«

»

dez 02 2011

Andando em círculos – Parte Final

Clique aqui para ler a 1ª parte, caso não tenha lido.

Clique aqui para ler a 2ª parte, caso não tenha lido.

por Angry Harry

8- Concluíndo, há diversas razões do porque o movimento masculista deve evitar a busca pela “igualdade”.

A igualdade não pode ser encontrada. Não pode ser medida. Ela não pode ser plenamente alcançada.

Debater sobre diferenças estre gêneros acaba por atiçar os instintos cavalheirescos e também a hostilidade de certos homens. E isto permite ao governo prosseguir, indefinidamente, a adquirir cada vez mais poder e recursos para poder manter a procura de algum meio de manter e adquirir a igualdade.

E por último, dos muitos assuntos abordados pelo movimento masculinista, na maioria deles a noção de igualdade não é relevante.

9- Na minha visão, o movimento masculista deveria simplesmente ter como objetivo, tanto abertamente ou de modo mais discreto, direta ou indiretamente é a derrubada e a retirada do poder excessivo de todos os indivíduos, grupos e/ou organizações que podem causar aos homens desvantagens significativas, enquanto promovem e visam a obtenção de poder para todos aqueles que podem dar aos homens melhores condições.

Simples assim.

É claro, alguns ativistas podem pensar que perseguindo estes objetivos é só uma forma sorrateira de se promover um masculinsmo egocêntrico. E quem sabe pode ser isso mesmo, não tenho certeza absoluta sobre isso.

Mas eu não acho que isto pode se materializar, principalmente por estas razões:

a. A internet acaba por nivelar todas as idéias mais extremas que tem alguma relevância. A minha inclusa.

b. As mulheres já tem poder demais. Na verdade, elas nem precisariam de nenhuma grande organização para lutar pelos direitos da “mulher”.

c. Aqueles que estão no topo das várias hierarquias de poder que nos comandam são geralmente egoístas, gananciosos, maliciosos e parasitas, mas isto está sendo exposto – em todo o lugar.

E podemos esperar que estes indivíduos e organizações que são hostis aos os homens nestes últimos anos acabem caindo pelo peso de seus próprios atos (e eu espero que os ativistas masculinistas dêem o seu melhor para ajudar neste processo).

Estes malfeitores serão substituídos por pessoas e organizações que são mais racionais e justas, que irão ver homens e mulheres como “gente” – e irão tratá-los de melhor forma.

E assim, francamente, acredito que o movimento masculinista não precisa se preocupar muito com o futuro do bem estar das mulheres, porque confio que o bem estar delas prosseguirá praticamente intocado.

Aliás, quando foi que o bem estar das mulheres foram ruins, em relação aos homens? Os homens sempre cuidaram dos interesses de suas mulheres – em grande parte, presumo – por causa que suas mulheres os ordenaram a fazer is

Assim, acredito – assim como muitos outros masculinistas – que a grande maioria das mulheres (não todas) estariam muito melhor servidas – aqui e agora – se pudéssemos nos livrar de todos os grupos femininos dominados por feministas e seus privilégios governamentais, seus cursos sobre Mulheres, todas as leis anti masculinas e, é claro, todas essas criaturas cheias de ódio que se auto proclamam feministas. E nem é necessário dizer, a maioria dos homens estariam bem melhores.

Portanto, parece bem simples para mim sobre o que deve ser a missão de um ativista masculinista:

Combater todos os inimigos dos homens – identifiquei alguns acima – e zelar para que a internet seja livre e disponível para o uso de qualquer um. Assim tudo irá correr bem!

Acha que estou brincando? Não, não estou.

Eu acredito que isso é tudo que os masculinstas devem fazer para “ganhar” esta luta.

Se a internet se mantiver livre de controle – um objetivo que todos os masculinistas devem ter – eu não tenho dúvidas que a voz da razão e da justiça será cada vez mais propagada. E não tenho dúvida nenhuma que as mulheres irão escutar essa voz e poderão cuidar de si próprias, sem precisar desses grupos feministas maléficos. E eu realmente acredito que todos esses grupos mal intencionados e e indivíduos que mantém com o seu poder a imposição desta ideologia cheia de ódio que é o feminismo podem muito bem ser substituídos – pela força, caso necessário – por outros grupos e indivíduos poderosos mais razoáveis.

Concluindo, a tarefa básica que temos que fazer me parece bastante óbvia. Minar a capacidade do inimigo e se certificar que a internet fique livre das garras da censura.

O resto virá depois.

10- Resumindo tudo, o movimento masculinista pode fazer muitas coisas para promover a causa – a obtenção de melhores condições para os homens.

Eles podem até se usar do argumento da igualdade, se isto ajudar a esclarecer alguma questão.

Eles podem discutir sobre os problemas comuns de gênero, como sexo, relacionamentos, casamentos, religião, etc.

Eles podem até mesmo fazer um site sobre jardinagem – mas com um ou outro link falando sobre o masculinismo.

Há inúmeras maneiras de se atrair a atenção das pessoas para a causa masculinista e e fazê-los com que apoiem a causa.

Mas, no fim de tudo, o que realmente importa na minha opinião, é que eles identifiquem e combatam o inimigo – tanto indireta com diretamente, de modo ostensivo ou discreto – e o resto acabará acontecendo.

E claro, parece muito claro que só progrediremos mais rapidamente se o masculinismo valorizar mais a força que a diplomacia e se nos comportarmos mais como um advogado de acusação do que como um acadêmico numa torre de marfim.

Por qur que é assim que as coisas funcionam.

fonte: http://www.angryharry.com/esGoingRoundInCircles.htm?EA

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: