«

»

dez 13 2011

O que é o Feminismo?

retirado do livro The Principles of Social Competence
traduzido por Oddy

Hoje, a maioria das pessoas vê o feminismo como uma política e movimento social destinado a garantir a igualdade de direitos e proteções legais para as mulheres.

No entanto, para entender corretamente como o feminismo ameaça a sua competência social, é necessário distinguir entre as suas fases políticas e como elas regem a sua filosofia. Mascarada por slogans de igualdade de gênero, o feminismo prospera com a ignorância de suas vítimas. No entanto, quando os seus modernos sintomas políticos e suas antigas raízes ideológicas são examinados de perto, o objetivo é justamente vencer pelo escandalo.

Não só as relações venenosas do feminismo, ela corrói os próprios papéis de gênero que unem a sociedade. Na verdade, nada capta melhor o espírito destruidor do feminismo do que o slogan: “Eu não preciso de um homem!” Enquanto as feministas celebram o espírito de independência entre os sexos, inúmeros homens desiludidos são ignorados; para cada mulher que acredita que pode substituir o papel de um homem, há uma mãe a menos lá fora, podendo fazer que uma criança desamparada vire um criminoso no futuro. Para cada mulher encorajada a desafiar a autoridade do marido, há um outro recorde de estatística do divórcio rasgando a sociedade. Para cada menina ensinada a ressentir-se da liderança do sexo masculino, há uma política feminista atropelamento os direitos civis do sexo masculino.

No entanto, ironicamente o feminismo se propõe a proteger os direitos dos mulheres da opressão masculina. Ela ainda vai tão longe como a associam-se aos movimento dos direitos civis dos Afro-Americanos. No entanto, este raciocínio ignora totalmente a diferença entre a opressão injusta e a restrição saudável. Em outras palavras, limitando as oportunidades de uma mulher no mercado de trabalho não é o mesmo que limitar as oportunidades de um negro de trabalho.

As mulheres são limitadas pela sua capacidade de gênero natural. Assim, permitir elas trabalharem em departamentos de segurança pública desnecessariamente coloca em perigo a vida dos outros. Esta não é a mesma coisa que a proibição de um homem negro de fazer parte do corpo de bombeiros com base apenas na cor de sua pele, sua aparência física não afeta sua capacidade de fazer o seu trabalho corretamente.

Esse engano máximo das feministas pode ser esclarecido pelo exemplo de como a restrição afeta a vida de uma criança. Uma criança não tem senso de previsão, eles agem de acordo com seus desejos imediatos. Elas não consideram as possíveis conseqüências de suas ações. Assim, as crianças necessitam de restrições saudáveis protegendo-as de seu próprio comportamento míope.

Se a proteção é removida, as crianças estarão em perigo de sofrer as consequências de ceder aos seus caprichos temerários. Por exemplo, uma criança admirando a capacidade de um pai para dirigir um carro pode assumir esse papel. Mesmo que a criança não tenha a capacidade física nem mental para dirigir, ele ainda insiste em fazer. A perspectiva animadora de ser um adulto é uma atividade muito atraente. Embora esta decisão míope coloca o filho e outras pessoas em perigo, ele não tem capacidade compreender isso. Assim, as crianças exigem um adulto para restringir a sua ações para sua própria proteção.

As mulheres não têm senso de previsão porque, como crianças, elas se concentram nelas mesmas em um grau disfuncional. Até mesmo a maneira que elas argumentam revela a sua preferência pela aparência em detrimento da substância. Em vez abordar o mérito do seu argumento, as mulheres centram a sua atenção sobre a maneira que você argumenta. Isto mostra que as mulheres se preocupam mais com o modo expressado do que a descoberta dolorosa de um assunto. Sem orientações masculinas, as mulheres negligenciam, invariavelmente, ao considerar o ponto de vista dos outros.

Assim, as mulheres não têm a capacidade de suportar as pesadas responsabilidades masculinas. No entanto, por causa do incentivo irresponsável do feminismo, as mulheres infelizmente se voluntariam para “orientar” as vidas de outros, ignorando as situações perigosas que criam; nossa sociedade feminista abaixa padrões de serviço acadêmico, profissional e civil para atender o desejo da mulher irresponsável de aceitar deveres que nunca foram concebidas para cumprir.

Por consequência, nossas escolas, nossa economia e nossas vidas todas sentam no banco do passageiro, esperando a queda inevitável.

acesse o site dos autores do livro: http://manhood101.com

1 comentário

  1. Lamark

    São umas filha das puta…

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: