«

»

dez 03 2011

Reflexão sobre a vida dos homens e mulheres

Num debate sobre este artigo dos 3 heróis de Chernobyl, que sem pestanejar ofereceram suas vidas para abrir manualmente as válvulas do reservatório do reator, assim provavelmente salvando toda a Europa de uma contaminação nuclear muito grave. Então, baseado neste artigo, o usuário Navarre fez esta interessante reflexão sobre a diferença entre a vida dos homens e das mulheres:

Sabe de uma coisa… Pode parecer idiota, mas eu seria um desses heróis. Eu morreria por isso. E mais, acredito que outros homens deste fórum fariam o mesmo. Morrer sabendo que sua família, amigos, conterrâneos, e patriotas poderão estar seguros e viver em paz, é tudo que faz sentido na existência de um homem.

Nessa existência absurda, nascemos para morrer. Todo homem sabe disso. Isso é fato inegável. Não escolhemos nem onde ou quando nascemos. Não escolhemos de quem ou de qual forma. Também não escolhemos quando iremos morrer.

O homem só pode escolher duas coisas em sua diminuta existência na Terra:
Como viver, e como morrer.

Só existe isso, e mais nada. Essa é a liberdade que nos cabe na nossa existência, e homens horados e sem medo sentem-se realizados em poder exercê-la.

Agora eu te pergunto… – Por que e pelo que uma mulher vive?

Não vou perder meu tempo escrevendo o quando superficial e materialista uma mulher é. Nem vou tentar explicar o porque de elas nunca sequer cogitarem uma atitude de entrega como esta. Vocês todos já sabem o motivo.

O Homem transcende a si mesmo. Para tanto, o mesmo precisa de uma mente que transcenda também a matéria. O homem na sua racionalidade transcente para a metafísica.

Diferentemente da mulher que vê Deus apenas como mais um pai para lhe prestar mais favores pela sua pureza (que ela julga inerente), os homens tem que provar o seu valor.

Muitos homens podem ser até ateus (meu caso), mas isso não invalida o fato de que eles precisam ser mais do que seus corpos delimitam.

O homem transcende. Ele se entrega. Ele se sacrifica. Ele se torna um herói. Não por querer o heroísmo, mas por ser de sua natureza como ser humano real (e não um animal egoista) ser mais do que a si mesmo.

O homem sente a nescessidade de “SER” no sentido de transcender a carne. Ele quer ser mais do que a realidade delimita. Ele se rebela na sua coragem de enfrentar o intransponível.

Isso é o que é o ser humano na sua mais pura forma, criador de si mesmo.

E onde está a mulher?

Em casa, no seu materialismo puro, ela está fazendo a sua maquiagem e pensando em como tirar o máximo proveito dessa qualidade que os homens tem para proveito próprio.

Ela tenta converter a espiritualidade do homem, por paixões baixas, a adorar apenas uma entidade, ela mesma.

Ela quer que o homem use a coisa mais pura que ele possui, seu instinto altruista de entrega, para satisfazê-la. Ela quer ser uma deusa, e que o homem dedique a própria existência exclusivamente para ela.

Nem mesmo o Deus radical do antigo testamento bíblico era tão egoísta.

Ela é um parasita sangue-suga que não produz nada.

Ela não é espiritual, não transcende. Quando finalmente utiliza-se do de seu livre arbitro, ele escolhe o caminho mais fácil porque o poder corrompe. Ela nem se quer raciocina como seres de altas faculdades mentais deveriam fazer, porque esta se entrega ao instinto de absorver o que o meio lhe proporciona.

Para um ser sem a menor noção do que é o autosacrifício (honra), só existe apenas uma coisa, a si mesma. Elas são tão irracionais que não conseguem nem sequer conceber o quão efêmeras as mesmas são. Elas não conseguem nem ao menos perceber o quão curta e fulgaz é a beleza feminina (que não passa da mais material expressão de transitoriedade).

“A ignorância é uma benção”

Por elas não serem capazes de formular questionamentos existenciais, elas simplesmente abstem-se de dilemas com os quais homens lidam no dia a dia.

Isso ocorre pelo fato que questionamento existencial é inerente de altíssimo raciocínio.

Elas não questionam, apenas agem, como cães, vacas, porcos e demais animais que brigam por comida na face da Terra.

O erro do homem é esperar encontrar na mulher um ser igual, alguém que enfrente os mesmos dilemas. Grande engano.

Embora eu seja ateu, não posso desconsiderar totalmente que exista uma sabedoria figurada dos antigos.

Não existe melhor analogia do que Eva segurando a Maçã.

Quanto mais elevado em valores é um homem, mas ele deve saber que o seu sexo oposto está longe de ser o seu igual mental, consciente, ou espiritual. Ele não deve ignorar ou rejeitar a mulher, mas ter piedade dela.

Asssim o homem pode ajudar na elevação da mulher acima das limitações que lhe foram impostas, fazendo esta consciente de si mesma como ser humano.

1 comentário

  1. Márcio

    Mulher é um bicho egoísta que, no máximo, consegue delirar sem qualquer nexo…

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: