«

»

dez 04 2011

O Romance não morreu, só foi criminalizado

por Desilusion Damage

As mulheres ficam se perguntando:

“O que aconteceu com os gestos de romantismo e os bons momentos juntos?
O romance morreu?
Cadê meu principe encantando?
Cadê o homem que “me fará flutuar”?”

Bem, certamente esses homens não estão empregados junto contigo ou estão na mesma instituição educacional que você frequenta, isso porque o que você chama de “te fazer flutuar” ou “fazer gestos românticos” a lei americana chama de “assédio sexual”, e homens podem perder seus empregos e até mesmo serem expulsos da universidade por causa disso.

Isso não é incrível? Mas o tipo de comportamento que caracteriza o assédio sexual não é um comportamento nojento, coisa que uma pessoa comum jamais faria? Caras românticos provavelmente não cruzariam essa linha, certo? Errado.

Não há uma definição mínima na lei para o que seja assédio sexual.

A Recomendação Geral nº 19 das Nações Unidas da Convenção para Eliminação de todas as formas de discriminação contra a mulher define o assédio sexual assim:

“alguns comportamentos com características sexuais, como contatos físicos e flertes, comentários com teor sexual, exibição de pornografia e demandas sexuais, tanto por palavras ou atos. Estas condutas podem ser humilhantes e podem constituir num problema de saúde e de segurança; é discriminatório quando a a mulher tem motivos suficientes para acreditar que a recusa destes atos poderia lhe trazer desvantagens no seu ambiente de trabalho, incluindo a contratação e promoção, ou se isto criar um ambiente de trabalho hostil a ela.”

Na lei trabalhista americana, “ambiente hostil de assédio sexual” refere-se a uma situação onde os funcionários em um ambiente de trabalho estão sujeitos a um padrão de exposição a comportamentos sexuais indesejados de pessoas que não são o supervisor direto do funcionário, e onde supervisores ou gerentes não tomam medidas para desestimular ou interromper o tal comportamento.

Algumas situações que podem ser consideradas como propícias de um ambiente hostil são:

  • O uso constante de “piadinhas pesadas” ou histórias picantes onde todos os empregados no recinto possam escutar;
  • Tolerar empregados que fazem comentários de cunho sexual sobre outros empregados em que os demais presentes escutam;
  • Peritir que empregados, clientes, fornecedores, entregadores ou mesmo clientes persistirem em atitudes inconcvenientes, como pedir por um encontro;
  • Perimitir que seja usado termos com conotação sexual (“gatinha”, “maricas”, “pegador”) para descrever outros funcionários;
  • Permitindo contato físico frequente, mesmo sem intenção sexual.

Como podem ver, a definição de assédio sexual incluem “atitudes inconvenientes”, “pedidos de encontro”, “contato físico frenquente, mesmo sem inteção sexual” – qualquer uma dessas ações podem custar o emprego de um homem.

Para um homem que trabalha num ambiente “igualitário” e “integrado” com 50% de mão de obra feminina, para não cometer acidentalmente algum crime, ele precisa ter o máximo de cuidado em evitar dar as pessoas do recinto qualquer “atenção” que pode ser considerada como “inconveniente”, e tem que tomar todo o cuidado com contatos físicos com as pessoas que lhe dão os relatórios impressos e esbarram com ele nos corredores, e de um jeito que o contato não vire “frequente”. Qualquer comportamento pode, é claro, ser considerado “inconveniente”, visto que nenhum de nós prevê o futuro e qualquer tipo de comportamento que não podemos prever é inesperado e, portanto, por padrão “indesejados”.

Você quer gestos de romantismo espontâneos? Ah, você sabe, “espontâneo” é outro sinônimo para “inconveniente”, e isto é crime.

Passando a maioria do seu tempo vivendo sobre regras como estas, não é de se admirar que os homens acabem tendo que evitar gestos românticos? Você espera que um homem que passa 8 horaas do seu dia sendo doutrinado que qualquer “atenção” ou “contato físico”, que por padrão é “inconveniente”, é um crime, e que magicamente desligue toda esta doutrinação à noite para se tonrar um galã de novela que fará você flutuar?

Não tão rápido! As águas não são tão seguras assim fora dos locais de trabalho ou de estudo:

No Reino Unido a Lei de Ofensas Sexuais de 2003 define “assédio sexual” quando uma pessoa (A)

1.Intensionalmente toca outra pessoa (B).
2.O toque tem cunho sexual,
3.B não consente com o toque, e
4.A não teria motivos para acreditar no consentimento de B.

Nos EUA a definição de assédio sexual varia muito entre os estados. A Rede Nacional contra o Estupro, Abuso e Incesto define “assédio sexual” como “contato sexual inconveniente que termina antes de virar estupro ou da tentativa dele. Isto inclui toque com conotação sexual e carícias.”

Aí vai – qualquer gesto espontâneo de romantismo que poderia fazer você flutuar pode ser interpretado como “contato sexual inconveniente” e é uma passagem direto para a prisão.

Estas definições nebulosas de crimes sexuais faz com que muitos métodos normais de interação que as pessoas realizam todo o dia com colegas e amigos virarem crime se uma parte resolve que um “toque” foi “inconveniente” e “sexual”. “Inconveniente” é praticamente impossível de se provar o contrário, e “sexual” é quase tão impossível quanto – se um homem andando num corredor acidentalmente se tromba com uma mulher, é culpa dele se os “airbags” dela são definidos legalmente como de “natureza sexual”? É uma coisa óbvia que pessoas aglomeradas num elevador irão acabar trombando uns com os outros, e este “contato físico inconveniente” pode ser “frequente”. É outro fato incontestável que partes da roupa que se sobressaem na frente de uma pessoa acabarão se esbarrando com alguma coisa que esta à frente, podendo dar isso uma “natureza sexual”. Quando um homem não pode fazer seu serviço sem acidentalmente entrar num “contato sexual inconveniente”, fica muito difícil provar que se aquele contato foi realmente intencional ou não. Qualquer um dos dois ou três gestos românticos que um homem pode fazer legalmente ainda podem ser considerados como uma evidência de uma tentativa de “contatos físicos inconvenientes”, então é melhor que ele evite qualquer sinal de intento romântico, tanto sexual ou não-sexual, que envolva ou não contato físico, que seja inconveniente ou não.

Ainda esté se perguntando onde você pode encontrar o homem que te possa fazer flutuar? Como fazer isso se tornou ilegal, provavelmente agora eles só poderão ser encontrados na cadeia ou em guetos que os homens que não respeitam a lei se agrupam. Ainda está a fim de ir procurar por eles lá?

fonte: http://www.the-spearhead.com/2011/03/21/romance-isnt-dead-its-just-criminal/

 

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: