fev 10 2017

Um breve esclarecimento

Bem, não é segredo pra quem acompanha esse bloguinho (alguém ainda acompanha isso?) que o ritmo de publicações PAROU de meados de 2016 pra cá, sendo que já vinha num ritmo fraco bem antes disso.

Pois bem, foi justamente de 2 anos pra cá que fiquei ATOLADO ATÉ O PESCOÇO de coisas pra fazer: estudo, trabalho, mudança, alguns problemas familiares, e por aí vai. Mas obviamente nada disso me deixa pra baixo, afinal problemas e dificuldades te fazem sentir vivo. Ou você os derruba na porrada, ou eles te derrubam. Por enquanto tou ganhando…

Por isso, como tinha que dar prioridade as coisas da casa (e também não vou negar que tava de saco cheio de muita coisa que tava vendo por aí), meio que larguei isso às traças e com isso, duvido que muita gente lerá esse textinho que tou escrevendo agora.

Mas aqueles que resistiram bravamente até aqui, resolvi “desovar” os quase 30 textos que tavam aqui na fila de publicação esperando eu ter a boa vontade de botá-los no ar. Desovei tudo, afinal seria sacanagem deixá-los pegando poeira, assim me sinto mais a vontade para voltar pra minha pancadaria com os meus problemas diários.

Não entendam isso como um “adeus” ao Canal do Búfalo, longe disso. Só não sei se, pelos próximos 2 anos, terei condições de dar alguma atenção a isso aqui. E depois desses 2 anos já nem sei se estarei vivo ou “virei a casaca” ou sei lá o que, então que fique explicado desde já essa paradeira toda. Pode ser que eu poste algo aqui semana que vem, pode ser que me dê uma vontade inexplicável de botar algo aqui na virada do ano novo, ou esta seja a última vez que eu logo aqui. Bem, só Deus sabe agora, mas pelo menos estão avisados.

Bem, se possível e caso ainda não estejam cadastrados lá, recomendo se inscreverem lá no fórum do búfalo onde sempre rola um assunto interessante e eu tou lá vez ou outra falando besteira. Mas deixo um aviso: ninguém é bem vindo lá. Boa sorte.

http://forum.bufalo.info

fev 10 2017

Recomendações de leitura

livrosEu sou um cara que sempre gostou muito de ler e especialmente depois da Real eu acabei pegando ainda mais gosto pela coisa. Devo ter lido nesses últimos 4 anos mais do que li em toda a minha vida, se brincar.

No meu ask vez ou outra vem alguém me perguntar alguma recomendação de livro pra ler. O que faço com muito gosto, claro.

Então, eu vou aproveitar e sintetizar algumas das perguntas que recebo sobre o assunto em um post, pro pessoal que ler aqui, caso se interesse, possa correr atrás dos livros aqui citados e adquirir mais cultura. Acho que nem preciso falar que os livros daqui da Biblioteca do Búfalo e o material da Real disponíveis em ambos os fóruns (links aí na parte direita do blog) são uma boa pedida também.

Vamos lá? Leia mais »

fev 10 2017

A real e o ódio

Algo muito errado que falam por aí é que a “Real prega o ódio”.

Nada mais errado do que isso!

Quem não faz parte da real é justamente quem tem raiva ou destila ódio. A Real é totalmente contrária a raiva e ao ódio.

Mas pra falar a verdade, até que somos favoráveis ao “ódio”. Porém, a única raiva e ódio que defendemos são:

1 – ódio da sua condição atual (visando, obviamente, melhora-lá);
2 – raiva de não poder fazer mais do que já faz.

Além disso, raiva e ódio são apenas sugadores de energia que poderiam ser usadas em esforços mais úteis (como contar azulejo no banheiro, por exemplo).

‪#‎barãozin‬

fev 10 2017

Masculinidade e a moral do senhor

Por Jack Donovan

Num artigo da Scientific American intitulado “Quando os homens são mais imorais do que as mulheres“, a professora de psicologia Cindi May alega que os homens são mais propensos a “burlar barreiras éticas” se eles sentem que sua masculinidade está em risco. Ela conclui recomendando que “se os padrões éticos são um fator significativo na sua escolha para um analista financeiro ou um corretor de imóveis, talvez seria mais seguro escolher uma mulher do que um homem para a tarefa.”

Eu vi esta alegação antes no jornal britânico Daily Mail, e imediatamente pensei se defender discriminação baseada no sexo da pessoa pode ser considerado “crime de ódio” na Inglaterra, mas rapidamente descobri que May está segura de tais leis já que ela mora aqui nos EUA. Seja na colônia ou na metrópole, é seguro falar que se tal afirmação fosse feita em detrimentos à mulheres ou algum outro grupo étnico protegido, seria um grande escândalo cheio de choro, ranger de dentes e pedidos públicos de desculpas. Entretanto, na grande mídia não é apenas aceitável, mas sim algo bonito descriminar o homem e afirmar que contratar mulheres em detrimento ao homem é melhor para os negócios e que, teoricamente, fazer tal coisa iria resolver todos os problemas do mundo…

A visão enviesada de May é facilmente constatada pelo uso de uma linguagem carregada e cheia de sarcasmos:

Aparentemente, a masculinidade é algo relativamente frágil e precária, e quando é desafiada, os homens tendem a ficar mais agressivos e ficarem na defensiva.Leia mais »

fev 10 2017

Um “bom” conselho

Meu conselho para quem quiser desperdiçar sua vida: aprenda e se discipline para ser o melhor em “pegar mulé”.

Torne isso, a coisa mais importante da sua existência.Enquanto você estiver comemorando conquistas e contando vantagem para outros derrotados como você, outros (e outras) estarão concluindo estudos, se graduando, disputando empregos, abrindo negócios, avançando em projetos, constituindo família (em alguns casos), concluindo projetos. E… fazendo sexo.

Tudo o que você terá, no fim da vida, serão histórias para contar, e exageradas, porque você será insignificante demais para que alguém te desmascare.

E MAIS NADA.

‪#‎DiomedesVerro‬

fev 10 2017

Uma fábula indiana

* fábula retirada do épico indiano “Dashakumaracharita”, que nos conta as aventuras de 10 jovens hindus de classe alta.

Assim que sai da água, carregando uma grande raiz em meus ombros, eu vejo de pé em um banco de areia um terrível Rakshas em forma humana. Ele grita para mim num tom colérico: “Quem é você? De onde você veio? O que faz aqui, destruindo minhas flores?”

Sem demonstrar medo, eu ando audaciosamente em sua direção e respondo: “Eu sou um brâmane, que já enfrentou muitos perigos. Já fui jogado no mar por um traidor, resgatado por um navio mercante e após isso atacado por piratas; e agora, depois de conquistá-los, fomos colocados nesta ilha em busca de água. Acabei de tomar um banho muito bom, e lhe desejo um bom dia.”

“Pare!”, ele diz. “Você não vai se safar tão fácil. Mas você me parece ser um homem corajoso, e por isso eu te darei uma chance. Irei te fazer quatro perguntas. Se conseguir respondê-las, estará livre; caso contrário, eu irei devorá-lo imediatamente.”

“Muito bem,” respondi; “estou pronto para ouvir suas perguntas.” Então ele começou: Leia mais »

fev 10 2017

Os homens não se interessam nas mulheres? Culpa deles!

por Shedding of the Ego

Existem poucas certezas na vida: a morte, os impostos e que o homem sempre será culpado pelo comportamento feminino. O último exemplo disto apareceu num artigo do site CNET, sobre uma entrevista publicada na BBC com um psicólogo preocupado porque os homens estão preferindo os video games e a pornografia do que se relacionarem com mulheres. Isto não é novidade alguma para nós. Porém, ao invés de culpar as mulheres por estarem tão tóxicas ao ponto de estarem afastando os homens delas, o psicólogo culpa o homem por estar “viciado” e diz que isto seria uma “crise da masculinidade”.

Agora vamos olhar esta situação mais de perto, e observar a dissonância cognitiva e o ginocentrismo em ação. O psicólogo em questão se chama Philip Zimbardo, de Stanford. Não custa lembrar que a psicologia é uma industria voltada à mulher (tudo do melhor para manipulá-lo, meu querido) (Willyard, 2011). Darei a Phillip o benefício da dúvida, e assumirei que sua manginice nada mais é que o resultado de saber onde está pisando, e que se ele pretende manter seu emprego numa área que é voltada à mulher ser um mangina simplesmente faz parte do acordo.

Zimbardo crê que o cérebro dos jovens estão sendo “reconfigurados digitalmente” pelos jogos online e pela pornografia. A evidência que o leva a esta conclusão veio de um garoto anônimo que disse que “quando estou na escola, ele preferiria estar jogando World of Warcraft. Quando estou com uma garota, eu preferiria estar vendo pornô, porque ali nunca sou rejeitado.” (Matyszczyk , 2015).

Vamos dividir esta fala em partes menores e examiná-las. Leia mais »

fev 10 2017

Masculinidade é tudo

Podem tirar tudo de você.

Seu emprego, seu lar, suas posses, sua imagem pública… até mesmo, sua liberdade.

Mas enquanto você tiver sua masculinidade, e enquanto existir vida… Tudo pode ser recuperado.

O ser humano coberto de holofotes, ouro e mulheres, que tudo conquistou, sendo escravo do Sistema… este sim, é mendigo e não um Rei.

Mesmo o Homem mais miserável, que não vendeu sua alma, está acima de seus “iguais”, no primeiro olhar que recebe.

Mantenha esse porte, nos bons e nos maus momentos. E deserto algum, irá deter teu passo.

‪#‎DiomedesVerro‬

fev 10 2017

Como perder o medo de errar?

Como perder o medo de errar?

Também tinha esse mesmo problema. Sabe o que eu pus na cabeça? O seguinte raciocínio:

Não vou morrer se eu errar.

Por exemplo, qdo comecei num antigo serviço meu, eu (jovem besta e inexperiente que era na época) ficava lá todo travado quando dava problema, tremendo que nem vara verde. Graças a deus que na época tinha um ou outro cara que vinha salvar minha pele. Com mulher então? Piorou!

Foi a partir daí q notei q não fazer nada seria pior do q fazer algo e errar. Fazendo e errando você fala q tentou, que isso, que aquilo e inventa alguma desculpa esfarrapada.

Não fazendo nada você é simplesmente tirado pra incompetente no ato. Com mulher é um raciocínio semelhante, mas botei também na equação o segundo raciocínio:

“Emoção e diversão.”

Quando você faz as coisas visando se divertir no processo, tudo anda mais fácil. Muito cara sai por aí com a menina pensando em “aí jesus, como faço pra ela me achar o CARA?” ou “cecete eu tenho que agradar ela!!!” e no fim sai um bagulho mecânico, chato, tu gasta grana à toa, você vai fazer o contrário do que tava pretendendo, fazer e a mocinha vai te achar um zé ruela.

Indo na intenção de se divertir, mesmo que dê tudo errado ali e vc saia de mãos abanando, você se divertiu. E as chances que ela se divirta também e você acabe lucrando no fim são muito maiores.

Mas isso é um processo longo, doloroso e sem certeza de dar certo.

Mas no fim compensa tentar. O que você tem a perder não tentando? Se vc não fazer nada, sua chance de sucesso é 0. Se fizer, é 50%. Muito mais promissor, não acha?

obs: copiei na cara dura a imagem da página de facebook "Kim Jong Un" mesmo, fazer o que... mas ela resume bem a ideia que quero passar!

obs: copiei na cara dura a imagem da página de facebook “Kim Jong Un” mesmo, fazer o que… mas ela resume bem a ideia que quero passar!

#barãozin

fev 10 2017

Abaixo ao corporativismo

Abomine o corporativismo.

Aprendemos sobre o lado sujo e oculto do mundo, e isso inclui alguns detalhes sobre o próprio homem, ainda que nos dediquemos a melhorar nosso íntimo, desde o princípio da Civilização.

Logo, devemos ir além de apenas não perder oportunidades de apontar os erros e desmandos da mulher moderna, mas também, sermos implacáveis com os maus comportamentos de nossos iguais.

Fazemos nossa parte, principalmente, e acima de tudo, quando mostramos o Caminho a outros homens, e não nos tornamos cúmplices de seus desmandos.

O certo é o certo. A despeito de sexo. Sem desculpas. Sem racionalizações. Sem hesitação.

Ninguém disse que ser Realista, era fácil.

‪#‎DiomedesVerro‬

Página 1 de 8612345...102030...Última »
Switch to mobile version
%d blogueiros gostam disto: