«

»

dez 09 2011

[Pragakham] Piranha em pele de sereia

por Pragakham 

Como sereias que tinham o poder de encanto sobre pescadores, marinheiros, etc, assim é a mulher atual. Uma safada, uma piranha vestida de sereia. Há pouco tempo, me aconteceu um fato que me estressou, detesto essas mulheres que se aproximam feito parasitas. Chegam perto e encostam ali, esperando para sugar alguma coisa. Financeiro ou material, a piranha vem com aquele ar, doce ingênuo e inocente perto de um lobo faminto raivoso, querendo comer qualquer carne feminina que ele sente o cheiro hahaha.

Nisso, a piranha que eu tratava com intuito de trepar veio sempre com aquele alegre sorriso, aproximando e dando ar que ali naquele momento sempre ia rolar algo. Mas como não sou trouxa, cortei  logo o barato considerando-a uma puta dos jogos sexuais. A piranha fazendo ar de mulher certinha e interessante, e eu no encalço da mesma, quando vacilasse eu ia atravessar o ovário da piranha.

Numa bela noite, no recinto onde a piranha trabalha todos os dias, me rodeando e cheirando minha virilha, a piranha cada dia querendo adoçar minha vara com o seu mel, mas como o alarme já tinha ligado me dizendo a vadia que a mesma era, deixei quieto. Porque ali sentia o sexo em cheiro alto, sempre me bajulando. Um belo dia cantei a pedra pra vadia, ela só brincou dizendo que somos amiguinhos. Como sempre pensei “amigo de cu é rola, vadia”. Deixei pra lá, parti para outro corpo. Como este mundão dá voltas, como se diz: um dia é da caça outro do caçador. Eu deitado na minha king size, descansando meu esqueleto cansado, recebo uma ligação da piranha. E na insistência, me ligando, atendi com a intenção, já pensando “tá querendo dar”, mas somos sempre surpreendidos pelo momento. A vadia me chama no stress precisando conversar, atendi até certo ponto e nisso ela me solta: “hummmmmmmm PRECISO DE GRANA , MONEY, DIM DIM, EMPRESTADO”, hahaha. Apenas pensei: “chegou a hora”. Joguei conversa fora com a vadia pra ela acalmar, porque o pior para ela ainda ia chegar. No momento de desespero a vítima se torna um cachorrinho nas mãos do oponente.

Joguei no ar uma simples frase: “TUDO NA VIDA TEM UM PREÇO, TUDO É UMA TROCA”. Ela desconversou, mas com intuito de barganha me disse, em tom baixo, que realmente precisava do dinheiro em questão de urgência. Respeitei. Como sabia que se eu emprestasse não ia ver mais o money$, só falei: “como somos pessoas carentes, e com apetite audaz”, na direta falei “podemos negociar”. Sem esperar, falei: “podemos negociar, e você sabe muito bem o que eu quero”. Ela me disse: “Impossível, não posso”. Quando uma mulher fala não posso, ela quer dizer “eu posso sim trepar com você , a troco de dinheiro”. Respondi para ela: “Então, infelizmente nada feito, não sou banco, você tem um tempo para pensar, e me fale”. Ela na direta respondeu: “Mas nunca fiz isso”. Eu rindo falei: “Mas você ta lembrada de fulano de tal, aquele assim assim assado?”. A vadia achava que não seria descoberta, putinha, fica dando de inocente, isso me estressou. Falei rasgado, na direta: “Simples passamos uma noite juntos, e o dinheiro tá na sua conta”. A vadia relutou não pelo sexo, mas sim pela imagem de virgem que tentava sempre passar. Nisso ela quebrou como vidro, porque eu já sabia dos truques e maldades da mesma. Em tom apelativo ela falou “e como vai ser isso?”, disse a ela: “simples estou passando ai para te pegar e vamos conversar direto no ninho do sonho mais lindo”.

Marquei a hora, peguei a piranha, enchi o rabo dela de vinho pra amaciar a carne, cerveja pra amolecer os bicos das tetas, e chicoteei ela até jatear o óleo de peixe direto na garganta; pra ela aprender o que é a vida. A noite toda , atémeu alarme falar, agora já esta bom valeu o preço. O money já estava em nota viva, paguei ela como uma puta merece. Ainda com ar doce e alegre, a piranha me disse: “nossa como foi bom, estava precisando disso”. Olhei pra cara da desgraçada e pensei: “poderia ter sido de graça, mas tá bom. Dinheiro é feito pra gastar”.

Como eu estava satisfeito deixei ela levar o dela. E ainda me disse caso ela precisasse novamente se eu pudesse emprestar ela novamente poderia “pagar”. Falei: “é só chegar e assinar a promissória sexual que o dinheiro ta na “poupança””. Esses dias vi ela no recinto e já ta com uma cara de cachorra, me rodeando. Só que desta vez vai levar o jato de esperma no rabo e vai ser de graça.

Mas tá ai como essas vadias são espertas e cachorras. São falsas na amizade, não trepam, mas no interesse por grana ou desespero dão até o rabo da alma delas. E tou ai, se qualquer vadia vacilar e eu tiver condição, vou atravessar o ovário.

5 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Kyra Daniels

    heuheuheuheuheue…. hoje em dia, o pos modernismo criou uma verdadeira geração de biscates e putas;

  2. daniel

    é isso aeh mano, vadia a gente trata como vadia.Honrada a gente trata como honrada.já que vadia não serve pra relacionamento, o jeito é descer a rola, sem dó.

  3. BetoGunner

    Literalmente,”meteu a real”.

  4. Ricardo

    Bora, Praga! Puta paga desce o cacete mesmo. Sem limite de tempo, sem limite de gozada. Ótimo negócio, rapaz!

  5. Luiz

    É isso ai amigo, parabéns pela atitude, estou saindo da matrix a pouco tempo e este site junto com seus relatos e matérias tem me ajudado a ver as piranhas em forma de sereia!

    obrigado por compartilhar sua experiencia!

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: