«

»

dez 03 2011

Porque mulheres detestam caras legais (e suas implicações) – Parte 1

por Whiskey’s Place

Do site Instapundit vem o link com a lista das 12 razões porque as mulheres não toleram caras legais. Como todos sabem, caras legais são os homens comuns. Ou seja, outra maneira de dizer “não sexy”. A sociedade ocidental está totalmente focada em prover o máximo de homens sexys para as mulheres. O único problema é que isto acaba minando a capacidade de produzir todas as coisas bacanas que mulheres desejam (tirando os homens sexys). Um ambiente seguro? Não. Uma economia em crescimento e a pleno vapor? Negativo. Uma tecnologia avançada que produza uma comida melhor e mais barata e novos e aprimorados tratamentos médicos, que melhoram a vida de todas as formas? Também não.

Provendo “homens sexys” indiscriminadamente para as mulheres meramente faz que o caos venha mais rápido até nós, gerando pobreza e violência. Observe, por exemplo, o que houve com a comunidade negra americana, que foi de (segundo artigo de Juan Willians na edição especial do Wall Street Jornal do dia dos pais de 2005) 24% de crianças que não tinham o nome do pai registrado em suas certidões de nascimento em 1960 para mais de 90% nas regiões urbanas e mais de 70% em todo o país nos dias de hoje. Nova Orleans, em particular, carrega apenas uma sombra do que foi a comunidade negra do passado. Casas e casas que abrigaram Sociedades Beneficientes negras, associações negras de médicos, advogados, contabilistas e muito mais desapareceram. A Nova Orleans dos tempos de Jelly Roll Morton e de Louis Armstrong (é só procurar pelos registros nas Livraria do Congresso Americana ou pela ultima autobiografia deles) demonstra uma sociedade negra que funcionava. Sim, era mais violenta e caótica que a sociedade branca da época, mas mesmo assim ela funcionava melhor que a sociedade de hoje. Armstrong foi colocado num orfanato assim que sua mãe drogada e alcoólatra não podia mais cuidar dele, e lhe foi dado um trompete que pertenceu a um garoto que morreu de tubeculose (algo que Armstrong jamais esqueceu). Mas pelo menos Armstrong não ficou nas ruas, ele ficou num orfanato que era administrado e mantido por negros. Pessoas brancas não ajudavam em nada ali.

Atualmente nada mais disso existe. E a taxa de filhos ilegítimos dos brancos está estimada entre 20% para os de classe média e 40% para os de classes mais baixas (enquanto a taxa era de menos de 4% para todos os brancos na década de 1960). A taxa de filhos sem o nome do pai dos imigrantes latinos, de acordo com Heather McDonald do City Journal, está acima de 50%.

Homens “sexys” praticamente são sinônimos de filhos ilegítimos. Isto significa mais mães solteiras, por que a vida de cafajestagem destes homens sexys os fazem ser totalmente desinteressados em assumir uma única mulher (eles estão mais interessados em pegar a próxima novinha, e com certeza vão pegar!). Mães solteiras são praticamentes uma fábrica de pobreza. Talvez não se você é bonito (e filho de um pai famoso) como Freddy Prinze Jr. Ou filha de uma professora universitária, onde seus irmãos já são advogadoes e doutores (Eliza Dushku). Mas para todos aqueles que não estão nesta “casta privilegiada” que possui beleza física, inteligêcia, ou ambos, ou com o talento e o físico de LeBron James, a vida como filho de uma mãe solteira é pobre, violenta e muito dura. Não importa o tanto de dinheiro que projetos sociais dão para essas pessoas.

Recentemente, Mike Huckabee criticou o discurso de Natalie Portman na cerimônia do Oscar, que glamourizava as mães solteiras. James Carville, da CNN, fez um comentário sobre o pedido de desculpas de Huckabee, dizendo que pelo menos ele “concordou” que o governo deve mesmo dar suporte financeiro para mães solteiras. Carville obviamente não entendeu o recado, pensando com uma mentalidade da década de 1960.

Uma quantidade pequena de mães solteiras podem muito bem ser amparadas em caso de necessidade por um governo que está com os gastos em dia e que conta com uma sociedade de classe média vigorosa, mais ou menos como era na década de 1960. Agora um governo que está endividado e sob pressão social das classes baixas negras, enfrentando imigração ilegal maciça (consequentemente, trazendo junto com seus descendentes para o estado bancar) e uma classe média cada dia mais pobre como nos dias atuais, é insustentável.

Garotas latinas tendem a ter o primeiro filho aos 16 anos, tendo criança em cima de criança até completar 40 anos, cada um de um pai diferente. Pode até ser muito sexy isso. Mas não é nada sustentável, por causa que não há uma classe média rica o suficiente para sustentar essa farra que é paga com impostos. Os brancos (e geralmente asiáticos também, variando de comunidade/cultura/grupo etnico) e boa parte da classe média em geral só costumam ter os filhos que eles podem sustentar. Pedir a essas pessoas, ou pior, aos homens que subsidiem os filhos que as adolescentes hispânicas tem com cafajestes é simplesmente impossível. Há muitas mães solteiras precisando de auxílio finaceiro do governo, e uma classe média cada dia menor para bancar isso.

Voltemos as razões porque as mulheres não toleram caras legais. São elas:

  1. Caras legais são legais demais (traduzindo: não são sexys)
  2. Caras legais não assumem o controle e nem demandam “respeito” (traduzindo: não são caras que dominam seu círculo social e tem diversas mulheres à sua disposição)
  3. Caras legais são previsíveis (traduzindo: não são SEXYS)
  4. Caras legais não demandam esforço para mantê-los atraídos (traduzindo: NÃO SÃO SEXYS)
  5. Caras legais não precisam de ser “consertados” (traduzindo: DEFINITIVAMENTE NÃO SÃO SEXYS)
  6. Caras legais são genéticamente inferiores e seu esperma não vale nada (traduzindo: extremamente sem atrativos sexuais)
  7. São receosos e sem iniciativa (traduzindo: NÃO SÃO! Sexys)
  8. Baixa alto estima (traduzindo: não são… sexys, ora essa!)
  9. Sexy – caras legais não são sexys! (não precisa de tradução)
  10. Caras legais e charmosos não tem um papo legal (traduzindo: ou, caras legais não são sexys)
  11. Proteção. Bad boys são melhores protetores por causa que eles estão mais acostumados a brigar (traduzindo: um cara que espanca qualquer um, mesmo uma mulher (veja o caso da Rihanna) é sexy!)

O artigo conclui:

“A vida precisa de equilíbrio. Muitos homens ou são bad boys ou são muito legais. O homem ideal é nenhum deles, mas sim aquele que anda na fina linha entre os dois. Até que os homens aprendam isso, cada vez mais as mulheres escolherão os cafajestes, até elas descobrirem que suas más qualidades são maiores que as boas.”

Ou, fazendo a versão masculina desta conclusão:

“A vida precisa de equilíbrio. Muitas mulheres ou são umas vadias ou são virgenzinhas pudentas. A mulher ideal não é nenhuma das duas, mas sim aquela que caminha na fina linha entre as duas. Até as mulheres aprenderem isso, cada vez mais os homens (os sexys, é claro) escolheram comer o máximo de mulheres possíveis até ele alcançar seus 50 anos, neste ponto ele irá se casar com uma mulher tipo a Catherine Zeta-Jones, e o resto dos homens terão um ou outro sexo ocasional mas acabarão é com uma balzaca rodada, o que é mais deprimente que uma inscrição em um site pornô. Independente disto, mulheres não vão conseguir homens de qualidade para casar. E vão ficar ressentidas das que se casam e reclamarão dos “eunucos” e homens comuns.”

Agora sim!

O problema é que a maioria das mulheres, mesmo as medianas, podem sem muita dificuldade transar com um cara sexy. A mulher de Tiger Woods, a de Jessie James, a do senador John Edwards, e muitas outras, não são exatamente modelos de beleza. Mulheres superestimam demais a sua beleza, e o quanto esta beleza irá durar, porque no futuros elas poderão ser apenas mais uma transa para um cara sexy sem muito critério.

Mulheres consideram que estão ficando velhas aos 29:

“Mulheres se consideram velhas aos 29 – a metade que os homens consideram, aos 58 – de acordo com um estudo.

Um quarto das mulheres se consideram velhas assim que os primeiros cabelos brancos começam a aparecer.

Em contraste, homens se consideram jovens até que eles não consigam mais ter um bom desempenho sexual.”

Este é mais um sinal do desejo das mulheres por homens sexys. Só as mais belas atraem a atenção dos caras mais sexys em qualquer interação social. Para a maioria das mulheres, sua aparência começa a decair rapidamente por volta dos 25 anos, e o fato que os mais sexys e desejados homens não estão mais prestando atenção nelas é algo que as deixam chocadas. Ainda assim, elas tendem a superestimar o quão longe elas podem ir com seu poder de barganha, e subestimam suas chances de ficarem pra titias se não fizerem a melhor escolha que está disponível a elas o quanto antes.

Se a levar em conta a lista de parceiros sexuais (f-list ou fuck list) de uma estudante da universidade de Duke, 13 parceiros em 2 anos não é nada impressionante. Desnecessário falar que uma garota com tantos parceiros sexuais, todos eles cafajestes, é uma péssima escolha para esposa, e é por isso que muitas mulheres aos 30 anos provavelmente não serão consideradas para algo a sério por qualquer homem com alguma opção (pornografia inclusa). Mulheres geralmente não entendem isto, então irei explicar.

Porque ter tantos parceiros sexuais, particularmente os cafajestes, é uma coisa ruim para uma mulher que deseja se casar no futuro? Porque 90% dos homens, que não são “machos alfa” (os cafajestes que conseguem comer praticamente todas as mulheres que quiser), tem idéia que o melhor que sua mulher poderia oferecer tanto sexualmente, tanto quanto em memórias e experiências compartilhadas, ela teve com outro homem. Na melhor das hipóteses, eles serão meras sombras do que suas mulheres já experimentaram. E mesmo a mais linda mulher aos 30 anos são menos desejáveis do que quando eram adolescentes inexperientes e sem esqueletos em seus armários. Mesmo todo o Botox, pilates, musculação e dietas não mudam esta realidade. Somente os mais desesperados e sem opções acabam se envolvendo a sério com essas mulheres.

Isto é verdadeiro mesmo para viúvas e mulheres divorciadas. O ex-marido, não importa o quão ruim ele tenha sido, sempre será o homem que ficará gravado em suas memórias e no seu coração. A pornografia tem a vantagem de substituir em parte relações sexuais sem envolvimento emocional (mesmo a mais linda mulher com 30 e poucos anos acaba perdendo aquele encanto que ela tinha quando jovem) e relacionamentos frios.

Toda aquela motivação masculina dada por escritores como Kay Hymowitz não podem forçar homens a aceitarem mulheres que se esbaldaram com cafajestes. Mulheres podem correr atrás dos bad boys o quanto quiserem, mas como tudo na vida, isto tem o seu preço.

Sim, é verdade, por volta de 90% dos caras comuns são “machos beta”. Eles não são sexys e excitantes. Eles não são bad boys ao estilo de Russel Brando, ou são “George Clooneys”. Mas outra notícia quente: também, 90% das mulheres não são nenhuma Jennifer Aniston quando alcançam os 40 anos. Muito menos beldades como Mila Kunis ou Brittany Snow. Querer que 90% dos homens se tornem o que eles não são é o mesmo que pedir que 90% das mulheres sejam tão lindas quanto uma Ashley Greene ou Brittany Snow (para pegar duas celebriades famosas). O desejo exagerado das mulheres por homens sexys é tão sem noção quanto os homens quererem que 90% das mulheres se parecessem com mulheres de capa de revista.

O problema é que mulheres podem fazer isto, pois a maioria delas, ao contrário da maioria dos homens, tem condições de ir para a cama com o equivalente masculino da Brittany Snow (provavelmente algo como se o mundo fosse dominado por Russels Brands). Elas só não conseguem fazer com que esses bad boys se casem e assumam elas.

Esta dinâmica se complica ainda mais por causa de problemas políticos criados pelo gênero e pela raça. Como boa parte das adolescentes hispânicas desejam bad boys que não assumem os filhos que fazem com elas e nem tomam cuidados para evitar uma gravidez indesejada, isto acaba gerando um tremendo gasto com programas sociais estatais para sustentá-las. Por exemplo, 83% dos alunos do Colégio do Distrito Unificado de Santa Ana tem que receber ajuda de custo para poderem se alimentar durante o horário da escola. Obviamente, por volta de 83% dos pais destas crianças não podem bancar a refeição de seus filhos, assim precisando de subsidios federais.

Assim, tanto mulheres quanto imigrantes ilegais estão alinhados a interesses. semelhantes Este interesse é extrair o máximo de dinheiro do contribuinte para alimentar suas crianças e suas famílias (famílias essas que são geralmente formadas por mães solteiras mais as crianças que elas tem com os homens “sexys”). Mas, também a maioria das mulheres brancas de classe média também pagam impostos, e não gostam que a grana delas vão para mulheres que não sejam iguais a ela. Auxílio social para mães solteiras latinas siginificam menos subsídios para a Radio Pública Nacional (e os empregos que ela gera), ou fundações que são suportadas pelo governo, ou estudos fúteis sobre a educação, o meio ambiente, e o que mais elas quererem. Todo o dinheiro está cada vez mais sendo jogados para os programas de educação infantil ou para as mães solteiras hispânicas.

Clique aqui para continuar a leitura do artigo.

link para o artigo original: http://whiskeys-place.blogspot.com/2011/03/why-women-hate-nice-guys-and.html

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: