está conhecendo essa moça agora, então lhe sugiro que caia fora o quanto antes. Toda expectativa no sentido de que ela vai melhorar é totalmente FALSA. Estou nessa há quase 2 anos, os borderlines não mudam, podem melhorar um ou outro aspecto para não tomarem um pé na bunda, depois de um tempo a natureza deles sempre reaparece. Melhoras são pequenas, e só com ajuda de um psicologo ou psiquiatra, portanto: CAIA FORA o quanto antes! Se vc ficar, vai sofrer, fato.

      Eu estou nessa briga ainda, caio fora, depois volto por dó, e sinceramente, não recomendo a ninguém. Abala o psicológico, vc não consegue trabalhar direito, não consegue estudar direito, e tão pouco dormir direito. É o inferno na Terra conviver com uma borderline.

      1. Você devia ter pena de si Fernanda e não dela.. Não tenho nada com a sua vida, mas sei o que você ta passando, seja o que for você já sabe que esse pessoa não tem jeito, vai ficar voltando por pena sempre, e quem se prejudica com isso é você, pois a sua sanidade mental pode ficar severamente comprometida, pense nisso…
        Para ter ideia, eu consegui sair disso que você viveu, criando situações que não nos permitisse voltar novamente, tipo sair com outra(s) garota(s) e postar tudo no face pra que ela e suas amigas/familia vissem mesmo, mesmo que não fosse nada real naquelas fotos, criou-se uma raiva enorme dela para com minha pessoa, o que a impediu de tentar me perturbar e manipular com seus sentimentos de auto-piedade, funcionou muito bem, pois algumas vezes que ela me ligou (uns meses depois) ainda sim tentando conversar, quando fui extremamente frio nesses contatos, passando a sensação de não me importar mais com ela mesmo, como se ela fosse lixo, não nego que no fundo eu gostava muito dela ainda, mas precisava fazer isso pelo meu próprio bem, portanto não dizia nada disso pra ela, guardava pra mim, sabia que eu precisava lidar com isso, e a hora era naquele momento mesmo, só dependia de mim, mais ninguém, eu precisava matar esse sentimento, e o fiz.

        Evidente que passei por fdp quando postei essas fotos, mas preferi isso do que ficar a vida toda tentando sair dessa coisa doentia, pois sabia que apenas terminar e seguir adiante da forma normal não iria rolar (que parece ser seu caso também), pois ela não iria deixar, precisava de algo pesado acontecendo pra que voltas não fossem possíveis, até mesmo pra mim, precisei me condicionar a pensar dessa forma pra conseguir, deu certo, ela e a família toda viram as fotos, me recriminaram pacas, colocaram lenha na fogueira, e ela logo arrumou outro cara pra se vingar e me deixou em paz, com quem ela também não acabou ficando muito tempo, obviamente porque o sujeito não aguentou também coitado.

        Espero que você, e outras pessoas que passam por isso ainda, consigam se ver livres desse problema, pois nós não viemos no mundo pra ficar segurando barra dos outros 24 horas por dia desse jeito, também precisamos de pessoas que segurem as nossas as vezes, ter uma vida normal, passar por vários dias/semanas e quem sabe meses sem nenhum conflito, e isso, é algo que jamais se verá em um border, pois eles não conseguem distinguir as coisas com o contraste que nós conseguimos, e no fim, nós somos apenas algo funcional na vida deles, só servimos para marcar presença em suas vidas, para que eles possam parecer menos anormais no meio social.

    • Fernanda Rangel em 07/10/2013 às 17:51
    • Responder

    Oi pessoal, estive aqui no blog no final de Março para contar sobre a minha namorada borderline. Vou contar o que aconteceu. Depois da situação que me levou a procurar esse blog, eu e ela conversamos mais uma vez, e eu cedi, pois não tive forças para dizer “não” a ela. Voltamos. Logo em seguida fiquei sabendo de várias traições dela. Ela negou tudo, não admitiu todas as traições, apenas uma que eu fui tirar satisfação com a outra menina, então não teve como negar. Brigamos feio novamente, e eu cedi de novo. Voltamos. Depois dos chifres que tomei, e do meu perdão, ela melhorou muito. Não me arrependi de perdoar, quis dar mais essa chance e ver no que dava. Mas depois das chifradas comecei a ficar apática, o amor perdeu totalmente a cor, mesmo assim eu levava já que amava demais, ou era dependente demais, não sei se era amor ou dependência. No fundo sei que sou doente também, auto-estima baixa, submissa, sem atitude, sem boca pra nada, preciso de tratamento.

    Nesse último fds o transtorno dela apareceu de novo com toda a força. Não tinha ninguém em casa, só meu irmão que a odeia por ter me feito sofrer, então a chamei para vir dormir aqui no domingo. Ela parou o carro aqui em frente e eu perguntei: o que vc quer fazer? Meeeeeeeus Deus, essa pergunta desencadeou um surto de raiva nela, irritação, ficou possessa! Só porque já havia dado um telefonema perto de mim para o pai avisando que iria chegar de madrugada, e eu distraída não assimilei que ela já havia decidido passar a noite de domingo aqui comigo. Segundo a border aquela pergunta que eu fiz “o que vc quer fazer” humilhou ela, junto a mais alguns comentários que fiz sobre meu irmão poder ser mal-educado com ela, algo que me desagradaria. Daí ela gritou comigo que “só queria ir embora para a casa dela” eu saí do carro de bati a porta com toda a minha força. Pela minha pergunta ela deduziu que para mim seria um “sacrificio” passar a noite com ela em casa! Terminou tudo comigo hoje, “pois não quer viver assim mais”, e pediu minha aliança de volta para jogar “nas águas correntes”. Vê se pode! Além disso achou um absurdo eu deixar ela ir embora e bater a porta do carro na cara dela, “eu teria que ter demonstrado outra atitude”, mesmo depois dela gritar comigo, pq estava tendo um festa de rua em frente a casa dela e seria difícil guardar o carro na garagem, então eu deveria ter ficado com ela (em qualquer lugar que fosse) mesmo depois da grito e grosserias, até a festa terminar, perto das 2 da manhã.

    Não entendo como funciona a cabeça desse povo border!
    É cada maluquice.

    Frases típicas de uma border: como sou trouxa! sou muito besta! sou uma boba! vc só me ofende! (essa é quando digo umas boas verdades), quero alguém que me entenda! (só um psiquiatra), eu faço de tudo para dar certo! vc não me valoriza!

    Pessoal, desculpe pelo tamanho do texto.
    Espero poder ajudar e contribuir com o meu relato.
    Que os borders se tratem, porque senão enlouquecem todos as seu redor.

    Até mais.

    1. Então… passei pelas mesmas coisas e nem acredito nas coisas que relevei…. as falas: é eu sou criança! O que mais vc pensa que eu sou? Vc não me entende e coisas afins são taaaaaaaaaaaaão clássicas…. sei que minha border quase me deixou tão louca quanto e de verdade por mais que a ame ainda não a quero de volta por nada sem tratamento.

        • Fernanda Rangel em 08/01/2013 às 18:07
        • Responder

        Te admiro por ter conseguido sair dessa relação abusiva, infelizmente não consigo encontrar essa força =/

        Continue bem longe dela, nessas horas temos que ouvir nosso lado racional que indica o sentido melhor para a sobrevivencia. Nada pior do que ter o psicológico constantemente abalado por uma border, isso mina a vida de qualquer um.

        1. Fernanda você é codependente.

  2. amigos,

    Gostaria de agradecer, do fundo do meu coracao, as palavras que escreveram no blog e nos comentários. Simplesmente me vi vivendo o mesmo sofrimento do que voces. Os relatos sao identicos, sem tirar nem por, e retratam a minha vida até as ultimas duas semanas.

    Sim, eu consgui me desprender de uma namorada boderline, de 1 ano.

    Linda, sedutora, carinhosa,um anjo na terra.. Tinha momentos de tristeza, baixa auto-estima, se acahva incapaz de trabaalhar, se achava feia (era na verdade a coisa mais linda do mundo) e meiga. Impossivel nao se apaixonar loucamente por essa mulher.

    Mas, do nada, em momentos mais impensados, se transformava em um monstro, agredindo, pegando na ferida, humilhando, sem compaixão, fria… Destruindo a sua felicidade, auto-estima e saude.

    TEnho sorte de ter amigos psciologos e psiquiatras. Um amigo psicologo me contou q nao atende bordeline, pq nao confia neles que prefere esquizofrenico. E me realatram os riscos e como uma pessoa dessa pode acabar com a sua vida.

    é impressionante com essa pessoa conseguia me seduzir, dizer que me amava eternamente e segundo depois me humilhar, gritar, agredir ( até fisicamente) e minutos depois, falar normalmente como se nada tivesse acontecido.

    E o mais periogoso, amigos, é que com o passar do tempo vc comeca a entrar na loucura dessa pessoa, acreditar que vc eh aquela aberrracao que ela descreve (ela nao esquece nada de ruim, joga constantemente tudo na sua cara, com o intuito de te humilhar) e comeca a se sentir culpado pelo seu relacionamento estar uma merda.

    as vezes é necessario alguem para abrir seu olhos. Abram os olhos!!!

    Sejam felizes, vcs merecem!!

    Obrigado e que deus abencoe a todos!!

    1. Rodrigo, que bom que conseguiu sair dessa, também fiquei muito mal com o tempo que tive com ela, de certa forma eu tava ficando doente também apenas por conviver com essa montanha russa emocional, minha sorte é que sempre fui uma pessoa muito forte, com um tempo sem ela por perto, consegui chegar a felicidade novamente e voltar a sorrir, hoje to bem e encontrei uma pessoa maravilhosa pra minha vida, desde que terminei com ela, não tive mais problemas, não passei por brigas, tudo está uma maravilha!

      Melhoras cara!

      1. Nuno, é animador ler o seu depoimento, cara.

        Espero que em breve esteja na mesma situacao que vc..

        Hoje, ja estou a um tempo sem falar com ela. Ela me ligou, eu respondi com msg dizendo que precisava ficar um tempo sem falar com ela, e ela sumiu.

        Eu nao bebo, nao fumo, nao tenho vicios. Sempre tive uma vida saudavel, feliz, mtos amigos e saude. Mas pude experimentar o vicio. Viciei naquele relacionamento doentio, naquela mulher sedutora e aparentemente meiga que aos poucos destruia a minha auto-estima.

        Hoje me sinto como um viciado sentido abstinencia. Sinto raiva pq realizo os momentos de loucura que passei e quantas vezes pisei em ovos e pedi desculpas por coisas que eu jamais fiz. Eu sempre fui mto bom pra ela. Mas por outro lado tem um pensamento recorrente que nao sai da minha cabeca. Nao para de martela-la. Vai passar, tenho certeza. Mas tá foda!!

        Obrigado a todos!!

        Que Deus ilumine.

  3. Boa tarde a todos.
    Gente eu estou muito assustada com tudo que li.
    Faz 15 dias que eu e meu namorado terminamos e eu não durmo bem não como direito,fico pensando indignada com as coisas absurdas que saem de sua mente.
    Namoramos 1ano e meio e ele me diz as coisas mais horriveis que ja ouvi,digo a ele como uma pessoa que diz amar a outra é capaz de dizer as piores atrosidades para quem ama!? Ele 8nventa coisas a meu respeito que nunca aconteceram,diz que sai com todos os honmens de uma empresa que tem em frente minha casa,diz que meus conhecidos e familiares não prestam,que só a familia e amigos dele é que presta.
    Ele diz que eu sou uma cadela,puta e por ai vai,diz que a culpa é minha do relacionamento não da certo,que ele é bom que eu nunca vou encontrar um homem melhor que ele. Tive que excluir todas as minhas redes sociais,trocar numeros de telefone, me afastei de algumas pessoas. Porque no inicio ele me fazia acreditar nas coisas que ele dizia mas quando comecei a discordar ai a vida virou um inferno total. Não me deixava sair sozinha nem trabalhar,(eu moro sozinha),eu trabalhava quando começamos mas foi só eu sair do emprego pra ele me proibir de trabalhar! Bom só sei que estou ouito mal psicologicamente,arrumei um emprego semana passada e não consegui trabalhar. E ainda para piorar ele bebe e fuma maconha todos os dias.

    Obrigada pela atenção de todos e desculpe pelo desabafo.

    1. Carol sei que é dificil dizer isso mas a melhor coisa e unica para vc melhorar é se afastar dele. Nao sei se ele é border, homem border nao sei como sao, mas pelo que vc passou pode ate ser um psicopata. Pelas coisas que vc passou no meu entender foi alem de border, pode ser sim um psicopata sei que vc gosta e sei como é dificil deixar pra la alguem que agente gosta. MAS COLOCA UMA COISA NA SUA CABEÇA E ISSO EU APRENDI EM ANOS VIVENDO COM UMA BORDER, QUANDO VC SE RELACIONA COM UMA PESSOA QUE TEM PROBLEMAS, SEJA BORDER OU PSICOPATA, VC TB VAI FICANDO COM PROBLEMAS PSICOLOGICOS, VC NAO APENAS SOFRE DE AMOR, MAS VC TB SOFRE DE PROBLEMAS PSICOLOGICOS PORQUE A PESSOA QUE TEM PROBLEMAS VAI TE PASSANDO ISSO E QUANTO MAIS TEMPO VC FICAR NUMA RELAÇAO DOENTIA MAIS PROBLEMAS PSICOLOGICOS VC VAI TER!!!

      1. Ricardo,

        Vc tem toda razao!

        A pessao te passa esses sintomas. Vc nao sabe mais quem vc eh. Vive duas realidades ao mesmo tempo, e fica doido por conta disso.

  4. Fernanda, onde tem raiva no texto? O texto só é absurdamente sincero.

    Se alguém falar pra você “não puxe o pino de uma granada e fique segurando, pois isso pode arrancar seu braço”, você vai argumentar que a pessoa tem raiva de granada? Ou que é uma granadofobica?

    Partindo do pressuposto que mesmo que a pessoa viu alguem perder o braço, ou ela mesma perdeu o braço, isso invalidaria o conselho? Claro que não. O ponto é Granadas explodem: fique longe delas quando possível. Se for impossível, aprenda como ela funciona e não fique puxando o pino dela. Simples.

    Igual direçao defensiva. Você não pode evitar TODOS os acidentes de acontecer, mas pode diminuir as chances deles acontecerem se for precavido. Ser cuidadoso não prejudica.

    Você quer que o texto MINTA apenas pra massagear seu ego? Aqui compartilhamos informaçoes REAIS sobre o mundo REAL. Sem firulas e sem mentiras politicamente corretas. O objetivo é ensinar quem tem o AZAR de conviver com uma pessoa que é emocionalmente inconstante a não se estrepar. Só uma pessoa que se beneficia com a manipulação tem interesse em que as pessoas não soubessem o que está escrito aqui…

    1. Lindo texto sapo

  5. Uma coisa é certa. Quem escreveu esse texto tem fortes “caracteristicas” borderline. A raiva em excesso é a primeira. Ou vc tem a doença ou se apaixonou por alguem que tem. Muito fácil falar para fugir, para ignorar quando é com um parceiro. Agora quando é com um filho faz o que? Vc provavelmente não tem filhos, nem parentes que ama muito. Só passamos a entender as coisas quando acontecem DENTRO de nossas vidas. E não importa o quanto vc leia ou estude sobre isso. Nunca sera muito valido se nao for vivenciado VERDADEIRAMENTE.

    1. Não é necessário por a mão no fogo pra saber q ele queima.

      Ou vc precisou por a mão no fogo pra descobrir que ele queima?

    2. Eu tive um relacionamento com uma border e posso falar que todas as caracteristicas e tudo que o autor do texto fala sobre mulheres que possuem personalidade borderline sao verdades!

  6. Olha a criatura que redigiu este artigo está muito errada sobre pessoas com Transtorno de Personalidade Borderline. É ainda um transtorno mental que não foi descoberto ao certo a sua origem, pode ser genetica, de padrões socias ou até traumas como abusos fisicos. Mas nada disso é regra!!! Nem todos Borders tem todos os sintomas. Borders não são pessoas manipuladoras, podem fazer isso sem perceber, mas não fariam por querer.. Busquem em sites mais seguros sobre pessoas com este transtorno, pois é algo sério, mas a pessoa não é louca, só precisa de ajuda adequada!! Eu desenolvi esse transtorno a alguns anos e com o tratamento certo estou me recuperando e tendo uma vida tranquila. Todas os border podem isso tambem é só terem apoio. AQUI ESTÃO ALGUNS SITES BONS. estão em ingles, mas é só passar no google tradutor.: http://www.borderlinepersonalitydisorder.com/ ; http://www.borderlinepersonalitysupport.com/abouttami.html

    1. Jéssica:
      Eu também tenho cerca de 15 sites de referência sobre o assunto e li diversos livros. Este site tem um diferencial: focaliza o enorme poder de destruição que a Borderline tem sobre seus companheiros e familiares – e isso, infelizmente é pura verdade. Também tem um forum de discussão bem dinâmico – que os outros sites não tem.
      Se você está se tratando está em um bom caminho. A maioria não é assim, não quer se tratar, e até tem um prazer sádico em tornar a vida de seus namorados ou maridos um inferno. Fazem isso, descarregam a raiva, e voltam por algum tempo à normalidade (horas, minutos) até o próximo surto. É de enlouquecer qualquer um.
      O que se faz aqui é apresentar o óbvio que pouca gente percebe. Não vale a pena relacionar com uma border, pois as chances de um relacionamento saudável a longo prazo são mínimas. E o desgaste emocional acumulado devido às agressões verbais frequentes é muito alto. O risco é apresentado de forma clara, didática, comentada por vários colaboradores, mas a decisão de correr esse risco é de cada um.
      O tratamento é lento, e pode dar certo em alguns casos – tomara que seja assim no seu. Nos casos de progresso, a Border reverte parte de seu transtorno (não cura 100%) e ganha possibilidades de uma vida normal. Aí as chances do parceiro ter uma vida normal também aumentam. Mas com uma border que ainda nem reconheceu que tem problema, o conselho é corretíssimo: cair fora o quanto antes, sem olhar para trás. Por tudo isso o site é sério sim, só que tratando o assunto visto do outro lado – de quem não é border e sofre injustamente com isso..

    2. Não concordo com quase nada. Me parece um texto escrito por um borderline que se culpa por ser um. O que é normal, porque também me culpo, mas é exagerado, de mau tom e absurdamente preconceituoso. Achei péssimo.

        • Fernanda Rangel em 08/02/2013 às 12:04
        • Responder

        Vc já conviveu com uma bordeline?
        Eu tenho esse desprazer todos os dias!
        E TUDO o que está escrito nesse texto é um retrato puro e realista do que é o inferno de se conviver com pessoas com esse transtorno.

        Tudo é diferente quando se está do ladro de dentro, vivenciando a situação.

      1. Eu também convivi com um border por 14 meses. No início uma maravilha, depois, o inferno, igualzinho descrevem aqui.
        Agora fugi dele e estou em local desconhecido dele, tentando sair da relação, mas recebo uns 5 a 10 email por dia pedindo pra eu voltar, dizendo que me ama, pedindo dinheiro, etc.
        Já passamos por todas as fases: idealização, xingamentos, violência verbal e psicológica, surtos psicóticos com criação de perseguições, de conspirações e outras loucuras. Enfim, tudo mas tudo mesmo o que falam é verdade.
        Espero sair desse relacionamento ainda este ano.

  7. Eu sou mulher e sou casada com um homem borderline. Ele tem um comportamento simplesmente patético. Ela já criou brigas absurdas por coisas ridiculas e inacreditáveis como num dia que eu cheguei exausta em casa e dei aquele suspiro profundo, e ele disse que eu estava fazendo aquilo para provocar ele. Por mais que eu dissesse que era paranóia mas ele me acusava. Fora as agressões verbais quando discutimos. Se eu discordar de alguma coisa, ele já começa a me xingar, ofender, e nos últimos tempos veio ensaiando agressão física: cuspiu na minha cara, quase quebrou meu braço e há 2 dias atrás, ele esmurrou meu rosto. Eu estou iniciando o processo de divórcio litigioso porque sei que ele não vai assinar os papéis, e como ele é americano e ainda não está totalmente legalizado aqui, dei a ele alguns para arrumar as tralhas dele e sair do apartamento onde vivemos ou eu vou na polícia fazer um BO.

    O que eu sei é que poucos meses convivendo diariamente com uma pessoa portadora desse transtorno é quase missão impossível, a não ser que a pessoa seja masoquista e goste de sofrer. Eles não tem limites para nada e não cumprem nenhuma das promessas que fazem.

    1. Rose:

      Um desabafo aqui: borderline homem é algo ainda mais estranho que borderline mulher. Explico porque: a personalidade feminina é muito mais complexa que a do homem, por motivos ancestrais. Até Freud reconheceu que falta muito para entender a mulher. Homem é mais direto, lógico, sem entrelinhas. Para mim e provavelmente para quase todos, basta a mulher ser companheira e carinhosa para tudo ficar OK.
      Então, homens borderline contrariam completamente a natureza, aí é tolerância zero. Homem dando piti é patético. Só consigo dizer a eles uma coisa: vão se f****!
      Fique alerta porque a reação de border à ameaça de abandono é muito violenta. Vá em frente.

  8. Obrigado Ricardo, os seus (e outros) testemunhos que vou lendo aqui me dão força para resistir aos encantos da border que me está perseguindo. Ora passa dias em que se faz de vitima e de coitadinha, e até chega a dar pena dela, e aí eu fico pensando, será que não é tudo imaginação minha e ela é uma pessoa normal com sentimentos e aí começo a fraquejar pois ela é fisicamente MUITO atraente mesmo, outras vezes tenta-me manipular desafiando-me e atingindo o meu orgulho, dizendo que sou muita areia para caminhonete dela, que não sou homem que chegue, ou que tenho medo de arriscar, ou de viver a vida, que ela é que é especial e que eu tenho que amá-la do jeito dela, etc. etc. Foda-se, acabo, mesmo contra vontade, a ficar pensando se ela não terá alguma razão. Será que essa gente tira curso pra foder a cabeça das pessoas ou vem natural mesmo?

    1. Cara, o melhor que você pode fazer por você mesmo é cortar completamente qualquer contato que ainda mantiver com ela, você precisa se recuperar, e pra que isso ocorra, apenas o tempo da jeito, desde que você se afaste completamente. Troque de telefone, não passe mais nos mesmos lugares, vá a lugares diferentes, qualquer coisa vale pra não ter que encontrar essas pessoas nessa hora.
      Por mais que ela provoque algo em você ainda, lembre-se dos motivos pelos quais você chegou aqui, com certeza vai lembrar do que passou, e a grande besteira que você fez permanecendo ali tanto tempo.

      É o que da pra te aconselhar cara, fiz isso e deu certo, ela ainda costuma me procurar de vez em quando mas não dou idéia e ela desaparece, até o dia que vai desistir de vez de me encher o saco, pode ser bonita o que for, mas não vale meu tempo nem minha paciência.

        • Clenilda Correia em 07/06/2013 às 21:42
        • Responder

        Cruzes Nuno,vc está nos taxando como objetos manipuladores de homens,e não é bem assim.Não somos totalmente “normais “,como se diz na avaliação do conselho de psiquiatria ,mas também somos pessoas humanas que precisam lutar, “matar um elefante a cada dia que acordamos até a hora de dormir,Cada momento é uma batalha para parecermos normais, e só precisamos de ajuda e não de sermos isolados, largados em uma ilha deserta para não termos contatos com mais ninguém para não contaminálos.Uma lepra como antigamente ou um vírus hpv.só precisamos de um pouco de espaço e atenção para que possamos nos entender a cada sentimento que surge a cada momento que parace não ter mais fim.
        Vc não me ajudou,pelo contrário me deixou muito mal,me sentindo um monstro ,uma doença contagiosa,sem vontade de tomar banho,com medo até de chegar perto do meu marido e machucálo,Eu não quero machucar ninguém,só quero ficar quietinha,sozinha no meu cantinho ,esperando todas as sensações horríveis passarem ,saírem da minha mente ou mesmo da minha vida.Me deixou muito mal,cheia de culpas .Eu não quero machucar ninguém,só quero ir para um lugar bem longe,onde eu não machuque ou maltrate as pessoas que mais amo na minha vida.

    2. Anibal acho que a primeira coisa principal ai é ver se ela é realmente border. Para mim que convivi com uma, acho que alem das coisas que falam acima no blog acho que para ser border e para ser uma border bem problematica mesmo ela tem que ter no curriculo rss 4 coisas:

      1-Relacionamentos conturbados. Tenta ver de algum jeito em outros relacionamentos dela se ela teve problemas ou se é so com voce.
      2- Problemas familiares graves como alcolismo na familia ou pessoas com depressao,
      3-Voce reparar nela tres coisas bem claras que sao mentiras, manipulaçao e ela usar muito da seduçao.
      4- Comportamentos estranhos como, brigar ou se irritar por coisas completamente banais, a minha ja ficou louca porque eu comi um pedaço de sorvete dela que ela achou grande e em filmes vc repara muito isso, as borders geralmente quando estao vendo filmes se exaltam demais. Por exemplo se é filme de terror elas gritam, ficam amedrontadas e se é drama elas choram e choram ate nao querer mais. Comportamentos de criança, que sao oque elas sao, elas tem o lado emocional de uma criança.

      A minha ex tinha tudo isso e mais um pouco, uma vez um psicologo falou para mim que existem borders e borders, que algumas nao sao tao doidas num relacionamento, ai eu ja nao sei, só sei que a que eu convivi o namorado anterior a mim bateu nela e depois que eu larguei ela descobri que outro cara ja tinha batido nela de novo, uma tremenda encrenca. Se vc ver nessa pessoa isso PULA FORA O MAIS RAPIDO POSSIVEL.

      Cara ela é atraente beleza vc vai encontrar outras atraentes o problema nao deve ser esse o problema deve ser que vc gosta dela e ai é com vc, ela sendo border NAO VAI DAR CERTO, como diz no blog vc pode fazer oque quiser que nao vai dar certo, agora se for so para sair e transar com ela, saia, mas tenha na cabeça uma coisa, SE ELA FOR BORDER QUE FIQUE SO NO SEXO, porque se vc querer algo com ela e ela for border meu amigo, MUITOS PROBLEMAS A VISTA!

      1. E nao elas nao tiram curso para ferrar com a cabeça de ninguem, elas simplesmente sao assim, borders mentem, manipulam, jogam a culpa nos outros de suas proprias falhas e fazem mais um monte de “borderlinizice” num relacionamento e vc nao vai mudar isso anibal.

      2. Ricardo:
        Você fez uma lista dos sintomas necessários para concluir que uma pessoa é Borderline.
        Eu acrescentaria com bastante certeza o fator genético, cuja importância é citada em diversos livros. O fator genético é na verdade uma causa, mas pode se tornar também indicador quando você fica sabendo que filhos, primos, tios ou pais da pessoa também tem esse comportamento.
        Parentes em 1o grau de uma border tem 5 vezes mais chances de ter o problema do que a população geral. Li isto em uma referência confiável e comprovei pela minha experiência de vida com uma border, Na família dela o problema é comprovadamente hereditário.

    3. De louco, todo mundo tem um pouco.

      Eu sou border, mas com fatores de bom prognóstico, ou seja, sou casada, tenho filho e não sou promíscua.
      Pra quem pensa que um border não tem jeito, se engana.
      Tudo nessa vida tem solução. O que não dá é pra criar essa barreira horrível de preconceito, dizendo que borders não merecem ter vida e tal… Isso chega a ser preconceito.

      Agora, já que você está envolvido com uma border, porque não conversa com outras pessoas que sofrem deste transtorno para tentar resolver a situação sem maiores problemas???

      1. Oi Nathali.
        Estou respondendo também seu outro comentário aqui.
        Você é exceção. Merece conseguir um resultado bom com o tratamento e vai conseguir. Fez uma corrida de obstáculos que já te deixa lá na frente.
        Você deixou de ter orgulho do comportamento que praticava, reconheceu que tem o problema, buscou tratamento, se trata pelos motivos certos, sem querer que o terapeuta apoie e justifique suas ações, O Anibal conta o caso de uma pessoa que pelo visto ainda está na fase em que sente orgulho de ter um jeito problemático. Para ela vai ter que ser um aprendizado na tentativa e erro, mas sozinha, sem prejudicar os outros. Vai precisar levar muita porrada da vida.. Tenta com um, e ele cai fora, tenta outro, ele sai também… Uma hora ela cansa e suspeita de que o problema pode estar com ela mesma. Aí, vai buscar ajuda a sério. Ou não, e fica assim a vida toda. Enquanto ela tiver gente paciente perto dela atendendo suas exigências, ela vai estar na zona de conforto. E na zona de conforto ninguém aprende nada…

  9. Só mais um desabafo: Eu tinha terminado com ela, eu estava bem de cabeça tinha comprado um carro e tudo mais, ela ficou no meu pé por cinco meses e dae eu fiz a bobeira de voltar, ela um dia inventou de eu leva-la na casa de umas amigas em um bairro que acontece muitos roubos, roubaram meu carro, claro que ela nao fez por mal, mas eu tenho certeza que se nao fosse ela meu carro estaria no meu quintal,e as vezes quando a situação parecia melhorar entre eu e ela, com uma calmaria aparente, de repente por coisas completamente bestas, do nada vem o TSUNAMI. Destrói tudo o que está no caminho, como uma força da natureza incontrolável, devasta propriedades, vidas, afeto, tudo. Depois, só nos resta respirar fundo e tentar reconstruir tudo o que foi perdido.

    1. É Ricardo, a coisa é de pirar qualquer um! Ontem a noite enfrentei outro surdo da minha esposa, o terceiro ou quarto deste mês, esse já com todos ingredientes, surge do insignificante ou inexistente e caminha por acusações, gritos, imposições, me culpa por tudo , minha família que já não convive há décadas, e culmina com um escândalo final e agressão física para fechar com chave de ouro! A partir daí vamos o restante da família arrasada dormir na madrugada! Se você não convive mais com um border , você é cara de SORTE!

      1. Wellington:

        Tenho uma sugestão para você. Não sei se já tentou. Eu fiz, mas da forma errada e hoje sei qual seria a melhor estratégia.
        Já que você está investindo no relacionamento mesmo com uma baixa chance de sucesso, quero te sugerir um método.
        1 – Procure um psicólogo que tenha experiência com Borderline. Faça duas sessões iniciais sem falar nada com ninguém .
        2 – Apresente seu caso a ele. Faça um relato completo na primeira sessão
        3 – Grave discretamente um surto de raiva de sua esposa e apresente o áudio na segunda sessão para que ele tenha a certeza que o problemático não é você.
        4 – Chame sua esposa para fazerem uma terapia de casal com o mesmo psicólogo. O motivo da terapia? Algum problema seu, nunca dela. Deixe claro que a participação dela é para te ajudar, assim ajudando também a relação (É claro que você não conhece e nunca viu o psicólogo, tudo começou só agora. Se ela souber de uma consulta anterior, já era).

        Fazendo assim, você pode conseguir a adesão dela ao tratamento. Borderlines típicas não querem se tratar pelo motivo que seria o correto: querem que o psicólogo confirme que elas estão certas e que o mundo é injusto e cruel com elas. Querem que ele diga que suas explosões são justificadas. O objetivo inicial dela no tratamento vai ser esse e o profissional vai reconduzir aos poucos este objetivo para a direção certa. Sabendo do transtorno, o psicólogo vai gastar várias sessões para conquistar a confiança dela, e o fato de ele já conhecer o problema impede que ela manipule as sessões e inverta a situação. Ele já sabe quem é quem. Aí está criado o ambiente para um tratamento com alguma chance de acerto. Boa sorte!

        1. Bom dia Mister X! Novamente obrigado pela sua atenção e sugestão, creio que é um excelente balizamento para iniciar uma alternativa de lidar com um Border. Estive pensando em como fazer algo assim, já estive em um psiquiatra relatando o fato e ele me indicou outro mas irei em um com experiência além de fazer as gravações o que não será difícil. Curiosamente neste final de semana ela veio me incomodar e iniciar a confusão e na sequencia pegou uma filmadora e começou a me filmar me questionando as maiores loucuras como se eu é que fosse completamente pirado logo percebi que ela falava com extrema calma, e quem olhar a filmagem pensará de imediato , que é uma mulher santa , equilibrada, ela é simplesmente a madre Tereza de Calcutá e eu um monstro, possuído acuado sendo confrontado com todo tipo de acusação como mesquinhez , violência, manipulação e sem direito a responder somente escutar sem poder me alterar , só acusações! Mas depois com a filmagem desligada passou a me ofender e cobrar , foi ai que saquei o celular e a filmei , foi como um balde de água fria, ela foi totalmente desarmada e voltou ao normal, o celular virou meu escudo! Mister X seguirei sua proposta e voltarei relatar o andamento da empreitada. Felicidades Mister X!

            • Mister X em 06/04/2013 às 22:01

            É isso aí, Wellington. A gravação é bem melhor do que você tentar memorizar e narrar a ocorrência. Primeiro porque ninguém consegue lembrar todo o conteúdo dos surtos: aí o relato fica incompleto (só quem é masoquista presta atenção a tudo que as borders falam nestas situações de surto). Depois, você não vai conseguir reproduzir as entonações e os dramas na voz, a menos que seja um grande ator. Melhor ainda seria filmar, para mostrar as caras e bocas bordertípicas, mistura de raiva e deboche (iguais às da foto que ilustra o artigo do Paul Elam acima) mas aí já é demais, é muito complicado fazer sem ser percebido.

            • Welington em 06/05/2013 às 10:19

            Verdade Mister X, essa foto me assusta sempre pois a mulher é muito parecida com minha esposa, só lembro dela quando a vejo. Preciso também ver como mudo meu nome no cadastro já tentei mas estou meio perdido! Se acaso ela passar por aqui e o impossível acontece, ela vai logo me identificar , e irá me jogar de cima do prédio e vai falar que pulei! Abraço

  10. Pra mim a maior de todas as torturas e o alimento principal do Borderline é A CULPABILIDADE.Eles são anormais pq sentem prazer, muito prazer em fazer os outros se sentirem culpados. Isso é meio louco, mas se viajar no jogo deles dá pra entender que no fundo e no fundo eles querem mesmo é se livrar da dor emocional infinita que pesam pelas costas deles.

    Oque eu queria falar hoje é sobre a culpa.Elas sempre arranjam um jeito de nos sentirmos culpados. Gritam, berram, xingam e fazem “caretas”, aquelas fisionomias de monstros. Minha ex é uma mulher linda, meiga, e derrepente vira um monstro! Dá pra ficar com medo! São terríveis e assustadores! As vezes eu estava conversando com ela e por coisa idiota ela mudava totalmente, brigava discutia, falava que ia terminar por coisa idiota e uma coisa que ela fazia que me deixava doido ela pegava e no meio da discussão fechava os olhos, eu tentava falar com ela e ela me ignorava, ai que raiva que dava disso, o namorado anterior a mim bateu nela e depois outro cara que ela saiu descobri que tambem bateu nela, claro nunca bati em ninguem e nunca vou bater, mas olha tem que ter muita mas muitaaaaa paciencia para nao fazer algo com uma border quando ela faz suas “borderlinizices”

    E as borders sao eternas mentirosas…Mentem, superdimensionam fatos e coisas em seu favor pra nos culparem. Observem que no fundo e no fundo todas as ações do Border trazem do resultado de suas caracteristicas a associação de todas que resultam sempre na CULPA do outro e NÓS SOFREMOS MUITO COM ISSO TUDO, até hoje eu vou no psicologo e psiquiatra porque fiquei um ano e e meio com uma border e para mim eu sou culpado de tudo mesmo sabendo no fundo que eu nao sou é muito louco isso rss.

    AGORA VAI A FRASE QUE NÃO SAI DA MINHA MENTE: “O MUNDO NÃO É BORDERLINE” . É DIFICIL MAS PRECISAMOS SER FELIZES SEM MULHERES COM ESSE DISTURBIO E NAO TEMOS COMO SER FELIZES COM MULHERES COM ESSE DISTURBIO!

    E NUNCA SE ESQUEÇA O MUNDO NAO É BORDERLINE. ELAS SAO APENAS 2 POR CENTO DA POPULAÇAO, TEM MULHERES BOAS SIM EM TODOS OS SENTIDOS POR AI.

    1. Ricardo, você tem razão, a tal da culpabilidade na minha opinião é um disfarce montado pelo border para que os holofotes sejam desviados em outras direções, afinal, eles precisam esconder o que tem para que as pessoas não se afastem com medo e ou simplesmente por não ter paciência com esse tipo de coisa.
      É normal o relato, creio ser unanime o fato de que os border´s se comportam desta forma, apontando muitas coisas negativas inexistentes em outras pessoas, apenas para se protegerem, todos são os errados, todos tem um problema na visão do border, uns são fdp, outros são otários, e assim vai, a única pessoa que presta é o próprio border na visão deturpada que eles tem.

      Já senti isso tudo na carne, hoje estou bem, convivo com uma pessoa normal, são meses desde que começamos e nunca houve um único conflito, estou achando até estranho isso (risos), mas é isso cara, nem todo mundo tem esse transtorno mesmo, existem pessoas boas nesse mundo, que não te fazem de capacho para minimizar os seus defeitos, espero que você também encontre.

  11. Voces tinham razão, eu já estou voltando pra minha anterior namorada, mandei a border ‘pro caralho’ e mesmo assim ela continua atras de mim me importunando, se fazendo de vitima, e me tentando manipular e seduzir.
    É obra mesmo, graças a Deus (e sou ateu!!) que vim a este site! Vou erguer uma estátua ao Barão Kageyama e aos outros participantes deste forum por o terem feito, acredito que poderemos ajudar muita gente a sair dessas frias

    1. Mantenha-se firme em sua decisão Anibal. Você não sabe como tudo isso iria piorar e sua vida se tornaria um inferno. Vc poderia até sair do inferno, como muitos fizeram e contribuíram aqui com seus relatos, mas ficaria marcado com “sequelas” que teria que tratar, investir energia, tempo, dinheiro… Se vc pode evitar pegar uma doença, por que vai deixá-la se instalar?
      Sexo picante vc pode pagar uma mulher gostosa e linda de morrer, se for o caso. Não vale a pena ficar com a border só por isso.
      Eu sou uma sobrevivente (minhã mãe é border) e estou em constante processo de superação. Vc teve a sorte de identificar a “doença” a tempo de não se deixar contaminar. Feche a porta para esse vírus definitivamente e seja feliz com uma mulher saudável. Boa sorte.

      Cumprimento o Barão por dedicar seu tempo neste blog que vem se revelando um veradeiro alívio para almas cansadas da manipulação desse tipo de gente border.

    2. Sabe oque ia ter acontecido anibal se vc tivesse voltado com a border, é bem simples: Primeiro ela ia te tratar muito bem no começo, no começo as borders ate conquistarem parecem que conseguem segurar alguns impulsos, mas seduçao e manipulaçao e mentiras sempre elas fazem ate na conquista. Depois q te conquistou meu amigo que ela viu que vc esta nas maos dela ferrou, ela simplesmente vai começar a ter brigas por coisas completamente idiotas, te trair por besteira, terminar por besteira e todas as loucuras e coisas idiotas que borders fazem em um relacionamento e digo por experiencia propria isso por muitos anos faz muito mal a quem convive e tem relacionamentos com borders.

  12. Resposta à Su:

    Esse é justamente o vosso truque de manipulação preferido: Acusar as pessoas normais de quererem viver uma relação normal ao invés de viverem uma relação ‘emocionante’
    O que eu digo é isto: com voces borders não é uma relação emocionante, é uma relação ‘ESTÚPIDA’. E cá para mim o seu namorado se meteu na droga porque voce deve ter aprontado tanto que o pobre se ferrou

  13. Foi isso mesmo que aconteceu comigo, deixei a garota com que estava fazia 3 anos por uma border que fazia tudo para me seduzir, pensei que ia ser uma ‘super-relação’ felizmente percebi a tempo algumas coisas estranhas nela, vim dar a este artigo… ja tou voltando pra minha garota (ja estou quase dando a volta nela de novo) mas a border continua me tentando mesmo depois de a mandar ‘po caralho’ e o que é certo é que ela é ‘picante’ pra caramba

    1. Anibal pula fora, voce nao vai conseguir sair com ela apenas para sexo porque ela vai fazer de tudo para tentar algo serio com voce e quanto mais tempo voce ficar com ela mais problemas voce vai ter, fique com alguem saudavel, falo isso por experiencia propria.

  14. Eu tive uma mãe muito complicada, sempre soube que ela tinha problemas mas não sabia qual. Meu pai era alcoolatra e ela colocava toda culpa nele. Qdo ele morreu, tudo piorou, aí comecei a ver que na verdade o problema era ela. Aos poucos descobri muita mentira, manipulação, descaso com os filhos, ao mesmo tempo ela sufocava demais, cobrava demais e não dava nada em troca, muito egoísmo. Saí de casa aos 24 e foi o melhor que eu fiz. Nesses anos todos, hj tenho 38, ela nunca me ligou nenhuma vez, nem p/ dar feliz aniversário, feliz natal. Nem a mim e meus irmãos. Ela faleceu ano passado e começando a estudar mais os problemas psiquiatricos, não tenho menor dúvida que ela era no mínimo border. Sua manipulação e raiva, vinganças, eram por atenção, p/ fazer o que ela queria sempre. Não era p/ obter ganhos materiais, ou status, ou fama – pq cheguei a pensar que ela era psicopata, antes de estudar mais os borders. Enfim, ela destruiu toda família. Hj em dia eu vou só sobrevivendo, pq sou um caco emocionalmente. Acabei ficando só. O estrago que gente assim faz é muito grande.

    1. Olá Tina, somente descobrir o transtorno da minha esposa recentemente após 20 anos, é uma loucura , mas tirou uma carga do meu ser! Sempre tentei entender , ajudar, e solucionar algo sem solução, um labirinto de tortura no qual se entra sem a mínima consciência e o estrago é dos piores, só quem entrou sabe o que é! Eu ainda mantenho a luta devido a meus filhos, pois eles não merecem herdar esses tipos de problemas e ela minha esposa apesar desse transtorno possui muitas qualidades, creio que não é para qualquer um, pois o abalo é grande em enfrentar tal situação ! Acredito que talvez a mãe dela tenha sido borderline, e o pai acabou entrando no alcoolismo por toda uma loucura, no fim as 5 filhas são transtornadas e eu acertei a mais , o bilhete premiado! E é fácil do cara fazer uma loucura na vida, se desequilibrar nos relacionamentos, no trabalho em tudo e a família toda ir para o buraco como muitas já foram! Por aqui há diversos sobreviventes como você pode ver! Boa sorte , creio que o pior já passou na sua vida!

      1. Obrigada pelas palavras, Welington. Vc está certo em lutar pelo bem de sua família. A minha vida não é totalmente sossegada pq ainda tenho que lidar com bipolares na família (tem que rir p/ não chorar!!!), mas bipolar ainda é mais fácil do que lidar com borderline. Fiz terapia 2 anos, se pudesse continuaria. Aconselho a quem puder, fazer tbm. Felicidades p/ sua família!

  15. Victtoria ,

    Bom comentário. Vamos usa-lo para todo mundo que vier aqui com esse papinho furado de “borderline é uma doença; a pessoa não tem controle de suas ações; ela é uma vitima coitadinha e precisa de compreensão…; meninos, não terminem com suas namoradas borderlines…”

    Não demora muito pra máscara coitadista cair e mostrar o que são: egoístas, manipuladoras e crueis.

    Ps: Barão, minhas respostas não costumam sair debaixo do comentario original que eu estou respondendo. Isso é do canal, do meu computador, ou outra razao obscura?

    1. Cara, eu realmente não sei.

      Na vdd vc é o primeiro a reclamar disto. Eu msm respondo diretamente pelo sistema do blog (q as vezes gera alguns problemas…) e nunca deu errado.

      Pode ser algo aí no teu pc, mas eu realmente não faço ideia.

    2. Sapo,

      A border abaixo sabe que é uma alma perversa FDP e deixa claro gostar de ser assim quando diz: ‘Todo fdp precisa de um trouxa”. Os “trouxas”, na visão estreita dela, são as pessoas de bem que tiveram o azar de cruzar com ela.
      A declaração serve para alertar os leitores vítimas dessa praga.

      1. Não dá para saber se a pessoa abaixo é border. Pode ser apenas um louco qualquer com traços psicopatas.

  16. HAUSHAUSHAUSHAUSHAUS
    Não dá pra mensurar o quanto me senti lisonjeada pelo artigo s2
    Vou até mandar pros amigos que me amam incondicionalmente (mesmo com tudo que eu apronto) pra eles rasgarem mais ceda pra mim!
    E pra vcs menininhos e menininhas sofredores, que tiveram seus corações devorados na ponta da faca de um border: Cada um faz oq quer da vida. Se a pessoa te usou, ela não é a única culpada. Todo fdp precisa de um trouxa. Beijos

    1. Gosto de deixar estes pequenos exemplares de “lixo” para sentirem o gostinho do q eu tenho q filtrar aqui…

      No mais, comentarista bloqueado. Não tenho tempo pra idiotas rs

      1. É Barão, são mais que doentes!

  17. O Barao tem razão Marisa.. Foge dele!! e reza para que ele não meta na cabeça que se ele não te tiver, mais ninguuém te terá… Esse cara tem o perfil típico de quem, mais tarde ou mais cedo, vai parar na prisão por crime passional. Não tem cura. Tive uma prima que se envolveu com um cara desses há uns anos, e não era tão mau quanto a sua descrição, fui preciso chamar polícia várias vezes, ela passou dois anos sendo perseguida na rua, ele quebrava a casa dela pra entrar à força, foi terrível, a única coisa que resultou foi ela se mudar pra casa de familiares em outra cidade a 300 km de distancia, O meu conselho é que voce tente que ele se farte de voce por si mesmo, se peide, deixe de lavar os dentes, etc. Sei que parece mau, mas mau é o que voce poderá vir a ter se continuar com ele.

    1. Não se deve ceder às manipulações dos borders, mesmo que eles ameacem fazer coisas que te prejudiquem. Eles podem também ameaçar se matarem, mas mesmo assim não ceda. As coisas devem funcionar de modo que os únicos prejudicados sejam eles mesmos.por seus próprios atos perversos. Recorrer à Justiça é válido quando o incômodo ameaçar a segurança ou a moral da pessoa. Não tenha pena do border, porque a pena é uma arma na mão deles. Caso se sinta culpado, faça terapia, mude de cidade, endereço, telefone e não olhe para trás com ar saudosista. Esqueça essa pessoa. Esse negócio de que são coitados descontrolados não cola. Eles devem sofrer as consequências de seus atos, pois se não for assim eles continuarão a fazer as mesmas coisas.

    • Mariza Raquel em 05/28/2013 às 0:58
    • Responder

    Estou vivendo um drama com meu namorado. Acho que ele sofre desse transtorno mas não admite ter algum problema. O seu ciúme é doentio, e o fato de morarmos longe acho que agrava o problema. Ele me liga cerca de 20 vezes por dia. Se eu não atender alguma dessas vezes, ele já fica furioso e me acusa de estar conversando com outro rapaz. Tenho que informá-lo de cada passo que dou. Todas minhas amigas não prestam, ou são lésbicas, ou estão me levando pro mal caminho. Tem ciúmes do pai dele, do irmão de apenas 12 anos. Quando saímos juntos é um tormento.Não pode ser pra um lugar muito cheio,pois ele já avisa que os caras vão ficar me olhando. Roupa, tem que ser da forma dele. Nunca acredita onde estou, sempre tenho que dar um jeito de provar que estou em determinado lugar. Quando viajo pra casa dele em Minas, ele me manda tirar fotos da poltrona do lado pra mostrar que nenhum homem sentou do meu lado. Agora vem o caso mais grave. Se ele imaginar algo do tipo, que menti, que aprontei com ele,imaginar… ele começa a se agredir na minha frente, Já se cortou com faca, Quebrou os óculos e furou a perna 5 vezes até sangrar, dá socos fortíssimos na parede até se machucar, e ainda por cima me ofende muito sem eu ter culpa de nda. Aí some, passa alguns dias, está mais calmo, às vezes chora, diz que me ama, e em seguida faz tudo de novo. Estou assustada, e ao mesmo tempo sinto uma enorme vontade de ajudá-lo! pois ele tem um lado maravilhoso e muito humano. Mas tem ataques de fúria e ciúmes muito perigosos. Pode me ajudar em relação a como convencê-lo a procurar ajuda ou deixar ser ajudado? Se é que isso épossível?

    1. Caia fora. Correndo. Sem olhar para trás.

      Ou quer q o próximo a ser furado seja vc?

    2. Mariza:
      Esse cara é border ou mais que isso. Já convivi com um casal que estava se separando onde a mulher era border, e nem tão grave. Vi como uma pessoa pode investir em uma vingança como se isso fosse a coisa mais importante da vida. Tome cuidado e previna pessoas de sua confiança, vai ter alguma retaliação. Tente antever possíveis formas dele te atingir e se garanta contra elas. Caia fora de uma vez sem deixar pistas antes. Cuidado com possíveis sabotagens em seu trabalho, armações para que vc seja demitida, etc. E não desanime!

        • Mariza Raquel em 05/31/2013 às 0:16
        • Responder

        Agradeço muito a todos que estão me aconselhando… tem 10 dias que ele não me liga,não me procura. Estou de certa forma aliviada… Não entendo como uma pessoa tão bonita e inteligente é assim. Digo isso pq ele é muito bonito e super inteligente. deveria ter a auto estima lá no alto, mas se acha feio e a pior pessoa do mundo. Fiz o que estava ao meu alcance para suportar tudo,mas infelizmente não deu, ainda mais depois de tudo que li a respeito dessa síndrome. Mais uma vez obrigada a todos. Beijos

    3. Pelo que você descreveu, seu namorado te trata como um objeto, um brinquedinho nas mãos dele. Você vai sofrer muito se continuar com ele. Pode ser que vocês tenham vivido bons momentos, mas o preço é muito alto a meu ver, Não vale a pena continuar com um sujeito que usa e abusa nos relacionamentos. Isso não é saudável, podendo ter relação com a sua baixa auto-estima. Ele vai se pôr na situação de que depende da pessoa para sobreviver, mas tudo é mentira. Experimente se afastar dele e vai perceber que a vida continuará numa boa, desde que ele perceba que você não se deixa influenciar pelo jogo dele. Daí ele vai procurar outra vítima ou se dedicar às artes, pois nisso muitos deles são bons,

  18. Sou boder e meu namorado sabe da doença. Nunca fingi um abuso, nunca machuquei ninguém… já senti vontade mas nunca o fiz. Não é nada fácil me controlar mas eu me esforço. Nunca tomei remédio pois prometi a mim mesma que iria vencer a doença sem precisar recorrer a drogas pra preencher este vazio que sinto, sim não fumo e só bebo esporadicamente ( a ultima vez foi uma taça de vinho branco no natal do ano passado), Meu namorado é arbitro e jogador profissional de basquete, é inclusive campeão Brasileiro pelo Universo Ajax e esta sempre viajando, não é fácil. Nós temos uma tendencia a achar que o outro está nos traindo e que não nos ama mais, acho que isso acontece porque sabemos que não somos pessoas fáceis de se lidar. A questão é: tenho crises de ciumes mas nunca fiz escândalo, nunca o impedi de jogar e procuro não vê-lo três dias antes dos jogos porque sei que posso, inconscientemente, tentar boicotar a viagem dele. Não acredito que este artigo tenha sido escrito por um psiquiatra ou por um psicologo, isto porque sabemos que a doença acontece com diferentes intensidades na vida de cada paciente e é comum sermos incentivados a vivermos uma vida normal (estudo, trabalho, sou dona de casa e ainda faço trabalho voluntario na CVV). Não vejo um PROFISSIONAL sendo capaz de generalizar as situações e dando conselhos do tipo “fique longe”, acredito que ignorar é só o que resta quando a pessoa realmente não procura se tratar, mas se o paciente reconhece que é doente e procurar ajuda porque a família deveria rejeita-lo? Há, querido Barão Kageyama, não importa quantos anos a pessoa estudou ou trabalho com boders, ou qualquer outro tipo de paciente com doenças psicologias, ele nunca irá saber mais sobre a doença do que o próprio doente… isto é impossível.

    1. Voce nao é border thedaya, primeiro que border nao se controla, o estado que voce passou da sua pessoa é de uma pessoa normal, ter crises de ciumes nao quer dizer ser border, ter apenas um vazio nao quer dizer ser border, namorei uma border, todos os namorados anteriores dela falavam com todo o respeito que ela era um capeta e foi comigo. O quadro que vc passou é de uma pessoa normal apenas com alguns desvios mas nada que se configure como border, nao chega nem perto de um border o quadro que vc passou. E sobre a critica que vc fez a pessoa que fez o blog, simples, so pode falar isso quem se envolveu com border, eu me envolvi e tudo que ele escreve no blog eu assino em baixo, pulem fora o quanto mais rapido possivel de uma mulher que tem borderline.

      1. Tem razão Ricardo, ela não é Border! Se compará-la a um fenômeno natural, ela é um vendaval, o Border é um F5!

    2. Também não te percebi como border.

      1. Peraí…Quase tudo que a Thedayane falou mostra uma pessoa que não é border. Admite que é border, busca tratamento… Além disso, borders não tem controle nem tem arrependimento de seus atos. Ela parece que tem, ou que nem apronta nada. Borders agridem verbalmente e até fisicamente, etc… Nada disso ela faz. Uma border sensata, controlada, preocupada em não prejudicar o namorado, quem diria?

        Tudo bom, tudo bem, mas tem uma coisa estranha aí: Borders tem uma habilidade incrível para manipular as pessoas, criam acontecimentos para fazer valer seus planos e suas vontades. Se passam fácil por coitadinhas. Esta característica é citada neste texto sensacional do Paul Elam que o Barão publicou para ampliar nossa consciência. E eu tenho também esse conhecimento pela minha experiência de conviver com uma border.

        Ao descrever o namorado, ela praticamente o identificou aqui no blog. Não identificou para mim ou para a turma daqui, mas os colegas e as colegas dele que lerem (navegando por acaso, ou se receberem o link) não vão ter nenhuma dúvida de quem é.

        Pode não ser, mas parece border-armação…

  19. Nossa Ricardo, essa mulher não presta mesmo, me pergunto o que ela terá que interessou voce… Como é que pode querer amar uma mulher assim? Há muitas mulheres por aí que podem amar um cara com sinceridade e lealdade, e sendo boas na cama. Procura as mais tímidas, que não têm o lado obscuro desenvolvido, se conseguir que ela se apaixone por voce, depois pode desenvolver o lado sexual dela com voce (e apenas voce)

  20. Ricardo,

    Psicopatas, em regra, manipulam para conseguir bens materiais, financeiros ou que lhe proporcione prazer/conforto, enquanto borderlines manipulam a fim de conseguir apoio e afeto. Porém, vale repetir que nada impede que os dois transtornos ocorram SIMULTANEAMENTE.

    Sinceramente, essa sua ex é perigosa. Corra como o vento e evite qualquer contato, pois não tem como saber qual o LIMITE de uma pessoa assim.

    1. Sapo pelo que eu li na net a psicopatia feminina é um pouco diferente da masculina e seria uma mistura de personalidade histrionica com borderline, e detalhe ela visava a grana tambem, tanto que uma vez que ela tava com um cara e eu tonto la ligando para ela, ela pegou e falou no tel vc acha que eu vou largar esse cara que tem grana para ficar com voce, nao que eu nao tenha grana mas rico nao sou mesmo. Ela visava grana tambem.

      1. Ela visava grana tambem mas o lado afetivo tambem estava junto, acho que nela estava as duas coisas, border e psico.

        1. Aconteceu exatamente a mesma coisa comigo e eu cheguei a mesma conclusão! Uma fucking Psico Border!
          A mensagem de texto dizia: “Vc quer que eu largue meu namorado para ficar com vc??? O que vc tem para me oferecer?”
          Isto porque eu sou o homem que ela mais amou na vida…imagina se fosse o que ela mais odiou?
          Olha que deve ter mais gente que vai se identificar com essa nova modalidade delituosa, desculpe, quis dizer defeituosa…
          Sou especialista, já fiquei com duas assim! Agora ganhar na mega sena, nada!

  21. Namorei uma pessoa e tenho quase certeza que ela era border, vou dar algumas caracteristicas dela para ver se ela é mesmo border, ja fui em dois psicologos, o primeiro falou que ela era psicopata o segundo falou que nao era para tanto e ela era border.
    1-Antes de namorar ela, ela disse que o namorado anterior dela bateu nela e que ele a procurava e ela nao queria nada com ele, quando terminou entre eu e ela, fui conversar com esse cara na net, ele disse que ela era doida e que quem terminou foi ele, inclusive ele disse que ela ainda ligava para ele falando que tava comigo para esquecer ele e devia ser verdade porque ele sabia de coisas entre eu e ela que so eu e ela sabia, ela devia falar com ele.
    2- Quando terminou entre eu e ela, ela começou a namorar com outro cara, e chuta oque houve, esse cara bateu nela tambem.
    3- Ela se enfurecia por coisas minimas, por ex: Um dia ela comendo um sorvete me ofereceu, eu comi um pedaço, ela disse nossa olha o tamanho do pedaço que vc comeu vou jogar no lixo, eu disse an?
    4- Ela fazia algumas brincadeiras estranhas, com o tempo algumas brincadeiras ela parou e outras nao, por ex: Quando eu ia no banheiro ela ia no vitro ver eu no banheiro para tirar sarro, ela fazia brincadeira de cocegas direto, quando eu bocejava ela pegava e colocava o dedo dentro da minha boca, essa ultima brincadeira ela fazia ainda hoje, mesmo com 26 anos, eu reparei que para algumas coisas ela se portava como uma criança.
    5- Reparei que ela traia com facilidade, e outra coisa, se ela terminava comigo, no mesmo dia ou no dia seguinte ja ia para balada e isso nao so comigo com todos.
    6- Ela mentia demais, mas era um jeito de mentir estranho, ela mentia e chorava junto, eu olhava aquilo e falava nao é possivel essa menina estar falando mentira, era uma teatralidade incrivel.
    7- Ela me manipulava demais, em praticamente tudo.
    8- No sexo acontecia uma coisa estranha, quando eu transava com ela, ela queria que a enforcasse, eu enforcava ate ela ficar vermelha, eu ficava com medo de acontecer algo, mas ela adorava isso e pelo que ja li essas mulheres sao sadomasoquistas.
    9- Uma coisa que eu achava doido nela era assim, se eu pegasse e mandasse msg de texto desejando bom dia e bom trabalho, se eu mandasse por tres dias seguidos se no quarto dia eu nao mandasse porque tava sem credito no tel, ela pirava, me ligava mandava mensagem falando porque nao mandei msg de bom dia que eu nao tinha consideraçao por ela e nao adiantava falar que tava sem credito.
    10- Ela era e ainda é de um egoismo extremo em algumas coisas, uma vez entrei numa loja do shoping no dia do meu niver para comprar calça, ela pegou e falou que comprava uma calça pra mim que era 100 reais, so que ela viu roupas para ela no valor de 125 e perguntou se eu podia passar 125 no meu credito que ela me pagava por mes, eu falei que nao podia que meu cartao tava sem credito ela pegou mandou eu me foder e saiu da loja sem comprar minha calça, eu sai da loja fui atras dela e falei vc é louca ela disse vai se fuder, vai se fuder, quase que babando, tudo isso no dia do meu niver, e teve muito mais outras situaçoes como essa.
    11- Ela nao conseguia ficar sozinha nunca.

    PODE SE DIZER QUE ELA ERA BORDER, OU PSICOPATA???

    1. Como comentarista apenas posso falar que eu não conseguiria qualificar se é Border ou psicopata como você diz. mas uma coisa eu tenho certeza, você é um cara de extrema sorte em se livrar dessa encrenca!

    2. Ricardo:

      Os sintomas são bem típicos de uma border sim, só em relação ao sexo (8) que eu acho que a brincadeira que ela pede não indica nada de mais.

      Para ajudar a identificar, vai uma dica aí:

      A Border tem extremo cuidado para não se revelar para muita gente – ela sabe que tem muito a perder com isso. O transtorno é bem disfarçado de normalidade. Ninguém de fora do núcleo mais íntimo desconfia do real comportamento dela. No máximo, as outras pessoas podem dizer que ela tem “personalidade forte” (por sinal esta é uma das expressões mais imbecis que eu conheço: é um eufemismo para dizer que a pessoa é encrenqueira).
      A Border consegue manter controle razoavelmente no geral e só se revela para as pessoas muito próximas. Se ela só tem crises de raiva com você, pais, irmãos e mais ninguém, pode ser border sim. Se ela é descontrolada com todo mundo – colegas de faculdade, do serviço, vizinhos, parentes não próximos, o transtorno deve ser outro.

      1. Nao basicamente mister ela tem so problemas com familiares e tinha comigo e com todos os caras que cruzavam a vida dela, eu cheguei a ouvir da mae dela que em uma briga entre elas, ela chamou a mae dela de arrombada!

        1. Ricardo: concordo com o Nuno. É border sim, e não é caso leve. Não entre nessa. Se entrou, saia. Lembre-se que quanto mais tempo vc ficar com ela, mais difícil vai ser a hora de sair, mais violentas vão ser as reações e armações dela. Também fica mais difícil para você mesmo sair de uma relação mais longa, por causa do capital emocional investido.
          No meu caso, eu estava com uma mulher calma, normal, quando decidi namorar firme com uma border. Elas tem um poder de atração maior, são mais “vivas” por causa do amplificador emocional que possuem, tem mais “pimenta” que as outras.. Essa é a isca, feita sob medida para gente boa morder. Elas nunca vão atrás de cafajestes. Algum tempo depois, você começa a enxergar o dark side disso. O que era um relacionamento picante e estimulante vira, por efeito do transtorno, um relacionamento opressivo e destrutivo.

            • Rodrigo em 07/07/2013 às 16:27

            MISTER X, VC ESTÁ DESREVENDO A MINHA HISTORIA.

            LARGUEI UMA MENINA SENSACIONAL, MEIA E CARINHOSA. POR UMA BORDER, QUE PARECIA UMA ANJO, SÓ QUE CHEIA DE VIDA, ENGRACADA, DIVERTIDA, E, APARENTEMENTE, APAIXONADA POR MIM..

            ESSA MENINA ACABOU COM A MINHA VIDA. ESTOU IRRECONHECIVEL, TOMANDO REMEDIOS, SEM CHÃO!

    3. Não sei muito a respeito de psicopatas, mas pelo que descreveu é border sim. Estranho ler isso, parece que falamos sempre da mesma pessoa, exatamente os mesmos comportamentos exagerados e infantis.

    4. Porque é que vocês não estudam um pouco antes de vir para aqui fazer perguntas imbecis? É assim tão difícil estudar o transtorno? Confundir com psicopata, pelo amor de Deus. Psicopata não tem sentimentos. Psicopata é “perfeito”. Não sente, por isso pode ser exactamente quem quiser ser, de forma a ter exactamente aquilo que pretende da forma que pretende. Eles sim, são perigosos. Manipulam sem pesos de consciência ou remorsos, e desses sim, ninguém sabe. Acho que todos vocês prefeririam ser manipulados como marionetes, por um psicopata…

      Se usarem o vosso q.i., acham mesmo que alguém com border escolhe ser assim? Sinceramente isto é tudo tão sem sentido… e depois, acham-se com tanta experiência, quando não percebem nada sobre o assunto, e muito menos sabem o que é amor. O meu namorado esteve na droga e na bebida 3 anos. Mentia muito, e sofri muito. Mas amávamo-nos. E a adicção é uma doença. Como o borderline é uma doença. Custou, mas consegui, conseguimos juntos que ele largasse os vícios, há já mais de um ano. E sim, valeu a pena. Porque amar não é o que vocês demonstram, amar é estar ao lado nos momentos bons e maus. Tal como um borderline tem fases más, em que as crises são muito complicadas de lidar, tem momentos maravilhosos, em que é ele próprio, a pessoa por quem (supostamente) vocês se apaixonaram!!!! Se não estão dispostos a ultrapassar dificuldades com quem está ao vosso lado, então quem não é normal são vocês… E achei piada à expressão “estava com uma garota normal” lol. Pessoas desinteressantes interessam-se por uma relação normal, sem emoções, porque é menos perigosa, não há paixão e amor, mas é segura. Isso diz muito sobre a pessoa em questão, normalmente um carneiro agarrado às convenções da sociedade que não faz qualquer diferença neste mundo. Sugestão: tentem descobrir o que é realmente o amor. E estudem o disturbio antes de o julgarem. Ninguém escolhe tê-lo, como ninguém escolhe ter cancro, incontinência ou asma (imagino, segundo o vosso conceito de amor, se o vosso parceiro tivesse um acidente e ficasse tetraplégico………….)

      1. Se tu é masoquista, problema o teu.

        Mas ninguém é obrigado a aturar Zé Droguinhas ou retardados em geral. Ou compartilhar dos teus masoquismos.

        Eu hein, é cada um…

      2. Mais um borderline tentando manipular, pensamento de auto-piedade se propagando, pensamento de “eu estou certo e todos os outros errados, magia relacionada a relacionamento ruim que vira relacionamento bom, principalmente ao fato de se incomodar de ser julgada, aproveite, quem está na roda do julgamento agora é você, creio que isso deve ser desconfortável, pois na vida é você quem julga os outros o tempo todo para disfarçar o mal que você carrega consigo, e julga muito mal por sinal, pra ter tanta gente assim em um post na internet ajudando a alertar pessoas que esse tipo de “relacionamento” doentio não é bom pra ninguém, pelo menos nós, pessoas normais temos salvação comprovada, que é ficar longe de vocês.

        1. Border que não se trata (é fato que cerca de 90% recusa tratamento) não pode ser considerado “doente” nem “coitadinho”. É apenas um tipo de personalidade desconfigurada com a qual eu não estou disposta a conviver. Já bastam os 40 anos de manipulação e humilhações com minha “mãe” (entre aspas mesmo). Afastei-me completamente há 1 ano e minha vida melhorou muito.
          Todos temos direito de escolha. Borders escolhem se tratar ou não. Os não borders escolhem se querem conviver com eles ou não. A decisão dos borders, seja qual for, é legítima e merece respeito. A dos não borders também. Simples assim.
          Àqueles 10% de borders lutadores que estão se tratanto, expresso minha admiração e votos de sucesso.

        2. Bem típico mesmo se fazer de coitadinho. Infelizmente eu não tive como evitar muito, pq quem era border era minha mãe. Uma M. Colocou todos os filhos contra o meu pai – que ao contrário, sempre defendia ela, pq queria que os filhos respeitassem a mãe. então ele dizia: é tua mãe… sabe como ela é.
          Tbm jogou cada filho contra o outro, hj em dia não me dou com minha irmã, nem minha sobriha, a minha sobrinha não se dá com a mãe…. muita manipulação que todos caíram. Ngm se dá. Um inferno. Que inclusive se existir, ela deve estar lá agora, abraçando o capeta!!!!

            • Gisele em 05/29/2013 às 17:40

            Tina,
            Sei o que você passou. Tb sou filha de mãe borderline, convivi com ela diariamente durante 33 anos, quando então fui morar sozinha. Hoje tenho 43, fiz muita terapia durante os últimos 10 anos e somente no ano passado é que descobri a verdade sobre ela. O processo terapêutico talvez seja para a vida toda, pois os traumas deixados são difíceis de superar. Difícil não significa impossível. Eu acredito na cura (na NOSSA cura). Um grande abraço!

            • Gisele em 05/29/2013 às 17:44

            Barão,
            Enviei agora um comentário que era para a Tina e depois vi que fiz algo errado e constou como se fosse para o Anibal. Vc redireciona por gentileza? Obrigada!

          1. Putz pior q não tem como redirecionar.

            Mas fica o aviso.

      3. É muito problemático quando a Border tem orgulho de ser deste jeito. Pode até escrever que melhorou, mas não tem como melhorar se gosta de ser assim. Não vou gastar tempo debatendo opiniões que são absurdamente diferentes da minha. O que eu quero chamar atenção é para a patrulha do politicamente correto, achando ruim contrapor “normal” a borderline. É isso mesmo: quem não é border é normal, ao menos nesse aspecto. Pode ser até maluco em outros pontos – rasgar dinheiro, comer gafanhoto, gostar de funk… Mas quando estamos falando de border e ele não é, é usualmente chamarmos de normal. Daqui a pouco vão achar ruim chamar alguém de Borderline e pedir para trocar por “pessoas com emoções especiais”. Assim não dá…

  22. Boa tarde,
    Olha, eu sou borderline diagnosticada, e, infelizmente, tenho que concordar com o texto acima. Não gosto de ser assim, mas dói menos do que tentar mudar. Pelo menos nessa condição, são os outros que sentem dor, e não eu.
    Como me conheço, evito amizades, pois sei que sou manipuladora. As pessoas que se aproximam de mim sofrem bastante. Mas faço questão de expor minha condição, para não dizerem que menti.

    Agora quanto ao tratamento, tomo flouoxetina, quetiapina e depakene, e me ajuda, sim. Ajuda, não resolve. Consigo me controlar em determinadas situações.

    Mas afirmo, quem lida com um borderline, tem que ter o psicológico muito forte para não se deixar abater, pois somos terríveis… rs.

    1. Pra mim vc nao é border, acho que border border mesmo nao teria essa consciencia toda de que as coisas que ela faz sao ruins para as pessoas, border é quase como uma psicopata apenas com as caracteristicas mais fracas que uma psicopata.

      1. Ok. E um psicopata não tem consciência do que faz??? Ele tem, sim. Apenas julga não estar errado. E demorou 5 anos pra sair este diagnóstico. Tenho todas as características de um borderline, e posso garantir que temos, sim, consciência de tudo. Em grupos de borderlines diagnosticados, todos sabem de sua condição. Apenas não saimos divulgando, pois muitos confundem com psicopatia. Isso quando não dizem que é frescura.

        1. Nathali,
          Você não é uma border clássica. Deve ser de nivel bem leve… ou nem é border, é apenas pessoa normal que sofreu traumas emocionais (como todo ser humano normal). Desejo-lhe sucesso com o tratamento e estou admirada com seu grau de consciência. Parabéns!

    2. Oi Nathali
      Realmente sua consciência sobre o problema impressiona. Mas preciso te perguntar: aqui todo mundo está num chat protegido em tese pelo anonimato. Aqui vc tem o nome que quiser ter. Você se abre mesmo com as pessoas na “vida real”? Se sim, ou não é border, ou o tratamento está dando certo.

      Outra coisa que deixa dúvida: você falou em evitar amizades, mas pelo que conheço, as relações no nível de “apenas amizade” não são afetadas pelo transtorno borderline. As borderlines não deixam as pistas chegarem até lá. Só mesmo quem é muito íntimo sofre com ela.

      1. Mister X, meu nome é este mesmo, Nathali. E te respondendo, eu trabalhei muito pra chegar nesta consciência, mas não sou assim “ao vivo”. Não costumo me abrir com ninguém. Não gosto de me expor a este ponto. Acabei de entrar na faculdade, e tive que contar “por cima” sobre minha situação para os professores e colegas de grupo, para evitar situações desagradáveis, pois sou muito impulsiva, faço e falo coisas sem necessidade… Achei melhor contar.

        Agora, em relação as amizades, eu não entendi o que você quis dizer.
        Mas te digo assim: Um borderline transforma qualquer aproximação com uma pessoa em algo profundo, mesmo que não transpareça. Não deixo transparecer a minha dependência, então não sou notada. Mas depois de muito trabalho, “aprendi” a não me envolver, evitando as amizades.

        1. Nathali: Gostei de suas colocações. Acho que todo mundo que está aqui quer (e precisa) contar e entender alguma coisa sobre esse transtorno. Para mim foram quase 2 anos de pesquisa. Você é totalmente consciente do problema e também consciente do tamanho das dificuldades para superá-lo. Quero saber como você está lidando com isso.
          Por exemplo: borderlines sentem exageradamente qualquer acontecimento negativo, qualquer pequena frustração. Como você trabalha para reduzir os efeitos indesejáveis? Eu enxergo aí duas opções. Na primeira opção você continua sentindo seu terremoto de emoções do mesmo tamanho e faz um controle racional depois… Como quem diz, “OK, continuo sentindo como se o mundo todo conspirasse contra mim, a raiva continua chegando do mesmo jeito, mas como aprendi que isso é falso, então dou um desconto e me forço a acreditar que a realidade é bem menos dolorosa do que eu percebo”. Isto significa uma luta constante, você tem sempre que ficar atenta para traduzir seus sentimentos para menos. Se por uma pequena desatenção você deixar de filtrar seus sentimentos, dançou, vai explodir de novo. A segunda opção é melhor: você realmente está conseguindo reduzir a super-intensidade dos seus sentimentos, o que aponta para uma cura de forma mais reta, sem idas e vindas.
          Acho importante entender isso. As borders andam com os sentimentos a 200 por hora. No primeiro caso seria como se você controlasse a velocidade pisando no freio sem tirar o pé do acelerador (porque os sentimentos negativos não mudaram). No segundo, você realmente reduziu a força no acelerador. Como você se vê neste caso?

          1. Olá Mister X. Desculpe a demora, mas só vi sua postagem agora.
            Bem, te respondendo, minha vida sempre foi de pernas pro ar. Qualquer tropeço parecia uma queda do abismo.
            Comecei a me tratar assim que meu filho nasceu, mas não sabia bem o porque. Nesta época, eu queria atirá-lo da janela, por não querer que ele sofresse tanto quanto eu.
            Então o médico disse que era só uma depressão e pronto. Tomei remédios, mas nunca melhorei.
            Então comecei a viver da primeira maneira, onde “sabia” que não era real, e tentava mascarar aquela dor horrível.
            Mudei de médico, e me disse que sou bipolar… Piorei.
            Meudei de médico, e me disse que tenho traços psicopáticos… Piorei.
            Finalmente encontrei um médico que me deu atenção e, em cima de todo meu histórico, me diagnosticou border.
            Daí pra frente, comecei a tomar os remédios certos na dosagem certa. Comecei a fazer psicanálise.
            E agora estou me sentindo bem melhor, diria até que na sua segunda teoria, reduzi a força no acelerador.

            Não posso dizer que é fácil, pois não é. Continua sendo uma batalha diária, mas agora não estou mais “sozinha”.

            Me vejo como uma pessoa que está buscando uma solução, no caminho certo, mas ainda com muito a caminhar.

  23. Não conseguir responder no bate papo, mas agradeço sua contribuição Mister X nesta polêmica conjuntura de relacionamento da mente humana! Você estando na minha frente neste record indesejável me alivia , mas gostaria de não estar nesta jornada, algo que só quem vive sabe a situação que é. Ótimas palavras, principalmente para mim, um recente descobridor desta realidade tão antiga que vivo!

  24. Ola me envolvi em um relacionamento com uma mulher faz uns tres anos mais ou menos, quando a conheci ela me disse que o ex dela tinha batido nela alias que tinha espancado ela. Dae comecei a sair com ela e comecei a ver coisas estranhas como por ex: Quando eu falava no tel que eu nao podia ir no encontro por algum problema ela caia no choro no tel, eu nao entendi uma mulher de 23 anos fazendo isso.
    Mas dae se passaram 3 meses e comecei a namorar ela, com menos de um mes ela me traiu, eu terminei ela ficou na minha cola e eu voltei, só que oque achei mais estranho eram as açoes dela. Um dia fui em uma lanchonete com ela, na saida comprei um sorvete para ela, ela pegou comeu o sorvete e me ofereceu um pedaço, eu comi, ela pegou o sorvete e falou nossa olha o tamanho do pedaço que vc comeu e foi jogar o sorvete no lixo e nao contente ainda pegou metro errado, tive que ir busca-la longe, e ela fez tudo isso por causa de um sorvete. Tudo era motivo de briga e tudo ela terminava, ela brigava se eu atrasasse pra chegar na casa dela meia hora, nossa era uma briga so. Dae meu relacionamento com ela terminou depois de um ano de muitas brigas e muita paciencia minha, quando terminou eu fui conversar com o ex dela o que ela tinha falado que tinha batido nela, o cara falou que ela era doida e que quem tinha terminado era ele e que inclusive ela ligava para ele falando que estava comigo para esquecer ele, duvidei dele so que dae ele começou a contar fatos que so eu e ela sabia. Ela pegava e falava para mim que ele era um louco total e ligava para ele chamando ele para sair. Ele disse porque ele terminou com ela, ele disse que ele colocou um espiao no pc dela e pegou ela conversando com varios caras para sair. Dae depois desse termino ela conheceu outro cara e chuta oque ela fazia, ela ligava para mim falando que tava com esse cara para esquecer eu, eu nao estava acreditando nisso, toda vez que dava briga la ela ligava para mim. Fiquei uns seis meses sem ver ela, e depois voltei e chuta tudo de novo, a unica coisa diferente que achei dessa vez foi que ela fazia as mesmas coisas mas com um grau menor, mas era tudo a mesma coisa, brigas por coisas completamente idiotas, ela me manipulava em tudo, mentia muito. Podia estar tudo bem entre eu e ela mas era apenas uma coisa boba acontecer para ela mudar totalmente. Cheguei a ir num psiquiatra e ele me disse, meu caro vc esta com uma pessoa que tem problemas e vai te deixar com problemas tambem, eu amo muito ela, mas oque sempre eu ficava com uma pulga atras da orelha era, sera que ela nao vai mudar nunca???

    1. Infelizmente não Ricardo, ela não vai mudar nunca, agora quem ainda tem chances é você meu amigo, já vivi essa lorota que você relatou, não vale a pena rapaz, saia enquanto você ainda tem sanidade mental, é a regra básica que todos aconselham a quem se convive com algo assim na vida, acredite amigo, até sozinho, você seria mais feliz do que está agora com tanta frustração na cabeça, a mesma que já esteve na minha um dia e eu me livrei disso!

      1. Nuno eu nao posso conversar com vc por tel???

        1. Rogerio, deixe seu email ai que te escrevo, por tel vai ser complicado amigo.

    2. Eu já relatei da minha experiência com minha tia neste espaço. Continuando, essa minha tia foi ficando isolada. Arranjava brigas por motivos inexistentes. com o seu atual ex-marido. De uns tempos para cá, ela saiu espalhando que a atual esposa do seu ex-marido ficava ligando para a casa deles Eu falei em defesa dele, falando que era mentira. Como só tinha 13 anos na época, minhas tias vieram com a história que eu era muito novo e eu que não me lembrava dos fatos, o que não é verdade. Daí você percebe o perigo que são as borders. Elas manipulam muito bem. Eu fico impressionado com seu poder de manipulação, pois conseguem convencer muita gente. .

  25. Freqüentemente tenho oscilações de humor (às vezes eu amo intensamente ou odeio com a mesma intensidade) tem dias que eu me sinto bem e disposta, mas têm dias que eu me sinto a pior pessoa do mundo, eu estava tomando antidepressivos e fazendo psicoterapias e melhorei 100 por cento só que eu achei que poderia caminhar sozinha e não tomo meus medicamentos por mais de três meses, então o meu estado tem se agravado, eu tenho me tornado uma pessoa agressiva, instável, e não é da minha “natureza” ser assim, eu tenho dificuldades ate para tomar decisões então eu as adio, eu tenho transtorno bordeline e tenho nojo do que eu me tornei. Mas eu estou tentando deixar meu orgulho de lado e vou me submeter à psicoterapia e antidepressivos, porque sem eles… eu sou incapaz de caminhar sozinha,eu me torno um ser irreconhecível,eu digo coisas horríveis,faço coisas graves (como uso de drogas e automutilação,eu induzo vômitos porque tenho autodistrorçao da minha imagem),invento mentiras incalculável só para manipular as pessoas e eu não sou esse tipo de pessoa,as vezes ate eu tenho medo do que eu sou.

  26. editado

  27. Boas, acabei por chegar até este artigo, e outros acerca do disturbio borderline, justamente porque procurava respostas para o comportamento de uma mulher e que não conseguia de forma alguma compreender.
    Foi uma mulher que teve uma paixão por mim há mais de 10 anos,(e eu por ela) ela tinha acabado de sair da adolescencia e era uma pessoa problemática, implicativa, irónica, mas muito atraente. Na altura não nos chegámos a relacionar porque ela era tão implicativa que eu não aguentei e caí fora, ela não aguentou a rejeição, arranjou logo outro cara, com quem se exibia lascivamente à minha frente. até que acabou por se afastar de vez. Recentemente voltámos a entrar em contacto, ela esta extraordináriamente atraente, (ela cultiva isso). Percebi que ao fim destes anos todos ainda tem paixão por mim, quando soube que eu tinha uma namorada já há 3 anos, não descansou enquanto não me ‘obrigou emocionalmente’ a deixá-la, utilizando todo o tipo de manipulações emocionais, ainda não me envolvi ‘de facto com ela’ tem sido tudo platonico, mas a crescente agressividade e comportamento manipulador dela me fez pressentir que algo não estava bem e procurar na internet sobre o seu comportamento. Neste momento estou a tentar afastar-me da sua influência (pois ainda estou apaixonado por ela) mas o facto de saber que ela tem uma paixão antiga por mim está-me a dificultar tremendamente, já percebi que não poderei ter um futuro feliz com ela e apenas me quero afastar, agradeço alguns concelhos de quem já lidou com este tipo de pessoa.

    1. Aníbal, ela vai tentar de toda forma te seduzir para que você volte, mas como você mesmo disse, você sabe o que tem do outro lado desse “muro”, e não tem motivo algum para ingressar em algo com ela novamente, sabendo claramente do que se trata, sem ofensas rapaz, é melhor você pensar com a cabeça de cima, no seu bem estar, pois é isso que está em jogo nesse momento.

      O melhor que você pode fazer por sua vida é procurar conhecer outras pessoas, por incrível que pareça ainda existem pessoas normais nesse mundo que podem entrar em sua vida e fazer dela algo melhor do que você imagina, algo que seria impossível se você se relacionar com essa garota, já lidei com gente assim e sei do que estou falando, assim bem como outras pessoas que sempre postam nesse tópico que se tornou um fórum para discussão, não vale a pena meu amigo, a menos que você esteja buscando destruir a sua vida apenas para a diversão alheia.

      Creio que ela está batendo cabeça na vida, pulando de galho em galho, mas não há quem suporte, mais cedo ou mais tarde ficam sozinhas novamente, e o border vai ficar evocando o passado para ver o que sobrou dele, creio que não apenas com você, mas com todos os ex dela, devem estar em contato com ela neste momento, não se iluda, você deve ser só mais um na lista de possíveis alvos dela.

      Por fim, sabendo que o border piora depois da adolescência, creio que não terá nada bom pra você, imagine multiplicar por 10 o que você viu no passado, e pense..

    2. Anibal, cai fora. Eu sei o que meu pai passou com minha mãe borderline, aliás o nome dele também é Anibal. Ele sofreu demais e suas filhas também (somos 2 irmãs). Precisei de muita terapia e ajuda de amigos sábios para superar, não foi nada fácil. Afastei-me dela completamente, foi a única maneira de preservar minha própria sanidade mental. Tem muita mulher bacana neste mundo, por que você vai ficar com uma louca perigosa dessa? Pense com os neurônios, não com os hormônios…

  28. Já está participando.

Carregar mais

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: