«

»

dez 09 2011

A igualdade entre homens e mulheres não é possível – parte 1

por Angry Harry 

Tentar igualar homens e mulheres é a mesma coisa que tentar igualar maçãs e laranjas.

O objetivo politicamente correto de igualar ‘homens’ e ‘mulheres’ é algo de realização impossível.

Nunca será achado um jeito de se fazer isto.

Nunca inventarão um jeito para isto.

Nunca irá acontecer.

A busca infindável pela igualdade entre ‘homens’ e ‘mulheres’ na verdade alimenta uma guerra sem fim entre os sexos.

Quanto mais agressiva for esta proucura pela igualdade entre os sexos, mais agressiva será a guerra (ou a hostilidade) entre homens e mulheres.

Para tentar demonstrar isto, perceba que não há uma solução “igualitária” para esta simples questão:

“Mulheres deveriam ter mais votos do que os homens?

Para aqueles que acham que Sim (porque há mais eleitoras do sexo feminino do que do masculino) podemos presumir que acreditam também que qualquer minoria deveria ter menos direito de expressar sua opinião.

Eles acreditam que o grupo maior (mulher) deveria ter o maior poder.

Assim sendo, a igualdade entre os sexos foi pro beleléu.

Para aqueles que pensaram Não (porque isto seria injusto para os homens) podemos presumir que ele também acredita que aqueles que detém a maioria deve ter menos direito de impor sua opinião.

Eles acreditam que o voto individual de uma mulher deve valer menos que o de um homem.

Assim sendo, a igualdade entre os sexos foi pro beleléu mais uma vez.

A busca pela “igualdade” entre os sexos é como um cão correndo atrás do próprio rabo. Ele nunca vai alcançá-lo. E esta busca desenfreada por igualdade está nos custando muito e causando tremendos estragos na sociedade.

A solução que precisamos é não caçar a igualdade, porque ela nunca será alcançada.

O melhor que podemos esperar é que as pessoas estejam felizes com o que tem.

Por exemplo, se eu tivesse que responder a questão “deveriam as mulheres terem mais votos que os homens?” , eu diria que sim (porque elas são a maioria).

Mas eu não estaria dizendo Sim porque acho isso igualitário. Estaria dizendo Sim, porque aparentemente me pareceria a opção mais razoável – em prol da paz, nada mais.

E na verdade, toda essa bobagem de igualdade entre homens e mulheres deveria ser ignorada.

Se homens e mulheres estão igualmente felizes em algum assunto, então, se assim preferir, uma certa “igualdade” foi conquistada.

Mas o estado de espírito das pessoas dependem mais da propaganda que as envolvem.

Se a propaganda diz a eles que eles estão ruins então a felicidade deles cairá e os níveis de agressividade subirão. Se a propaganda disser que eles estão indo bem a felicidade deles irá aumentar e seus níveis de agressividade cairão.

Então, se quisermos que homens e mulheres sejam felizes uns com os outros – entre outras coisas – precisamos destruir essas forças que querem impor a “igualdade” entre os sexos. Por que tais forças, na prática, estarão criando hostilidade indefinidamente entre homens e mulheres enquanto estiverem na caça de um objetivo impossível de ser concluído!

Finalmente, nem homens ou mulheres precisam ser “iguais” para poderem ser felizes uns com os outros.

O Embuste da Igualdade

Algumas pessoas me mandaram emails sugerindo que a igualdade poderia ser alcançada, podemos dizer, através dos salários. Afinal, dizem eles, não é “igualitário” pagar a mesma coisa para homens e mulheres para trabalhos iguais?

Bem. A resposta é NÃO!

Seria justo. E faria muitas pessoas felizes. Mas isto não segue a premissa básica da “igualdade”.

Realmente, o quanto mais se cava para procurar a “igualdade”, mais sem sentido a busca se torna.

Por exemplo, se um homem e uma mulher estiverem fazendo o mesmo tipo de serviço pelo mesmo período de tempo, uma análise superficial do caso diria que eles teriam que ganhar o mesmo.

Mas, eles deveriam mesmo?

Por exemplo, um advogado ou um pedreiro que trabalha na área há mais de 20 anos deveria ganhar o mesmo que uma mulher que trabalha nos mesmos cargos há menos de 10 anos?

Um homem que consegue carregar 2 tijolos por vez deveria ganhar o mesmo que uma mulher que conseguisse carregar um só?

Se você respondeu Sim nas duas perguntas, então sua noção de igualdade é realmente muito estranha.

Mas vamos analisar um caso bem simples, onde habilidades mais especiais são irrelevantes para fazer o serviço com eficiência – se bem que acredito que tais serviços sejam algo bem raro.

Vamos lá. Digamos que o serviço é servir chá numa cantina.

Deveriam homens e mulheres ganhar o mesmo por servir chá se eles trabalham pelo mesmo período e se eles fazem o serviço com a mesma proeficiência?

Mas é claro que diria sim.

Mas os fanáticos pela “igualdade” – como as feministas – não concordariam, e elas continuariam caçando pêlo em ovo até acharem uma desigualdade.

Elas poderiam alegar, por exemplo:

1 – Que mais homens do que mulheres fazem tal serviço. E então, isto seria uma discriminação e não se teria “igualdade”;

2 – As estatísticas poderiam mostrar que as mulheres tendem a gastar mais com as roupas que são usadas para fazer este serviço do que os homens gastam, assim, as mulheres deveriam ganhar mais por isso – provavelmente pegando o dinheiro sorrateiramente deles através de impostos;

3 – As estatísticas poderiam mostrar que mulheres perdem mais dias de trabalho por causa de problemas com seus filhos ou por problemas hormonais, assim elas deveriam ser compensadas de alguma forma por isto;

4 – As estatísticas poderiam mostrar que as mulheres passam mais tempo varrendo o chão do que os homens…

E assim vai.

O que quero dizer é que a busca pela “igualdade” não tem fim, e com esta busca por um objetivo impossível a raiva que seria jogada para cima dos homens por serem supostamente “privilegiados” só aumentaria – e como as feministas tem um prazer sádico em fazer isto, é um objetivo intencional.

E assim, dado que a “igualdade” é algo impossível de ser alcançado (mesmo em questões simples), a busca infinita por ela pelas feministas em todas as áreas inimagináveis sempre irá aumentar a raiva contra os homens em todas as áreas possíveis.

De fato, sempre vemos que feministas irão arrumar um jeito de arrumar motivos para implantar o ódio contra o homem na base de qualquer estatística (real ou imaginária) que demonstre alguma diferença que os beneficie.

Como, por exemplo, se mais homens trabalhassem servindo chá do que mulheres, as feministas irão alegar que há “preconceito” em contratar mulheres para o cargo, mas se tiver mais mulheres do que homens na mesma área, elas então irão argumentar que o salário é mais baixo do que aqueles que a predominância é masculina.

De qualquer forma, sempre irão jogar tudo na conta do homem.

E deixe-me falar se todas as mulheres de uma nação começarem a ganharmais que os homens em todos os tipos de serviço, ou seja, a tal diferença salarial fosse revertida em favor delas.

As feministas irão reclamar que as mulheres estão pagando mais impostos, e que isto é injusto!

De fato, já há discussões em certos círculos que sugerem isto:

“Há uma proposta política que os dois lados irão concordar: reduzir os impostos para as mulheres e aumentar aos poucos os impostos para os homens de um jeito que mantenha o fluxo de impostos constantes.”

e

Impostos irlandeses serão reduzidos apenas para as mulheres: O plano da IMF é dar descontos no imposto de renda das mulheres em 5% para tentar aumentar o GDP irlandês e ao mesmo tempo reduzir a desigualdade entre sexos. (Novembro, 2010)

Clique aqui para continuar a leitura.

fonte: http://www.angryharry.com/esEqualityNotAchievable.htm

Deixe uma resposta

Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: