«

»

dez 08 2011

A universidade é realmente importante?

por The-Spearhead.com 

Li estes dias um artigo que está sendo muito discutido no reddit, sobre o dilema que os garotos enfrentam na escola. Eles estão a cada dia pior nas escolas, sendo passado pelas meninas, sem motivação para estudar, etc. Artigos com estes temas estão se tornando frequentes ultimamente, e mesmo eu não estando satisfeito com o caminho que a educação superior está tomando na América desde o advento do feminismo imposto pelo Estado, eu acho que tenho uma visão diferente dos demais:

Já há garotos suficientes na escola – talvez até demais.

Uma universidade no Ocidente virou objeto de culto. Um diploma universitário supostamente “abre portas”, mas o que estou vendo é que esta adoração em torno do diploma está é fechando as portas para pessoas competentes que não tem e não querem cursar uma faculdade. (NT: diria que um bom exemplo do Brasil é a necessidade imbecil que tem em se exigir diploma para ser jornalista. Isto excluía muita gente competente do ramo).

E no que concerne ao sucesso feminino nas universidades, geralmente é um monumental gasto de esforço. A área de Exatas, muito importante para o progresso da sociedade, ainda é dominado por homens geniais. Jovens mulheres que cursam psicologia, literatura e outros cursos da área de Humanas acabam empregadas em setores de RH de alguma empresa, setor esse que provavelmente não existiria se não fossem as quotas por sexo que existem nos EUA. Enquanto cursam suas faculdades, elas se esbaldam em festas e rodam nas mãos dos cafajestes, arruinando suas chances de arrumar um bom marido . E também acabam arruinando a área de Humanas por eliminanarem todo o traço de masculinidade dela, transformando aulas de Shakespeare e similares em doutrinação feminista.

A universidade está se tornando num imenso sumidouro de recursos, e a necessidade exagerada de ter um diploma está tirando da jogada inúmeros jovens que podem trabalhar muito bem, mesmo se eles não são super atletas ou gênios da ciência. Exceto por algumas áreas das Exatas, a universidade está virando um gueto feminino que promove uma experiência maçante, se não dolorosa, para qualquer rapaz que decida segui-la.

Podemos dizer que não há nada de “errado” com jovens que são supostamente acomodados. Eles tem boas razões para evitarem uma faculdade, mas os idiotas do setor de RH e o governo acham que um diploma é pré requisito para fazer qualquer coisa que não seja cavar valas junto com imigrantes ilegais.

A maioria dos jovens estariam muito melhores se tivessem apenas o nível médio de ensino. Um curso de 4 anos é algo que apenas uns 25% da população usaria efetivamente, mas é senso comum que seus filhos tem que ter um diploma, ou eles serão uns fracassados. Se um jovem mostra um talento incomum para engenharia ou alguma área técnica, sim, seria uma exelente idéia ele se aprimorar numa universidade. Mas se ele deseja apenas trabalhar com carros, pilotar barcos ou desenhar peças mecânicas, porque não permitir que ele trabalhe o quanto antes?

Acredito que a verdadeira fonte deste mal estar entre os jovens de hoje é a falta de ter uma oportunidade de fazer algo útil. Como um jovem normal irá considerar útil passar anos e anos escutando algum professor zumbi discorrendo sobre a “opressão patriarcal” e sendo depois forçado a escrever alguma redação idiota sobre o assunto? (NT: No Brasil, troque o “professor feminista zumbi” por algum professor ligado ao PSTU ou PT ENCHENDO O SACO A AULA INTEIRA falando de como os EUA ou a Europa oprimem o mundo e blá blá blá. Eu fiz faculdade voltada para a área de informática e mesmo assim tive um professor nesses moldes. Se alguém puder me explicar o que este assunto tem haver com informática, agradeço…)

Dê a algum jovem a chance de fazer algo, e ele aceitará o desafio. Para a maioria dos jovens, a escola não pode dar esta oportunidade; lá é simplesmente um purgatório onde a sua masculinidade é sugada.

fonte: http://www.the-spearhead.com/2011/07/05/is-school-really-that-important/

6 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Fernando

    Essa questão do aumento do número de mulheres nas universidades e no mercado de trabalho já é bem visível na sociedade atual,enquanto a maioria dos homens estão se fudendo sem oportunidade de estudar e conseguir um bom emprego as mulheres estão cada dia mais crescendo,também elas sempre foram mimadas e bajuladas pela sociedade e conseguiram tudo de mão beijada sem fazer nenhum esforço pois elas sempre vão ter a disposição uma multidão de manginas pra facilitar a vida delas,mas o homem precisa conquistar as coisas com seu próprio esforço e sem a ajuda de ninguém e as vezes chega ater ser atrapalhado por essa maldita sociedade misândrica.

  2. Adélio Martins

    Está mto complicado a questão de inserção de homens no mercado de trabalho, mesmo que ele tenha faculdade, pois já não é mais top isso, top é fazer doutorado pra cima. Há inúmeras faculdades particulares que na verdade são empresas de fachada, que querem o maior lucro possível com menos gasto possível, no final o curso deixa a desejar. As empresas começam a fazer preconceito pra quem estuda na faculdade tal.

    Outro agravante é o fato de ter duplicado o mercado de trabalho, antes eram homens e muito poucas mulheres. Hoje é homem e mulher na mesma proporção disputando mercado de trabalho. As mulheres são mais contratadas pois elas aguentam mais a pressão no mercado de trabalho, devido ao fato que elas são orgulhosas demais e não querem ser descritas como sexo frágil, pq elas aguentam a humilhação do chefe, ou pq não pedem aumento, com medo de serem trocadas, são mais propensas a submissão no trabalho. Os homens são práticos, quando não está contente com seu emprego ou com o salário, correm atrás de outros serviços, fazendo com que sejam discriminados por falta de responsabilidade. Dessa forma, muitas empresas barganham salários baixos, em troca de um emprego, pois não existe mais a exigência por parte do empregado, pelo seu valor funcional.

    Os empresários sabem muito bem dessa fragilidade feminina e se aproveitam disso, ganham horrores fazendo dessa maneira, pois sabem que com homens a coisa seria diferente.

    Muitos adolescentes homens estão abandonando a escola, um dos motivos é que tem que se virar mais cedo possível pra deixar os pais. Muitos tem que começar a trabalhar desde cedo para comprar suas roupas, para ter sua diversão, para comer fora, acabam não tendo motivação para os estudos e as adolescentes mulheres são mais bajuladas, mais protegidas pelos pais, costumam serem pressionadas a ficarem na casa dos pais e casarem mais tarde ou a mãe a falar que muitos homens não prestam e que ela tem que estudar para ser independente. No caso do homem, dificilmente o pai vai dar um conselho dessa forma ou protegê-lo durante a adolescência, evitando-o de mulheres que não prestam e fazer com que ele dê ênfase nos estudos.

  3. carlos

    ótimo texto
    De fato,a sociedade fica empurrando para nós a idéia de que se não fizermos algum curso superior seremos fracassados,sem nenhum futuro e em alguns casos me falaram que só nos tornamos gente de fato quando concluímos alguma faculdade.
    Eu nunca acreditei numa farsa dessas e eu sempre me vi como gente.Tanto é que o fato de cursar uma faculdade não lhe transforma em uma pessoa melhor(muito ao contrário na maioria dos casos,e olha como os políticos que estudaram “pra caramba” são “gente boa”).Para mim a sabedoria é importante,mas não significa que aqueles que não a possuem em abundância sejam pessoas piores do que aquelas que a tem.
    Para mim de nada adianta ter sabedoria se a pessoa não tem humildade e bondade.

  4. Bruno L. Rocha

    Sem falar em determinados cursos terem de ser obrigados a ser ministrados em ambiente acadêmicos. Ainda me lembro quando gastronomia ainda se podia ser aprendida em cursos. Hoje o cidadão tem que comum de classe média e para baixo, deve competir com jovens filhos de classe média alta para entrar no curso de gastronomia. Estudar toas as estupidez de células, física, português, para passar num vestibular estupido.
    Curso Arquitetura e minha turma tem 90% de mulheres, a maioria burra que não tem ideia do que é arquitetura. Ficam sempre dando chilique na hora de fazer o trabalho. O mané aqui faz tudo sozinho, mas eu cobro uma grana muito alta por isso. Não quer ver aquelas mãos delicadas atrapalhando meus trabalhos. Então deixo as mais burras entrarem na minha turma e tomo toda a grana dela.Ou paga ou cai fora. O trabalho é sempre 100%, assim como meus trabalhos na escola, onde eu fazia tudo ou quase tudo.
    Sou destaque no curso e todos sabem. É bem gostoso ver a cara de inveja daquelas filhinhas de papai em mim, um pobre filho de faxineira e um segurança. Não é atoa também que meu salário, mesmo que de estagiário, ultrapasse os R$ 2.000.
    Mulheres não tem senso de estética e espacial. E arquitetura não é coisa de gay como todo mundo pensa. Você acha que u engenheiro que só entende exatas faria alguma coisa parecia com a Catedral Cistina.

    1. Pedro

      Tem curso universitario até de COSMETOLOGIA(maquiador) agora….

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: